Construção de hidrelétricas no Brasil já desalojou milhares de pessoas, produzindo ‘refugiados do desenvolvimento’

  Impacto das hidrelétricas produz 'refugiados do desenvolvimento' - Para construção dessas obras, populações inteiras têm aberto mão de seus modos de vida, cultura e técnica Revista da USP A construção de grandes hidrelétricas no País e os consequentes prejuízos socioambientais e humanos são pautas que andam sempre juntas, já que, em função destas obras, populações inteiras abrem mão de seus modos de vida, sua cultura e sua técnica em nome do desenvolvimento.

Os seis maiores bilionários brasileiros têm a mesma riqueza e patrimônio que os 100 milhões mais pobres

  ABr   No Brasil, os seis maiores bilionários têm a mesma riqueza e patrimônio que os 100 milhões de brasileiros mais pobres. Caso o ritmo de inclusão no mercado de trabalho prossiga da forma como foi nos últimos 20 anos, as mulheres só terão os mesmos salários dos homens no ano de 2047, e apenas em 2086 haverá equiparação entre a renda média de negros e brancos. De acordo com projeções do

Vídeos alertam sobre os projetos de construção de estradas em áreas ambientalmente sensíveis

  Caro Henrique, O meu grupo de pesquisa produziu recentemente um quarto vídeo dinâmico e breve em português, que destaca os sérios riscos da rápida expansão das estradas, focalizando amplamente as questões ambientais, econômicas e sociais. Aqui está o link para o novo vídeo:   Porque os grandes projetos podem ser tornar investimentos arriscados   Aqui estão os links para nossos dois vídeos anteriores:   1. Porque razão como estradas são tão perigosas   2. Porque as estradas se parecem como

Ouro de tolo: RENCA e o futuro da Amazônia, artigo de Carlos Eduardo Frickmann Young

    Após forte pressão popular, o Governo Federal revogou o decreto que abriria à exploração a Reserva Nacional do Cobre e Associados (RENCA), uma área de 4,7 milhões de hectares no Nordeste da Amazônia que representa a última grande fronteira mineral no Brasil. Não constava no decreto alterações nos limites das unidades de conservação e terras indígenas já existentes na região, contudo, o estímulo direto para uma atividade de elevado impacto

‘O Brasil não é desigual por acidente’; entrevista com Pedro Herculano de Souza, pesquisador do Ipea

    No último fim de semana, novos dados sobre a persistente desigualdade social brasileira voltaram a circular. O recente estudo de Marc Morgan, do World, Wealth & Income Database, cruza as declarações de renda dos brasileiros nos últimos 15 anos com pesquisas domiciliares e de renda nacionais. O pesquisador, vinculado ao grupo do economista francês Thomas Piketty, demonstra que ao contrário do que se pensava, a desigualdade no Brasil cresceu no período.

Economia Socioambiental – Um novo modelo econômico para a América Latina e o Caribe, artigo de Amyra El Khalili

    Economia Socioambiental – Um novo modelo econômico para a América Latina e o Caribe Sennet acrescentaria que a reificação das relações gerou a “corrosão do caráter”. Concordo. Ao sonharmos (ainda) com transformações sociais (em sua radicalidade), saímos do campo da angústia e abstrações, e agimos. Somos! Existimos! E certamente isso só é possível, junto a milhares de outros, de forma solidária e ética. Margarida Barreto Amyra El Khalili A Rede de Cooperação Comunitária

Videocast: Porque as nações podem perder muito dinheiro em grandes projetos

    Caro Henrique, O meu grupo de pesquisa produziu recentemente um terceiro vídeo dinâmico e breve em português, que salienta os sérios riscos de uma rápida expansão das estradas, focalizando amplamente as questões ambientais, econômicas e sociais. Aqui está o link para o novo vídeo: 1. Por que como nações podem perder muito dinheiro em grandes projetos https://www.youtube.com/watch?v=gFBJA-PX4sM   Aqui estão os links para nossos dois vídeos anteriores:   2. Porque razão como estradas são tão perigosas https://www.youtube.com/watch?v=_ySvW07t6js   3. Porque as

Desenvolvimento Insustentável: Por que as nações podem perder muito dinheiro em grandes projetos?

    Caros colegas, Este breve vídeo ilustra o surpreendente "Paradox of Plenty" - também conhecido como "doença holandesa" - o fenômeno estranhamente contra-intuitivo em que os países em desenvolvimento podem tornar-se ainda mais empobrecidos e economicamente vulneráveis quando exploram agressivamente seus recursos naturais: https://www.youtube.com/watch?v=JWQxOq4aMUU     A mensagem neste vídeo tem implicações importantes para a promoção da sustentabilidade ambiental, econômica e social, em um mundo em desenvolvimento a um ritmo vertiginoso. Para ver outros vídeos promovendo

Desbancando o discurso economicista, artigo de Marcus Eduardo de Oliveira

    [EcoDebate] Entende-se por Ecologia “a ciência geral das relações dos organismos vivos em relação ao ambiente que os rodeia que, no sentido mais amplo, devem ser consideradas todas as formas de existência”. Pelo menos foi essa a definição dada por Ernst Haeckel (1834-1919), considerado o seu fundador enquanto ciência independente. Haeckel disse ainda que a Ecologia também pode ser definida como “a Economia da natureza”. O fato é que a

Já esgotamos os recursos naturais capazes de serem regenerados em 2017

    ABr A cada ano, os seres humanos esgotam mais cedo os recursos naturais do planeta. É como um orçamento ambiental, quando a demanda anual da humanidade por recursos excede o que o planeta Terra é capaz de regenerar naquele ano. Em 2017, o Dia da Sobrecarga da Terra, tradução de Earth Overshoot Day, ocorreu na quarta-feira (2/8), a data mais precoce desde que estouramos nosso orçamento ambiental pela primeira vez no

Humanidade aumenta velocidade da degradação do planeta Terra, dizem ambientalistas

    ABr O ser humano está exaurindo os recursos naturais do planeta Terra em uma velocidade superior ao que a natureza consegue se recompor, colocando em risco a qualidade de vida das próximas gerações. O alerta foi feito por ambientalistas na quarta-feira (2), que marcou o Dia de Sobrecarga da Terra. Para dar visibilidade ao tema, houve atividades e debates em vários países. No Brasil, um dos eventos ocorreu no Museu do

O Dia da Sobrecarga da Terra acontece cada vez mais cedo: 02/08/2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Uma pessoa é rica na proporção do número de coisas de que ela é capaz de abrir mão” Duzentos anos do nascimento de Henry Thoreau (1817-1862)   [EcoDebate] A cada ano, a humanidade esgota mais cedo a cota apropriada da riqueza natural do planeta. Com base em estatísticas oficiais de 150 países, a Global Footprint Network registra que entre o dia primeiro de janeiro e o segundo dia de agosto de 2017, os

Top