A transição energética rumo a 100% de eletricidade renovável, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “O futuro será renovável, ou não haverá futuro”     [EcoDebate] A 23a Conferência das Partes da Convenção do Clima das Nações Unidas (COP23), em Bonn, começou no dia 06 de novembro e tem agenda de atividades até 17 de novembro de 2017. Ela ocorre depois do anúncio da saída dos EUA do Acordo climático global. A principal missão do evento é avançar no desenho das regras para implementar o Acordo de Paris.

Primeiro navio de carga autônomo e com zero emissão de carbono, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O jornal Wall Street Journal noticiou que o primeiro navio de carga automatizado sem tripulação do mundo será lançado em 2018. O Yara Birkeland, construído na Noruega, usará GPS, radar, câmeras e sensores para navegar em torno de outras embarcações e transitará por conta própria. As baterias serão recarregadas quando estiver estacionado para carga e descarga. A previsão é que o navio custe cerca de US$ 25 milhões (o que

Livro on-line e gratuito estabelece panorama nacional e reflete sobre energia renovável no Brasil

  Publicação estabelece panorama nacional da energia brasileira e terá versão impressa lançada em 8 de novembro Jornal da USP O Portal de Livros Abertos da USP acaba de disponibilizar gratuitamente o e-book Energia renovável no Brasil: análise das principais fontes energéticas renováveis brasileiras. A autoria é do professor Frederico Fábio Mauad e das estudantes de graduação em Engenharia Ambiental Luciana da Costa Ferreira e Tatiana Costa Guimarães Trindade, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC)

Roteiro para 139 países alcançarem 100% de energias renováveis até 2050, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Assim como a Idade da Pedra não acabou por falta de pedras, a Era do Petróleo chegará ao fim, não por falta de óleo”. (Sheikh Ahmed-Zaki Yamani, 2000)     [EcoDebate] Uma equipe de pesquisadores, liderada pelo engenheiro ambiental da Universidade de Stanford, Mark Jacobson, lançou um roteiro para que 139 países possam alcançar a meta de 100% de energias renováveis até 2050. O plano leva em consideração as circunstâncias únicas de cada

Venda de blocos do pré-sal mostra incoerência na política energética brasileira

Em protesto na Candelária, em frente à sede da ANP, ativistas cobram do governo mais transparência e responsabilidade com relação aos impactos da exploração de petróleo e gás para o clima, a biodiversidade e as comunidades tradicionais     A aposta do atual governo na reabertura do mercado petrolífero brasileiro como alternativa para levantar a economia reacendeu as críticas da sociedade civil e o questionamento sobre a capacidade de o país cumprir as metas

Poluição do ar reduz o potencial de geração de energia solar na China

    Princeton University, Woodrow Wilson School of Public and International Affairs A China está expandindo rapidamente seu fornecimento de energia solar, esperando satisfazer 10% das necessidades de eletricidade do país com energia solar até 2030. Mas há um problema: a severa poluição do ar está bloqueando a luz do sol, reduzindo significativamente a produção da energia solar, particularmente nas partes norte e leste do país. Esta questão é pior no inverno, quando -

O quão verde é a energia ‘verde’?

    Estimados colegas, A energia renovável - a partir de energia solar, eólica e hidráulica - está se tornando rapidamente um dos principais pilares da produção global de energia, enquanto atrai um enorme investimento mundial. Mas o quão "verdes" são essas fontes de energia? Elas são ambientalmente benignas ou são perigosas em certos contextos? Este artigo [ How Green is ‘Green’ Energy?, DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.tree.2017.09.007 ], liderado por Luke Gibson e publicado em Trends in

Alerta! Desastre socioambiental em Peruíbe/SP, artigo de Heitor Scalambrini Costa

    [EcoDebate] A definição e construção de grandes obras, sem participação e controle social, virou sinônimo de corrupção, de destruição ambiental, de remoção forçada de populações (quase sempre dos pobres, de comunidades tradicionais). No Brasil de hoje, no Brasil real, os exemplos estão ai para demonstrar o quanto se desvia dinheiro para fins escusos em obras justificadas pelos governantes como de interesse público (?), essenciais ao “desenvolvimento” (de quem?), para a geração

Futuro do pretérito: o ocaso da energia fóssil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “This is the way the world ends Not with a bang but a whimper." T. S. Eliot     [EcoDebate] Os combustíveis fósseis impulsionaram a economia mundial nos últimos 240 anos, desde que entrou em operação a máquina a vapor, aperfeiçoada por James Watt, em 1776 e que utilizava o carvão mineral como fonte primária de energia. Foi com base na energia fóssil que a população mundial cresceu cerca de dez vezes (de cerca

A nova revolução chinesa: fim dos carros com motor de combustão interna, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O mundo produziu 95 milhões de automóveis em 2016. A China liderou a produção global com 28 milhões de unidades produzidas. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar com 12 milhões de unidades. O Brasil ficou em 10º lugar e produziu 2,2 milhões de automóveis, em 2016. Noventa e nove por cento dessa produção foi de carros com motor de combustão interna, seguindo o padrão hegemônico em mais de 100

Estudo aponta impacto econômico, social e ambiental para o Brasil zerar emissões do setor elétrico

  Medida seria importante na redução de emissões e praticamente não impactaria PIB e renda no país O estudo Qual o impacto de zerar as emissões do setor elétrico no Brasil?, que acaba de ser lançado pelo Instituto Escolhas, mostra que a transição para um setor elétrico com zero emissões de carbono no Brasil até 2050 teria um importante papel na redução de emissões do setor de energia e praticamente não causaria impactos

O Chile está se tornando potência energética com base no sol, no vento e em vulcões, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Chile caminha para ser uma potência energética na área renovável. Enquanto isto, o Brasil e a Venezuela atrelaram o desenvolvimento nacional ao poder poluidor dos combustíveis fósseis. O Chile está prestes a se tornar um exportador líquido de energia investindo em fontes mais limpas, especialmente o sol, o vento e a força geotérmica dos vulcões. Reportagem do jornal New York Times mostra que o Chile caminha para se tornar

Top