Mananciais – Billings exemplifica um dos maiores desafios nas regiões metropolitanas: planejamento urbano, por Sucena Shkrada Resk

As leis de proteção dos mananciais existem desde os anos 1970 (com atualização em 1997) e o problema da poluição das águas formadoras do reservatório já é discutido desde aquela época. Por Sucena Shkrada Resk* Aos 94 anos, a Represa Billings, na Bacia Hidrográfica do Alto-Tietê, é considerada como “a maior caixa d´agua” da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), além de ser um destino ecoturístico em certos trechos, utilizada para controle

Para especialistas, investir em agricultura urbana melhoraria a alimentação e reduziria a poluição

  Como é possível produzir alimentos na cidade? Por Denis Pacheco, Radio USP   Foto: USP   Para especialistas, investir em agricultura urbana melhoraria a alimentação e reduziria a poluição, já que com alimentos sendo produzidos mais próximos dos consumidores a logística de transporte e do consumo de combustíveis mudaria drasticamente As primeiras cidades surgiram, entre outros motivos, por causa da produção de alimentos. Foi o excedente dessa produção que deu origem às grandes civilizações antigas. Entretanto,

Parklets e a reumanização das áreas de convivência urbana, artigo de Roberto Naime

  Parklet na Valencia Street, em San Francisco, USA. Foto: Wikimedia   [EcoDebate] As cidades vão sofrendo processos de reumanização e de resgate de suas áreas de convivência com a presença de flora. Entre as novas estruturas se destacam os chamados “parklets”. Instalados inicialmente como experiência pioneira na cidade de São Francisco na Califórnia em 2.005, os parklets retiram parcialmente áreas de estacionamento, ampliando as calçadas e implantando estruturas mais amigáveis para convívio

Estudo demonstra como plantas, árvores e materiais refletivos podem reduzir o calor extremo

  Plantar mais vegetação, usar materiais refletivos em superfícies duras e instalar telhados verdes em prédios pode ajudar a resfriar ilhas de calor potencialmente mortais - um fenômeno que existe em quase todas as grandes cidades. Essas soluções, no entanto, representam um desafio crescente para desenvolvedores e planejadores, à medida que os bairros se tornam cada vez mais densos e casas unifamiliares dão lugar a prédios de apartamentos. Por John Kirkland, PSU* Liderado pelo

O ônus do crescimento urbano por espraiamento geográfico, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  Imagem: Rede Nossa São Paulo   [EcoDebate] Diferentemente das condições do mundo desenvolvido, onde prevalecem cidades de crescimento nulo ou extremamente baixo, o que circunscreve e facilita tremendamente sua administração, nós temos o encargo adicional de administrar a cidade e seu crescimento. Ou seja, cabe-nos, adicionalmente, o ônus do crescimento. E é no crescimento das cidades onde, desafortunadamente, mais drasticamente se observam as danosas consequências da ausência de uma regulação técnica mais

Microclima e áreas verdes, artigo de Roberto Naime

  Microclima e áreas verdes [EcoDebate] Aconteceram grandes e relevantes alterações no cenário global dos últimos tempos. Dados indicam que pela primeira vez na história, na última década, a população urbana do mundo se tornou maior que a rural. No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), PNAD 2015, mais de 84% da população reside em áreas urbanas. A urbanização descontrolada, sem o adequado planejamento e as condições de

Sem uma visão sistêmica, a urbanização das cidades se alastra como mancha de óleo

  Sem uma visão sistêmica, a urbanização das cidades se alastra como mancha de óleo. Entrevista especial com Angélica Alvim Por: João Vitor Santos | IHU Quando ocorre um vazamento de óleo, a viscosidade do líquido faz com que ele se alastre e vá sufocando tudo que encontra pela frente, seja na água, seja na terra. E, na área contaminada pelo óleo, a vida se estabelece de forma precária. Essa metáfora é ilustrativa

A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica

  A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica. Entrevista especial com Pedro Roberto Jacobi Por Patricia Fachin, IHU A expansão urbana desordenada ou a ocupação inadequada de áreas da cidade geram “um somatório de problemas”, que se estendem desde a falta de moradia digna até a proliferação de doenças e o agravamento da crise ambiental. Como lembra o professor Pedro Roberto Jacobi, que pesquisa a "governança global da macrometrópole paulista face  às mudanças climáticas" e coordena o

Expansão urbana desordenada aumenta risco de faltar água na macrometrópole paulista

  Estudo divulgado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) mostra que a expansão urbana desordenada da população de baixa renda na chamada macrometrópole paulista se estende para áreas de preservação ambiental, pondo em risco o abastecimento de água na região. Do total de 33 milhões de habitantes da macrometrópole paulista, 3,8 milhões vivem hoje em condições precárias. Essa população está distribuída em 113 dos 174 municípios,

O pensamento ecossistêmico e a cidade, artigo de Roberto Naime

    O pensamento ecossistêmico e a cidade [EcoDebate] OLIVEIRA e MINIOLI (2012) considerando as tendências do crescimento e a crescente urbanidade, a civilização planetária e globalizada convive com importantes impactos e enfrenta todo tipo de destruição dos recursos naturais, culturais e do meio ambiente além de desigualdades socioeconômicas. esgotamento dos recursos naturais se associa com o acúmulo de resíduos e poluição, e estão inter-relacionados com a diminuição da biodiversidade e às mudanças climáticas. Estes

Urbanização acelerada aumenta a pressão para a transferência água das regiões rurais para as urbanas

  Uma equipe internacional de pesquisadores realizou a primeira revisão global sistemática de transferência de água das regiões rurais para as urbanas - a prática de transferir água das áreas rurais para as cidades para atender à demanda de populações urbanas em crescimento. Eles descobriram que 69 cidades com uma população de 383 milhões de pessoas recebem aproximadamente 16 bilhões de metros cúbicos de água realocada por ano - quase o fluxo

A construção de piscinões está longe de ser a solução ideal para o problema das inundações, diz especialista

  Chuvas, enchentes, desabamentos, desabrigados e mortes - Como solucionar a tragédia nossa de cada verão? Por Paulo Capuzzo, Rádio USP. Chuvas, enchentes, desabamentos, desabrigados e mortes. O cenário se repete a cada verão. Não chega a surpreender, portanto, que as enchentes tenham sido a maior causa de mortes da estação: entre dezembro de 2018 e março deste ano, aconteceram 38 mortes no Estado de São Paulo, um aumento de 280% em relação

Top