Especialistas alertam para a relação entre ação humana no planeta e surgimento de pandemias

Cinco medidas para evitar que o planeta entre em colapso Os impactos das ações humanas no surgimento de pandemias como a do novo coronavírus é um tema recorrente no meio acadêmico e científico. A renomada primatologista britânica Jane Goodall, de 86 anos, que dedicou sua vida à defesa dos animais e do meio ambiente, defende a ideia que o “desprezo” pelo meio ambiente causou a crise do novo coronavírus. De acordo com

Covid-19 em SC: Número de casos em crianças aumenta 162,5% em uma semana

  Três municípios da Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) aparecem na lista das cidades do Estado com maiores focos da doença Por Natália Uriarte Vieira De acordo com os dados do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado de Santa Catarina e Defesa Civil de Santa Catarina, o Laboratório de Conservação e Gestão Costeira da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) avalia o conjunto de dados de natureza territorial para

Riscos da interiorização da Covid-19: 7,8 milhões de brasileiros estão a 4 horas de distância do atendimento adequado

  Em 16 de maio, 60% dos 5.570 municípios brasileiros já tinham registrado casos da doença e 21% contavam ao menos um óbito Mais de 7,8 milhões de brasileiros estão a pelo menos quatro horas de distância de um município que ofereça atendimento de alta complexidade, com Unidade de Terapia Intensiva (UTI), equipamentos e pessoal especializado para doenças respiratórias graves e agudas provocadas pela epidemia de Covid-19. Essa é uma das principais

A caixa de Pandora do aquecimento global: novos vírus e novas doenças estão por vir? artigo de Rodrigo Silva

Aquecimento Global e suas consequências [EcoDebate] Um grupo de cientistas norte-americanos publicou um estudo recente a partir de amostras de gelo (com mais de 15.000 anos) coletadas no Tibet (China) que está ajudando a comunidade científica a revelar as características ambientais daquela época. Mas o que mais nos chamou a atenção sobre esse estudo foi a presença de mais de 33 populações de vírus, das quais 28 são totalmente desconhecidas. Mas você

Covid-19 – Casos sem sintomas ou com sintomas leves ‘são a chama que mantém a contaminação’ no Brasil, avalia especialista

  Cientistas veem Brasil como epicentro da pandemia num futuro próximo e, com dados subdimensionados pela testagem somente de casos mais graves, sem condições reais de enfrentamento Por Rose Talamone, Jornal/Rádio USP Um dos maiores problemas enfrentados pela ciência de dados no monitoramento do novo coronavírus são os dados mal coletados e restritos, afirma Domingos Alves, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e coordenador do Laboratório de Inteligência

Evidências apontam diminuição de procura aos hospitais por doenças cardiovasculares devido ao receio de se infectar pelo coronavírus

  Sociedade Brasileira de Hipertensão alerta pacientes a procurarem serviço de emergência em casos de dor forte no peito, falta de ar intensa, perda de movimentos ou dificuldade para falar, que podem significar complicações graves da hipertensão arterial A hipertensão arterial é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, responsáveis pelas principais causas de morte em nosso país e no mundo, como o infarto e o derrame cerebral. Com o isolamento

COVID-19, SARS, H1N – o que estas doenças têm a nos dizer sobre os problemas ambientais? artigo de Rodrigo Silva

    [EcoDebate] Há grandes especulações sobre a origem do coronavírus. Alguns dizem que o vírus veio de morcegos, outros mencionam o pangolim — um animal que vive na região da China e cuja carne e pele são altamente apreciados pela gastronomia local, além de suas possíveis propriedades afrodisíacas. Há quem diga que ele é uma quimera (um monstro mitológico com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de serpente, ou

Medidas de estímulo econômico pós COVID-19 não devem estimular futuras pandemias

  Karina Toledo | Agência FAPESP – Doenças que emergiram da relação entre animais e humanos matam no mundo cerca de 700 mil pessoas todos os anos e o risco de surgirem novas pandemias é grande. Estima-se que as aves aquáticas e os mamíferos sejam reservatório para 1,7 milhão de vírus ainda não identificados, mas com potencial para infectar humanos. “Qualquer um desses pode ser a próxima ‘doença-X’ – potencialmente mais disruptiva

Por medo e desinformação, pacientes de doenças crônicas deixam de procurar tratamentos durante a pandemia

O medo de sair de casa está levando pacientes cardíacos, com câncer, diabéticos, imunodeprimidos, entre outros, a não procurar assistência médica em hospitais e clínicas do país, acarretando graves prejuízos para a saúde dessas pessoas. Por Renata Sbrissa O hospital Albert Sabin de SP reuniu dois especialistas de seu quadro médico para explicar como esses pacientes devem agir, o Dr. Gustavo Eder Sales, médico Intensivista e o Psiquiatra Dr. Marcel

Por que o Coronavírus é mais perigoso para os idosos?

Entre as razões está a capacidade de resposta do sistema imunológico, que fica mais lenta e fraca à medida que a pessoa envelhece Por Vivian Fiorio Com o avanço da pandemia do COVID-19 no país, foi possível observar que o número de pessoas infectadas com menos de 60 vem aumentando, sendo até superior ao dos idosos. No entanto, é ainda com a população da terceira idade que o risco de letalidade segue

Animais domésticos não transmitem a Covid-19, artigo de Rosângela Ribeiro

    [EcoDebate] Desde março, quando dois cães em Hong Kong testaram positivo para o novo coronavírus, muitos cientistas e pesquisadores levantaram diversas hipóteses sobre a capacidade de infecção de animais domésticos e, principalmente, uma possível transmissão do vírus de cães e gatos para humanos. Apesar de descobertas interessantes de como o vírus age, nada foi comprovado e todas as infecções de animais domésticos com a Covid-19 foram considerados casos de transmissão

Serão as próximas pandemias gestadas na Amazônia? Análise De Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  A pandemia incide no momento decisivo na história da humanidade em que ainda é possível conter o aquecimento global e os demais processos de degradação ambiental em níveis compatíveis com nossa capacidade de adaptação. Na ausência de uma reação política vigorosa da sociedade, a pandemia deve acelerá-los ainda mais. E, por sua vez, esses processos sinérgicos de degradação ambiental fomentarão a maior frequência de pandemias, talvez ainda mais letais. O aquecimento

Top