‘Aversão profunda’ de Bolsonaro aos indígenas define políticas do governo, diz sertanista

  Para Sydney Possuelo, indigenista e ex-presidente da Funai, Bolsonaro é influenciado por corrente militar que se opõe a Rondon e prega a extinção das culturas indígenas Por Vasconcelo Quadros, Agência Pública   Aos 79 anos de idade, 42 deles embrenhado na floresta amazônica, o sertanista, indigenista e etnógrafo Sydney Possuelo arrisca uma explicação para o que chama de “aversão” do presidente Jair Bolsonaro aos indígenas. “Ele é influenciado pela Escola do Estado-Maior do

Nas aldeias de Maturacá e Ariabu, 56% dos ianomâmis apresentaram índice do metal acima do limite estabelecido pela OMS

  Pesquisadora da Escola Politécnica participa de estudo que aponta níveis elevados de mercúrio em crianças e mulheres indígenas Por Julia Neves - EPSJV/Fiocruz São 9,6 milhões de hectares entre os estados de Amazonas e Roraima em uma região rica em minérios. Nela, vivem cerca de 26 mil indígenas ianomâmis que têm sido altamente impactados pela presença de garimpeiros ilegais. Recentemente, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) chamou atenção para os dados preliminares de

Dos Anaios aos Waiãpi, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Em 1676 houve um massacre indígena violento aqui na região do rio Salitre, em Juazeiro da Bahia. Conta a história que o Padre Martinho de Nantes e seus índios aldeados participaram da repressão aos Anaios, sob o comando de Francisco Dias d’Ávila. O Salitre é um afluente do São Francisco. Um rio famoso que alimentou por muito tempo o gado criado para abastecer Salvador, então capital da Colônia. Dias

Chegou ao seu término o projeto ‘Garantindo a defesa de direitos e a cidadania dos povos indígenas do médio rio Solimões e afluentes’

ESPERANÇA, LEGITIMIDADE E AUTONOMIA: RESULTADOS QUE INDICAM CAMINHOS DE LUTA Por Lígia Apel Com importantes resultados chegou ao seu término o projeto “Garantindo a defesa de direitos e a cidadania dos povos indígenas do médio rio Solimões e afluentes”, realizado pela Cáritas de Tefé e CIMI Regional Norte I na Prelazia de Tefé, e apoiado pela União Europeia e Agência Católica de Desenvolvimento Internacional (CAFOD). Caracterizado como um grande “ajuri” (mutirão) em defesa

Não somos tutelados, temos parceiros que contribuem para a nossa autonomia, dizem representantes dos povos Deni e Kanamari

  Por Lígia Apel, com informações de Chantelle Teixeira, Francisco Amaral e Raimundo Francisco. Autonomia e independência na elaboração de três documentos e na organização de uma manifestação com a presença de, aproximadamente, 150 pessoas na aldeia Flexal, município de Itamarati (AM), para reivindicar que a Saúde Indígena não seja municipalizada. Esse foi o resultado da 3ª etapa da Oficina Político-jurídica realizada na 2ª semana do mês de abril, que reuniu representantes

DF: Mostra ‘Respeito ou Repetição?’ relembra crimes contra indígenas como resultado da política de integração forçada

  Mostra “Respeito ou Repetição?” pode ser conferida até o dia 16 de abril, no Memorial do MPF Foto: Antonio Augusto Secom/PGR Tortura, assassinatos individuais e coletivos de índios, distribuição de comida envenenada, dinamites atiradas de avião sobre aldeias, inoculações propositais do vírus da varíola em povos isolados, exploração de trabalho escravo, remoção forçada para destinação de terras indígenas a particulares. Esses e outros crimes cometidos contra povos indígenas em pleno século XX,

Denúncia: Operando com 10% do orçamento, Funai abandona postos e coordenações em áreas indígenas

  Funai: Em zonas de conflito, há coordenações que funcionam dentro de carros e funcionários que sofrem de esgotamento físico e mental por atuar sozinhos Por Ciro Barros, Agência Pública   Nos últimos anos, a Fundação Nacional do Índio (Funai) vem atuando com cerca de um terço de sua força de trabalho, uma situação-limite agravada por decisões tomadas no atual governo, em especial pelo Decreto 9.711/2019, que contingenciou em 90% o orçamento da Funai

Para antropólogo da UNICAMP, ações do governo federal afrontam direitos indígenas

  Direitos Indígenas: Professor do IFCH prevê cenário “assustador” depois de anúncio de medidas, entre as quais o desmanche da Funai   JORNAL DA UNICAMP TEXTO LUIZ SUGIMOTO FOTOS ANTONINHO PERRI | ANTONIO SCARPINETTI EDIÇÃO DE IMAGEMLUIS PAULO SILVA   As medidas anunciadas no primeiro dia do governo Bolsonaro implicam em verdadeiro desmanche da Funai, que teve retirada a responsabilidade não só pela identificação e demarcação de terras indígenas, mas também de conduzir outras políticas indigenistas, como de

Conhecimento indígena, chave para projetos de restauração ecológica bem-sucedida

  Projetos de restauração ecológica envolvendo ativamente povos indígenas e comunidades locais são mais bem-sucedidos. Este é o resultado de um estudo realizado pela ICTA-UAB, que valoriza a contribuição do conhecimento indígena e local na restauração de ecossistemas degradados. Universitat Autònoma de Barcelona*     Os povos indígenas e as comunidades locais são afetados por mudanças ambientais globais porque dependem diretamente de seu ambiente imediato para atender às necessidades básicas de subsistência. Portanto, salvaguardar e restaurar

A Sebraelização do Indigenismo na Amazônia Ocidental como estratégia para a mercantilização e a financeirização, artigo de Lindomar Dias Padilha

A Sebraelização do Indigenismo na Amazônia Ocidental como estratégia para a mercantilização e a financeirização Por Lindomar Dias Padilha[1] O presente texto tem por intenção expor alguns apontamentos a serem aprofundados sobre uma leitura, talvez peculiar, que fazemos do processo que estamos chamando de “sebraelização[2] do indigenismo”. Em tempos bicudos quanto os atuais, refletir sobre certos temas é antes de tudo um corajoso exercício de releitura quase exegética. Entretanto, como

Fórum de Políticas Públicas Indigenistas – Uma Ação Unificada em Defesa Da Vida

  A defesa da democracia sem criminalização das pessoas, com defesa das liberdades individuais e coletivas, do direito à participação popular nas decisões políticas e do direito à livre manifestação política garantida aos povos pan-amazônicos, indígenas e não-indígenas. Esse foi o preceito estabelecido no Fórum Regional de Políticas Indigenistas, realizado no Centro de Treinamento Irmão Falco, em Tefé, nos dias 12 e 13 de novembro. Por Ligia Kloster Apel*     O Fórum Regional de

Justiça Federal multa Norte Energia e União em R$ 1,8 mi por atraso em condicionante indígena de Belo Monte

Belo Monte - Condenação da Norte Energia e da União ocorre pela demora em cumprir quesito da licença ambiental que previa reestruturação da Funai para atender os povos indígenas atingidos Adalton Munduruku observa o canteiro de obras paralisado da casa de força principal de Belo Monte, durante ocupação indígena, em maio de 2013. Foto: Letícia Leite/ISA A Justiça Federal em Altamira (PA) multou a Norte Energia e a União em R$ 900

Top