Os quatro anos mais quentes estão na atual década, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Na ausência de um ajuste significativo da maneira como bilhões de seres humanos vivem, partes da Terra provavelmente se tornarão próximas a inabitáveis e outras partes terrivelmente inóspitas, antes do final deste século” David Wallace-Wells (09/07/2017)     [EcoDebate] Apesar do frio que atingiu diversas regiões do Brasil e da América do Sul nos meses de junho e julho, o ano de 2017 deve ficar entre os quatro mais quentes da série histórica

Aquecimento global e ondas mortais de calor, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O mundo está ficando mais quente, mas umas áreas esquentarão mais do que outras e as ondas de calor ficarão mais frequentes e mais letais. O Brasil vai ser um dos países mais afetados pelas ondas mortais de calor que devem se espalhar pelo globo ao longo do século XXI, ainda que se atinja a meta do Acordo de Paris de manter o aquecimento global abaixo do patamar de

Plantas e animais na Inglaterra provavelmente serão significativamente afetados pela mudança climática

  Mais de três quartos das plantas e animais na Inglaterra provavelmente serão significativamente afetados pela mudança climática até o final do século, dizem os pesquisadores. Por Samantha Martin*, University of York   Pesquisadores mostraram que, devido a um aumento de 2°C, na temperatura média global na década de 2080, 54% de 3000 espécies na Inglaterra poderiam expandir significativamente suas populações para diferentes áreas do país, onde a adequação do clima está aumentando, se

Estudo indica que secas devem se tornar mais frequentes e intensas em todo país

  Secas devem se tornar mais frequentes e intensas em todo país; Centro-Oeste é considerada uma das regiões mais vulneráveis Estudo do WWF-Brasil com Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Integração traz metodologia inovadora e cenários para 2040, 2070 e 2099.     Secas e estiagens representam a categoria de desastres naturais com maior registro de ocorrências no país, representando cerca de 70% dos municípios atingidos por algum desastre em 2013. Isso significa que

Ações individuais mais eficazes para combater as mudanças climáticas não estão sendo discutidas

  Pesquisa indica que governos e escolas não estão comunicando as formas mais eficazes para que as pessoas, individualmente, possam reduzir suas pegadas de carbono.     Publicado na revista Environmental Research Letters , o estudo da Universidade de Lund, descobriu que as mudanças incrementais defendidas pelos governos podem representar uma oportunidade perdida para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, nos níveis necessários para evitar 2 ° C de aquecimento climático. As quatro

Acordo de Paris: saída dos EUA reforça nova dinâmica geopolítica e protagonismo da China, artigo de Luiz Eduardo Osorio

    [EcoDebate] A recente saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris terá amplos reflexos sobre o cenário diplomático, econômico e ambiental. Em um momento em que nações e empresas se preparam para a transição rumo a uma economia de baixo carbono, a decisão norte-americana abre espaço para uma maior aproximação entre China e Europa. Também aumenta a pressão internacional sobre os líderes globais para que estabeleçam metas mais ambiciosas de

Documento final do G20 isola EUA ao afirmar que Acordo de Paris é irreversível

  ABr   Reunidos em Hamburgo, na Alemanha, para discutir os principais desafios econômicos globais, os representantes políticos das 20 maiores economias mundiais (G20) reafirmaram, no documento final da cúpula, a determinação de enfrentar conjuntamente questões como a pobreza, o terrorismo, o deslocamento forçado de populações, o desemprego, a desigualdade de gênero e as mudanças climáticas. Ao abordar a questão ambiental, no entanto, o comunicado final do encontro deixou evidente a divergência entre os

Ondas de calor atingem severamente a Europa Ocidental

  Por Andrea Thompson*, do Climate Central O aquecimento global deu um claro impulso às temperaturas abrasadoras que cobriram a Europa Ocidental no início deste mês - uma onda de calor que ajudou a alimentar incêndios florestais mortais em Portugal. O aquecimento causado pelos gases com efeito de estufa da atmosfera faz com que a intensidade e a frequência das ondas de calor sejam 10 vezes mais prováveis, de acordo com uma

Os oceanos estão se aquecendo rapidamente, diz estudo

  Institute of Atmospheric Physics, Chinese Academy of Sciences Mais de 90% do desequilíbrio energético da Terra (EEI) no sistema climático é seqüestrado no oceano e, conseqüentemente, o teor de calor oceânico (Ocean Heat Content, OHC) está aumentando. Portanto, o OHC é um dos indicadores mais importantes do aquecimento global. Nos últimos 30 anos, muitos grupos independentes trabalharam para estimar as mudanças históricas da OHC. No entanto, grande incerteza foi encontrada entre

Floresta amazônica, resiliência ou colapso? Pesquisa investiga o ecossistema frente à oferta extra de gás carbônico

  Do Jornal da UNICAMP Texto Manuel Alves Filho Fotos Antoninho Perri | João Marcos Rosa | AmazonFace Edição de imagem Luis Paulo Silva Nos anos iniciais da escola, aprendemos que as plantas realizam o processo de fotossíntese para produzir a energia necessária à sua sobrevivência. Dito de maneira simplificada, elas utilizam o gás carbônico (CO2) da atmosfera e a luz do sol para produzir glicose, espécie de açúcar que garante suas atividades vitais. De

El aumento de temperaturas modificará drásticamente el ambiente y la biodiversidad del continente antártico

  Servicio de Información y Noticias Científicas (SINC) El cambio climático destapa nuevos hábitats en la Antártida El aumento de temperaturas modificará drásticamente el ambiente y la biodiversidad del continente antártico. Según un nuevo estudio, el deshielo expandirá para finales de siglo hasta un 25% el territorio habitable de la flora y fauna autóctonas, al mismo tiempo que permitirá la entrada de especies invasoras. Pero los científicos desconocen aún si los efectos del

Mudanças Climáticas: Humanidade tem só mais três anos para salvar o planeta, diz grupo de especialistas

  IHU Principais autoridades ligadas ao clima se unem em campanha colaborativa para mobilizar setores-chave da economia; sua missão: reduzir a liberação de gases de efeito estufa até 2020 e evitar os piores efeitos das mudanças climáticas. A reportagem é publicada por Luciana Vicária e publicada por Observatório do Clima, 28-06-2017. O ano de 2020 será crítico para o futuro do clima. Caso as emissões continuem a subir além dessa data, os objetivos do

Top