Para antropólogo da UNICAMP, ações do governo federal afrontam direitos indígenas

  Direitos Indígenas: Professor do IFCH prevê cenário “assustador” depois de anúncio de medidas, entre as quais o desmanche da Funai   JORNAL DA UNICAMP TEXTO LUIZ SUGIMOTO FOTOS ANTONINHO PERRI | ANTONIO SCARPINETTI EDIÇÃO DE IMAGEMLUIS PAULO SILVA   As medidas anunciadas no primeiro dia do governo Bolsonaro implicam em verdadeiro desmanche da Funai, que teve retirada a responsabilidade não só pela identificação e demarcação de terras indígenas, mas também de conduzir outras políticas indigenistas, como de

Conhecimento indígena, chave para projetos de restauração ecológica bem-sucedida

  Projetos de restauração ecológica envolvendo ativamente povos indígenas e comunidades locais são mais bem-sucedidos. Este é o resultado de um estudo realizado pela ICTA-UAB, que valoriza a contribuição do conhecimento indígena e local na restauração de ecossistemas degradados. Universitat Autònoma de Barcelona*     Os povos indígenas e as comunidades locais são afetados por mudanças ambientais globais porque dependem diretamente de seu ambiente imediato para atender às necessidades básicas de subsistência. Portanto, salvaguardar e restaurar

A Sebraelização do Indigenismo na Amazônia Ocidental como estratégia para a mercantilização e a financeirização, artigo de Lindomar Dias Padilha

A Sebraelização do Indigenismo na Amazônia Ocidental como estratégia para a mercantilização e a financeirização Por Lindomar Dias Padilha[1] O presente texto tem por intenção expor alguns apontamentos a serem aprofundados sobre uma leitura, talvez peculiar, que fazemos do processo que estamos chamando de “sebraelização[2] do indigenismo”. Em tempos bicudos quanto os atuais, refletir sobre certos temas é antes de tudo um corajoso exercício de releitura quase exegética. Entretanto, como

Fórum de Políticas Públicas Indigenistas – Uma Ação Unificada em Defesa Da Vida

  A defesa da democracia sem criminalização das pessoas, com defesa das liberdades individuais e coletivas, do direito à participação popular nas decisões políticas e do direito à livre manifestação política garantida aos povos pan-amazônicos, indígenas e não-indígenas. Esse foi o preceito estabelecido no Fórum Regional de Políticas Indigenistas, realizado no Centro de Treinamento Irmão Falco, em Tefé, nos dias 12 e 13 de novembro. Por Ligia Kloster Apel*     O Fórum Regional de

Justiça Federal multa Norte Energia e União em R$ 1,8 mi por atraso em condicionante indígena de Belo Monte

Belo Monte - Condenação da Norte Energia e da União ocorre pela demora em cumprir quesito da licença ambiental que previa reestruturação da Funai para atender os povos indígenas atingidos Adalton Munduruku observa o canteiro de obras paralisado da casa de força principal de Belo Monte, durante ocupação indígena, em maio de 2013. Foto: Letícia Leite/ISA A Justiça Federal em Altamira (PA) multou a Norte Energia e a União em R$ 900

Os povos Kanamari e Madja Kulina, do AM, realizam encontro para discutir sua realidade e defender seu modo de vida

  UM ESTUDO DE CASO PARA OS POVOS KANAMARI E KULINA DE CARAUARI, AM Os povos Kanamari, das aldeias Bauana e Taquara, e Madja Kulina, da aldeia Matatibem, município de Carauri, Amazonas, realizaram nos dias 03 e 04 de novembro, um encontro para estudar sua realidade. Apresentações culturais, celebrações, debates, diálogos, produção de mapas e levantamento de informações sobre o direito à demarcação territorial conduziram os dois dias de integração entre as

Comunidades indígenas denunciam ao menos quatro ataques em Mato Grosso do Sul e em Pernambuco

    Após o resultado das eleições, foram registrados ao menos dois ataques intimidatórios a comunidades indígenas em Mato Grosso do Sul e em Pernambuco. Autoridades e a Fundação Nacional do Índio (Funai) confirmam o registro. O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) informa ter recebido relatos de outras duas ações violentas em Mato Grosso do Sul. Os atos envolveram uso de armas de fogo, balas de borracha, além de atearem fogo a uma escola

Cimi repudia veementemente acusações do candidato Jair Bolsonaro contra os povos indígenas do Brasil

  O Cimi manifesta, inclusive, solidariedade a estes povos pelas ofensas injustas e aos Bispos, membros da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB), também agredidos e aviltados covardemente pelo referido candidato. O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) vem à público repudiar toda e qualquer acusação caluniosa e difamatória apresentada pelo candidato de extrema direita Jair Bolsonaro (PLS) contra os povos indígenas do Brasil. O Cimi manifesta, também, solidariedade a estes povos pelas ofensas

Povo Kanamari realiza o 1º Mutirão em Defesa dos Direitos Indígenas, em Maraã, Amazonas

Por Lígia Kloster Apel – Assessoria de Comunicação CIMI Tefé, com informações de Edvarde Bezerra e Nelma Catulino. Setembro foi um mês de grandes debates para a questão indígena no Brasil. O Conselho Indigenista Missionário (CIMI) lançou no dia 27, o relatório Violências Contra os Povos Indígenas no Brasil – Dados de 2017, que traz dados assustadores da violência contra os povos originários, mostrando o quanto aumentaram tais violências em números

As missões jesuíticas guaranis e a sustentabilidade, Parte 4/4 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] AFONSO et. al. (2014) registram que um exemplo de projeto de sustentabilidade cultural, que tem produzido resultado nas aldeias guarani, é o Observatório Solar Indígena. O projeto foi muito bem-aceito por esse povo, que inclusive participou da sua elaboração e construção. Essa aceitação se deu, principalmente, pela associação desta ferramenta de ensino do meio ambiente com a cosmovisão do Guarani (com o jeito de ser Guarani), pois, está relacionado com

MPF processa Eletronorte e Funai por coação ao povo Waimiri Atroari, por concordância com a construção do Linhão de Tucuruí

  Waimiri Atroari - Pedido de liminar requer que a empresa e a fundação não condicionem a efetivação de programa assistencial aos indígenas à concordância do povo com a construção do Linhão de Tucuruí Foto: Vanilton 2006 O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas ajuizou ação civil pública, com pedido de liminar, para impedir que a Eletronorte e a Fundação Nacional do Índio (Funai) tomem qualquer medida no sentido de impor ou condicionar a

As missões jesuíticas guaranis e a sustentabilidade, Parte 3/4, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] AFONSO et. al. (2014) detalham a cosmovisão dos Guaranis, motivada por uma mentalidade animista e religiosa, impede o desenvolvimento de uma economia baseada na noção de lucro privado, o que não é compreendido nem considerado pelo sistema capitalista. A economia de subsistência dos Guaranis produz apenas para o consumo da própria família ou do grupo social, sem excedentes para o comércio. Nela, o sustento da vida, em sua maior parte,

Top