Nível de gelo no Ártico em 2017 é a oitavo menor da história; Há 16 anos a região não atinge nível acima da média

    WWF Mesmo com metas globais, região ainda sofrerá aquecimento de 3,5º a 5º C O mês de setembro é a época em que o Ártico atinge sua extensão mínima anual de gelo. Os resultados de 2017, que acabam de ser divulgados e estão bem abaixo da média histórica, são uma oportuna lembrança de que devemos trabalhar com ainda mais empenho para alcançar o objetivo de 1,5º C estabelecido por quase 200 países

A fúria dos furacões e as catástrofes climáticas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “The answer, my friend, is blowin' in the wind The answer is blowin' in the wind” Bob Dylan     [EcoDebate] Os furacões são uma maneira da Mãe Natureza dizer à humanidade que ela está brava com a espécie mais egoísta que vive sobre a Terra. Os furacões são fruto do excesso de calor do oceano e uma forma de transferir o calor do equador para os polos. Alterações nas condições de temperatura

Cientistas relacionam a incidência de furacões mais destrutivos, como o Irma, ao aumento da temperatura global

  ABr   A ocorrência este mês de dois furacões em um prazo de uma semana - o Harvey, no  Texas, e o Irma, em países do Caribe e da Flórida - reacendeu o debate sobre as mudanças climáticas e trouxe novas críticas ao posicionamento da gestão Trump. A maior parte da comunidade científica americana relaciona a incidência de furacões mais destrutivos ao aumento da temperutura global. Um estudo chamado Relatório Especial Ciência e

Análise Comparativa da Percepção Ambiental entre Católicos e Evangélicos Frente à Problemática das Mudanças Climáticas, por Roosevelt S. Fernandes et al.

    ANÁLISE COMPARATIVA DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL ENTRE CATÓLICOS E EVANGÉLICOS FRENTE À PROBLEMÁTICA DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Roosevelt S. Fernandes, M. Sc. em Engenharia Valdir Jose de Souza, M. Sc. em Engenharia Clarissa Massariol - Farmacêutica Carolina Baiôco Bartholomeu - Bióloga Caroline Zanetti Monjardim – Bacharel em Direito 1 – FASES DE ESTRUTURAÇÃO DA PESQUISA A pesquisa – coleta de dados – foi única, porém os dados foram tabulados e trabalhados segundo dois enfoques complementares: • Um foi voltado a

Monitoramento do calor oceânico registra o aquecimento global

  Institute of Atmospheric Physics, Chinese Academy of Sciences* Atividades antrópicas liberaram dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa, e o resultado é um acúmulo de calor no sistema climático da Terra, comumente referido como "aquecimento global". "Quão rápido é o aquecimento da Terra?" é uma questão chave para os tomadores de decisão, cientistas e público em geral.     A temperatura média global da superfície tem sido amplamente utilizada como uma medida-chave

O clima extremo tem um efeito limitado nas atitudes em relação às políticas climáticas

    Indiana University* As pessoas que recentemente sofreram eventos climáticos severos, como inundações, tempestades e secas, são mais propensas a apoiar políticas para se adaptarem aos efeitos das mudanças climáticas, de acordo com um novo estudo coautor de um pesquisador da Universidade de Indiana. Mas a relação entre a exposição ao clima extremo e o apoio às políticas climáticas é pequena, conclui o estudo. E desaparece rapidamente; um mês após um evento climático

Mudanças Climáticas: Declínio das regiões frias, chamadas zonas periglaciais, agora é inevitável, dizem pesquisadores

  Por Alex Morrison, University of Exeter* As zonas periglacias, onde há uma camada de terra congelada conhecida como permafrost, constituem cerca de um quarto da superfície terrestre e são encontradas principalmente no extremo norte e sul e em altitudes elevadas. Modelagem estatística prevê perda quase completa de processos periglaciais importantes no norte da Europa até 2100   Cientistas das universidades de Exeter e Helsinki e do Instituto Meteorológico da Finlândia examinaram os processos naturais

Aquecimento global e aumento do calor extremo no hemisfério Norte, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Os dados são inequívocos ao mostrar o aumento do aquecimento da temperatura global. O tempo mais quente é propício aos eventos climáticos extremos, como os furacões que atingiram o Texas e a Flórida, nos Estados Unidos. Em artigo anterior analisamos os efeitos do furacão Harvey (Alves, 04/09/2017). Em um próximo artigo vamos analisar os efeitos do furacão Irma. No momento abordaremos os efeitos do calor extremo no hemisfério Norte. Verões

Estudo sobre mudanças climáticas mostra como as cidades podem priorizar a saúde pública

    George Washington University* A inundação recorde ainda devastadora do sudeste do Texas e a abordagem ameaçadora do furacão Irma oferecem um lembrete na importância do planejamento antecipado para os impactos das mudanças climáticas. "A realidade das mudanças climáticas está sempre presente e crescente", diz Sabrina McCormick , PhD, professora associada de Saúde Ambiental e Ocupacional da Faculdade de Saúde Pública do Instituto Milken na Universidade George Washington. McCormick liderou alguns dos primeiros

Desmatamento e uso de terras para agropecuária são negligenciados como contribuintes para as mudanças climáticas

    Por David Nutt / Lindsey Hadlock, Cornell University No que diz respeito à luta contra as alterações climáticas, o foco muitas vezes depende da redução do uso de combustíveis fósseis e do desenvolvimento de fontes de energia sustentáveis. Mas um novo estudo da Universidade de Cornell mostra que o desmatamento e o uso subsequente de terras para agricultura ou pastagem, especialmente em regiões tropicais, contribuem mais para a mudança climática do

O Furacão Harvey e os desastres climáticos no Antropoceno, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O furacão Harvey que atingiu a cidade de Houston e várias outras cidades do Texas e da Louisiana nos Estados Unidos (que matou cerca de 50 pessoas) não foi o único desastre climático que casou danos no final de agosto de 2017. Fortes chuvas também atingiram a cidade de Qinzhou na China e os efeitos das monções provocaram grandes inundações na Índia e no Sul da Ásia, deixando cerca

Aumento da temperatura associada às mudanças climáticas acelera a evaporação do Mar Cáspio

  Da American Geophysical Union*     O maior corpo de água continental do planeta tem evaporado lentamente nas últimas duas décadas, devido ao aumento das temperaturas associadas à mudança climática, revela um novo estudo. Os níveis de água no mar do Cáspio caíram quase 7 centímetros (3 polegadas) por ano de 1996 a 2015, ou quase 1,5 metro (5 pés) de total, de acordo com o novo estudo. O nível atual do mar Cáspio é

Top