Glaciares dos EUA caminham para um fim, apesar do ‘ceticismo’ de Trump sobre o aquecimento global

    Por Alfonso Fernández, Agência EFE / ABr Enquanto o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, toma uma decisão sobre a saída de seu país do Acordo de Paris e alimenta o ceticismo sobre o aquecimento global, os cientistas alertam sobre o inevitável desaparecimento dos glaciares em um dos parques nacionais mais emblemáticos do país: o Glacier National Park, no estado de Montana. As informações são da agência EFE. Dos 150 glaciares que

Rápida mudança climática nas regiões polares exige resposta global, alerta a ONU

  Da ONU News / ABr   A Organização Mundial de Meteorologia (OMM) das Nações Unidas (ONU), lançou nesta segunda-feira (15) uma campanha para melhorar as previsões das condições do tempo, clima e gelo no Ártico e na Antártica. A iniciativa, que vai durar dois anos (de meados de 2017 a meados de 2019), envolve também o instituto alemão Alfred Wegener e outros parceiros mundiais. As informações são da ONU News. A iniciativa objetiva

Os cinco anos mais quentes do Antropoceno, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Antropoceno é uma época geológica marcada pelo domínio da influência do ser humano sobre a biosfera e tem como uma de suas caracterizadas (negativas) fundamentais o aquecimento global. O rápido crescimento econômico e o insustentável padrão de produção e consumo da humanidade está esquentando, literalmente, o Planeta. Em relação à temperatura média do século XX, o ano de 1908 ficou com temperatura de -0,44º C., abaixo da média do

Impacto do aquecimento global no permafrost é maior do que anteriormente estimado

  O aquecimento global irá descongelar cerca de 20% mais permafrost do que se pensava, estimam pesquisadores em nova pesquisa, o que, potencialmente, pode liberar quantidades significativas de gases de efeito estufa para a atmosfera da Terra.     Um novo estudo internacional, incluindo especialistas em mudanças climáticas da Universidade de Leeds, da Universidade de Exeter e do Met Office, revela que o permafrost é mais sensível aos efeitos do aquecimento global do que

A liberação do metano ártico pode criar um cenário apocalíptico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Existem bombas relógios climáticas explodindo ao redor do mundo. O artigo “Methane Hydrate: Killer cause of Earth's greatest mass extinction” (Uwe Branda et. al., 2016) publicado na prestigiosa revista Palaeoworld, em dezembro de 2016 faz um alerta preocupante: “O aquecimento global provocado pela liberação maciça de dióxido de carbono pode ser catastrófico. Mas a liberação do hidrato de metano pode ser apocalíptica”. A pior extinção em massa da Terra foi

Fotogaleria mostra o que 100 anos de mudanças climáticas fizeram nas geleiras do Ártico

  Por Stella Muir, em Boredpanda No início do século XX, as geleiras do Ártico eram uma das maravilhas da natureza, misteriosas e por descobrir. Depois de 100 anos de pesquisa, exploração e aproveitamento econômico, as geleiras tornaram-se um testamento evocativo dos efeitos das mudanças climáticas.     Christian Aslund, um fotojornalista sueco trabalhando com o Greenpeace, compilou algumas fotos antigas do Instituto Polar Norueguês de geleiras em Svalbard e, com elas as suas próprias

Recorde de degelo global em janeiro e fevereiro de 2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Para cada mil pessoas dedicadas a cortar as folhas do mal, há apenas uma atacando as raízes”. Duzentos anos do nascimento de Henry Thoreau (1817-1862)     [EcoDebate] Não há mais como contestar. Os negacionistas das mudanças climáticas perderam totalmente seus argumentos, claramente, anticientíficos. O degelo global bateu todos os recordes em janeiro e fevereiro de 2017. Depois de três anos (2014, 2015 e 2016) de temperaturas muito elevadas, sem precedentes no Holoceno

O colapso do gelo da Antártica e o aumento do nível do mar, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A Antártica, depois de um período de ligeiro ganho na área de gelo, está entrando em fase de degelo acelerado. Uma das constatações é que uma imensa rachadura na plataforma de gelo Larsen C cresceu profundamente em dezembro de 2016 e falta pouco para que um imenso bloco de 5 mil km² (equivalente a área do País de Gales ou da Região Metropolitana do Rio de Janeiro) se desprenda

O alarmante declínio do volume global de gelo no Planeta, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Não é o que olhamos que importa, é o que vemos” Henry Thoreau (200 anos de seu nascimento)     [EcoDebate] Nunca os olhos humanos (desde o surgimento do Homo Sapiens) viram nada igual. O processo de desglaciação do Ártico, Groenlândia e Antártica está se acelerando em ritmo alarmante. A perda do volume de gelo jamais foi tão grande e isto significa a aceleração do aumento do nível do mar e o naufrágio

O nível do mar pode subir 2,5 metros até 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Um novo relatório divulgado pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), dia 19/01/2017 (último dia da presidência de Barack Obama), apresenta uma série de estimativas atualizadas para o futuro aumento do nível do mar, tanto nos Estados Unidos como em todo o mundo. Sugere que, sob extrema mudança climática futura, os níveis globais do mar poderiam aumentar mais de 2,5 metros (8,2 pés) até o final do século, conforme

Maior aumento da concentração de CO2 da história humana, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Se uma planta não consegue viver de acordo com sua natureza, ela morre, assim também o ser humano” Henry Thoreau (200 anos de seu nascimento)     [EcoDebate] Estudos indicam que o mundo conseguiu, pelo terceiro ano consecutivo, manter estáveis suas emissões de gases CO2. Os otimistas comemoram o desacoplamento relativo. Mas os números indicam que, se as emissões pararam de subir, elas continuam nos níveis mais elevados da história. Na realidade, a concentração

O degelo da Antártica e a subida do nível do mar, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A maior parte do gelo da Antártica está sobre o continente e tem um volume de água congelada que, caso derreta completamente, tem o potencial de fazer o nível do mar subir de 60 a 65 metros no longo prazo. Se as emissões de gases de efeito estufa (GEE) continuarem a provocar o aumento do aquecimento global no ritmo atual, o degelo na Antártica pode contribuir para que o

Top