Pelo menos 10 mil plantas alimentícias não convencionais (pancs) podem reforçar prato do brasileiro

    Por Maísa Penetra, da Radioagência Nacional Você já pensou em comer vitória-régia ou umbigo de banana? Pois saiba que muitas plantas que descartamos no dia a dia e que consideramos apenas mato têm valor nutritivo e até gastronômico.   http://audios.ebc.com.br/1c/1cfaccd2700eca2be949ce25e346c9d0.mp3   Essas são as plantas alimentícias não convencionais (Pancs). São, pelo menos, 10 mil espécies de plantas que além da rúcula, alface e do tomate são boas para a saúde humana. No Brasil, as Pancs já

Até onde se vai com resíduos de agrotóxicos nas plantas, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] MIRANDA e BORGES (2014) fazem avaliação da presença de resíduos de agrotóxicos em alimentos no distrito federal, entre 2009 e 2012, encontrando médias entre 20 e 40% de amostras insatisfatórias em relação ao total analisado. Nas amostras insatisfatórias foram encontrados 08 ingredientes ativos de agrotóxicos que estão em reavaliação toxicológica ou em fase de descontinuidade programada pela ANVISA. Adicionalmente, em todas as amostras insatisfatórias foram encontrados diversos agrotóxicos não autorizados

Adulteração de alimentos e a lógica do agronegócio, artigo de Ana Alvarenga

    [EcoDebate] BRF e JBS, duas das maiores multinacionais da indústria de carnes do mundo, companhias brasileiras responsáveis pela exportação – além da comercialização doméstica – principalmente de carne bovina e de aves para Europa, Ásia e América Latina, são protagonistas do novo episódio de corrupção no Brasil envolvendo grandes companhias, neste caso entre fiscais de governo e funcionários das mencionadas corporações, incluindo-se o diretor de uma delas. O que a operação

Comer em excesso também é considerado uma forma de dependência

    Chocolate, hambúrguer, pizza, queijo e sorvete são alguns dos alimentos altamente “viciantes”, segundo estudo Poucas pessoas sabem que comer pode gerar dependência, assim como fazer uso de drogas ilícitas, fumar cigarros ou consumir álcool. Mas, você sabe por que isso acontece? Alimentos ricos em açúcares e gorduras ativam uma área do cérebro chamada “sistema cerebral de recompensa”. Trata-se de uma rede complexa de neurônios que é estimulada quando fazemos algo que

Agricultores familiares produzem mais de 70% dos alimentos, diz estudo

    IHU Pesquisadores da UFPB e da USP revisam dados do Censo Agropecuário 2006 e dizem que estimativa do IBGE subestimou papel dos pequenos. Os camponeses têm pouca terra, mas colocam bem mais que 70% dos alimentos na nossa mesa, defendem os autores do artigo “Quem produz comida para os brasileiros? 10 anos do Censo Agropecuário 2006” A reportagem é de Inês Castilho, publicada por De Olho nos Ruralistas, 05-02-2017. O Censo Agropecuário 2006 dizia que

Impactos da produção de carne, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Até há bem pouco tempo atrás, as discussões ambientais restringiam-se a proteger ursos panda, evitar desperdício de água e reciclar latinhas de cerveja. A crise ambiental mais complexa, é resultante da repetição ao longo de décadas, de hábitos de consumo coletivos e individuais predatórios, mas abençoados pela lógica de mercado e por uma cultura de sobre-consumismo permanente. Entre os hábitos está o consumo indiscriminado de carne de qualquer origem. A atual

Algas Kelps, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Laminariales é uma ordem de grandes algas, também denominadas por “kelp”. Apesar da sua aparência de grandes plantas marinhas, não pertencem ao reino das plantas e algas verdes. São conhecidos perto de 30 gêneros. Estas algas crescem em bosques submarinos chamados de bosques de algas, em águas superficiais e claras, ricas em nutrientes e temperaturas abaixo de 20 °C. Estes bosques oferecem proteção a algumas criaturas marinhas, e alimentos para

Fabricantes de alimentos terão que informar presença de lactose no rótulo dos produtos

  Anvisa Medida também abrange bebidas, ingredientes, aditivos alimentares e qualquer outro coadjuvante para alimentos.   Imagem: Anvisa   A declaração da presença de lactose será obrigatória nos alimentos com mais de 100 miligramas (mg) de lactose para cada 100 gramas ou mililitros do produto. Ou seja, qualquer alimento que  contenha lactose em quantidade acima de 0,1% deverá trazer a  expressão “Contém lactose” em seu rótulo. O limite de 100 mg foi definido com base na experiência

Sistema atribui pontuação e permite acompanhar a adequação da dieta à saúde cardíaca

  Por Júlio Bernardes, do Jornal da USP   Pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP desenvolveu um índice para medir a adequação das dietas às orientações do Programa Alimentar Cardioprotetor Brasileiro (DICA Br), estudo realizado em parceria entre o Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital do Coração (HCor) e o Ministério da Saúde. O trabalho da nutricionista Jacqueline Silva baseou-se na classificação do DICA Br, que separa os alimentos

Consumo de bebidas artificialmente adoçadas não é boa estratégia contra obesidade

  Produção têm elevado impacto ambiental e não há evidências científicas conclusivas sobre o efeito na redução de peso Do Jornal da USP   Promover o consumo de bebidas artificialmente adoçadas não é uma estratégia válida para enfrentar o aumento dos níveis de obesidade em todo o mundo, aponta estudo internacional com participação da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP. De acordo com a pesquisa, além da falta de evidências científicas conclusivas sobre

Dieta restritiva pode levar ao descontrole e fazer o indivíduo exagerar nas refeições

  Por Carina Brito, Rádio USP Com a chegada do verão, revistas e sites publicam inúmeras dietas com o objetivo de ensinar como emagrecer. Sem o acompanhamento de profissionais, as pessoas fazem mudanças na alimentação que podem causar danos para a saúde e até levar ao ganho de peso posteriormente. A nutricionista Sophie Deram, doutoranda da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), percebeu esse problema e escreveu o livro O Peso das Dietas

Preparo de carnes vermelhas em altas temperaturas está associado ao risco de surgimento de câncer

  O preparo da carne em altas temperaturas causa a formação de compostos que causam danos ao DNA de quem os consome Por Carolina Marins Santos, Jornal/Agência USP Pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, de autoria de Aline Martins de Carvalho, indica que o preparo de carnes vermelhas em altas temperaturas está associado ao risco de surgimento de câncer e outras doenças. Os resultados estão apresentados na tese de doutorado Consumo

Top