Redução do salário mínimo, golpe em 100 milhões de pobres e idosos, artigo de frei Gilvander Moreira

  Por frei Gilvander Moreira1     [EcoDebate] Dia 29 de dezembro de 2017, o presidente ilegítimo e golpista Temer, por decreto, reduziu o já injusto valor real do salário mínimo ao cortar 25,00 (vinte e cinco reais) de cada trabalhador/a, desempregado/a com direito a seguro-desemprego ou aposentado/a. Em 2018, o salário mínimo será de apenas R$954,00 (Novecentos e cinquenta e quatro reais), aumentando formalmente apenas 1,81%, quase só a metade da inflação. Esse

Brasil tem 25,4% de sua população vivendo na linha de pobreza, com renda familiar equivalente a R$ 387,07

  ABr     Cerca de 50 milhões de brasileiros, o equivalente a 25,4% da população, vivem na linha de pobreza e têm renda familiar equivalente a R$ 387,07 – ou US$ 5,5 por dia, valor adotado pelo Banco Mundial para definir se uma pessoa é pobre. Os dados foram divulgados na sexta-feira (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da pesquisa Síntese de Indicadores Sociais

Brasileiro defende que cabe ao Estado combater desigualdades, diz pesquisa da Oxfam

  ABr A pesquisa Nós e a desigualdade, divulgada nesta quarta-feira (6) pela ONG Oxfam Brasil, investigou a percepção dos brasileiros sobre a desigualdade e aponta que a má distribuição da renda, do patrimônio e dos serviços essenciais no país não passa despercebida pela população que, em sua maioria, defende ser papel do Estado corrigir essas distorções, financiado por mais impostos pagos pelos mais ricos. A maioria dos brasileiros se manifestou contra a

Desigualdade: Em 2016, os 10% com maiores rendimentos concentravam 43,4% de toda a renda recebida no Brasil

  Desigualdade de renda atinge regiões, gêneros, cores e escolaridades Em 2016, as pessoas situadas na parcela de 1% dos maiores rendimentos de trabalho recebiam, em média, R$ 27.085, enquanto a metade de menor renda recebia R$ 747, em um país cujo rendimento médio mensal de todos os trabalhos foi de R$ 2.149. Nesse mesmo ano, os 10% com maiores rendimentos concentravam 43,4% de todas as fontes de renda recebidas no Brasil. Os

A pirâmide global da desigualdade da riqueza 2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A pirâmide global da riqueza sempre foi desigual, mas conseguiu apresentar uma desigualdade ainda maior nos últimos anos. O relatório sobre a riqueza global 2017, do banco Credit Suisse (The Credit Suisse Global Wealth Report 2017) renova o quadro amplo e esclarecedor da má distribuição da riqueza (patrimônio) das pessoas adultas do mundo. A riqueza global foi estimada em USD$ 280 trilhões em 2017 (meados do ano). Como havia

Estrutura fundiária iníqua e luta pela terra, por frei Gilvander Moreira

Estrutura fundiária iníqua e luta pela terra Por frei Gilvander Moreira1 “A população do território hoje conhecido como Brasil em 1500 era, calcula-se, de mais de cinco milhões2 de pessoas distribuídas por centenas de povos, com línguas, religiões, organizações sociais e jurídicas diferentes” (MARÉS, 2003, p. 49). Há mais de cinco séculos o latifúndio continua sendo a estrutura básica fundiária no Brasil e, ultimamente, sob a hegemonia do agronegócio, a luta pela

A crescente desigualdade de renda nos Estados Unidos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Renda anual de vinte libras, despesa de dezenove libras, dezenove xelins e seis pence, resultado: felicidade. Renda anual de vinte libras, despesa anual de vinte libras e seis pence, resultado: desespero” Charles Dickens     [EcoDebate] A desigualdade de renda nos Estados Unidos (EUA) está piorando nas últimas décadas, mostrando que a Curva de Kuznets não explica as tendências atuais. O gráfico acima (Leonhardt, 07/08/2017), publicado no NYT, mostra que, em 1980, os

A cada 23 minutos, um jovem negro é morto no Brasil; ONU lança campanha Vidas Negras para alertar sobre violência

  ABr A cada 23 minutos, um jovem negro é morto no Brasil. A cada dia, são 66 vidas perdidas, totalizando 4.290 óbitos por ano. Segundo o Mapa da Violência, um rapaz negro tem até 12 vezes mais chance de ser assassinado em relação a um branco. Em comum nesses homicídios, está a presença do racismo, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Essa é a premissa da campanha Vidas Negras, lançada

As mudanças climáticas podem ser mais mortíferas nos assentamentos africanos pobres

  Johns Hopkins University* As condições nos assentamentos urbanos superpovoados na África tornam os efeitos da mudança climática piores, elevando as temperaturas a alturas perigosas para crianças e idosos nessas áreas. É o que sugere um novo estudo [Temperature and heat in informal settlements in Nairobi] liderado por um cientista da Universidade Johns Hopkins.     O estudo sugere que a mudança climática atingirá as pessoas que vivem nesses assentamentos porque suas condições de vida

Morador de área rica de SP vive 23,7 anos a mais que o de periferia, diz novo Mapa da Desigualdade da Cidade

  ABr     Um morador do Jardim Paulista, na região nobre da capital paulista, vive, em média, 79,4 anos; cerca de 23,7 a mais que um habitante do Jardim Ângela, na periferia, onde as pessoas morrem, em média, com 55,7 anos. O dado está no Mapa da Desigualdade da Cidade, divulgado ontem (24) pela Rede Nossa São Paulo com o apoio da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). O levantamento

Construção de políticas públicas efetivas de combate à desigualdade tem que ser a agenda do Brasil

  Construção de políticas públicas efetivas de combate à desigualdade tem que ser a agenda do Brasil. Entrevista especial com Fábio Castro IHU Os dados de que as desigualdades sociais no Brasil não diminuíram ao longo dos últimos 15 anos, conforme demonstra a pesquisa realizada pelo economista Marc Morgan, do Instituto World, Wealth & Income Database, que é codirigido pelo economista Thomas Piketty, reforçam as análises feitas pelos pesquisadores brasileiros que usam as

Os seis maiores bilionários brasileiros têm a mesma riqueza e patrimônio que os 100 milhões mais pobres

  ABr   No Brasil, os seis maiores bilionários têm a mesma riqueza e patrimônio que os 100 milhões de brasileiros mais pobres. Caso o ritmo de inclusão no mercado de trabalho prossiga da forma como foi nos últimos 20 anos, as mulheres só terão os mesmos salários dos homens no ano de 2047, e apenas em 2086 haverá equiparação entre a renda média de negros e brancos. De acordo com projeções do

Top