Pulverização aérea para conter mosquito Aedes aegypti é inconstitucional, diz PGR

    Janot alerta para danos imediatos aos ecossistemas e risco de intoxicação humana A pulverização de substâncias químicas por aeronaves para conter doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti é inconstitucional por ofender a preservação do meio ambiente, além de trazer riscos à saúde humana. O posicionamento é do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5.592, enviada ao Supremo Tribunal Federal. Por haver perigo de danos imediatos aos

Mito do uso seguro de agrotóxicos, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Any Cometti noticia que a Campanha Contra os Agrotóxicos divulgou uma pesquisa que comprova a inviabilidade do uso seguro de agrotóxicos. A dissertação de mestrado do pesquisador Pedro Henrique de Abreu conclui claramente que ?não existe viabilidade de cumprimento das inúmeras e complexas medidas de 'uso seguro' de agrotóxicos no contexto socioeconômico destes trabalhadores rurais?. O trabalho foi aprovado no Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual de

Agrotóxicos e doenças não transmissíveis, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] WAISSMANN (2007) afirma que a agricultura intensiva é um dos esteios históricos da lógica exportadora do estado brasileiro. Mais que significar um espaço produtivo gerador, vem significando, ao longo dos séculos, momento perpetuador do uso abusivo e exclusivo do solo. Permitindo desde a utilização da força de trabalho escrava até a expulsão da terra de levas intermináveis de migrantes que acabam por fluir aos grandes centros. WAISSMANN (2007) relata que a

Portal da UFRJ reúne dados sobre agrotóxicos no País

  Débora Motta O portal é uma ferramenta para facilitar as pesquisas sobre agrotóxicos no País e a elaboração de políticas públicas no setor (Foto: Reprodução) O Brasil é um dos países onde mais se consome agrotóxicos no mundo. De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg), as vendas de pesticidas em 2015 totalizaram US$ 9,6 bilhões e, só em 2014, foram comercializadas mais de 914 mil toneladas de

Contaminação por agrotóxicos tem afetado comunidades indígenas, diz antropóloga

    O uso de agrotóxicos tem contaminado o solo e a água usada por comunidades indígenas em todo o país, segundo a antropóloga Lúcia Helena Rangel. A pesquisadora representou o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) na audiência pública, realizada ontem (29), que discutiu os perigos dos defensivos, organizada pela Defensoria Pública de São Paulo e A Defensoria Pública na União. “Nós temos um registro constante de contaminação por agrotóxico em diversas áreas indígenas.

Lições mal aprendidas e quase esquecidas de uma primavera silenciosa: Lei 13.301/2016, artigo de Thiago Lustosa Jucá

    Artigo de Thiago Lustosa Jucá, biólogo e membro titular da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes da Petrobras [Jornal da Ciência] No mundo pós-guerra, a ciência nuclear canalizava para si, não só grande parte dos recursos financeiros destinados às pesquisas científicas, como os debates da época, principalmente depois que a sociedade tomou conhecimento dos efeitos devastadores sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Por conta disso, as responsabilidades da ciência

Ciberativismo: Não queremos mais venenos

Brasileiras e brasileiros, Está em curso na Câmara Federal um projeto de lei que pode colocar ainda mais veneno na sua mesa. O Projeto de Lei dos Venenosestá tramitando desde o início deste ano, e abriga sob dele diversos PLs que representam um enorme retrocesso na legislação de agrotóxicos. O pior deles atende pelo nome de PL3200, e começa por alterar o nome de Agrotóxico para Defensivos Fitossanitários, escondendo da sociedade todo o risco que

Agrotóxicos ameaçam colônias de aves da Antártica

  Por Peter Moon | Agência FAPESP     Pesquisadores confirmaram a presença de contaminantes orgânicos no sangue de petréis-gigantes do sul de diversas colônias na Península Antártica. Estudos de carcaças e outros tecidos já tinham dado sinais da contaminação, agora confirmados a partir de amostras de sangue em que foi detectada a presença de diversas substâncias nocivas, entre as quais o DDT, pesticida banido nos Estados Unidos em 1972, quando se constatou que

Ceará pode proibir pulverização aérea de agrotóxicos

  “Os aviões faziam o retorno em cima da comunidade e passavam por cima da igreja. A comunidade ficava toda branca, como se estivesse nevando.” O relato da agricultora Socorro Guimarães, 42 anos, diz respeito à prática da pulverização aérea de agrotóxicos nas propriedades rurais próximas da comunidade Tomé, em Limoeiro do Norte, a 200 quilômetros de Fortaleza. O município se localiza na região da Chapada do Apodi, uma das áreas

Pulverização aérea de agrotóxico provoca danos persistentes, dizem especialistas

  Em 2006, uma nuvem tóxica oriunda da pulverização aérea em plantações de soja chegou à área urbana e provocou intoxicação aguda em crianças e idosos de Lucas do Rio Verde (MT). Já em 2013, quase 100 pessoas, entre professores e alunos, tiveram intoxicação depois que um avião jogou defensivos agrícolas sobre uma escola de Rio Verde (GO). O professor do Núcleo de Estudos Ambientais e Saúde do Trabalhador da Universidade Federal

Pesquisadora da USP monta mapa da contaminação por agrotóxico no Brasil

  Por  Carta Campinas Os mapas produzidos por Larissa Mies Bombardi são chocantes. Quando você acha que já chegou ao fundo do poço, a professora de Geografia Agrária da USP passa para o mapa seguinte. E, acredite, o que era ruim fica pior. Mortes por intoxicação, mortes por suicídio, outras intoxicações causadas pelos agrotóxicos no Brasil. A pesquisadora reuniu os dados sobre os venenos agrícolas em uma sequência cartográfica que dá dimensão complexa

Fórum critica pulverização aérea para combater Aedes aegypti

veneno

    Autorização está prevista na Lei nº 13.301/2016, sancionada pela Presidência da República, como uma das medidas para combater o mosquito O Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos desaprova a sanção presidencial da Lei nº 13.301/2016, que dispõe sobre medidas de controle do mosquito Aedes egypti. Em especial, a crítica está em relação à pulverização aérea de agrotóxicos em áreas urbanas para controle do inseto. De acordo com o procurador Regional

Top