O derretimento de pequenas geleiras poderia adicionar 25 cm ao nível do mar até 2100

  Por Fritz Freudenberger* Uma nova revisão de dados de pesquisa de geleiras pinta uma imagem de um futuro planeta com muito menos gelo e muito mais água. Prevê-se que as geleiras em todo o mundo percam de 18% a 36% de sua massa até 2100, resultando em quase 25 cm de aumento do nível do mar. A revisão é a mais abrangente comparação global de simulações de geleiras já compiladas. "A mensagem clara

Ondas e ventos oceânicos estão cada vez mais fortes, por Ian Young e Agustinus Ribal

  Ondas e ventos oceânicos estão cada vez mais fortes Durante tempestades extremas, as ondas do oceano podem ter mais de 20 metros de altura, ou tão altas quanto um prédio de cinco andares. Mais do que ser apenas um produto dos nossos sistemas climáticos, as ondas são críticas para o transporte marítimo, a estabilidade das praias, a inundação costeira ou inundações e a determinação do projeto de estruturas costeiras e marítimas. Mas nossa

Derretimento das placas de gelo da Groenlândia e da Antártida pode causar ‘caos climático’

  O clima nos dias de hoje é selvagem e será mais selvagem ainda dentro de um século. Em parte, porque a água do derretimento das camadas de gelo da Groenlândia e da Antártida causará temperaturas extremas e imprevisíveis em todo o mundo. Um estudo publicado na Nature é o primeiro a simular os efeitos, sob as atuais políticas climáticas, que as duas camadas de gelo derretido terão sobre as temperaturas oceânicas

Temperaturas Globais – 2018 foi o quarto ano mais quente, segundo a NASA

As temperaturas globais em 2018 foram 0,83 graus Celsius mais quentes do que a média de 1951 a 1980, segundo cientistas do Instituto Goddard de Estudos Espaciais (GISS) da NASA em Nova York. Globalmente, as temperaturas de 2018 estão aquém das de 2016, 2017 e 2015. Os últimos cinco anos são, coletivamente, os anos mais quentes do histórico moderno. "2018 é mais uma vez um ano extremamente quente em cima de

O gelo da Groenlândia derrete quatro vezes mais rápido que em 2003, revela novo estudo

  O degelo da Groenlândia está mais rápido do que os cientistas imaginavam - e provavelmente levará a uma elevação mais rápida do nível do mar - graças ao contínuo aquecimento acelerado da atmosfera terrestre, segundo um novo estudo. Por Laura Arenschield* ** Cientistas preocupados com a elevação do nível do mar há muito tempo se concentram nas regiões sudeste e noroeste da Groenlândia, onde grandes geleiras escorrem pedaços de gelo do tamanho

A perda de gelo na Antártida é seis vezes maior anualmente do que há 40 anos

  A perda de gelo na Antártida, induzida pela mudança climática, elevará os níveis globais do mar nas próximas décadas Por Brian Bell * ** A Antártida experimentou um aumento de seis vezes na perda anual de massa de gelo entre 1979 e 2017, de acordo com um estudo publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences . Glaciologistas da Universidade da Califórnia, Irvine, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa

2019 começa com recorde de degelo nos polos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  Os dados mostram que os níveis de degelo do início de 2019 na Antártida estão batendo todos os recordes históricos     [EcoDebate] O ano de 2019 começa com recorde de degelo nos polos. Depois de cinco anos sucessivos (2014, 2015, 2016, 2017 e 2018) de recordes de temperaturas globais, fato sem precedentes no Holoceno (últimos 12 mil anos), a deglaciação cresce e tende a aumentar o nível dos oceanos, além de liberar

Com o degelo, a Antártida está se tornando mais parecida com a Groenlândia?

  Em uma nova perspectiva, cientistas pedem mais atenção ao derretimento da superfície da Antártida University of Colorado Boulder**     A Antártida é alta e seca e, na maioria das vezes, muito fria, e é fácil pensar no gelo e na neve trancados em um freezer, protegidos do derretimento, exceto em torno de suas costas baixas e plataformas de gelo flutuantes. Mas essa visão pode estar errada. A água de degelo está agora se acumulando

Nível global do mar pode subir 15 metros em 2300, diz estudo

  Caracterizar o que é conhecido e o que é incerto é fundamental para o gerenciamento do risco costeiro Por Todd Bates**, Rutgers, The State University of New Jersey     A média global do nível do mar pode subir cerca de 2,5 metros até 2100 e 15 metros até 2300 se as emissões de gases do efeito estufa continuarem altas e a humanidade se mostrar inerte, de acordo com uma revisão das projeções feitas

Área afetada pela elevação do nível do mar no Havaí pode ser o dobro do previsto

  Universidade do Havaí em Manoa * Por incluir modelos de processos físicos dinâmicos, tais como erosão e arrebentação das ondas, uma equipe de pesquisadores da Universidade do Havaí em Manoa e o Departamento de Terra e Recursos Naturais determinaram que as áreas de terra do Havaí vulneráveis a futuras elevações do nível do mar podem ser o dobro do que havia sido anteriormente estimado. O estudo foi publicado em 27 de

Novo estudo avalia aumento do nível do mar nos últimos 25 anos

  Nos últimos 50 anos, mais de 90% do excesso de calor acumulado no sistema climático devido às emissões de gases de efeito estufa foram armazenados no oceano. O resto tem aquecido a atmosfera e os continentes, e derretendo o gelo do mar e da terra.     O aumento do nível do mar é uma das consequências mais graves da mudança climática decorrente das atividades humanas, com potenciais impactos importantes nas sociedades costeiras.

Aquecimento Global: Europa precisa de medidas de adaptação costeira para evitar inundações catastróficas até o final do século

  Aquecimento Global - Sem um aumento do investimento na adaptação costeira, o prejuízo anual esperado causado pelas inundações costeiras na Europa pode aumentar de 1,25 bilhão de euros hoje para entre 93 bilhões e 961 bilhões de euros até o final do século. Joint Research Centre (JRC)*     Devido a um aumento nos níveis extremos do mar, impulsionado pelo aquecimento global, essas inundações costeiras podem impactar até 3,65 milhões de pessoas todos os

Top