A falta de diversidade de culturas e a redução de polinizadores podem ameaçar a segurança alimentar

    Uma nova pesquisa sugere que as tendências globais nas práticas agrícolas estão minando os polinizadores que dependem das culturas e colocando em risco a produtividade e a estabilidade agrícolas, particularmente em alguns países da Ásia e da América do Sul. University of Maryland* College of Computer, Mathematical, and Natural Sciences Uma equipe multinacional de pesquisadores identificou países onde a crescente dependência da agricultura em relação à polinização, juntamente com a falta de diversidade

Mortandade de abelhas é indicador biológico da saúde do meio ambiente: tudo pode estar contaminado

  Mortandade de abelhas é indicador biológico: tudo pode estar contaminado. Entrevista especial com Dayson Castilhos Patricia Fachin, IHU A correlação entre o uso de agrotóxicos em lavouras agrícolas e a mortandade de abelhas é apontada em estudo recente, realizado por Dayson Castilhos, autor da tese de doutorado “Desaparecimento e morte de abelhas no Brasil, registrados no aplicativo Bee Alert”. A partir de análises toxicológicas em duas matrizes de abelhas africanizadas em seis estados brasileiros, Castilhos afirma que

Estudo indica que combinação de agrotóxicos encurta a vida e modifica comportamento de abelhas

    Peter Moon  |  Agência FAPESP – Um novo estudo realizado por biólogos brasileiros sugere que o efeito dos agrotóxicos sobre as abelhas pode ser maior do que se imagina. Mesmo quando usado em doses consideradas não letais, um inseticida encurtou o tempo de vida dos insetos em até 50%. Além disso, os pesquisadores observaram que uma substância fungicida considerada inofensiva para abelhas alterou o comportamento das operárias, tornando-as letárgicas –

O que o agrotóxico do agronegócio está matando, por Jacques Távora Alfonsin

  "Já foram liberados pela atual administração pública da União 121 agrotóxicos, ou seja, até ali, um por dia. 28 deles classificados como 'extremamente tóxicos'. Outros 30 produtos já se encontram na fila para registro. A notícia arrola um número significativo de empresas multinacionais e brasileiras que se habilitam à permissão de venda para esse tipo de veneno", escreve Jacques Távora Alfonsin, procurador aposentado do estado do Rio Grande do Sul

Produção agrícola baseada no uso indiscriminado de pesticidas afeta os polinizadores naturais

  Uso indiscriminado de pesticidas afeta os polinizadores Morte de meio bilhão de abelhas é consequência de agrotóxicos Por Caroline Aragaki, da Rádio USP.   Abelha – Foto: Marcos Santos/USP   Em três meses, meio bilhão de abelhas foram encontradas mortas no Brasil. É o que aponta o levantamento da Agência Pública e Repórter Brasil. O professor Tiago Maurício Francoy, do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da

Muitas espécies de insetos polinizadores estão desaparecendo de áreas da Grã-Bretanha

    A pesquisa, liderada pelo Centro de Ecologia e Hidrologia, mediu a presença de 353 espécies de abelhas silvestres e Sirfídeos (como moscas-das-flores) em todo o país, de 1980 a 2013. Ela mostrou que um terço das espécies sofreu declínios em termos de áreas em que foram encontradas, enquanto um décimo aumentou. Para o restante das espécies, sua distribuição foi estável ou a tendência foi inconclusiva. Uma descoberta positiva, mas inesperada, do

O Brasil deveria se importar com a morte de abelhas

País enfrenta mortandade de colmeias em vários estados. Diminuição das espécies tem impactos na agricultura, meio ambiente e economia. Mas tema ainda é negligenciado. A reportagem é de Clarissa Neher, publicada por Deutsche Welle, 18-03-2019 e reproduzida pela IHU.     A morte de abelhas não é um fenômeno recente: é observada por pesquisadores ao menos desde a década passada. No entanto, nos últimos meses, a mortandade alcançou números alarmantes no Brasil. "A morte de

Pesticidas influenciam o desenvolvimento e a longevidade das abelhas que nidificam no solo

  Pesticidas - Estudo explora efeitos pouco compreendidos da exposição do solo em colônias subterrâneas de abelhas Por Rose Keane* **     Os resultados de um novo estudo sugerem que as abelhas podem estar expostas a pesticidas de mais maneiras do que pensávamos, e isso poderia afetar significativamente o seu desenvolvimento. O estudo, publicado na revista Nature's Scientific Reports, analisa os efeitos não-alvo de pesticidas em abelhas que nidificam no solo, um grupo que realmente

Uso desenfreado de agrotóxicos ameaça as abelhas; Cidade gaúcha de Cruz Alta perdeu 20% das colmeias

Apicultores dizem que crise começou no final do ano passado com uso desenfreado de agrotóxicos. Cerca de 100 milhões de abelhas morreram na cidade, um quinto do total de abelhas mortas no país Por Pedro Grigori, Agência Pública/Repórter Brasil   O zumbido das abelhas não incomoda nem assusta o apicultor gaúcho Salvador Gonçalves, de 58 anos. Pelo contrário. Para o criador dos insetos produtores de mel há 34 anos, o som o faz

A contaminação do meio ambiente por agrotóxicos e a mortandade das abelhas no RS

  A contaminação do meio ambiente e a mortandade das abelhas no RS. Entrevista especial com José Renato de Oliveira Barcelos IHU “Há uma disputa de narrativas, há várias opiniões no sentido contrário, ou seja, o problema está colocado e precisa ser resolvido de alguma maneira”, resume José Renato de Oliveira Barcelos, especialista em direito ambiental, ao comentar os discursos de apicultores e agricultores que divergem sobre as implicações do uso de agrotóxico nas lavouras gaúchas. “A questão é que

Grande maioria dos cultivos agrícolas do país depende de polinizadores, alertam cientistas

Relatório ressalta a alta diversidade de polinizadores, as oportunidades, o valor monetário agregado e as principais ameaças, como o uso intensivo de agrotóxicos Por Isabela Santos     Em meio a várias ações controversas para o afrouxamento do uso de agrotóxicos no país, a Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES) e a Rede Brasileira de Interações Planta-Polinizador (Rebipp) lançaram esta tarde, em evento na Fapesp, o “Relatório Temático sobre Polinização, Polinizadores e

Serviço ecossistêmico: Estudo estima em R$ 43 bi a contribuição econômica dos polinizadores à agricultura brasileira

    O serviço ecossistêmico prestado pelos animais polinizadores à agricultura brasileira contribuiu com um valor econômico estimado de R$ 43 bilhões em 2018. A estimativa se refere ao valores que seriam gastos pelos agricultores caso os polinizadores não contribuíssem para a produção de alimentos. O cálculo foi feito pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES) e pela Rede Brasileira de Interações Planta-Polinizador (Rebipp), que lançou ontem (6) o Relatório Temático

Top