Consórcios de recursos hídricos, rumo a governança na gestão, parte 2/2 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] MATOS (2013) assinala sobre a caracterização dos consórcios pesquisados, que possuem grande disparidade em relação ao tamanho da bacia hidrográfica. Questionados sobre quais seriam os fatores que dificultam a consolidação dos consórcios, os responsáveis do consórcio assinalam que a articulação entre os municípios foi o fator que obteve o maior número de indicações. Em seguida vêm as dificuldades estruturais, como a captação de recursos e apoio técnico, com 19% das indicações,

Consórcios de recursos hídricos, rumo a governança na gestão, parte 1/2, artigo de Roberto Naime

[EcoDebate] MATOS (2013) fornece uma visão geral sobre Consórcios Intermunicipais que, atuam de forma integrada aos Comitês de Bacias Hidrográficas, promovendo a gestão descentralizada e participativa dos recursos hídricos. Analisando informações coletadas em instrumento próprio, começa explicitando o que são consórcios intermunicipais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os consórcios são acordos firmados entre municípios para a realização de objetivos de interesse comum. Um dos principais motivos para se

Pesquisadores apontam que agricultura e rios represados afetam a oferta e a qualidade da água em todo o país

    Pesquisadores apontam, em relatório, soluções para o uso racional e maior eficiência na gestão e na conservação da água no Brasil JORNAL DA UNICAMP TEXTO ISABELA DE LIMA SANTOS (BPBES) | ESPECIAL PARA O JU FOTOS ANTONINHO PERRI | JOSÉ SABINO EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA Insumo vital, direito humano e elemento crucial para todos os setores estratégicos do país – do agronegócio à indústria, passando por transporte, energia e saúde – a água

Pesquisadores reafirmam a importância da água: ativo nacional estratégico e competitivo

    Em relatório inédito, pesquisadores apontam soluções para o uso racional e maior eficiência na gestão e na conservação da água no Brasil que, embora detenha a maior reserva de água doce do planeta, padece de anomalias na sua distribuição e qualidade, na relação demanda-oferta e na aplicação dos instrumentos legais; documento é pioneiro ao compilar o conhecimento disponível sobre os recursos hídricos brasileiros, sob a ótica da biodiversidade, dos serviços

RS: Mina Guaíba e o sucateamento da capacidade de gestão e fiscalização ambiental

  Mina Guaíba e o sucateamento da fiscalização ambiental. Entrevista especial com Rualdo Menegat   Por: João Vitor Santos | Edição: Patricia Fachin, IHU A abertura da Mina Guaíba em uma área de quatro mil hectares entre os municípios de Eldorado do Sul e Charqueadas para a produção de carvão mantém um quadro que se repete no Rio Grande do Sul: “Primeiro, mantém-se o estado em permanente crise fiscal e sucateia-se a capacidade de gestão e fiscalização ambiental. Depois, como o estado está

Mananciais – Billings exemplifica um dos maiores desafios nas regiões metropolitanas: planejamento urbano, por Sucena Shkrada Resk

As leis de proteção dos mananciais existem desde os anos 1970 (com atualização em 1997) e o problema da poluição das águas formadoras do reservatório já é discutido desde aquela época. Por Sucena Shkrada Resk* Aos 94 anos, a Represa Billings, na Bacia Hidrográfica do Alto-Tietê, é considerada como “a maior caixa d´agua” da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), além de ser um destino ecoturístico em certos trechos, utilizada para controle

Contaminantes Emergentes: Difíceis de remover nas estações de tratamento de água, fármacos, cosméticos e outros compostos contaminam recursos hídricos

  Jornal da USP Você sabia que a água que você consome em sua casa pode não estar totalmente livre de impurezas? Esse risco existe quando produtos que utilizamos no dia a dia, como remédios, protetores solares e itens de higiene pessoal são encontrados em rios que abastecem municípios. As estações de tratamento de água não conseguem remover completamente esses compostos, já que não possuem equipamentos apropriados para a tarefa. Batizados de

Áreas de afloramento do Aquífero Guarani versus Cana-De-Açúcar: reflexões e comentários técnicos, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes

    [EcoDebate] Em 2008 foi publicado o livro intitulado Uso agrícola das áreas de afloramento do Aquífero Guarani no Brasil, composto por 20 capítulos sobre vários trabalhos realizados in loco, como também por meio de revisão de literatura, com forte embasamento técnico. Todos os relatos técnicos sobre as áreas de afloramento do Aquífero Guarani abordadas nessa publicação confirmam a presença de rochas sedimentares aflorantes, principalmente nas porções mais íngremes, como também solos

‘O Sertão vai virar Mar’ – Rompimento da barragem do Quati na Bahia, artigo de Almacks Luiz Silva

  [EcoDebate] O Beato Antônio Conselheiro, quando fundou o Arraial de Canudos em 1833, às margens do Rio Vaza Barris, local onde foi construído o Açude de Cocorobó, já dizia: “o sertão vai virar mar”, só o órgão gestor da Bahia, INEMA, não conhece a história e o comportamento de rios intermitentes. Barragem do Quati rompida – foto publicada nas redes sociais Triste estado da Bahia quando se fala de gestão de

A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica

  A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica. Entrevista especial com Pedro Roberto Jacobi Por Patricia Fachin, IHU A expansão urbana desordenada ou a ocupação inadequada de áreas da cidade geram “um somatório de problemas”, que se estendem desde a falta de moradia digna até a proliferação de doenças e o agravamento da crise ambiental. Como lembra o professor Pedro Roberto Jacobi, que pesquisa a "governança global da macrometrópole paulista face  às mudanças climáticas" e coordena o

Nossos diagramas do ciclo da água dão uma falsa sensação de segurança hídrica

  Imagens do ciclo da água da Terra, usadas em educação e pesquisa em todo o mundo, precisam urgentemente de atualização para mostrar os efeitos da interferência humana, de acordo com nova análise feita por uma equipe internacional de especialistas em hidrologia.     Deixar os humanos fora de cena, argumentam os pesquisadores, contribui para uma falta básica de consciência de como os humanos se relacionam com a água na Terra - e uma

Gestão Estratégica dos Recursos Hídricos no contexto do bioma Caatinga, artigo de João Suassuna

    O setentrional nordestino, que há seis anos vem enfrentando situações de seca, está em “estado de emergência”. Muitos dos municípios da região, como Campina Grande, na Paraíba, que tem aproximadamente 355 mil habitantes, e Caruaru, em Pernambuco, com 300 mil habitantes, enfrentam problemas de abastecimento de água para o consumo de suas populações e, se não chover os volumes esperados para o atual período das águas, “não há um plano

Top