As mudanças climáticas intensificaram as chuvas extremas do furacão Maria, que atingiu Porto Rico em 2017

  O furacão Maria causou mais chuvas em Porto Rico do que qualquer tempestade que atingiu a ilha desde 1956, um feito devido principalmente aos efeitos do aquecimento causado pelo homem, segundo uma nova pesquisa. American Geophysical Union* Um novo estudo que analisa a história do furacão de Porto Rico mostra que, em 2017, Maria teve a maior precipitação média das 129 tempestades atingidas na ilha nos últimos 60 anos. Uma tempestade de

A construção de piscinões está longe de ser a solução ideal para o problema das inundações, diz especialista

  Chuvas, enchentes, desabamentos, desabrigados e mortes - Como solucionar a tragédia nossa de cada verão? Por Paulo Capuzzo, Rádio USP. Chuvas, enchentes, desabamentos, desabrigados e mortes. O cenário se repete a cada verão. Não chega a surpreender, portanto, que as enchentes tenham sido a maior causa de mortes da estação: entre dezembro de 2018 e março deste ano, aconteceram 38 mortes no Estado de São Paulo, um aumento de 280% em relação

Situação do clima em 2018 mostrou aumento dos efeitos das mudanças climáticas, diz relatório

  ONU Foto: ONU Os sinais físicos e os impactos socioeconômicos deixados pela mudança climática são cada vez maiores devido às concentrações de gases de efeito estufa sem precedentes, que provocam um aumento das temperaturas mundiais a níveis perigosos, segundo o relatório mais recente da Organização Meteorológica Mundial (OMM). A 25ª edição da Declaração da OMM sobre o estado do clima mundial, correspondente a 2018, destacou a elevação recorde do nível do mar, assim como

Ações climáticas urgentes são necessárias para conter ciclones fatais como Idai, alerta o secretário-geral da ONU

  O crescente número de mortos provocado pelo ciclone Idai é “outro sinal alarmante dos perigos da mudança climática”, disse na terça-feira (26) o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertando que países vulneráveis como Moçambique serão atingidos com mais força se ações urgentes não forem tomadas pela comunidade internacional. “Tais eventos estão se tornando mais frequentes, mais severos e mais amplos, e isto só irá piorar se não agirmos agora”, disse

Fiocruz lança guia de preparação e resposta do setor de saúde aos desastres

  Por Tatiane Vargas (Ensp/Fiocruz) O Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Cepedes/Ensp/Fiocruz) lançou, recentemente, o Guia de Preparação e Respostas do Setor Saúde aos Desastres, um documento elaborado em três etapas, desenvolvidas entre 2015 e 2017, com informações e conceitos que ajudam a compreender o que é importante saber para reduzir os riscos de desastres. A publicação inclui

Riscos ambientais dominam a Pesquisa Global de Percepção de Riscos do Fórum Econômico Mundial

  Os riscos ambientais continuam a dominar a Pesquisa Global de Percepção de Riscos do Fórum Econômico Mundial , responsável por três dos cinco principais riscos por probabilidade e quatro por impacto. Organização Meteorológica Mundial (OMM)* O clima extremo liderou a lista, mas há uma preocupação crescente com o fracasso das políticas ambientais, com o fracasso da mitigação e adaptação às mudanças climáticas sendo o segundo maior risco em termos de impacto este

As mudanças climáticas podem trazer múltiplos desastres simultâneos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  As emissões contínuas e crescentes de gases de efeito estufa (GEE) estão provocando mudanças climáticas desastrosas não só para toda a humanidade, mas também para todos os seres vivos do Planeta.     [EcoDebate] São, cada vez, mais notórios os sinais de caos climático e ambiental, como os furacões, tufões e ciclones que atingiram diversas partes do mundo em 2018 (Jebi no Japão, Mangkhut na Filipinas e China, Florence e Michael nos EUA, etc.),

Explicando eventos climáticos extremos da perspectiva das mudanças climáticas

  Bulletin of the American Meteorological Society (BAMS) apresenta avaliações de como as mudanças climáticas causadas pelo homem podem ter afetado a força e a probabilidade de eventos climáticos extremos individuais. Da Redação EcoDebate As secas das planícies do norte dos EUA e da África Oriental de 2017, as inundações na América do Sul, China e Bangladesh e as ondas de calor na China e no Mediterrâneo foram mais prováveis pelas mudanças climáticas

Entre 168 países, o Brasil é o 79º país mais impactado por eventos climáticos extremos

  Brasil é 79º país mais impactado por eventos climáticos extremos; Índice Global de Risco Climático avaliou 168 países em 2017 ABr     O Brasil é o 79º país do mundo, entre 168 países, mais impactado por eventos climáticos extremos, como tempestades e ciclones tropicais, em 2017. O país subiu 10 posições em relação ao ranking do ano anterior do chamado Índice Global de Risco Climático. A informação foi divulgada na terça-feira (4) pela organização

Efeitos das mudanças climáticas em regiões de baixa renda contribuem para desigualdade social

  As pessoas expostas a riscos decorrentes das mudanças climáticas em regiões de baixa renda têm sete vezes mais chances de morrer e seis vezes mais chances de serem feridas ou de terem que se deslocar, na comparação com a população de regiões de alta renda. A conclusão é de relatório divulgado na última semana pela Climate Trends, uma empresa de pesquisa climática com sede na Índia. ABr     “Um aumento adicional nas temperaturas globais

Mudanças Climáticas: Ciclones extratropicais, com o potencial de causar estragos sociais e econômicos, podem triplicar até o final do século

  Aumento significativo da precipitação extrema é projetado para a Europa e a América do Norte a partir de ciclones extratropicais University of Exeter*     Uma pesquisa pioneira, liderada pelo Dr. Matt Hawcroft, da Universidade de Exeter, mostrou informações novas e detalhadas sobre as projeções da freqüência de ciclones extratropicais. A pesquisa mostra que, a menos que haja uma redução significativa nas emissões de gases de efeito estufa, haverá um grande aumento em sua frequência

Temperaturas crescentes e atividade humana estão aumentando as tempestades e as inundações repentinas

  Precipitação e escoamento tempestuoso aumentaram drasticamente em resposta às mudanças climáticas e induzidas pelo homem   Os furacões Florence e Michael nos EUA e o Super Tufão Mangkhut nas Filipinas mostraram o impacto generalizado e prejudicial dos extremos climáticos em ambos os ecossistemas e comunidades construídas, com enchentes causando mais mortes, bem como como perdas de propriedade e agricultura, do que de quaisquer outros perigos severos relacionados ao clima. Essas perdas aumentaram

Top