Brasil e China: o desafio de enriquecer antes de envelhecer, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Todo país rico – isto é, com alta qualidade de vida e elevado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH acima de 0,87) – passou pela transição demográfica e aproveitou a janela de oportunidade gerada pela mudança da estrutura etária da pirâmide populacional. Não existe exceção. A transição demográfica é fundamental para o enriquecimento de qualquer país em função de dois vetores: 1) redução das taxas de mortalidade; e 2) redução

Cidades de São Paulo onde os evangélicos ultrapassaram os católicos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Brasil está passando por uma grande transição religiosa que se manifesta em 4 aspectos: Declínio absoluto e relativo das filiações católicas; Aumento acelerado das filiações evangélicas (com diversificação das denominações e aumento dos evangélicos não institucionalizados); Crescimento lento do percentual das religiões não cristãs; Aumento absoluto e relativo das pessoas que se declaram sem religião. O quadro que deve surgir num futuro próximo é de mudança de hegemonia entre

O pico dos nascimentos no mundo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Dezembro é considerado o mês da natalidade tanto na estória de Jesus de Nazaré, como na estória de Hórus, no Egito (1.400 anos antes de Cristo). Na maior parte da história humana a alta natalidade era muito valorizada para se contrapor às taxas de mortalidade infantil. O número de nascimentos no mundo veio crescendo ao longo da história, estava em torno de 100 milhões de bebês por ano em 1950

No Brasil, 51% da população de 25 anos ou mais tinham até o ensino fundamental completo em 2016

  IBGE Em 2016, cerca de 66,3 milhões de pessoas de 25 anos ou mais de idade (ou 51% da população adulta) tinham concluído apenas o ensino fundamental. Além disso, menos de 20 milhões (ou 15,3% dessa população) haviam concluído o ensino superior. A desigualdade na instrução da população tem caráter regional: no Nordeste, 52,6% sequer haviam concluído o ensino fundamental. No Sudeste, 51,1% tinham pelo menos o ensino médio completo. Ainda entre a

Das jovens fora da escola, em 2016, 26% alegam cuidar da casa, de crianças ou idosos

  IBGE Uma em cada quatro mulheres jovens de 14 a 29 que não estudavam, em 2016, alegaram como motivo a necessidade de realizar afazeres domésticos e cuidar de crianças ou idosos. O percentual de mulheres nessa faixa que mencionaram essa razão (26,1%) era 30 vezes superior ao dos homens (0,8%). Foi o que revelou o módulo de Educação da Pnad Contínua, divulgado ontem pelo IBGE, que traz um retrato atualizado do

Geração perdida: cresce o número de jovens nem-nem no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O futuro de qualquer nação depende de uma população com alto nível educacional e uma boa inserção no mercado de trabalho. Indivíduos com maior qualificação tendem a ser trabalhadores mais produtivos. A produtividade do trabalho é condição essencial para o aumento da produção da riqueza per capita. Ou seja, um país com alto padrão de bem-estar é aquele que aproveita o potencial produtivo de sua população, aumentando a quantidade

Brasil tem 25,4% de sua população vivendo na linha de pobreza, com renda familiar equivalente a R$ 387,07

  ABr     Cerca de 50 milhões de brasileiros, o equivalente a 25,4% da população, vivem na linha de pobreza e têm renda familiar equivalente a R$ 387,07 – ou US$ 5,5 por dia, valor adotado pelo Banco Mundial para definir se uma pessoa é pobre. Os dados foram divulgados na sexta-feira (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da pesquisa Síntese de Indicadores Sociais

Um em cada quatro jovens do país não estava ocupado nem estudava em 2016

  Em 2016, cerca de 25,8% dos jovens de 16 e 29 anos não estavam ocupados nem estudavam. Entre os 10% da população com os menores rendimentos, 78,5% eram pretos ou pardos. Já entre os 10% com os maiores rendimentos, os pretos ou pardos representavam apenas 24,8%. Essa e outras informações estão na Síntese de indicadores sociais (SIS). Com dados do IBGE e de outras fontes, a SIS analisa o mercado de trabalho,

A transição religiosa nas grandes regiões do Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Quinhentos anos após a Reforma Protestante, o quadro religioso está mudando de maneira irreversível na América Latina. O Brasil e suas grandes regiões estão passando por uma acelerada transição religiosa que se manifesta em 4 aspectos: 1) Declínio absoluto e relativo das filiações católicas; 2) Aumento acelerado das filiações evangélicas (com diversificação das denominações e aumento dos evangélicos não institucionalizados); 3) Crescimento lento do percentual das religiões não cristãs; 4) Aumento absoluto e

Attenborough: a humanidade é uma praga que está destruindo o Planeta, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “O crescimento exponencial infinito das atividades econômicas é um suicídio para a humanidade” David Suzuki     [EcoDebate] David Attenborough, renomado naturalista britânico e apresentador de TV que inovou na defesa do ambientalismo, lançou um alerta pessimista sobre a influência predadora dos seres humanos na redução da biodiversidade da Terra e na destruição dos ecossistemas: "Somos uma praga na Terra" (“We are a plague on Earth”). Attenborough acredita que o crescimento da população humana,

Os três países mais populosos possuem os três maiores déficits ambientais, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Precisamos pegadas menores, mas também precisamos de menos pés”. (Enough is Enough, 2010)   [EcoDebate] Nos últimos 250 anos, o progresso humano tem ocorrido às custas do regresso ambiental e o enriquecimento da humanidade tem ocorrido em função do empobrecimento da biodiversidade. O impacto negativo sobre o meio ambiente é tanto maior quanto cresce o tamanho da população e o volume de produção e consumo. Não por coincidência os três países que apresentam

As diferentes velocidades do envelhecimento populacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] Todos os países do mundo que passaram pela transição demográfica (redução das taxas brutas de mortalidade e natalidade) estão passando pela transição da estrutura etária, que tem dois momentos fundamentais: o primeiro é a redução da base e o alargamento do meio da pirâmide (o que possibilita o surgimento do bônus demográfico) e, o segundo, é o rápido envelhecimento populacional. Existem várias maneiras para se medir o fenômeno do envelhecimento

Top