Desigualdade de renda e a pandemia do novo coronavírus (COVID-19), por César Marques e Raphael Villela

[EcoDebate] A desigualdade da distribuição da renda é uma das características mais marcantes da sociedade brasileira. Independentemente dos métodos, fonte de dados ou indicadores utilizados, os resultados apontam para a mesma direção: o Brasil está entre as nações mais desiguais do mundoi. Recentemente, com a crise econômica iniciada em 2014, seguida por uma profunda recessão (2015-2016) e pela lenta retomada do crescimento, a desigualdade da renda voltou a crescer com

Risco de morrer por coronavírus pode ser dez vezes maior nas regiões com os piores indicadores de qualidade de vida

  O risco de morrer por coronavírus pode ser dez vezes maior para as pessoas que vivem nas regiões com os piores indicadores de qualidade de vida e de desenvolvimento humano da cidade de São Paulo. ABr O boletim epidemiológico da prefeitura da capital mostra que a taxa de mortalidade nos bairros mais privilegiados, chamada área de inclusão, é de 0,7 por 100 mil habitantes para a faixa etária entre 40 e 44

Coronavírus expõe as profundas desigualdades da nossa sociedade

    Na pandemia da gripe de 1918, as taxas de mortalidade eram muito maiores entre os moradores dos bairros mais pobres e mais populosos, e já existem evidências de que o coronavírus está se espalhando mais rapidamente entre as famílias de baixa renda e entre os estadunidenses negros, em particular. IHU Publicamos aqui o editorial da revista America, 13-04-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto. Eis o texto. A pandemia do coronavírus é uma experiência

COVID-19 expõe desigualdades gritantes entre ricos e pobres, artigo de Winnie Byanyima

  [ONU] Em artigo, a diretora-executiva do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Winnie Byanyima, demonstra preocupação com o impacto da COVID-19 na África e nas pessoas vivendo com HIV/Aids. Ela afirma que a falta de investimento nos sistemas de saúde, as dívidas crescentes e a enorme sonegação de impostos corporativos, deixaram o continente mal preparado para enfrentar esta emergência. “Os custos para acessar os serviços de saúde negam às

Mais de 80% dos jovens brasileiros moradores de periferia não se sentem protegidos contra o novo coronavírus, aponta pesquisa

•Feito em áreas mais pobres de 24 cidades de Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte, diagnóstico aponta que o isolamento não faz parte do cotidiano da maior parte da população jovem; •Pesquisa foi feita com jovens do MJPOP, frente da ONG Visão Mundial, que trabalha com adolescentes e jovens para monitoramento das políticas públicas e dos serviços públicos, a partir do ponto de vista de

Como se dará a evolução de Covid-19 na população que vive em condições precárias?

  Como se dará a evolução de Covid-19 na população que vive em condições precárias? Entrevista especial com Guilherme Werneck Na avaliação do vice-presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva - Abrasco, é urgente adotar medidas que minimizem o impacto do coronavírus nas populações mais pobres do país Por João Vitor Santos e Patricia Fachin, IHU A questão mais preocupante em relação à expansão do coronavírus no Brasil, e para a qual ainda se tem

Desigualdades deixam o Brasil mais vulnerável a epidemias como a do coronavírus

  Crise global de saúde e suas consequências econômicas no mundo e no Brasil colocam em risco a imensa maioria da população brasileira. Por isso, para a Oxfam Brasil, momento pede fortalecimento do SUS e revogação da Emenda Constitucional 95 (Teto de Gastos). Por Regina Terraz Em meio à crise global causada pela pandemia do coronavírus (covid-19), as desigualdades brasileiras ficam ainda mais evidentes. E os mais afetados, como sempre, são os mais

Os custos sociais de uma pandemia, que atinge grupos distintos de maneiras diferentes

  Para antropóloga, coronavírus coloca em evidência problemas como desigualdade social e de gênero, e como lidamos com eles enquanto sociedade Por Matheus Souza, Jornal da USP Passageiros e funcionários circulam vestindo máscaras contra o novo coronavírus (covid-19) no Aeroporto Internacional Tom Jobim- Rio Galeão – Foto Fernando Frazão/Agência Brasil “Uma epidemia diz mais sobre nós mesmos do que sobre a própria doença”, diz a pesquisadora Denise Pimenta. Para ela, que é doutora em

Deslizamentos, enchentes, mortes e o apartheid urbano, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

Por mais que os urbanistas e todos os profissionais que se dedicam à questões urbanas se empenhem em humanizar de alguma forma nossas cidades, essas, inexoravelmente, insistem em reproduzir fisicamente as enormes diferenças sociais e de tratamento entre seus habitantes, a desumana desigualdade social herdada e solertemente reproduzida desde os tempos coloniais. Rebelando-se a qualquer tentativa de algum planejamento que confronte essa perversa lógica, as cidades vão assim espontaneamente se compondo

Mortalidade infantil pode ser até 23 vezes maior na periferia de São Paulo

  ABr O bairro de Perdizes, na zona oeste da capital paulista, registra 1,1 morte a cada mil nascidos vivos. Em Marsilac, distrito rural no extremo sul da cidade, o índice é cerca de 23 vezes maior: 24,6 crianças morrem antes de completar 1 ano em cada grupo de mil nascimentos. A comparação faz parte do Mapa da Desigualdade da Primeira Infância, divulgado ontem (12) pela Rede Nossa São Paulo. “Essa questão da

Mulheres são responsáveis por 75% de todo o trabalho de cuidado não remunerado no mundo, diz Oxfam

  Novo relatório da Oxfam mostra que a desigualdade global está em níveis recordes e que o número de bilionários dobrou nos últimos dez anos Um novo relatório divulgado pela Oxfam mostra que as mulheres são responsáveis por 75% de todo o trabalho de cuidado não remunerado no mundo. Por causa do tempo que gastam com o cuidado, costumam trabalhar menos em seus empregos ou precisam abandoná-los. Em média, 42% das mulheres

Mortos não pela chuva, mas pela injustiça social, por Gilvander Moreira

Mortos não pela chuva, mas pela injustiça social Por Gilvander Moreira1 No final da penúltima semana de janeiro de 2020, choveu significativamente em várias regiões de Minas Gerais. Em 24 horas choveu 171,8 milímetros, chuva mansa, mas constante. Houve uma enorme mobilização da grande imprensa e de poderes públicos municipais de muitos municípios no sentido de alertar a população de que estava chegando uma grande chuva que poderia causar inundações, deslizamentos e

Top