Greve Global pelo Clima, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Não peçam aos seus filhos respostas para a bagunça que vocês fizeram” Greta Thunberg     [EcoDebate] Os adolescentes que sempre foram vistos como imaturos e inconstantes estão dando uma lição aos seus pais e avós. Eles dizem que não querem repetir os versos de Belchior: “Ainda somos os mesmos, E vivemos, Como os nossos pais”. A juventude mundial está começando a perceber que recebeu uma herança maldita das gerações anteriores e que é grande

NOAA relata que julho de 2019 foi o mês mais quente já registrado

  Grande parte do planeta sofreu um calor sem precedentes em julho, quando as temperaturas subiram para novas alturas no mês mais quente já registrado. O calor recorde também encolheu o gelo do Ártico e do Oceano Antártico, atingindo mínimos históricos. Clima pelos números de julho de 2019 A temperatura média global em julho foi 1,71 graus F acima da média do século 20 de 60,4 graus, tornando-se o mês de julho mais

Alguém ganha com o aquecimento global? por Michael Hudson

    IHU “Uma temperatura mais quente significa maior taxa de evaporação e, portanto, mais chuva, tornados e inundações, como estamos vendo este ano. Um resultado conexo será a seca na medida em que as geleiras se derretam e deixem de alimentar os rios nos quais foram construídas represas para gerar energia elétrica”, escreve Michael Hudson, professor de economia da Universidade de Kansas City e ex-analista de Wall Street. “A aparente ironia é que estes efeitos do aquecimento global e o

Relatório do IPCC e o efeito perverso entre produção de alimentos e mudanças climáticas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “De pé ó vítimas da fome; De pé famélicos da terra” Hino da Internacional Socialista     [EcoDebate] O relatório “Climate Change and Land”, do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, publicado dia 08 de agosto de 2019, trata da conexão entre o uso da terra e seus efeitos sobre a mudança climática. Existe um efeito perverso de retroalimentação, pois a produção de alimentos aumenta o aquecimento global, enquanto as mudanças climáticas

Recorde de degelo nos polos em julho de 2019, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] O mês de julho de 2019 bateu todos os recordes de degelo nos polos, contribuindo para a elevação do nível dos oceanos e servindo de alerta para bilhões de pessoas que moram nas áreas litorâneas. Depois de cinco sucessivos anos (2014, 2015, 2016, 2017 e 2018) de recordes de temperaturas globais, o ano de 2019 caminha para ser o segundo mais quente já registrado. Os meses de junho e

IPCC aponta que agricultura e usos do solo representam 23% das emissões de gases do efeito estufa

  Novo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) aponta que mudanças no uso do solo são necessárias para limitar o aquecimento global a 2º C, conforme previsto pelo Acordo de Paris. Atualmente, a agricultura, a silvicultura e outros tipos de uso do solo representam 23% das emissões humanas de gases do efeito estufa. Ao mesmo tempo, a publicação alerta que as mudanças climáticas poderão agravar a degradação do solo no mundo,

Mudanças climáticas ameaçam produção de alimentos, alerta relatório da ONU

    A população da terra está crescendo e, com ela, o consumo. Essa tendência só irá aumentar em um futuro próximo, mas os recursos do planeta são limitados – e o solo não é uma exceção. Por Deutsche Welle (agência pública da Alemanha) Um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) publicado nesta quinta-feira (8) focaliza a conexão entre o uso da terra e seus efeitos sobre a mudança climática. O documento destaca

Na Groenlândia o gelo derrete em velocidade recorde; rios fluem no permafrost

  Degelo na Groenlândia Rios que aparecem do nada e, a qualquer momento, se estendem a perder de vista, até gerar imprevisíveis lagoas. Fluem, neste momento de pleno verão, sobre a Groenlândia, ou melhor, sobre o que resta do seu gelo eterno, cada vez mais escuro e encolhido, numa palavra, agonizante. As imagens aéreas que acabaram de chegaram da maior ilha do planeta causam impressão. Milhões - bilhões - de toneladas de água

Estudo indica a contribuição humana para a onda de calor recorde de julho de 2019 na Europa

  Após o calor extremo que ocorreu na última semana de junho de 2019, uma segunda onda de calor recorde atingiu a Europa Ocidental e a Escandinávia no final de julho de 2019. Em junho, novos recordes de todos os tempos foram estabelecidos em vários lugares da Europa Ocidental. Em julho, os registros foram quebrados novamente, embora em diferentes áreas. Mais uma vez, o papel da mudança climática na produção de eventos de alta

Com calor recorde, no final de julho de 2019, grande derretimento se espalhou pelo manto de gelo da Groenlândia

  Earth Observatory/NASA* 20 a 30 de julho de 2019 PNG 30 de julho de 2019 JPEG No final de julho de 2019, um grande evento de derretimento se espalhou pelo manto de gelo da Groenlândia. Bilhões de toneladas de água entraram no Oceano Atlântico ao longo do mês, contribuindo direta e imediatamente para o aumento do nível do mar. O derretimento foi provocado por uma bolha de ar quente que se deslocou sobre a Groenlândia

Pela segunda vez em menos de um mês, uma onda de calor intensa impacta a Europa

  World Meteorological Organization (WMO)* Pela segunda vez em menos de um mês, uma onda de calor intensa e intensa impactou a Europa, com muitos novos registros de temperatura máxima e mínima, interrupções no transporte e infraestrutura e estresse na saúde das pessoas e no meio ambiente. A Bélgica, a Alemanha, o Luxemburgo e os Países Baixos registaram novos recordes nacionais de temperatura, com as temperaturas a ultrapassarem os 40 ° C no

O clima está aquecendo mais rápido do que nos últimos 2.000 anos

  Em contraste com as flutuações climáticas pré-industriais, as mudanças climáticas atuais e antropogênicas estão ocorrendo em todo o mundo ao mesmo tempo. Além disso, a velocidade do aquecimento global é maior do que em pelo menos 2.000 anos. University of Bern* Muitas pessoas têm uma imagem clara da "Pequena Idade do Gelo" (de aproximadamente 1300 a 1850). É caracterizado por pinturas que mostram pessoas patinando em canais holandeses e glaciares avançando para

Top