Decrescimento, uma alternativa, artigo de Iosu Perales

  O decrescimento é uma alternativa econômica? Quando um rio transborda, queremos que decresça e as águas retornem ao seu leito. Trata-se disso. Na realidade, o decrescimento não é uma opção, é uma necessidade – Iosu Perales IHU “Diante dessa ideia que quer colocar no centro da vida humana a produção e o consumo, o imaginário coletivo deve ser descolonizado. Vivemos em um planeta de cinco ou mais velocidades que classifica países, regiões e

O impacto global da classe média sobre o meio ambiente, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O impacto das atividades antrópicas sobre o meio ambiente depende do tamanho da população, do volume da produção e consumo de mercadorias e da tecnologia utilizada no processo de desenvolvimento. Antes da Revolução Industrial e Energética, o impacto demográfico e econômico global era relativamente modesto e estava bem abaixo da capacidade de carga do Planeta. Mas tudo mudou a partir do uso de combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo, gás,

O incansável e falacioso mito da internacionalização da Amazônia, por Henrique Cortez

    [EcoDebate] Retornam as alegações do risco de internacionalização da Amazônia, inclusive servindo de lastro para acusar os ambientalistas, ONGs e críticos da devastação, como se estivessem a soldo de interesses escusos. Como pano de fundo, supostos inimigos externos interessados em ocupar a nossa Amazônia. Aliás, freqüentemente falamos da nossa Amazônia, das ameaças à nossa Amazônia, dos desafios da nossa Amazônia e por aí vai, sempre esquecendo que a região não é

Drawdown: plano para reverter a crise climática, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “O crescimento econômico e populacional está entre os mais importantes fatores do aumento das emissões de CO2 em decorrência da combustão de combustíveis fósseis” Alerta dos cientistas mundiais sobre a emergência climática (05/11/2019)     [EcoDebate] O aquecimento global já traz muitos danos às pessoas e à economia e é uma ameaça concreta à vida humana e não humana na Terra. As perdas econômicas globais, decorrentes das catástrofes climáticas e ambientais, totalizaram US$ 150 bilhões,

O futuro incerto das crianças e das novas gerações, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Algumas pessoas dizem que não estamos fazendo o suficiente para combater as mudanças climáticas. Mas isso não é verdade. Porque para "não fazer o suficiente" você tem que fazer alguma coisa. E a verdade é que basicamente não estamos fazendo nada” Greta Thunberg (22/01/2019)     [EcoDebate] As velhas e as atuais gerações são as responsáveis pela crise climática e ambiental, pois, entre 1770 e 2020, a população mundial cresceu 9,2 vezes, a economia global cresceu

Pobre Planeta: os humanos estão explorando 100 bilhões de toneladas de riqueza ao ano, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Terra! És o mais bonito dos planetas Tão te maltratando por dinheiro Tu que és a nave nossa irmã”. (O Sal da Terra, Beto Guedes)     [EcoDebate] A humanidade está retirando riqueza do Planeta a uma taxa crescente para produzir bens e serviços em benefício de um padrão elevado de consumo que beneficia um enorme número de habitantes que, desafortunadamente, devolvem esgoto, poluição e resíduos sólidos para a natureza. Esta lógica de retirar riquezas ecossistêmicos e

Vaclav Smil e o paradoxo do crescimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Acreditar que o crescimento econômico exponencial pode continuar infinitamente num mundo finito é coisa de louco ou de economista” Kenneth Boulding (1910-1993)   Vaclav Smil. Growth: From Microorganisms to Megacities, MIT Press, 2019   [EcoDebate] Václav Smil (9/12/1943) é um cientista checo-canadense e autor de livros influentes nas áreas de energia, alimentação, população, economia, meio ambiente, etc. Ele é professor emérito na Faculdade de Meio Ambiente da Universidade de Manitoba em Winnipeg, Manitoba, Canadá. O seu

Estamos acabando com o mundo e vamos cada vez pior: a economia circular perde força

  IHU Segundo os dados apresentados no novo Relatório sobre a Lacuna Circular, a proporção de materiais e recursos que se reusam e reciclam a nível global diminuiu de 9,1% do total a 8,6%, enquanto que a humanidade usou mais materiais do que nunca, chegando às 100 bilhões de toneladas de recursos em apenas um ano. O artigo é de Eugenio Fernández Vázquez, consultor ambiental do Centro de Especialistas e Gestão Ambiental no México, publicado por CPAL Social,

Crescimento econômico e custos ambientais: Sempre uma relação polêmica, artigo de Marcus Eduardo de Oliveira

[EcoDebate] O comentário a seguir feito pelo notável José Goldemberg, uma década e meia atrás, além de oferecer uma analogia sugestiva que facilita o entendimento de como chegamos a esse atual modelo de civilização insustentável do ponto de vista ecológico, ainda permite questionar a ideologia do crescimento econômico como um todo: “Economias vibrantes significam mais ´progresso`, empregos, melhores salários e as amenidades que o dinheiro pode comprar. Apesar de centenas

Pirâmide global da riqueza, desigualdade social e as emissões de CO2, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “O crescimento econômico e populacional está entre os mais importantes fatores do aumento das emissões de CO2 em decorrência da combustão de combustíveis fósseis” Alerta dos cientistas mundiais sobre a emergência climática (05/11/2019)   "A mudança climática é potencialmente a maior ameaça à saúde do século 21" Organização Mundial da Saúde (03/12/2019)   [EcoDebate] Todos os anos, desde 2010, o banco Credit Suisse publica o Relatório Global da Riqueza que é a fonte mais ampla de

A Terra teria déficit ambiental global mesmo sem os ricos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A economia é um subsistema da ecologia. Desta forma, a Pegada Ecológica gerada pela economia não pode ser maior do que a biocapacidade fornecida pela ecologia. Para manter a sustentabilidade e garantir o adequado padrão de vida da humanidade, sem degradar as condições ambientais, a Pegada Ecológica, no longo prazo, não pode ser maior do que a Biocapacidade do Planeta. Assim, é insustentável manter o crescimento da produção e

Não podemos continuar pensando na natureza como uma fonte infinita de recursos

  “Não podemos continuar pensando na natureza como uma fonte infinita de recursos”. Entrevista com Inger Andersen IHU A economista dinamarquesa Inger Andersen assumiu a direção do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), em junho do ano passado, após a renúncia por um escândalo de seu antecessor, o ex-ministro norueguês do meio ambiente, Erik Solheim. Uma auditoria interna revelou que ele havia viajado em 529 dos 668 dias auditados, nos quais gastou quase 490.000 dólares, em

Top
Betway Casino Roulette Image Banners
Betway Casino Roulette Image Banners