Ressaca danifica trecho da Enseada de Botafogo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O fim de semana passado foi de ressaca no Rio de Janeiro, com ondas de até 4 metros. A Marinha do Brasil avisou que o fenômeno afetaria a cidade entre os dias 12 e 14 de agosto de 2017. A Prefeitura do Rio recomendou aos cariocas, fluminenses e visitantes ficarem distantes dos mirantes da orla ou de locais próximos ao mar durante o período de turbulência marinha. O balanço da

Regiões áridas podem enfrentar aquecimento de 4°C sob o objetivo do Acordo de Paris

  O objetivo do acordo de Paris, de limitar o aquecimento global médio a menos de dois graus Celsius, é insuficiente para proteger as terras secas do mundo, diz um novo estudo. Por Madhukara Putty*, SciDev.Net     O estudo, publicado on-line em Nature Climate Change, também sugere que reduzir o objetivo do aquecimento global a 1,5 graus Celsius é benéfico tanto para as terras áridas como para as regiões úmidas. Essas descobertas são importantes para

As mudanças climáticas estão alterando o padrão de chuvas no Brasil, particularmente no Sudeste

    São Paulo deverá ter mais chuva nos próximos anos, indica pesquisa Por Peter Moon | Agência FAPESP As mudanças climáticas estão alterando o padrão de chuvas no Brasil, particularmente no Sudeste. É o que indica uma nova pesquisa que aponta um aumento médio tanto no volume de água quanto na média de dias em que chove no Estado de São Paulo. O trabalho foi feito com mais de 70 anos de dados

Estudo realizado em 400 cidades em todo o mundo explora a relação entre ondas de calor e mortalidade

    A Espanha é um dos países onde mais ondas de calor são registradas anualmente Agencia Estatal Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)*     A Espanha foi atingida por várias ondas de calor recorde neste verão. Na verdade, a Espanha é uma das regiões do mundo onde mais ondas de calor são registradas todos os anos e seus efeitos indicam um aumento no risco de mortalidade entre 10% e 20% durante esses períodos extremamente

Aquecimento causado por humanos provavelmente causou a recente tendência de temperaturas recordes

    American Geophysical Union* É “extremamente improvável” que 2014, 2015 e 2016 teriam sido os anos consecutivos mais quentes registrados sem a influência da mudança climática causada pelo homem, de acordo com os autores de um novo estudo. Os registros de temperatura foram quebrados pela primeira vez em 2014, quando esse ano se tornou o ano mais quente desde que os registros de temperatura global começaram em 1880. Essas temperaturas foram superadas em

Organização Meteorológica Mundial (OMM) registra recordes de calor em diferentes partes do mundo

  ONU Temperaturas extremamente altas para os meses de maio e junho bateram recordes de calor na Europa, Oriente Médio, norte da África e Estados Unidos. A informação foi divulgada pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), que alertou também que as temperaturas médias dos oceanos e superfícies para os cinco primeiros meses de 2017 atingiram o segundo nível mais alto já registrado.     Temperaturas extremamente altas para os meses de maio e junho bateram recordes

Ondas de calor atingem severamente a Europa Ocidental

  Por Andrea Thompson*, do Climate Central O aquecimento global deu um claro impulso às temperaturas abrasadoras que cobriram a Europa Ocidental no início deste mês - uma onda de calor que ajudou a alimentar incêndios florestais mortais em Portugal. O aquecimento causado pelos gases com efeito de estufa da atmosfera faz com que a intensidade e a frequência das ondas de calor sejam 10 vezes mais prováveis, de acordo com uma

Organização Meteorológica Mundial (OMM) prevê novas ondas de calor e temperaturas recordes em 2017

    Da Agência EFE / ABr A Organização Meteorológica Mundial (OMM), agência especializada das Nações Unidas para tempo e clima, advertiu nesta terça-feira (20) que espera novas ondas intensas de calor este ano tanto na Europa como na Ásia, e disse que 2017 será um ano "excepcionalmente quente". A informação é da agência EFE. "Haverá mais ondas de calor neste verão, não só na Europa como em outras partes do mundo", afirmou em

Pesquisa da Esalq/USP aponta que arborização proporciona mais conforto térmico em zonas urbanas

  Pesquisa aponta qual a quantidade de árvores necessária para diminuir o calor excessivo em determinada área urbana Do Jornal da USP Estudo desenvolvido na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) USP aponta a quantidade de árvores necessária para diminuir o calor excessivo em determinada área urbana. Segundo a pesquisa, em Piracicaba, para diminuir 1°C na temperatura média urbana é necessário acrescentar 14,31% de cobertura arbórea na estação seca e 27,70%

Previsão climática do MCTIC reforça alerta de agravamento da seca na região Nordeste

  Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações indica a possibilidade de “estresse hídrico” nos reservatórios da região Nordeste até o fim do ano. Poucas chuvas na cabeceira do rio São Francisco, em Minas Gerais, também contribuem para o cenário de alerta   Crédito: Divulgação   O Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), reforçou na terça-feira (2)

Expansão ilimitada da produção e consumo já ultrapassou os limites de equilíbrio do Sistema Terra

  A fábrica de ilusões que leva ao colapso civilizacional. Entrevista especial com Alexandre Costa IHU Desmatamento na Amazônia dispara neste ano e chega a quase 8 mil km². A ideia desenvolvimentista, movida pela fome de consumo e necessidade de produção, aliada ao incipiente investimento em energias renováveis, tem nos levado a tempos sombrios. “O Brasil tem sido um fiasco no investimento em energias renováveis”, dispara Alexandre Costa, físico e professor da Universidade Estadual

Artigo na revista Nature discute efeito do desmatamento em chuvas na Amazônia

  Artigo de Paulo Artaxo e pesquisador americano repercute estudo sobre impacto do desmatamento nas chuvas em Rondônia Jornal da USP A influência do desmatamento na Amazônia na quantidade de chuva na região é objeto de um estudo publicado na revista Nature Climate Change, no final de fevereiro deste ano, que contou com comentário do professor Paulo Artaxo, do Instituto de Física (IF) da USP. O artigo de Artaxo, assinado em conjunto com Jeffrey

Top