A estagnação das emissões de CO2 do setor de energia, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A Agência Internacional de Energia (IEA em inglês) divulgou em março os dados que mostram que as emissões globais de dióxido de carbono relacionadas à energia ficaram estáveis pelo terceiro ano consecutivo (2014, 2015 e 2016). Isto aconteceu mesmo com o crescimento da economia internacional, sinalizando um desacoplamento relativo das emissões de CO2 e da atividade econômica. Este fato inédito nas últimas décadas foi possível graças ao crescimento da

Em dez anos, fontes de energias renováveis podem ser mais baratas que combustíveis fósseis, estima ONU

  ONU Segundo a ONU Meio Ambiente, 100% da energia consumida no mundo pode ser proveniente de fontes renováveis até 2050, número que chega a 20% atualmente; custos desse sistema energético podem ser mais baratos do que combustíveis fósseis em dez anos. Foto: Banco Mundial / Dana Smillie Cem por cento da energia consumida no mundo pode ser proveniente de fontes renováveis até 2050 – e os custos desse sistema energético podem ser mais

Cientistas chineses desenvolvem painéis solares que funcionam mesmo com chuva ou nevoeiro

    Da Agência EFE / ABr Uma equipe de cientistas de duas universidades chinesas desenvolveu painéis solares capazes de gerar energia também em dias de baixa insolação, inclusive com chuva ou nevoeiro, e período noturno, informa nesta segunda-feira o jornal oficial Diário do Povo. "O objetivo é elevar a eficiência de conversão da luz direta até que volte a ter mais, gerando energia suficiente em condições de pouca luminosidade tais como chuva, nevoeiro,

A China luta para vencer a batalha pelo mercado de baterias elétricas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A mudança da matriz energética não é uma brincadeira de jardim de infância. Ao contrário, é uma disputa geoestratégia que envolve muito dinheiro e projetos de hegemonias nacionais. A tabela acima, publicada em artigo do jornal inglês Financial Times, relaciona as principais companhias produtoras de baterias de Íons de Lítio. A China, o Japão, a Coreia do Sul e os Estados Unidos travam uma batalha pela liderança da produção das

Paira sobre 2017 uma ameaça sobre o acordo climático, artigo de Reinaldo Dias

    [EcoDebate] É inegável que num período de um ano houve avanços significativos em relação ao aquecimento global. Em dezembro de 2015 foi assinado o Acordo de Paris que passou a vigorar em tempo recorde, em novembro de 2016. No mês de outubro passado foi assinado o Acordo de Kigali para eliminação do uso dos hidrofluorocarbonos (HFC) em aparelhos de refrigeração, considerado o maior passo dado até agora na diminuição do

Movimento para banir o fracking une 46 cidades do Norte e Norte Pioneiro do Paraná

  População das duas regiões está mobilizada para aprovar legislação municipal que proíbe a extração de qualquer gás ou óleo não convencional do subsolo   Cresce exponencialmente a mobilização dos paranaenses contra o fraturamento hidráulico, tecnologia altamente poluente usada para explorar o gás do folhelho de xisto, também conhecida como fracking. Depois da maciça mobilização no Noroeste, Oeste, Sudoeste e região Central, agora mais 46 cidades das regiões Norte e Norte Pioneiro estão

Projeto avalia potencial de biomassas residuais como fonte de energia renovável

  Iniciativa da Univates busca apontar alternativa para reduzir a dependência do Vale do Taquari por energia de origem externa     Com financiamento de quase R$ 1 milhão pelo Banco Mundial e valor global de R$ 1,3 mi, a Univates iniciará um projeto, em parceria com a Cooperativa Languiru, com foco em produção de biogás a partir de biomassas residuais. O objetivo é identificar, caracterizar e avaliar o potencial desses materiais orgânicos (dejetos

A China e a Rede Elétrica Inteligente global, renovável e UHVDC, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A energia extrassomática é a base da civilização. Toda a economia moderna depende de uma oferta confiável e segura de energia. Os combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo e gás) impulsionaram as Revoluções Industriais. Mas a emissão de gases de efeito estufa provoca o aquecimento global que gera enormes danos para a humanidade e a biodiversidade do Planeta. A mudança da matriz energética para fontes renováveis e de baixo carbono

Energia fotovoltaica em galpões e armazéns poderia ter potência instalada de mil megawatts (MW)

    O mercado de galpões e armazéns industriais em uso no Brasil, com uma área total estimada em 12 milhões de metros quadrados (fonte: Cushman & Wakefield), representa um potencial de investimentos de R$ 6,8 bilhões para a geração solar fotovoltaica no Brasil, segundo estimativa conservadora da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). De acordo a entidade, se a metade da área dos telhados de todos os galpões e armazéns ocupados

Pesquisa da Embrapa identifica microalgas, cultivadas em resíduos líquidos, que geram biocombustíveis

  ABr  Pesquisa de biocombustíveis realizada em Brasília pela Embrapa Agroenergia identificou espécies de microalgas que podem ser cultivadas em resíduos líquidos de processamento em agroindústrias, gerando matéria-prima renovável. Além dos combustíveis, podem ser gerados, entre outros produtos, rações e cosméticos. Os estudos duraram três anos e também identificaram espécies na biodiversidade brasileira. Os estudos utilizaram a vinhaça, formada na produção de açúcar e etanol de cana, e o pome (palm oil mill

A demanda de energia e o crescimento das fontes renováveis até 2035, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O relatório anual Energy Outlook de 2017, da BP, mostra que a demanda global de petróleo continuará a crescer até a década de 2035, mesmo considerando que as frotas de veículos elétricos devem se expandir e o processo de transição energética de baixo carbono ganha força em todo o mundo. Mesmo com a diminuição da demanda global, a presença de combustíveis fósseis - petróleo, carvão mineral e gás deverão continuar

BNDES aprova financiamento para 8 parques eólicos na Bahia, com capacidade geradora de 223,25 megawatts

  Complexo Eólico Serra da Babilônia terá capacidade para atender consumo de 480 mil residências. Investimento de cerca R$ 1,5 bilhão trará desenvolvimento a municípios com IDH abaixo da média nacional O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento no valor de R$ 847,9 milhões para implantação de oito parques eólicos que formam o Complexo Eólico Serra da Babilônia, na Bahia. O empréstimo representa 57% do investimento total do grupo

Top