Estudo indica que políticas de controle do desmate dependem da fatia do agronegócio no PIB

    IPAM Um estudo publicado na última edição da revista “Global Environmental Change” indica que a efetividade de políticas de controle do desmatamento é inversamente proporcional ao peso do agronegócio na economia de um país, pelo menos na América do Sul. Já eventos que envolvam a sociedade nessa discussão fortalecem estratégias de conservação. Essas são algumas das conclusões obtidas pelos autores, nesta que é a primeira comparação já feita sobre a eficácia desse

A volta da miséria, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Quando debatíamos as fragilidades das conquistas sociais dos governos Lula-Dilma, um dos assombros era a possível volta da miséria. As reformas mais estruturais não tinham vindo e sempre achávamos que, com um governo regressista, o volta poderia acontecer. O medo virou realidade antes de qualquer previsão. A estimativa do Banco Mundial é que 3,6 milhões de brasileiros regressem à miséria até o final desse ano. Quem já viu tanta fome, sede,

82% dos jovens brasileiros contribuem para o sustento da casa, indica pesquisa do SPC Brasil

    Pesquisa mostra que a maioria dos jovens acessa a internet pelo smartphone, se importa com a aparência e carreira e teme a corrupção. Um em cada cinco deseja abrir o próprio negócio Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com jovens entre 18 e 30 anos mapeou as relações sociais, responsabilidades financeiras, o estilo de vida dessa população e

Como a economia está matando o planeta: um tema a ser discutido por Henrique Cortez

  O relatório “Special report: How our economy is killing the Earth”, publicado pela revista New Scientist, é, acima de tudo, uma provocação. Embora de 2008 ele continua assustadoramente atual, porque seus questionamentos continuam sem respostas e a crise ambiental ampliou-se. O relatório preocupa-se, acertadamente, em formular questões e motivar o debate porque, sem reflexão crítica, talvez não tenhamos futuro.     Em primeiro lugar, o artigo reconhece o óbvio: nosso modelo de desenvolvimento

A dramática redução do emprego formal no Brasil de Dilma-Temer, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Os números do mercado formal de trabalho, do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do MTE, estão no vermelho à, praticamente, 25 meses (com exceção de março de 2015). Os números são assustadores, pois, nesse período, foram eliminados 3,5 milhões de postos de trabalho, o que dá uma média de 142 mil empregos perdidos por mês ou 4,7 mil empregos eliminados por dia. A crise econômica brasileira fechou um

A construção de outro modelo de finanças depende de uma estratégia socioambiental, artigo de Amyra El Khalili

    A financeirização tem permeado os mais diversos setores da economia, provocando distorções entre a economia real (produção) e a economia financeira. A economia real se baseia em produtividade na indústria, na agropecuária, no comércio e em serviços.  Já a economia financeira é a que faz circular o dinheiro nos sistemas informatizados e tecnológicos, alimentando as taxas de juros e a especulação sobre a base produtiva. Há uma diferença substancial entre

60,8% dos consumidores não conseguem renegociar dívidas com os bancos, aponta pesquisa do Idec

  Levantamento revela os principais motivos que impedem a renegociação e os critérios dos bancos no tratamento dos consumidores endividados     Nesta segunda-feira (30), o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) divulgou pesquisa sobre as experiências dos consumidores em relação à renegociação de dívidas. O levantamento, realizado entre julho e setembro de 2016, contou com a participação de 1.815 internautas, e também mapeou os critérios dos bancos no tratamento dos clientes endividados.

A impopularidade de Donald Trump e a decadência do Império Americano, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Só amanhece o dia para o qual estamos acordados” (Henry Thoreau, 200 anos de seu nascimento)     [EcoDebate] A eleição do bilionário do setor de especulação imobiliária, Donald Trump, para a presidência dos Estados Unidos da América (EUA), é uma consequência e, ao mesmo tempo, uma confirmação do processo de decadência do Império Americano. Todos os grandes Impérios do mundo tiveram seus momentos de ascensão e declínio: Império Persa, Império Romano, Império Otomano,

Horizontes 2030 da CEPAL: equidade social e keynesianismo ambiental, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O documento da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) denominado “Horizontes 2030: a igualdade no centro do desenvolvimento sustentável”, apresentado no Trigésimo sexto período de sessões da Cepal, na Cidade do México, de 23 a 27 de maio de 2016, considera que as atuais transformações significam uma mudança de época, pois o estilo de desenvolvimento dominante tornou-se insustentável. Segundo a Secretária Executiva da CEPAL, Alicia Bárcena,

Governança ambiental e economia verde, Parte 6/6 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] JACOBI et al. (2012) refletem que em termos econômicos, o conceito de desenvolvimento está vinculado à manutenção sustentável ou ao não declínio da capacidade de prover renda per capita infinitamente. Significa a manutenção do capital necessário para garantir a utilidade para o futuro, o que implica também em que o ambiente tivesse condições de prover os recursos necessários a esta condição. Esta abordagem econômica do ambiente mostra que há a possibilidade

Governança ambiental e economia verde, Parte 5/6, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] JACOBI et al. (2012) questionam a pouca atenção dada à necessidade de controle social sobre os poderes econômicos e à necessidade de agir sobre a desigualdade e os padrões de produção e consumo não sustentáveis. O equilíbrio do sistema climático é modificado por razões antrópicas, a partir da emissão de gases de efeito estufa intensificada desde a Revolução Industrial e desde a segunda metade do Século XX com a explosão

Relatório da Oxfam revela que 8 homens possuem a mesma riqueza que a metade mais pobre do mundo

Estudo, baseado no Credit Suisse Wealth Report 2016 e na lista de milionários da Forbes, será apresentado no Fórum Econômico Mundial Apenas oito homens possuem a mesma riqueza que os 3,6 bilhões de pessoas que compõem a metade mais pobre da humanidade, de acordo com um novo relatório publicado pela Oxfam, apresentado hoje na reunião anual de líderes políticos e empresariais em Davos. O documento Uma economia humana para os 99%

Top