As mudanças climáticas estão impulsionando quantidades crescentes de água doce no Oceano Ártico

  Uma nova pesquisa mostra que a mudança climática está impulsionando quantidades crescentes de água doce no Oceano Ártico. Nas próximas décadas, isso levará ao aumento da água doce no Oceano Atlântico Norte, o que pode atrapalhar as correntes oceânicas e afetar as temperaturas no norte da Europa. • Por Kelsey Simpkins* University of Colorado Boulder O artigo, publicado em 27 de julho de 2020 na Geophysical Research Letters , examinou o aumento inexplicável

Climate change is driving increasing amounts of freshwater in the Arctic Ocean

  Increasing Arctic freshwater is driven by climate change • By Kelsey Simpkins University of Colorado Boulder New, first-of-its-kind research from CU Boulder shows that climate change is driving increasing amounts of freshwater in the Arctic Ocean. Within the next few decades, this will lead to increased freshwater moving into the North Atlantic Ocean, which could disrupt ocean currents and affect temperatures in northern Europe. The paper, published July 27, 2020 in Geophysical Research Letters,

Desmatamento na Amazônia e as mudanças climáticas estão secando o resto do Brasil

  IHU Nos últimos dois anos, a seca tem atingido gravemente boa parte do Brasil. As regiões Centro-Oeste, Sul e uma parte do Sudeste, incluindo o estado de São Paulo, apresentam chuvas abaixo da média histórica, aponta um boletim do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A reportagem é de Sibélia Zanon, publicada por Mongabay, 28-07-2020. Sobradinho – No maior reservatório do Nordeste, nível da água atingiu o menor patamar dos quase 40 anos da barragem de

Emergência Climática: Sibéria – calor, fogo e derretimento do gelo

  O calor excepcional e prolongado na Sibéria alimentou incêndios devastadores no Ártico. Ao mesmo tempo, foi relatada uma cobertura de gelo marinho que diminuiu rapidamente ao longo da costa do Ártico russo. As temperaturas na Sibéria  estiveram acima de 5 ° C acima da média de janeiro a junho e em junho até 10 ° C acima da média . Uma temperatura de 38 ° C foi registrada na cidade russa de Verkhoyansk em 20

Rápida perda de carbono devido ao aquecimento das turfeiras

  Cientistas do Laboratório Nacional de Oak Ridge, do Departamento de Energia, demonstraram uma relação direta entre aquecimento climático e perda de carbono em um ecossistema de turfeiras. Seu estudo publicado na AGU Advances fornece um vislumbre de futuros em potencial, onde estoques significativos de carbono em turfeiras podem ser liberados na atmosfera como gases de efeito estufa. Atualmente, as turfeiras cobrem cerca de 3% da massa terrestre da Terra e retêm pelo menos um

Covid-19 e seu impacto nas emissões de carbono

  O surgimento de um novo coronavírus no final de 2019, que levou à principal pandemia em andamento, já afetou a vida das pessoas, os sistemas de saúde e o mundo comercial. Por David Bradley*, Inderscience Evidências anedóticas no início dos "bloqueios" impostos por muitos governos pareciam sugerir que os níveis de poluição caíam à medida que a densidade do tráfego rodoviário e aéreo caía consideravelmente e as pessoas começaram a trabalhar em

Eventos climáticos extremos e as mudanças climáticas – entenda

  Bulletin of the American Meteorological Society (BAMS) apresenta avaliações de como as mudanças climáticas causadas pelo homem podem ter afetado a força e a probabilidade de eventos climáticos extremos individuais. Da Redação EcoDebate As secas das planícies do norte dos EUA e da África Oriental de 2017, as inundações na América do Sul, China e Bangladesh e as ondas de calor na China e no Mediterrâneo foram mais prováveis pelas mudanças climáticas causadas

Ciclone Bomba no sul do Brasil: Pesquisas apontam influência do aquecimento global

  As chuvas torrenciais e os ventos que varreram o Sul do Brasil em 30/6 se devem à nova dinâmica climática provocada pelo aquecimento global. Essa é a principal conclusão das análises do climatologista Francisco Eliseu Aquino*, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Segundo ele, o aumento de 1 °C na temperatura média do Brasil de norte a sul tem fortalecido o contraste trópico-pólo, e agora toda

Aquecimento global aumenta hospitalizações cardiovasculares relacionadas ao calor

  Por Shanshan Li* O impacto das altas temperaturas nas hospitalizações por doenças cardiovasculares aumentou nas últimas duas décadas em Queensland, na Austrália, de acordo com um novo estudo publicado esta semana na PLOS Medicine por Shanshan Li e Yuming Guo da Monash University, Austrália, e colegas. Temperaturas extremas - tanto frias quanto quentes - são fatores de risco conhecidos para morbimortalidade cardiovascular. As mudanças climáticas globais estão aumentando a duração e a

Efeitos das mudanças no clima global e a ocorrência do novo coronavírus: teria uma coisa a ver com a outra?

  Efeitos das mudanças no clima global e a ocorrência do novo coronavírus: teria uma coisa a ver com a outra? Por Henrique Fernandes de Magalhães1, Regina Célia da Silva Oliveira2 e Alexandre Araújo Costa3 [EcoDebate] Os últimos 5 anos foram os mais quentes do registro histórico. O volume de gelo no Ártico no verão é, hoje em dia, 70% menor do que há apenas 4 décadas. Tempestades, como furacões e chuvas extremas,

Mudanças Climáticas: Pesquisadores alertam para a sobrevivência de ursos polares até o final do século

Prevê-se que a perda de gelo do mar, devido às mudanças climáticas ,ameace a sobrevivência de populações de ursos polares no Ártico até o final do século, mostram novas pesquisas. Por Rebecca Falconer* Por que importa: "Os ursos polares são considerados mensageiros dos sintomas da mudança climática, que afetarão toda a vida, inclusive os humanos", diz Steven Amstrup, cientista chefe da Polar Bears International. "Os impactos podem ocorrer mais cedo - e, de fato,

Eventos climáticos extremos – Calor prolongado na Sibéria seria ‘quase impossível sem mudanças climáticas’

  WMO O recente calor prolongado na Sibéria, de janeiro a junho de 2020, seria quase impossível sem a influência das mudanças climáticas causadas pelo homem, de acordo com uma rápida análise de atribuição feita por uma equipe dos principais cientistas climáticos . Pesquisadores de universidades internacionais e serviços meteorológicos da Federação Russa, França, Alemanha, Holanda, Suíça e Reino Unido também descobriram que as temperaturas eram mais de 2 ° C mais quentes do que

Emergência Climática: Emissões globais de metano atingiram os níveis mais altos já registrados

  Emissões globais de metano disparam em alta recorde - Carne e gás natural estão entre principais causas da elevação que pode gerar aquecimento de 3 a 4°C até final do século Por Cinthia Leone As emissões globais de metano atingiram os níveis mais altos já registrados. Os aumentos estão sendo impulsionados principalmente pelo crescimento das emissões da mineração de carvão, produção de petróleo e gás natural, criação de gado e ovelhas, além de

Como as lições do Covid-19 podem impedir o colapso ambiental

  Por Bianca Ortiz-Miskimen Os epidemiologistas destacaram os perigos do Covid-19 em seus estágios iniciais, mas seus avisos foram amplamente ignorados até o aumento das taxas de infecção forçar os formuladores de políticas a agir. Da mesma forma, cientistas do clima e do meio ambiente alertam, há décadas, que a atividade humana está provocando aquecimento global e outra extinção em massa pode ocorrer se os países não adotarem regulamentos para reduzir seu impacto

Mudanças climáticas estão afetando a disponibilidade de água e estão exacerbando os danos causados pelas inundações e secas em todo o mundo

  A ação da água relacionada ao clima é uma chave para nos trazer de volta aos trilhos para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 , garantir o acesso à água e ao saneamento para todos e manter um ambiente saudável. A OMM realizou um briefing diplomático virtual em 2 de julho sobre os planos para uma Coalizão sobre Água e Clima, com o objetivo de criar impulso na ação sobre a água

A temperatura global em 2020 pode ser recorde, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A pandemia do novo coronavírus esfriou a economia, mas não chegou a esfriar muito a temperatura global. O mês de janeiro foi , entre os primeiros meses do ano, o mais quente desde 1880, quando começa a série de registros mundiais. Mas os meses de fevereiro a abril ficaram um pouco abaixo dos recordes de 2016. Contudo, o mês de maio voltou a marcar temperatura recorde. As instituições de medição

É muito provável que o ano 2020 (> 99,9%) esteja entre os dez mais quentes já registrados

  A temperatura global da superfície nos primeiros cinco meses do ano foi a segunda mais alta já registrada, um pouco atrás do forte ano El Niño de 2016. O mês de maio foi o mês mais quente já registrado, de acordo com os conjuntos de dados norte-americanos e europeus. É muito provável que o ano 2020 (> 99,9%) esteja entre os cinco anos mais quentes e os dez mais quentes já

Pandemia escancara necessidade de diminuição na emissão de poluentes

  Mesmo com o mundo todo parado, as atividades industriais em brusca queda e a circulação de veículos terrestres extremamente abaixo do normal por vários meses, em consequência da pandemia, a diminuição na emissão de gases poluentes ainda não chega perto dos níveis ideais. A estimativa é que, no mundo inteiro, a redução seja de 6% durante este ano. Porém, o cenário ideal de acordo com a Organização das nações unidas

Níveis de CO2 atingem pico em maio mesmo com desaceleração econômica provocada pela pandemia

  O mês passado foi o maio mais quente já registrado, e os níveis de dióxido de carbono também atingiram um novo pico mesmo com a desaceleração econômica em decorrência da pandemia de COVID-19. As informações foram confirmadas pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) no início do mês (5), em um apelo para os Estados-membros renovarem seus esforços para enfrentar as ameaças climáticas. Maio de 2020 foi o mais quente já registrado, confirmou a

A sociedade ainda não percebeu a extensão e a urgência do colapso ecológico

“Não tem mais mundo pra todo mundo”, diz Deborah Danowski A filósofa, que pesquisa há anos “a quebra da relação do homem com o mundo”, diz que a pandemia foi “uma pancada”, mas a sociedade ainda não percebeu a extensão e a urgência do colapso ecológico, em parte pela ação dos negacionistas financiados pela elite Por Marina Amaral, Agência Pública Deborah Danowski não é apenas professora, doutora e pós-doutora em filosofia. Ela é

Top