A presença feminina no pensamento científico no Brasil

  A presença feminina no pensamento científico no Brasil Os dados apontados por estes diferentes estudos demonstram uma forte estrutura de desigualdade de gênero no que diz respeito à produção do conhecimento científico Artigo de Valéria Pilão [EcoDebate] Apesar de ao longo do século XIX já existirem faculdades de Medicina e de Direito no Brasil, pode-se afirmar que o desenvolvimento do pensamento científico no país ocorre efetivamente durante o século XX. Nessa trajetória, alguns

Covid-19: Pandemia é pior para mulheres, pretos e pardos e classes mais baixas, mostra pesquisa

  Covid-19: Pandemia é pior para mulheres, pretos e pardos e classes mais baixas, mostra pesquisa - Em comparação aos homens, mulheres ficaram mais estressadas com relação a questões financeiras e se sentem mais sozinhas; 49% disseram sentir-se solitárias, contra 38% dos respondentes do sexo masculino - 61% dos pretos e pardos do país tiveram a renda familiar reduzida, contra 54% dos brancos; e 48% precisaram adiar pagamentos ou renegociar dívida, versus 40%

Desigualdade Social e a Covid-19: Os adversos Brasis da pandemia

  Desigualdade Social e a Covid-19: Os adversos Brasis da pandemia Desigualdade Social e a Covid-19: Existe uma grande parte da população brasileira que, por circunstâncias, permanece à margem de qualquer orientação e invisível aos olhos do governo Artigo de Vera Garcia [EcoDebate] O consenso científico mundial sobre a prevenção do novo coronavírus, até que chegue a vacina, inclui três medidas básicas: uso constante de álcool gel para higienizar as mãos, uso de máscaras

Bem-estar para todos dentro das fronteiras planetárias

“Se alguém quiser reduzir o ser humano a nada, basta dar ao seu trabalho o caráter de inutilidade” Fiódor Dostoiévski (1821-1881) Bem-estar para todos dentro das fronteiras planetárias Artigo de José Eustáquio Diniz Alves [EcoDebate] O mundo tem dois desafios urgentes: aumentar a renda necessária para retirar as parcelas pobres da população do déficit social e diminuir a pegada ecológica das atividades antrópicas para equacionar o déficit ambiental. Neste momento em que o Brasil vive

Desigualdade social é um grande obstáculo para o enfrentamento da Covid-19

  Desigualdade social é um grande obstáculo para o enfrentamento da Covid-19 Professores e pesquisadores discutem sobre as epidemias e pandemias do passado frente à pandemia da Covid-19 durante debate virtual   O Fundo de População da ONU (UNFPA), em parceria com a Associação Brasileira de Estudos Populacionais (Abep), promoveram a 14ª edição da série de webinários População e Desenvolvimento em Debate. Professores e pesquisadores foram convidados para debaterem sobre as pandemias e epidemias

Letalidade da covid-19 é o dobro nas favelas em relação aos bairros ricos do Rio

  A taxa de letalidade da covid-19 chega a ser o dobro nas regiões com alta e altíssima concentração de favelas com relação aos bairros sem favelas, no Rio de Janeiro (RJ). Os dados são do primeiro Boletim Socioepidemiológico da Covid-19 nas Favelas, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ainda segundo a publicação, a doença é mais letal em homens do que em mulheres e na população negra de territórios periféricos. Bianca Leandro, pesquisadora

Bilionários aumentaram suas fortunas em meio à crise econômica na pandemia

Bilionários aumentaram suas fortunas em meio à crise econômica na pandemia, mostra estudo ABr Os 73 bilionários da América Latina e do Caribe aumentaram suas fortunas em 17%, o que equivale a US$ 48,2 bilhões, apenas durante a pandemia – de março a junho deste ano. Isso equivale a um terço do total de recursos previstos em pacotes de estímulos econômicos adotados por todos os países da região. Só no Brasil, 42

Necessidade de trabalhar, desinteresse e gravidez são os principais motivos para abandono escolar

  IBGE Necessidade de trabalhar, desinteresse e gravidez são os principais motivos que levam jovens brasileiros a abandonarem os estudos. Dos quase 50 milhões de jovens de 14 a 29 anos do País, aproximadamente 20,2% não completaram alguma das etapas da educação básica. São 10,1 milhões nessa situação, entre os quais 58,3% homens e 41,7% mulheres. Destes, 71,7% eram pretos ou pardos e 27,3% eram brancos. Esses são alguns dados do segmento

Abandono escolar: Mais da metade das pessoas de 25 anos ou mais não completaram o ensino médio

  IBGE Apesar da proporção de pessoas de 25 anos ou mais com ensino médio completo ter crescido no país, passando de 45,0% em 2016 para 47,4% em 2018 e 48,8% em 2019, mais da metade (51,2% ou 69,5 milhões) dos adultos não concluíram essa etapa educacional. É o que mostra o módulo Educação, da PNAD Contínua 2019, divulgado hoje (15/7) pelo IBGE. No Nordeste, três em cada cinco adultos (60,1%) não completaram

Como a desigualdade alimenta as mortes por Covid-19

  Por Jeffrey Sachs IHU “Com a falta de governos coerentes, capazes e confiáveis, que possam implementar uma resposta equitativa e sustentável à pandemia e uma estratégia para a recuperação econômica, o mundo sucumbirá a maiores ondas de instabilidade geradas por um conjunto crescente de crises globais”, escreve Jeffrey Sachs, economista norte-americano, em artigo publicado pelo jornal nicaraguense Confidencial, 04-07-2020. A tradução é do Cepat. Eis o artigo. Três países – Estados Unidos, Brasil e México – respondem por quase 46% das mortes reportadas por covid-19 no mundo, no

A COVID-19 na capital paulista tem cor da pele, classe social e nível de escolaridade

  Segunda fase do projeto de monitoramento da soroprevalência do SARS-CoV-19 reflete a desigualdade social na capital paulista Por Marina Harriz Pesquisa demonstra que nos bairros mais pobres da cidade a fração das pessoas infectadas é 2,5 vezes maior que nos bairros mais ricos. Enquanto na população mais pobre a prevalência é de 16%, nos bairros mais ricos ela é de 6,5%. No conjunto da cidade a prevalência é de 11,4%, um aumento

Reduzir desigualdades. Se não agora, quando? artigo de Ergon Cugler

  Reduzir desigualdades. Se não agora, quando? artigo de Ergon Cugler [Jornal da USP] Em meio às diversas visões de mundo e concepções econômicas ou de modelo de Estado, o combate às desigualdades socioeconômicas surge como um possível mínimo múltiplo comum para que o diálogo ocorra. Evidência disso, uma pesquisa da Oxfam Brasil (2019) aponta que 94% dos brasileiros concordam que os impostos pagos pela população devem ser usados em benefício dos mais

Dados das capitais brasileiras mostram a relação entre Covid-19 e a desigualdade

  Indicadores analisam o epicentro de disseminação, a taxa de mortalidade e a disponibilidade de leitos de UTI Por Luanda Nera Durante a pandemia do Covid-19, o Programa Cidades Sustentáveis apresenta uma série de dados e indicadores que ajudam a entender a relação entre as causas estruturantes da desigualdade e a doença. Nos últimos meses, as capitais se tornaram o epicentro da disseminação do novo coronavírus no Brasil. 60% das mortes e casos de

Periferias são mais vulneráveis ao coronavírus

  Periferias são mais vulneráveis ao coronavírus Informalidade e desigualdade urbana sãos as principais causas Por Lola Dias Escuta-se desde o início da pandemia no Brasil, quais são as medidas de prevenção recomendadas para conter o novo coronavírus – usar máscara e álcool em gel, lavar as mãos e o rosto com frequência e praticar o distanciamento social. Mas nem todas essas práticas estão ao alcance de moradores de comunidades e periferias das cidades. Grande

Desigualdade de renda e a pandemia do novo coronavírus (COVID-19), por César Marques e Raphael Villela

[EcoDebate] A desigualdade da distribuição da renda é uma das características mais marcantes da sociedade brasileira. Independentemente dos métodos, fonte de dados ou indicadores utilizados, os resultados apontam para a mesma direção: o Brasil está entre as nações mais desiguais do mundoi. Recentemente, com a crise econômica iniciada em 2014, seguida por uma profunda recessão (2015-2016) e pela lenta retomada do crescimento, a desigualdade da renda voltou a crescer com

Risco de morrer por coronavírus pode ser dez vezes maior nas regiões com os piores indicadores de qualidade de vida

  O risco de morrer por coronavírus pode ser dez vezes maior para as pessoas que vivem nas regiões com os piores indicadores de qualidade de vida e de desenvolvimento humano da cidade de São Paulo. ABr O boletim epidemiológico da prefeitura da capital mostra que a taxa de mortalidade nos bairros mais privilegiados, chamada área de inclusão, é de 0,7 por 100 mil habitantes para a faixa etária entre 40 e 44

Coronavírus expõe as profundas desigualdades da nossa sociedade

    Na pandemia da gripe de 1918, as taxas de mortalidade eram muito maiores entre os moradores dos bairros mais pobres e mais populosos, e já existem evidências de que o coronavírus está se espalhando mais rapidamente entre as famílias de baixa renda e entre os estadunidenses negros, em particular. IHU Publicamos aqui o editorial da revista America, 13-04-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto. Eis o texto. A pandemia do coronavírus é uma experiência

COVID-19 expõe desigualdades gritantes entre ricos e pobres, artigo de Winnie Byanyima

  [ONU] Em artigo, a diretora-executiva do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS), Winnie Byanyima, demonstra preocupação com o impacto da COVID-19 na África e nas pessoas vivendo com HIV/Aids. Ela afirma que a falta de investimento nos sistemas de saúde, as dívidas crescentes e a enorme sonegação de impostos corporativos, deixaram o continente mal preparado para enfrentar esta emergência. “Os custos para acessar os serviços de saúde negam às

Mais de 80% dos jovens brasileiros moradores de periferia não se sentem protegidos contra o novo coronavírus, aponta pesquisa

•Feito em áreas mais pobres de 24 cidades de Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte, diagnóstico aponta que o isolamento não faz parte do cotidiano da maior parte da população jovem; •Pesquisa foi feita com jovens do MJPOP, frente da ONG Visão Mundial, que trabalha com adolescentes e jovens para monitoramento das políticas públicas e dos serviços públicos, a partir do ponto de vista de

Como se dará a evolução de Covid-19 na população que vive em condições precárias?

  Como se dará a evolução de Covid-19 na população que vive em condições precárias? Entrevista especial com Guilherme Werneck Na avaliação do vice-presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva - Abrasco, é urgente adotar medidas que minimizem o impacto do coronavírus nas populações mais pobres do país Por João Vitor Santos e Patricia Fachin, IHU A questão mais preocupante em relação à expansão do coronavírus no Brasil, e para a qual ainda se tem

Top