A cueca do senador e o foro privilegiado

A cueca do senador e o foro privilegiado Artigo de Juacy da Silva [EcoDebate] “O foro privilegiado é o guarda-chuva dos malandros de colarinho branco”, assim se pronunciou o Senador Álvaro Dias, em entrevista concedida ao programa Entrevista CNN, na madrugada/manhã de 20 de Outubro de 2020, quando a referida entrevista versava sobre o “imbroglio” do Senador Chico Rodrigues e sua cueca, recheada de dinheiro vivo. Disse ainda o referido Senador (Álvaro Dias)

A normalização do anormal

  A normalização do anormal Artigo de Rodrigo Augusto Prando [EcoDebate] Desde os primórdios da Sociologia há uma fundamental preocupação com a normalidade social, com temas ligados à ordem social, a harmonia funcional das instituições. Assim, o já famigerado termo "novo normal" reclama atenção especial, pois há implicações sociais e políticas em seu uso e desdobramentos. Vejamos. Lá por meados de março, com a certeza da chegada da pandemia no país, houve, inicialmente, afirmações

Eleições Municipais e Meio Ambiente – Responsabilidade de todos

Artigo de Juacy da Silva [EcoDebate] Estamos em vias de substituir os velhos paradigmas de desenvolvimento que não levavam em conta nem a exclusão de milhões de pessoas e nem a degradação ambiental, por novos paradigmas da sustentabilidade, da economia verde, do combate sem tréguas `as mudanças climáticas, ou seja, pela ECOLOGIA INTEGRAL, conforme tem enfatizado o Papa Francisco. Esses novos paradigmas devem estar presentes quando das eleições municipais de novembro próximo

Inibir lutas necessárias é erro político grave, artigo de Gilvander Moreira

Inibir lutas necessárias é erro político grave Por Gilvander Moreira1 [EcoDebate] O dia 07 de junho de 2020, um domingo, poderá entrar para a história do povo brasileiro como o dia do início das lutas massivas e organizadas que puseram fim ao desgoverno federal de Jair Bolsonaro genocida, ao fascismo, ao racismo e à engrenagem capitalista superexploradora, machista, homofóbica, ecocida, etnocida e antiecológica. Houve lindas e inspiradoras manifestações populares em vinte capitais.

A falácia da MP de Bolsonaro, que previa a suspensão de contratos de trabalho, artigo de Maria Inês Vasconcelos

    [EcoDebate] Dentro do pacote de medidas que visam conter os abalos econômicos causados pelo efeito coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro, em 22 de março, editou uma medida provisória (MP 927) que permite, entre tantas mudanças nas relações empregatícias, que contratos de trabalho e salários sejam suspensos por até quatro meses - período que dura a declaração de calamidade pública. No entanto, frente às fortes críticas recebidas, o presidente voltou atrás

Motivos e consequências da aceleração da transição religiosa no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  Motivos e consequências da aceleração da transição religiosa no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Transição religiosa - Todo grande processo de mudança de comportamento de massa gera dúvidas, anseios e medos... “É o momento de a Igreja ocupar a nação. É o momento de a Igreja dizer à nação a que viemos. É o momento de a Igreja governar” (Damares Alves, maio de 2016) [EcoDebate] O jornal Folha de São Paulo

O avanço dos evangélicos, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] BBB: bancadas do boi, da bala e da bíblia. A sigla é bastante conhecida e tende a ganhar mais fôlego nos próximos tempos. Fiquemos com esta última, começando com a hipótese: a bancada evangélica vai se fortalecer no governo Bolsonaro, na esteira do crescimento do evangelismo no Brasil. Um conjunto de elementos sinaliza nessa direção: vínculo forte que os evangélicos têm com os valores conservadores, matriz do ideário governamental; grande

Presidencialismo de Coalizão e o poder de quem tem caneta cheia, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] O presidencialismo de coalizão no Brasil terá vida longa? A interrogação leva em conta a propensão do atual governo em manter certa distância dos representantes políticos temendo pressão por espaços e cargos na estrutura. A esfera parlamentar, observa-se, quer ganhar proeminência e maior independência do Executivo. Aliás, nessa direção age o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao procurar impor a pauta dos deputados e levar adiante um avançado programa

Pequenas lições de grandeza, artigo Gaudêncio Torquato

   [EcoDebate] Em Seis Propostas para o Próximo Milênio, palestras que pronunciaria durante o ano letivo de 1985-86, na Universidade de Harvard, se a morte súbita não interrompesse sua obra, Ítalo Calvino, o grande escritor italiano nascido em Cuba, tratou de objetos literários que gostaria que a humanidade preservasse na nova era.     Trata-se de uma das mais belas coletâneas de pensamento a respeito da complexidade das estruturas narrativas. Apesar de

Em ambiente de polarização, o caminho do meio é o maior, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] As tendências parecem fortes: a polarização entre direita e esquerda, mais precisamente, entre os polos extremos do arco ideológico, não será atenuada. Ao contrário, a probabilidade é que se expanda sob a hipótese de que é do alto interesse do bolsonarismo manter a chama acesa como forma de manter permanente mobilização de exércitos simpatizantes do capitão. No contraponto, os enclaves oposicionistas, divididos entre partidos, tentarão integrar suas forças e apostar

Oh, Tempora, Oh Mores (ó tempos, ó costumes) artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] Que maravilha! As últimas décadas produziram mais tecnologia para a Humanidade do que todo o resto do século. Assistimos a uma nova ordem de avanços: drones, clones, drogas milagrosas, pílula contra a impotência, controle da Aids, entre outros. Muitas variedades de câncer – o mal dos séculos XX e XXI – já podem ser dominadas. As conquistas disparam em todas as áreas, das comunicações aos transportes, da biogenética à

Cacarejos no Estado-Espetáculo, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] Os estilos da galinha e da pata servem para comparar governantes, partidos e, de modo geral, os políticos. A primeira põe um ovo pequenino, mas cacareja e todo mundo vê, enquanto a segunda põe um ovo maior e ninguém nota. O ovo da pata, segundo os nutricionistas, é mais completo que o da galinha, mas é este que gera atenção, intenção, desejo e ação – a fór­mula AIDA –

A corrosão da política, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] A degradação política se espraia pela comunidade mundial. A rede da representação não tem passado no teste de qualidade. Aqui e alhures. Espraia-se pelos continentes o sentimento de que a política, além de não corresponder aos anseios das sociedades, não é representada pelos melhores cidadãos, como pregava o ideário aristotélico. Norberto Bobbio já descrevia as promessas não cumpridas pela democracia, entre as quais a educação para a cidadania, o

Nossa democracia participativa, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] O clima de polarização que se instalou no país, cuja origem está na construção da equação “nós e eles”, de autoria do PT, gera uma bateria de efeitos, nem todos negativos. Se é verdade que a dose de bílis tem escorrido com maior intensidade pelas veias sociais, é plausível a hipótese de que a conscientização política se expande entre os grupamentos organizados. Fenômeno positivo. São palpáveis os sinais de que

A sub-representação feminina no Congresso Nacional, artigo de Doacir Gonçalves de Quadros

    [EcoDebate] A sociedade até o século passado foi marcada pelo perfil de uma elite dirigente formada sobretudo pelos homens, na qual “eles” eram o polo dominante e as mulheres eram marcadas pela submissão. Segundo o sociólogo francês Alain Touraine, no século 21 há indícios de uma inflexão nesta inferioridade da mulher. Vejamos. Atualmente aqui nas terras brasileiras a mulher representa 51% do total da população de nosso país. Na economia, com

Bolsonaro, o ecocida; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  JORNAL DA UNICAMP TEXTO LUIZ MARQUES FOTOS LEONOR CALASANS | IEA-USP EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA O mote Écrasons l’infâme, com o qual Voltaire assinava suas cartas, exprimia sua indignação contra o obscurantismo e o desprezo pela ciência. No Brasil de hoje, a infâmia chama-se Bolsonaro, agente de anomia social e, acima de tudo, um ecocida que está acelerando exponencialmente a trajetória de nossas sociedades em direção a um colapso socioambiental. É preciso que

Sobre o tal ‘marxismo científico’; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  Jornal da UNICAMP TEXTO LUIZ MARQUES FOTOS WILSON DIAS | AGÊNCIA BRASIL EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA Uma das bandeiras mais aguerridas do bolsonarismo é o combate ao “marxismo cultural”, o que não deixa de ser duplamente intrigante, porque o rebanho de Bolsonaro nunca leu Marx e, obviamente, não faz a menor ideia do que seja cultura. Na realidade, ninguém sabe muito bem o que é esse bicho-papão que os assombra. Segundo o verbete

Os enviados de Deus, artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] Governantes de todos os quadrantes não raro costumam escolher Deus como escudo. A história está pontilhada de referências a Deus. Em seus 40 anos de reinado, o ditador general Franco, “caudillo da Espanha pela Graça de Deus” referia-se sempre à Providência Divina, conforme passagens de seus discursos, como esta de 1937: “Deus colocou em nossas mãos a vida de nossa Pátria para que a governemos”. Os estatutos da Falange Espanhola

Alastra-se o rechaço a Bolsonaro; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  Alastra-se o rechaço a Bolsonaro; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp) Alastra-se o rechaço a Bolsonaro JORNAL DA UNICAMP TEXTO LUIZ MARQUES FOTOS REPRODUÇÃO EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA Bolsonaro deflagrou uma Blitzkrieg contra a sociedade brasileira e a natureza. Mas a sociedade começou a se mobilizar para derrotá-lo, política, científica e ideologicamente. O dia 15 pode e deve vir a ser mais um passo importante na demonstração para a sociedade de que, como escreve Jânio de Freitas, “a

É na filosofia e na sociologia que os cidadãos encontram os fundamentos para explicar a própria história da Humanidade, artigo de Gaudêncio Torquato

    Atirar contra a filosofia e a sociologia é querer excluir da aprendizagem clássicos do pensamento [EcoDebate] A história se repete. O presidente Bolsonaro anuncia a intenção de descentralizar investimentos em cursos de filosofia e sociologia, sob o argumento de que o desenvolvimento do país requer carreiras técnicas. Em 1970, o ditador Médici quis fazer uma reforma do ensino médio. Depois de 60 dias, um grupo apresentou um projeto para acabar com

Top