Suíços aprovam em referendo futuro com mais energias renováveis e sem usinas nucleares

    Da Agência EFE / ABr Os suíços aprovaram no domingo(21) em referendo, por 58,2% dos votos, a chamada Estratégia 2050, que visa a reduzir o consumo de energia, aumentar a eficiência energética, promover as energias renováveis e proibir a construção de novas usinas nucleares. A informação é da Agência EFE. Apenas quatro regiões, Argóvia, Glarus, Obwalden e Schwyz, rejeitaram a nova lei, na qual o governo da Suíça começou a trabalhar após

Superar a dependência do petróleo e construir uma matriz energética 100% renovável, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “The future will be renewable-based or there won´t be a future” (Adolfo Rebollo, CEO of Ingeteam)     [EcoDebate] Os Estados Unidos se envolveram em uma série de guerras visando garantir o egoístico acesso aos recursos petrolíferos globais. As guerras do Afeganistão e do Iraque são exemplos recentes de intervenções militares desastrosas para todos os países envolvidos e para o mundo. Calcula-se que os EUA gastaram cerca de US$ 6 trilhões de dólares

Incentivo de Trump à energia fóssil – Um passo atrás e em falso, artigo de André Ferretti

    [EcoDebate] Incentivo à produção de energia à base de carvão mineral e desestímulo à energia limpa são duas consequências imediatas do decreto assinado em 28 de março pelo presidente dos Estados Unidos. Outro efeito – perverso e, infelizmente, desconsiderado por Donald Trump – é o aumento da vulnerabilidade da própria sociedade norte-americana aos efeitos negativos da mudança climática. Nesse cenário, cabem preocupações sobre o quanto essas medidas afetarão em cadeia

O crescimento das energias renováveis e a redução das emissões na China, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O governo Donald Trump, com apoio do Partido Republicano, está na contramão da história e está possibilitando uma passagem histórica do bastão da liderança global dos Estados Unidos para a China em tecnologia do clima e das fontes de energia renovável. A nova administração norte-americana está abandonando a liderança das ações de mitigação das mudanças climáticas, além de reduzir o financiamento em energia limpa e abraçar os investimentos em carvão

Segundo Ildo Sauer, as empresas públicas serviram para sustentar projetos como Belo Monte e outros na área de energia

  A instrumentalização do sistema energético brasileiro e a transformação dos políticos em capitães-do-mato. Entrevista especial com Ildo Sauer IHU Uma das explicações possíveis para compreender por que os projetos do setor energético como um todo estiveram no “âmago” da corrupção entre o setor público e o setor privado nos últimos anos, é a alta margem de lucro e de excedente econômico gerado, justamente porque, nesses setores, a concorrência econômica é baixa, diz

É possível um mundo sustentado por 100% de energia renovável até 2050? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Se você construiu castelos no ar, não pense que desperdiçou seu trabalho; eles estão onde deveriam estar. Agora construa os alicerces” Duzentos anos do nascimento de Henry Thoreau (1817-1862) [EcoDebate] Existe um sonho na praça que vai acirrar o debate entre os tecnófilos e os tecnofóbicos. O mundo pode ser abastecido 100% pelas energias renováveis até 2050. A lógica para tal revolução energética adviria dos altos custos ambientais da energia fóssil e

A estagnação das emissões de CO2 do setor de energia, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A Agência Internacional de Energia (IEA em inglês) divulgou em março os dados que mostram que as emissões globais de dióxido de carbono relacionadas à energia ficaram estáveis pelo terceiro ano consecutivo (2014, 2015 e 2016). Isto aconteceu mesmo com o crescimento da economia internacional, sinalizando um desacoplamento relativo das emissões de CO2 e da atividade econômica. Este fato inédito nas últimas décadas foi possível graças ao crescimento da

Em dez anos, fontes de energias renováveis podem ser mais baratas que combustíveis fósseis, estima ONU

  ONU Segundo a ONU Meio Ambiente, 100% da energia consumida no mundo pode ser proveniente de fontes renováveis até 2050, número que chega a 20% atualmente; custos desse sistema energético podem ser mais baratos do que combustíveis fósseis em dez anos. Foto: Banco Mundial / Dana Smillie Cem por cento da energia consumida no mundo pode ser proveniente de fontes renováveis até 2050 – e os custos desse sistema energético podem ser mais

Cientistas chineses desenvolvem painéis solares que funcionam mesmo com chuva ou nevoeiro

    Da Agência EFE / ABr Uma equipe de cientistas de duas universidades chinesas desenvolveu painéis solares capazes de gerar energia também em dias de baixa insolação, inclusive com chuva ou nevoeiro, e período noturno, informa nesta segunda-feira o jornal oficial Diário do Povo. "O objetivo é elevar a eficiência de conversão da luz direta até que volte a ter mais, gerando energia suficiente em condições de pouca luminosidade tais como chuva, nevoeiro,

A China luta para vencer a batalha pelo mercado de baterias elétricas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A mudança da matriz energética não é uma brincadeira de jardim de infância. Ao contrário, é uma disputa geoestratégia que envolve muito dinheiro e projetos de hegemonias nacionais. A tabela acima, publicada em artigo do jornal inglês Financial Times, relaciona as principais companhias produtoras de baterias de Íons de Lítio. A China, o Japão, a Coreia do Sul e os Estados Unidos travam uma batalha pela liderança da produção das

Paira sobre 2017 uma ameaça sobre o acordo climático, artigo de Reinaldo Dias

    [EcoDebate] É inegável que num período de um ano houve avanços significativos em relação ao aquecimento global. Em dezembro de 2015 foi assinado o Acordo de Paris que passou a vigorar em tempo recorde, em novembro de 2016. No mês de outubro passado foi assinado o Acordo de Kigali para eliminação do uso dos hidrofluorocarbonos (HFC) em aparelhos de refrigeração, considerado o maior passo dado até agora na diminuição do

Movimento para banir o fracking une 46 cidades do Norte e Norte Pioneiro do Paraná

  População das duas regiões está mobilizada para aprovar legislação municipal que proíbe a extração de qualquer gás ou óleo não convencional do subsolo   Cresce exponencialmente a mobilização dos paranaenses contra o fraturamento hidráulico, tecnologia altamente poluente usada para explorar o gás do folhelho de xisto, também conhecida como fracking. Depois da maciça mobilização no Noroeste, Oeste, Sudoeste e região Central, agora mais 46 cidades das regiões Norte e Norte Pioneiro estão

Top