Procuradores consideram insuficientes políticas públicas para evitar o trabalho infantil

A falta de políticas públicas adequadas - aliada a razões econômicas, sociais e culturais - pode ser a causa para o fato de tantas crianças de até 13 anos de idade estarem trabalhando. A avaliação é do procurador do trabalho Antônio Lima, vice-coordenador da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança do Ministério Público do Trabalho. Matéria de Sabrina Craide, da Agência Brasil, publicada pelo Ecodebate. 148

Renda alta dificulta combate a trabalho infantil

Rendimento médio das crianças em 2006 era de R$ 210, bem acima dos R$ 95 máximos do Bolsa Família - RIO e BONANÇA (PE). Com um valor médio de R$ 210 em 2006, a remuneração de crianças e jovens é de extrema importância para as famílias, em sua grande maioria de rendimento baixo, segundo a pesquisa do IBGE divulgada ontem. Um valor que está um pouco abaixo do salário mínimo

273 mil acidentes no trabalho infantil. Um terço das crianças e jovens tem jornada de adulto: 40 horas semanais

Crianças são mais vulneráveis a doenças e ferimentos. Há 5,1 milhões trabalhando - Pela primeira vez, o Brasil teve conhecimento de um dado dos mais preocupantes sobre o trabalho infantil no Brasil: 273 mil crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos sofreram acidentes ou doenças causadas pelo trabalho em 2006. A informação foi divulgada ontem pelo IBGE, ao traçar uma radiografia das características do trabalho infantil no Brasil. Ao

trabalho infantil: Nas tarefas do lar, há 22 milhões de menores

Meninos e meninas com renda domiciliar per capita de até meio salário mínimo são 45,6% dos pequenos trabalhadores - São 22,1 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos que ajudam nas tarefas do lar. E a jornada de trabalho chega a assustar: 10% dessas crianças gastam até 21 horas semanais nos afazeres domésticos, que concentram mais as meninas. Por sexo, a divisão fica assim: 62,6% são meninas

PA: Tailândia convive com desemprego e abandono após ação contra desmate

Com economia que dependia de atividade ilegal, cidade tem cerca de 12% da população desempregada - Nas ruas e vielas dos bairros mais pobres de Tailândia (235 km ao sul de Belém) as placas de “vende-se” aparecem com freqüência. São resultado direto da crise que se instalou na cidade com a chegada da Operação Arco de Fogo, em que a Polícia Federal e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e

PF chega à Raposa Serra do Sol para tirar não-índios da reserva

Operação Upatakon pode mobilizar até 500 homens para expulsar comerciantes e arrozeiros de área em Roraima - A tensão em torno da ocupação da terra indígena Raposa Serra do Sol - homologada há três anos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva - aumentou nos últimos dias. O motivo foi o início, na quinta-feira, da Operação Upakaton 3 - nome dado pela Polícia Federal à serie de ações com que

Imigrantes ilegais vivem como escravos nas colheitas da Europa

Iludidos pela promessa de fazendeiros de ganhar em euros, eles acabam em abrigos sem água ou luz infestados de ratos - Adam Mohamed e John Kawala decidiram vender suas lojas de artesanato em Acra, capital de Gana, com o objetivo de bancar, com o dinheiro, as propinas necessárias para cruzar as várias fronteiras africanas até a Europa. Em três semanas passaram por Togo, Benin, Níger e Líbia, e cruzaram o

A segurança alimentar, uma visão de 2008, artigo de Antonio Carlos Porto Araujo

[Gazeta Mercantil] A questão do aquecimento global invoca aspectos geopolíticos que há poucos anos não estavam em discussão. As mudanças no clima podem ter implicações mundiais na área de segurança, podendo gerar conflitos diversos sobre domínio de áreas com disponibilidade de recursos naturais e com vocação para a produção de alimentos e energia. 139

Negociadores climáticos começam trabalhos sobre Kyoto 2

LEY - Cientistas e autoridades de várias partes do mundo vão se reunir na Tailândia, esta semana, para as primeiras conversações formais no longo processo de redação de um tratado que substitua o Protocolo de Kyoto, documento sobre mudanças climáticas mundiais, até o final de 2009. Matéria de Ec Cro, da Agência Reuters, publicada pelo Estadao.com.br, domingo, 30 de março de 2008, 18:02 . 138

Especial: Suplemento Trabalho Infantil – PNAD 2006 – 1,4 milhão de crianças brasileiras de 5 a 13 anos trabalham

Apesar de a legislação brasileira permitir o trabalho, como aprendiz, apenas a partir dos 14 anos de idade, 1,4 milhão de crianças de 5 a 13 anos trabalhavam em 2006, sendo a maioria em atividades agrícolas e não-remuneradas – quadro que praticamente não se alterou entre 2004 e 2006. A Pnad 2006 apontou que o trabalho infantil – das crianças e adolescentes de 5 a 17 anos – está associado

Especial: Suplemento do Programa Social – PNAD 2006 – Em 2006, 10 milhões de domicílios receberam dinheiro de programas sociais

  De 2004 a 2006, o percentual de domicílios onde pelo menos um morador recebia dinheiro de programa social do governo passou de 15,6% para 18,3% em todo o país. Assim, em 2006, do total estimado de 54,7 milhões de domicílios particulares no país, em cerca de 10 milhões (18,3%) houve recebimento de dinheiro de programas sociais, sendo que a maior parte (8,1 milhões de domicílios) recebia rendimento do programa Bolsa

Top