Rios de esgoto: Crise hídrica nas grandes capitais brasileiras, artigo de Bernardo Egas

O Rio de Janeiro enfrenta uma inacreditável e inaceitável crise na qualidade e segurança da água distribuída à população. É inaceitável, mas, ao mesmo tempo, é uma consequência óbvia da ampliação da poluição de nossos recursos hídricos. Grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, enfrentam um crescente estresse hídrico, não apenas pela escassez quantitativa de águas, como pela escassez qualitativa, que acarreta dificuldades de captação de água relativamente segura

Polícia Ambiental faz mapeamento da bacia hidrográfica do Rio Guandu, RJ

  Os afluentes e efluentes que deságuam na bacia hidrográfica do Rio Guandu passam por um levantamento minucioso do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro. ABr   O trabalho, segundo a Secretaria de Estado de Polícia Militar, começou neste fim de semana nos rios, canais naturais, tubulações e valas clandestinas que interferem na bacia considerada a fonte primária de abastecimento do Rio e de

O que está por trás da crise da água no Rio

IHU Há três semanas, muitos cariocas lidam com água turva e malcheirosa saindo das torneiras, enquanto nos mercados o preço da água mineral assusta consumidores. Crise traz temor de consequências graves para saúde pública. A reportagem é de Thomas Milz, publicada por Deutsche Welle, 21-01-2020. No bairro Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, Elton Luiz vai de supermercado em supermercado em busca de água mineral, mas na maioria das lojas as prateleiras estão vazias. E, quando encontra, o

O que a comunicação da Cedae fala sobre a água no Rio? artigo de Beatriz Diniz

O que a comunicação da Cedae fala sobre a água no Rio? [EcoDebate] Verão, cidade do Rio ferve literalmente com altas temperaturas. Tem gente de todo canto turistando, Carnaval antecipado que a prefeitura inventou em ano de eleição. De repente, água com cor, cheiro e gosto. E a Cedae sequer se comunica com a população, seus clientes. Água é vida, de verdade. Sem água não tem vida pra geral, não

Docentes da UFRJ elaboram nota técnica dizendo que há ameaça de segurança hídrica no Rio

  A pedido da Reitoria, grupo de docentes da UFRJ elaborou nota técnica contendo constatações e recomendações Face aos questionamentos recentes sobre a qualidade da água potável distribuída para consumo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ) e cientes da responsabilidade acadêmica e social que a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem com toda a população, a Reitoria da UFRJ solicitou a um grupo de docentes que desenvolve

Futuro da Índia: o país mais populoso do mundo e sem água potável, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Precisamos nos preocupar com a explosão populacional” Narendra Modi, 15/08/2019   [EcoDebate] A população indiana era de 376 milhões de habitantes em 1950, representando 14,8% da população mundial de 2,5 bilhões de habitantes, ficando atrás apenas da população chinesa que era de 554 milhões de habitantes. No ano 2000, a China chegou a 1,29 bilhão de habitantes, e a Índia chegou a 1,1 bilhão, representando 17,2% da população mundial de 6,1 bilhões de

Rio Opará: um rio marcado para morrer? artigo de Flávio José Rocha

Rio Opará: um rio marcado para morrer? Flávio José Rocha1 Está secando o velho Chico. Está mirrando, está morrendo. Já não quer saber de lanchas-ônibus nem de chatas e seus empurradores. Cansou-se de gaiolas e literatura encomiástica e mostra o leito pobre, as pedras, as areias desoladas onde nenhum minhocão ou cachorrinha-d’água, cativados a nacos de fumo forte, restam para semente de contos fabulosos e assustados. O trecho acima, retirado do poema Águas e Mágoas do Rio São Francisco e escrito há

As diferentes realidades fluviais serão tema da nova exposição do Museu da Vida da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz)

  “Rios em movimento” inaugura no dia 18 de dezembro, às 11h, no Salão de Exposições Temporárias do Museu da Vida da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz) Misturando arte e ciência, a mostra reúne 13 obras em pintura acrílica sobre tela do artista plástico Rodrigo Andriàn, que explora as artes abstrata e contemporânea figurativa em suas criações. De forma estética e afetiva, os painéis ilustram questões urgentes no tocante à preservação dos

Os contaminantes emergentes – o que os olhos não veem e o corpo todo pode sentir, artigo de Augusto Lima da Silveira

    [EcoDebate] Vivemos um momento bastante desafiador para as questões ambientais. Atualmente extraímos matérias-primas, processamos, consumimos e descartamos em velocidade cada vez maior, de maneira que a poluição já faz parte do nosso dia a dia. A maior parte dessa poluição chega aos nossos rios e reservatórios, comprometendo a disponibilidade desses recursos essenciais à nossa sobrevivência. Recursos hídricos repletos de lixo costumam fazer parte do cenário de grandes centros urbanos. Essa situação

A dessalinização como um seguro saúde para redução da vulnerabilidade hídrica no Brasil, artigo de Virginia Sodré

    [EcoDebate] A falta de água é uma preocupação cada vez mais frequente no mundo. Segundo um levantamento feito pela Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 1,1 bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso ao abastecimento adequado de água potável e, nos países em desenvolvimento, 80% das mortes e enfermidades estão relacionadas a esse problema. Calcula-se que 12,1 milhões de brasileiros não têm acesso adequado ao abastecimento

Água: dessacralizando para privatizar, artigo de Flávio José Rocha

    [EcoDebate] Para muitos Povos Originários, tudo é sagrado. Isso não significa não tirar da natureza o que é necessário e até mesmo algum excedente para a sobrevivência. Aqui não queremos afirmar uma superioridade dos Povos Originários ou romantizar a sua relação com o mundo natural (nenhum grupo social é perfeito) frente a nossa sociedade consumista, mas apenas destacar um outro modo de vida que necessita ser respeitado. Cada cultura sacraliza a

Restauração de propriedades rurais é alternativa para conservar a Baía de Guanabara

  Iniciativa considera a importância da cobertura vegetal e da agricultura sustentável para a regulação da vazão da água, redução de custos de tratamento e melhoria da qualidade hídrica Baía da Guanabara. Fofo: Pixabay Entre os meses de novembro e dezembro, produtores rurais serão capacitados para adotarem práticas agropecuárias sustentáveis em propriedades na Bacia Guapi-Macacu, no recôncavo da Baía de Guanabara. A região concentra o principal manancial de abastecimento público da porção leste

Top