Contaminantes Emergentes: Difíceis de remover nas estações de tratamento de água, fármacos, cosméticos e outros compostos contaminam recursos hídricos

  Jornal da USP Você sabia que a água que você consome em sua casa pode não estar totalmente livre de impurezas? Esse risco existe quando produtos que utilizamos no dia a dia, como remédios, protetores solares e itens de higiene pessoal são encontrados em rios que abastecem municípios. As estações de tratamento de água não conseguem remover completamente esses compostos, já que não possuem equipamentos apropriados para a tarefa. Batizados de

Áreas de afloramento do Aquífero Guarani versus Cana-De-Açúcar: reflexões e comentários técnicos, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes

    [EcoDebate] Em 2008 foi publicado o livro intitulado Uso agrícola das áreas de afloramento do Aquífero Guarani no Brasil, composto por 20 capítulos sobre vários trabalhos realizados in loco, como também por meio de revisão de literatura, com forte embasamento técnico. Todos os relatos técnicos sobre as áreas de afloramento do Aquífero Guarani abordadas nessa publicação confirmam a presença de rochas sedimentares aflorantes, principalmente nas porções mais íngremes, como também solos

‘O Sertão vai virar Mar’ – Rompimento da barragem do Quati na Bahia, artigo de Almacks Luiz Silva

  [EcoDebate] O Beato Antônio Conselheiro, quando fundou o Arraial de Canudos em 1833, às margens do Rio Vaza Barris, local onde foi construído o Açude de Cocorobó, já dizia: “o sertão vai virar mar”, só o órgão gestor da Bahia, INEMA, não conhece a história e o comportamento de rios intermitentes. Barragem do Quati rompida – foto publicada nas redes sociais Triste estado da Bahia quando se fala de gestão de

A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica

  A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica. Entrevista especial com Pedro Roberto Jacobi Por Patricia Fachin, IHU A expansão urbana desordenada ou a ocupação inadequada de áreas da cidade geram “um somatório de problemas”, que se estendem desde a falta de moradia digna até a proliferação de doenças e o agravamento da crise ambiental. Como lembra o professor Pedro Roberto Jacobi, que pesquisa a "governança global da macrometrópole paulista face  às mudanças climáticas" e coordena o

Nossos diagramas do ciclo da água dão uma falsa sensação de segurança hídrica

  Imagens do ciclo da água da Terra, usadas em educação e pesquisa em todo o mundo, precisam urgentemente de atualização para mostrar os efeitos da interferência humana, de acordo com nova análise feita por uma equipe internacional de especialistas em hidrologia.     Deixar os humanos fora de cena, argumentam os pesquisadores, contribui para uma falta básica de consciência de como os humanos se relacionam com a água na Terra - e uma

Gestão Estratégica dos Recursos Hídricos no contexto do bioma Caatinga, artigo de João Suassuna

    O setentrional nordestino, que há seis anos vem enfrentando situações de seca, está em “estado de emergência”. Muitos dos municípios da região, como Campina Grande, na Paraíba, que tem aproximadamente 355 mil habitantes, e Caruaru, em Pernambuco, com 300 mil habitantes, enfrentam problemas de abastecimento de água para o consumo de suas populações e, se não chover os volumes esperados para o atual período das águas, “não há um plano

Expansão urbana desordenada aumenta risco de faltar água na macrometrópole paulista

  Estudo divulgado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) mostra que a expansão urbana desordenada da população de baixa renda na chamada macrometrópole paulista se estende para áreas de preservação ambiental, pondo em risco o abastecimento de água na região. Do total de 33 milhões de habitantes da macrometrópole paulista, 3,8 milhões vivem hoje em condições precárias. Essa população está distribuída em 113 dos 174 municípios,

Análise da evolução dos modelos de gestão de recursos hídricos no Brasil, artigo de Alexsandra Resende et al.

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS NO BRASIL RESUMO: A água é um recurso essencial para a vida, mas é finita, e em várias regiões do mundo já são observados conflitos devido a sua escassez. A preservação desse recurso e a garantia de seu acesso à todos é uma das metas atuais da humanidade. Esse artigo tem como objetivo analisar a evolução das legislações sobre a

Água para o desenvolvimento sustentável, artigo de Cleverson V. Andreoli

    [EcoDebate] Um recente relatório publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU), denominado “Perspectivas do Meio Ambiente Mundial”, apresenta um quadro sombrio sobre as consequências para a sociedade, da degradação da qualidade ambiental planetária. Com relação a água, o relatório mostra que uma em cada três pessoas no mundo, cerca de 2,3 bilhões de habitantes, não tem acesso ao saneamento. Além disso, aponta que, desde o ano de 1990, está sendo

SP: Projeto Aquapolo, projeto de produção de água de reúso, transforma esgoto tratado em água industrial, por Paulo Afonso da Mata Machado

    O Projeto Aquapolo é um marco na história do Saneamento brasileiro, onde a SABESP e a BRK Ambiental transformam o esgoto tratado em água industrial. Esse projeto tem números impressionantes: a adutora que conduz o esgoto tratado ao Aquapolo tem 17 km de extensão; a área construída tem 15.000 metros quadrados; os dois tanques de armazenamento de água têm, em conjunto, capacidade para 70.000 litros; a rede de distribuição de água

Urbanização acelerada aumenta a pressão para a transferência água das regiões rurais para as urbanas

  Uma equipe internacional de pesquisadores realizou a primeira revisão global sistemática de transferência de água das regiões rurais para as urbanas - a prática de transferir água das áreas rurais para as cidades para atender à demanda de populações urbanas em crescimento. Eles descobriram que 69 cidades com uma população de 383 milhões de pessoas recebem aproximadamente 16 bilhões de metros cúbicos de água realocada por ano - quase o fluxo

Água para o desenvolvimento sustentável, artigo de Cleverson V. Andreoli

    [EcoDebate] Um recente relatório publicado pela Organização das Nações Unidas (ONU), denominado “Perspectivas do Meio Ambiente Mundial”, apresenta um quadro sombrio sobre as consequências para a sociedade, da degradação da qualidade ambiental planetária. Com relação a água, o relatório mostra que uma em cada três pessoas no mundo, cerca de 2,3 bilhões de habitantes, não tem acesso ao saneamento. Além disso, aponta que, desde o ano de 1990, está sendo

Top