Crescimento populacional e choque malthusiano no Iêmen, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“A população mundial precisa ser estabilizada e, idealmente, reduzida gradualmente” Alerta dos cientistas mundiais sobre a emergência climática (05/11/2019)     [EcoDebate] O Iêmen foi o primeiro destino dos emigrantes que saíram da África, há cerca de 80 mil anos. A “diáspora” africana atravessou o Estreito de Bab-al-Mandeb, que separa o sul da Península Arábica, de Djibuti, no nordeste da África. Naquela época o Iêmen era uma área fértil e rica em serviços ecossistêmicos.

50 anos do Dia da Terra: 22 de abril de 2020, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “É triste pensar que a natureza fala e que a humanidade não a ouve” Victor Hugo (1802-1885)   [EcoDebate] O Dia da Terra, criado em dia 22 de Abril de 1970, surgiu em um momento de agravamento da questão ecológica global e a partir da iniciativa do senador norte-americano Gaylord Nelson, com a finalidade de criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger o

Futuro da Índia: o país mais populoso do mundo e sem água potável, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Precisamos nos preocupar com a explosão populacional” Narendra Modi, 15/08/2019   [EcoDebate] A população indiana era de 376 milhões de habitantes em 1950, representando 14,8% da população mundial de 2,5 bilhões de habitantes, ficando atrás apenas da população chinesa que era de 554 milhões de habitantes. No ano 2000, a China chegou a 1,29 bilhão de habitantes, e a Índia chegou a 1,1 bilhão, representando 17,2% da população mundial de 6,1 bilhões de

Cientistas alertam para a emergência climática e o crescimento populacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Ainda crescendo em torno de 80 milhões pessoas por ano, ou mais de 200.000 por dia, a população mundial precisa ser estabilizada e, idealmente, reduzida gradualmente” Alerta dos cientistas mundiais sobre a emergência climática (05/11/2019) [EcoDebate] Mais de 11 mil cientistas de todo o mundo, de maneira reiterada, alertam a humanidade sobre a ameaça de uma iminente catástrofe ambiental e declararam que o Planeta está enfrentando uma emergência climática. O manifesto diz

Já ultrapassamos o número de habitantes que o planeta suporta. E agora? artigo de Bruno Versiani dos Anjos

    [EcoDebate] Frente às nada animadoras perspectivas ambientais e climáticas de um planeta futuro, têm sido recorrentes e inúmeros os artigos e discursos que pregam mudanças nos hábitos de consumo, mudanças em matrizes energéticas e a própria mudança no padrão de crescimento econômico do regime capitalista. Por outro lado se vislumbra justamente o contrário na prática: países superpopulosos, como Índia e China, entre outros, levando contingentes humanos da ordem de dezenas

Índice Global da Fome, crescimento populacional e desperdício de alimentos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Gente é pra brilhar, não pra morrer de fome” Caetano Veloso   [EcoDebate] O Dia Mundial da Alimentação acontece em 16 de outubro de cada ano e é uma oportunidade para se avaliar os dados sobre o estado da segurança alimentar das pessoas e para a busca de soluções para superar o flagelo da fome e da desnutrição. Os Institutos Welthungerhilfe e Concern Worldwide divulgaram neste mês de outubro o Índice Global da Fome

Relatório do IPCC sobre clima, população e fome no mundo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Para satisfazer a gula de poucos e matar a fome de muitos, destrói-se a vida no Planeta” J.E.D. Alves (12/08/2019) [EcoDebate] O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), da ONU, publicou o relatório “Climate Change and Land”, no dia 08 de agosto de 2019, onde aborda a relação entre o uso da terra e seus efeitos sobre a mudança climática. O relatório, que não apresentou escassez de notícias ruins, foi resultado de

‘BirthStrike’ e ‘NoFutureNoChildren’: greve de nascimento e emergência climática, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria” Machado de Assis (Memórias póstumas de Brás Cubas) [EcoDebate] “Filhos? Melhor não tê-los!”. Assim começa o Poema Enjoadinho de Vinicius de Moraes. Mas numa época em que a taxa de fecundidade era alta e existia uma ideologia pronatalista e familista muito forte no Brasil, o poeta completou: “Mas se não os temos, Como sabê-los?”. Agora no século XXI, diante de

92% da população mundial de 2100 ainda não nasceu, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Os olhos de todas as gerações futuras estão sobre vocês. E se vocês optarem pelo fracasso, eu digo que nunca iremos perdoá-los” Greta Thunberg (Nova York, 23/09/2019) [EcoDebate] O mundo caminha para uma Terra cada vez mais inóspita e inabitável. O colapso ambiental já se vislumbra no horizonte. Porém, os governos, a iniciativa privada e inúmeros políticos de diversas orientações ideológicas continuam ignorando a catástrofe ecológica que se avizinha. O cenário climático

Mais árvores e menos gente, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Precisamos nos preocupar com a explosão populacional” Narendra Modi, 15/08/2019 [EcoDebate] A Revolução Industrial e Energética que teve início no final do século XVIII possibilitou um grande crescimento demoeconômico, viabilizando a melhoria das condições de vida da maioria da população mundial. As taxas de mortalidade infantil caíram significativamente enquanto aumentava a esperança de vida ao nascer. Houve um grande avanço da educação e uma ampliação e diversificação do consumo. Nada disto seria

Os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [Ecodebate] A Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD) ocorrida na cidade do Cairo, Egito, entre os dias 5 a 13 de setembro de 1994, completa 25 anos neste mês de setembro de 2019. A CIPD do Cairo aprovou um Plano de Ação de 20 anos que representou uma mudança de paradigma em respeito ao debate populacional, à relação entre população e desenvolvimento e às políticas populacionais. Nas duas conferências mundiais

O Índice de Pobreza Multidimensional global de 2019 e o aumento da fome no mundo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Oxford Poverty and Human Development Initiative (OPHI) lançaram na semana passada o relatório sobre o Índice de Pobreza Multidimensional (IPM) global de 2019, mostrando que o conceito tradicional de pobreza precisa ser atualizado e ampliado. Definir os domicílios como ricos ou pobres apenas com base na renda é uma simplificação excessiva. O Índice de Pobreza Multidimensional global de 2019

Top