O impacto da quarta revolução industrial na sociedade, artigo de Reinaldo Dias

    [EcoDebate] Estamos surfando numa nova onda de mudanças radicais na produção industrial, resultado da convergência da robótica, da nanotecnologia, da biotecnologia, das tecnologias de informação e da inteligência artificial. Esta nova revolução industrial, a quarta, também conhecida como Indústria 4.0, está provocando mudanças muito rápidas na indústria e no modo como os negócios ocorrem no mercado, na relação com os clientes e na demanda de seus produtos. A humanidade viveu três

Vida 3.0 e o ser humano na era da inteligência artificial, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O livro “Life 3.0: Being Human in the Age of Artificial Intelligence” (2017), do físico e professor do MIT, Max Tegmark, que acaba de ser lançado, é uma relevante referência para a discussão sobre os impactos da Inteligência Artificial (IA), sobre a dinâmica econômica do mundo e sobre as possíveis reconfigurações da noção tradicional do ser humano. O título da obra refere-se a uma terceira fase da história evolutiva. Por

Uso de celular antes de dormir traz problemas sérios ao sono

    [EcoDebate] O uso exagerado de aparelhos eletrônicos e a falta de sono já são considerados marcas registradas das novas gerações. Mas será que ambos estão relacionados? A resposta é, com certeza, sim. Prova disso é o estudo divulgado pela Fundação Nacional para o Sono dos Estados Unidos que envolveu 1.508 pessoas entre 13 e 64 anos. A pesquisa apontou que quase 95% dos entrevistados usam algum tipo de equipamento eletrônico

Transumano: a união do ser humano com os robôs e a inteligência artificial, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Transumano é uma concepção de um ser humano melhorado e aperfeiçoado, ou de um ser pós-humano e pós-sapiens. O transumano, tal como imaginado pelos teóricos transumanistas, está em gestação e poderá vir à luz pelo avanço da ciência e da tecnologia, que permitirá a aplicação de técnicas das áreas de genética, nanotecnologia, robótica e neurociência, possibilitando superar os limites impostos ao ser humano por seu próprio corpo biológico natural. O

Os países mais avançados no uso de robôs são os com menor desemprego, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Os três países com maior uso de robôs em relação à força de trabalho, no mundo, são a Coreia do Sul, com 531 robôs para cada 10 mil trabalhadores, Cingapura com 398 por 10 mil e Japão com 305 por 10 mil (em quarto lugar está a Alemanha com 301 robôs para cada 10 mil trabalhadores), conforme mostra o gráfico acima, de artigo de Angus Muirhead (11/08/2017), do banco

Robôs sexuais sapiens, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Só penso em sexo quando respiro” Woody Allen     [EcoDebate] Há um consenso de que o mundo dos robôs está chegando. Dentre os potenciais usos, uma das promessas mais impactantes da Revolução 4.0 e que pode trazer felicidade para preencher a vida de bilhões de pessoas solitárias são os robôs sexuais sapiens. Ao contrário dos robôs assassinos que são projetados para a guerra e os conflitos militares, os robôs sexuais são idealizados

Os robôs ficam do lado do capital na equação marxista, José Eustáquio Diniz Alves

  “O trabalho anual de cada nação constitui o fundo que originalmente lhe fornece todos os bens necessários e os confortos materiais que consome anualmente” Adam Smith, primeira frase do livro “A Riqueza das Nações” (1776)     [EcoDebate] Os robôs estão chegando e fazendo muito barulho. Eles conseguem aplausos de uma parte da plateia e recebem apupos e são vistos com desconfiança pela outra parte do teatro que protagoniza a peça sobre o

Em carta aberta a ONU, cientistas em todo o mundo pedem mais ações para parar ‘robôs assassinos’

  Da Agência Xinhua / ABr   Cientistas e líderes tecnológicos de todo o mundo pediram na segunda-feira (21), na Conferência Conjunta Internacional sobre Inteligência Artificial, realizada em Melbourne, na Austrália, que o desenvolvimento de armas usando inteligência artificial fosse interrompido pois "uma vez que esta caixa de Pandora for aberta, será difícil de fechar." A informação é da agência Xinhua Numa carta aberta às Nações Unidas (ONU), os cientistas e líderes empresariais presentes

Robôs sapiens assassinos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  "A guerra é a continuação da política por outros meios" Carl von Clausewitz (1780 - 1831)     [EcoDebate] Para quem sonha com o momento utópico em que os robôs simpáticos, bonzinhos e trabalhadores façam todo o serviço necessário para sustentar a humanidade, a realidade distópica investe na criação de autômatos de guerra e em robôs superinteligentes e assassinos. Para o complexo industrial-militar é enorme o potencial que surge com os robôs assassinos e

A desobediência civil dos robôs sapiens, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Todas as pessoas reconhecem o direito de revolução, isto é, o direito de recusar lealdade ao governo, e opor-lhe resistência, quando sua tirania ou sua ineficiência tornam-se insuportáveis” Henry Thoreau, em a Desobediência Civil (1849)     [EcoDebate] O mundo passa por uma transição científica e tecnológica de grandes proporções. Não é apenas uma época de mudança, mas uma mudança de época. A chamada Revolução 4.0 está promovendo a transição da matriz energética

A Revolução 4.0, a Inteligência Artificial e os Robôs sapiens, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância” Sócrates     [EcoDebate] O segredo das revoluções industriais da modernidade é o aumento da produtividade, isto é, o aumento da unidade produzida por trabalhador ou o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) por habitante. Entre 1776 e 2014 o crescimento da população mundial foi de quase 9 vezes (de cerca de 850 milhões para 7,3 bilhões de habitantes), enquanto o crescimento do

A internet das coisas, ou as coisas da internet? artigo de Antonio Silvio Hendges

    [EcoDebate] A “internet das coisas” ou internet of things - IoT é um conceito proposto em 1999 por Kevin Ashton do Instituto de Tecnologia de Massashusetts – MIT que expôs a possibilidade de conexão na rede mundial não apenas por computadores, mas também de outras maneiras e através de outros objetos utilizados no cotidiano das pessoas em suas atividades. Como funciona? Cada aparelho eletrônico possui uma identificação única, geralmente realizada por

Top