Índice da edição nº 2.907, 2018 [de 19/01/2018]

    O Papa Francisco sob fogo cruzado e com baixa popularidade no Chile, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Capitalismo no campo dizima os cerrados e atiça os conflitos agrários, artigo de Frei Gilvander Moreira Organização Meteorológica Mundial (OMM) confirma 2017 entre os três anos mais quentes registrados Novo satélite aumenta precisão no monitoramento da Amazônia Legal e detecta aumento no desmatamento 33 teses para reformar a Economia ensinada Mosquitos vetores de doenças se expandem com

O Papa Francisco sob fogo cruzado e com baixa popularidade no Chile, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Papa Francisco tem sido alvo de ataques ideológicos tanto dos setores mais conservadores da Igreja Católica que pregam a moral tradicional da família, quanto das vítimas dos crimes de pedofilia cometidas por parcelas do clero, assim como dos grupos LGBTQ e dos setores progressistas, em especial, daqueles que defendem os direitos sexuais e reprodutivos, o empoderamento feminino e a equidade de gênero. Outra fonte de atrito advém da

Capitalismo no campo dizima os cerrados e atiça os conflitos agrários, artigo de Frei Gilvander Moreira

  Capitalismo no campo dizima os cerrados e atiça os conflitos agrários Frei Gilvander Moreira1     [EcoDebate] No Brasil, os agronegociantes seguem invadindo de forma obsessiva os Cerrados com “uma prática agrária/agrícola energívora, ou seja, voraz consumidora de energia, que vê a planura das imensas chapadas como uma bênção da natureza, pois seus tratores, não tendo que subir e descer, poupam energia, um dos insumos mais importantes que, para eles, significa menor custo em

Organização Meteorológica Mundial (OMM) confirma 2017 entre os três anos mais quentes registrados

    Em um claro sinal de mudanças climáticas de longo prazo causadas pelo aumento das concentrações atmosféricas de gases de efeito estufa, 2015, 2016 e 2017 foram confirmados como os três anos mais quentes registrados. 2016 ainda mantém o recorde mundial, enquanto 2017 foi o ano mais quente sem um El Niño, que pode aumentar as temperaturas anuais globais. Uma análise consolidada da Organização Meteorológica Mundial, de cinco principais conjuntos de dados

Novo satélite aumenta precisão no monitoramento da Amazônia Legal e detecta aumento no desmatamento

  Imazon incorpora novo satélite e detecta aumento no desmatamento Boletim do desmatamento da Amazônia Legal (dezembro 2017) SAD A partir dessa edição de dezembro de 2017, o SAD traz novidades. O satélite Sentinel-1 (radar) foi incorporado ao sistema e utilizado para o monitorar toda a Amazônia Legal, possibilitando realizar a detecção dos desmatamentos com área a partir de 1 ha que ocorrem sob nuvem. Em dezembro de 2017, o SAD detectou 184 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia

33 teses para reformar a Economia ensinada

Tradução Vila Vudu O debate pode ser visto em "The Economics Reformation Debate (ing.)". (Seguem-se as assinaturas de apoio a uma Reforma da Economia Ensinada, lista atualizada) "Nova Reforma": 33 teses para reformar a Economia ensinada  12/12/2017, Andrew Simms, New Weather Institute (em outros idiomas em Tlaxcala) Dia 12 de dezembro passado, coincidindo com os 500 anos das Teses de Lutero, um grupo de economistas e estudantes 'cravaram' na porta da London School of Economics uma

Mosquitos vetores de doenças se expandem com redução de áreas verdes em São Paulo

  Por Maria Fernanda Ziegler, Agência FAPESP     A urbanização e a consequente redução de áreas verdes nas cidades podem ser consideradas uma verdadeira festa para mosquitos vetores de doenças, como o Aedes aegypti (dengue) e o Culex quinquefasciatus (filariose linfática). Mais adaptados às áreas urbanas, eles são beneficiados pelo declínio da população de outras espécies de mosquitos. No município de São Paulo, essa relação não é diferente. Foi o que comprovou um estudo feito por pesquisadores da Faculdade de

Sociedade civil deve manter-se alerta em 2018 à censura nas artes – seja no museu ou no baile funk

  Violações à liberdade de expressão artística no Brasil - Do pancadão à galeria de arte; do sarau na periferia ao teatro no centro; do grafite nos muros à performance no museu.   2017 foi marcado pelo aumento nas violações à liberdade artística no Brasil. Mas ainda que a censura e o ataque às mais diversas expressões culturais e artísticas tenham ganhado maior evidência na mídia no último ano, restrições desse tipo no país

Índice da edição nº 2.906, 2018 [de 18/01/2018]

    Perda de biodiversidade e funcionalidades dos ecossistemas, Parte 1/3, artigo de Roberto Naime #Saúdeambiental - Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda da gestão pública? artigo de Sucena Shkrada Resk Alguns peixes polares podem lidar com o aquecimento ou a acidificação dos oceanos, mas não ambos Após morte de botos-cinza, MPF recomenda suspensão de dragagem na Baía de Sepetiba, RJ Estudo constata que um terço das principais

Perda de biodiversidade e funcionalidades dos ecossistemas, Parte 1/3, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Micael Jonsson, do Department of Ecology and Environmental Science, da Umea University, da Suécia, elabora pertinente reflexão sobre as funcionalidades ecossistêmicas, que se apresenta e se desenvolve. Inicia argüindo sobre a necessidade de se preocupar com a extinção das espécies. Até pouco tempo atrás, a diversidade da vida vem aumentando aos níveis mais elevados de que se tem conhecimento na história da Terra (CHAPIN et al., 2000). Contudo, a exploração da

#Saúdeambiental – Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda da gestão pública? artigo de Sucena Shkrada Resk

    Falar sobre a situação do esgotamento sanitário no Brasil é um assunto “espinhoso”, imprescindível, mas que raramente faz parte da pauta de campanhas políticas nacionais, estaduais e municipais e de programas de gestão pública de boa parte de municípios deste Brasil de proporções continentais. A constatação se dá pelos fatos: estamos em 2018 e 45% da população brasileira ou 93,6 milhões de pessoas não têm acesso a tratamento de esgoto

Alguns peixes polares podem lidar com o aquecimento ou a acidificação dos oceanos, mas não ambos

    UNIVERSITY OF CALIFORNIA - DAVIS* Alguns peixes antárticos, que vivem nas águas mais frias do planeta, são capazes de lidar com o estresse do aumento dos níveis de dióxido de carbono no oceano. Eles podem até tolerar águas ligeiramente mais quentes. Mas eles não podem lidar com ambos os estressores ao mesmo tempo, de acordo com um estudo da Universidade da Califórnia, Davis. O estudo, publicado recentemente na revista Global Change Biology,

Top