Terra, poder e renda produzem monoculturas e violência socioambiental, artigo de Gilvander Moreira

Terra, poder e renda produzem monoculturas e violência socioambiental Por Gilvander Moreira1     [EcoDebate] Em um dos livros que a Comissão Pastoral da Terra (CPT) edita anualmente desde 1979, Conflitos no Campo Brasil, Marcelo Resende e eu apresentamos as causas da violência no campo: terra, renda e poder (MOREIRA; RESENDE, 2004, p. 34-38). Recordamos que o estado de Minas Gerais teve como capital a cidade de Vila Rica ainda no século XVIII, em

A luta pela terra deixa nua a violência do poder, por frei Gilvander Moreira

A luta pela terra deixa nua a violência do poder Por frei Gilvander Moreira1 A opressão do latifúndio, dos latifundiários e do capitalismo tem levado de alguma forma a um emudecimento dos sem-terra e ao desejo de libertar-se da experiência de ser expropriado e ignorado nos seus direitos; tem levado à banalização da existência humana, à perda de valores. Entretanto, na contramão da ordem estabelecida, no Brasil, a experiência da luta pela

O trilema da sustentabilidade e o decrescimento demoeconômico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Acreditar que o crescimento econômico exponencial pode continuar infinitamente num mundo finito é coisa de louco ou de economista” Kenneth Boulding (1910-1993)     [EcoDebate] O desenvolvimento econômico chegou a uma encruzilhada e a ideia de um desenvolvimento sustentável virou um oximoro. Desde que a humanidade ultrapassou a capacidade de carga do Planeta o crescimento da produção de bens e serviços, quando contabilizado as agressões ao meio ambiente, virou um “crescimento deseconômico”, como

Todos os dias são Black Friday para destruir nosso planeta, por George Monbiot

    IHU “Um crescimento global de 3% significa que o tamanho da economia mundial se duplica a cada 24 anos. Esta é a razão pela qual a crise ambiental está se acelerando neste ritmo. Ainda assim, o plano é assegurar que se duplique e volte a duplicar, e continue duplicando eternamente. Em nossa busca por defender o mundo da voragem destrutiva podemos pensar que estamos lutando contra corporações e governos e a

Concentrar terra para crescer o capital e a violência, artigo de frei Gilvander Moreira

    Concentrar terra para crescer o capital e a violência Por frei Gilvander Moreira1 [EcoDebate] Segundo o Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR), do INCRA, de 2012, as propriedades rurais, com áreas com menos de 10 hectares, são 34,1% do total e ocupam somente 1,5% da área total do Brasil, com média de 4,7 hectares, enquanto os imóveis com mais 100.000 hectares (apenas 225 propriedades, menos de 1%) ocupam 13,4% da área total,

Antinomias desencadeadas pela mercantilização do Turismo em Porto Seguro, por Elissandro dos Santos Santana, Denys Henrique Rodrigues Câmara e Radharani Cabrera Teixeira de Arruda

Antinomias desencadeadas pela mercantilização do Turismo em Porto Seguro Por Elissandro dos Santos Santana1, Denys Henrique Rodrigues Câmara2 e Radharani Cabrera Teixeira de Arruda3 [EcoDebate] As antinomias e tensões em decorrência da indústria insustentável do turismo em Porto Seguro desencadeiam déficits socioambientais que inviabilizarão as atividades turísticas na região. É significativo sobrelevar que tais atividades sempre foram concebidas e geridas com base em uma ótica predatória e esta concepção coaduna com os pressupostos

‘Está em jogo a reestruturação do mercado formal de terras no Brasil’. Entrevista com Julianna Malerba

  Heinrich Boell Foundation Por Leandro Uchoas Assessora nacional da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase) e membro da Rede Brasileira de Justiça Ambiental, Julianna Malerba concede entrevista à Fundação Böll. Ela fala dos retrocessos na legislação socioambiental brasileira, com foco no setor da mineração, e estabelece a que, ao lado da reorganização do mercado de trabalho, a reestruturação do mercado de terras está no centro dos interesses dos grupos

Retrocesso: Brasil recebe Prêmio ‘Fossil of the Day’ na COP 23

  Iniciativa seleciona países que estão indo contra a implementação do Acordo de Paris No décimo dia da COP 23 - 23a Conferência das Partes da Convenção da ONU sobre Mudança do Clima - que acontece em Bonn, na Alemanha, o Brasil foi o país selecionado com o Fossil of The Day Award pelos subsídios oferecidos pelo Governo às empresas que vão explorar petróleo em alto mar. O motivador do reconhecimento foi

Resenha: ECONOMIA DESTRUTIVA, de Marcus Eduardo de Oliveira, economista e ativista ambiental

  Em dois séculos de existência, o impacto de dois invasivos movimentos – o industrialismo e o consumismo – imiscuído na esfera da economia de mercado capitalista, desequilibrou completamente a relação Homem-Natureza, e, desde então, nos colocou diante da mais séria e preocupante crise ecológica com a qual passamos a conviver. Dada essa orientação, importa sublinhar que a estratégia econômica estabelecida diante do principal dogma da economia tradicional – o crescimento

Desmonte da legislação ambiental e do Estado: dois lados de uma mesma moeda, por Alessandra Cardoso

    É notório o acelerado processo de desconstrução dos direitos socioambientais erigidos em grande parte na Constituição Federal de 88, mas também em legislações infraconstitucionais, em atos administrativos e na estruturação de instituições com missão de fazê-los cumprir. São muitas as mudanças e evidências nessa direção, mas vale chamar atenção para três marcos desse processo e sua cronologia a qual também tem um papel revelador: A aprovação de um Novo Código

Segunda advertência de cientistas à humanidade sobre nossas opções crescentemente insustentáveis

  Caros Colegas, Estou anexando aqui um breve artigo na BioScience que ressoou globalmente esta semana. Trata-se de um amplo aviso à humanidade sobre os nossos modos alarmantemente insustentáveis, referentes a quase todas as facetas da nossa existência. O documento segue de um aviso inicial à humanidade feito por cientistas líderes exatamente há 25 anos. Dirigido pelo eminente pesquisador Bill Ripple, o artigo atual recebeu um aval excepcionalmente abrangente a nível internacional, com mais

Cuidado da água no contexto da globalização – Mercantilização ou Republicanização? por Leonardo Boff

  Por Leonardo Boff*, da comissão da Carta da Terra Nenhuma questão hoje é mais importante do que a da água. Dela depende a sobrevivência de toda a cadeia da vida e, consequentemente, de nosso próprio futuro. Ela pode ser motivo de guerra como de solidariedade social e cooperação entre os povos. Mais ainda, como querem fortes grupos humanistas, ao redor da água poder-se-á e seguramente dever-se-á criar o novo pacto social

Top