Desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015, revela estudo da equipe do economista Thomas Piketty

  O crescimento da renda da população mais pobre no Brasil nos últimos 15 anos foi insuficiente para reduzir a desigualdade. Segundo estudo divulgado nesta semana pela equipe do economista Thomas Piketty, famoso por propor a taxação dos mais ricos para reduzir as disparidades na distribuição de renda, a maior parte do crescimento econômico neste século foi apropriada pelos 10% mais ricos da população. De acordo com o estudo, conduzido pelo World

No Brasil jovens de zero a 14 anos de idade na linha de pobreza chegam a 40,2%

  Rádio USP     São mais de 17,3 milhões de jovens brasileiros de zero a 14 anos de idade que vivem na linha de pobreza, ou seja, 40,2% da população nessa faixa etária. Os dados são da Fundação Abrinq, com base na PNADP – 2015, a Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio. As Regiões Norte, com 54%, e Nordeste, com 60,6%, concentram os maiores índices de crianças e adolescentes em situação de pobreza. A

Aumenta a fome e a insegurança alimentar no Brasil

    Renda per capita inferior a 1,25 dólar por dia. Aumenta a fome e a insegurança alimentar no Brasil. Entrevista especial com Rosana Magalhães IHU Apesar de o Brasil ter saído do Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas – ONU há três anos, entidades da sociedade civil alertam para a possibilidade de a fome e a insegurança alimentar aumentarem no país. Segundo a pesquisadora Rosana Magalhães, o Banco Mundial tem projetado

Indígenas na cidade: pobreza e preconceito marcam condição de vida

    ABr Há muito tempo, a floresta amazônica deixou de ser o lar de milhares de indígenas. A escassez de alimentos, o desmatamento e o avanço das cidades sobre as matas são alguns fatores que motivaram povos tradicionais a migrar para áreas urbanas. Em Manaus, no Amazonas, eles podem ser encontrados em todas as regiões da cidade. A Fundação Estadual do Índio estima que de 15 a 20 mil indígenas de diversas

No Brasil, alfabetização entre crianças mais ricas é seis vezes maior que entre as pobres

    As desigualdades na qualidade da educação começam desde cedo. No Brasil, crianças com famílias de níveis socioeconômicos mais altos têm desempenho considerado adequado desde a alfabetização. Entre aquelas com nível socioeconômico mais baixo, o percentual das que têm aprendizado considerado adequado chega a ser seis vezes menor. Os dados são de levantamento feito pelo movimento Todos pela Educação (TPE), com base nos resultados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA) de 2014.

Estudo revela as múltiplas faces da desigualdade na América Latina e Caribe

    Relatório da Christian Aid revela que a desigualdade na região se baseia em múltiplos aspectos, da situação econômica a questões de gênero e mudanças climáticas.   O relatório “O Escândalo da Desigualdade: as múltiplas faces da desigualdade na América Latina e Caribe”, recém lançado pela Christian Aid, indica que a desigualdade na região baseada na identidade, gênero, situação econômica, mudanças climáticas continua sendo vergonhosa. As desigualdades se conectam e excluem as pessoas,

Estudo da Fundação Abrinq mostra que 40% das crianças de 0 a 14 anos no Brasil vivem na pobreza

  ABr   Cerca de 17 milhões de crianças até 14 anos – o que equivale a 40,2% da população brasileira nessa faixa etária – vivem em domicílios de baixa renda. No Norte e no Nordestes, regiões que apresentam as piores situações, mais da metade das crianças [60,6% e 54%, respectivamente] vivem com renda domiciliar per capita mensal igual ou inferior a meio salário mínimo. Desse total, 5,8 milhões vivem em situação de

Protegendo os ‘novos pobres’ da crise econômica do Brasil, artigo de Emmanuel Skoufias

  Banco Mundial O Brasil está no meio de uma recessão profunda iniciada no final de 2015, com uma contração de 3,5% na economia em 2016, aumento do desemprego - de 4,3% em dezembro de 2014 para 11,9% em novembro de 2016 - e queda dos salários reais. Visto que os salários são a principal fonte de renda das famílias pobres e vulneráveis, esta situação põe em risco os avanços do Brasil

A volta da miséria, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Quando debatíamos as fragilidades das conquistas sociais dos governos Lula-Dilma, um dos assombros era a possível volta da miséria. As reformas mais estruturais não tinham vindo e sempre achávamos que, com um governo regressista, o volta poderia acontecer. O medo virou realidade antes de qualquer previsão. A estimativa do Banco Mundial é que 3,6 milhões de brasileiros regressem à miséria até o final desse ano. Quem já viu tanta fome, sede,

Relatório da Oxfam revela que 8 homens possuem a mesma riqueza que a metade mais pobre do mundo

Estudo, baseado no Credit Suisse Wealth Report 2016 e na lista de milionários da Forbes, será apresentado no Fórum Econômico Mundial Apenas oito homens possuem a mesma riqueza que os 3,6 bilhões de pessoas que compõem a metade mais pobre da humanidade, de acordo com um novo relatório publicado pela Oxfam, apresentado hoje na reunião anual de líderes políticos e empresariais em Davos. O documento Uma economia humana para os 99%

A reforma da Previdência e a (des)igualdade entre homens e mulheres, artigo de Estefânia Barboza

    [EcoDebate] Dentre as alterações propostas pela PEC 287/2016, que trata da reforma da Previdência, está a de igualar homens e mulheres na aquisição do direito à aposentadoria. Isso significa alterar regras que são válidas desde 1988 e estabelecem desde então uma redução de cinco anos no tempo de contribuição e na idade para as mulheres se aposentarem. Mas será que a proposta da PEC atende a igualdade estabelecida na Constituição? No

Patrimônio de 0,5% dos brasileiros equivale a quase 45% do PIB – e com baixa tributação

Novo estudo do Inesc analisa a relação entre tributação injusta, desigualdade, e concentração de renda e patrimônio no Brasil, com base em análise do perfil dos declarantes do Imposto de Renda no Brasil entre 2007 a 2013. O Brasil tem um dos mais injustos sistemas tributários do mundo e uma das mais altas desigualdades socioeconômicas entre todos os países, onde os mais ricos pagam proporcionalmente menos impostos do que os mais

Top