O Índice de Pobreza Multidimensional global de 2019 e o aumento da fome no mundo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Oxford Poverty and Human Development Initiative (OPHI) lançaram na semana passada o relatório sobre o Índice de Pobreza Multidimensional (IPM) global de 2019, mostrando que o conceito tradicional de pobreza precisa ser atualizado e ampliado. Definir os domicílios como ricos ou pobres apenas com base na renda é uma simplificação excessiva. O Índice de Pobreza Multidimensional global de 2019

Cortes no questionário do Censo 2020 podem trazer perdas para pesquisas e para formulação de políticas públicas, afirmam especialistas

Cortes no questionário do Censo 2020 - Rumo a um apagão estatístico? Por André Antunes - EPSJV/Fiocruz O questionário que será aplicado no Censo Demográfico 2020 foi divulgado na semana passada, em meio a um embate entre o corpo técnico e a direção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que vem se desenrolando desde o início do ano. Indicada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, a nova presidente do instituto,

População da Índia: bônus demográfico e envelhecimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A Índia é a segunda nação mais populosa do mundo na atualidade, mas irá ultrapassar a China até 2027, passando a ocupar o primeiro lugar, segundo os dados das projeções populacionais da Divisão de População da ONU (revisão 2019). O gráfico abaixo mostra que o crescimento populacional da Índia foi muito grande, pois havia 376,3 milhões de habitantes em 1950, chegou a 1 bilhão em 1997 e deve alcançar o

Dia Mundial de População: 11 de julho de 2019, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O dia 11 de julho foi definido pela ONU, em 1989, como Dia Mundial de População. A data é uma referência ao dia 11 de julho de 1987 quando estima-se que o Planeta atingiu 5 bilhões de habitantes. Em 2019, a população mundial atingiu 7,7 bilhões e deve alcançar 8 bilhões em 2023. Portanto, o mundo está adicionando 1 bilhão de pessoas a cada 12 anos. Em 36 anos,

População da China: bônus demográfico e envelhecimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A China é o país mais populoso do mundo e, desde 2014, possui a maior economia (quando medida em paridade de poder de compra). Desde o início das reformas promovidas por Deng Xiaoping, em 1978, a China apresentou – em 40 anos - o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mais robusto de toda a história econômica global. Diversos fatores contribuíram para este desempenho excepcional e dentre os mais

A transição da fecundidade no Brasil e no mundo segundo as novas projeções da ONU, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

A transição da fecundidade no Brasil e no mundo [EcoDebate] A história da humanidade é a história da luta pela sobrevivência. Desde o surgimento do Homo Sapiens até o século XIX as taxas de mortalidade sempre foram altas, forçando as famílias a terem também altas taxas de fecundidade para garantir a sobrevivência da espécie. Contudo, as taxas de mortalidade começaram a cair com o avanço da produção de bens e serviços,

O bônus demográfico no Brasil e no mundo segundo as novas projeções da ONU, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] As transformações na dinâmica demográfica mundial foram espetaculares a partir do fim da Segunda Guerra, em meados do século passado. Primeiro caíram as taxas de mortalidade e depois as taxas de natalidade. Todos os países e regiões que passaram pela transição demográfica (TD) passaram também pela mudança da estrutura etária. No início da TD, quando as duas taxas estão altas, a pirâmide etária tem uma base larga e com

A dinâmica demográfica da Venezuela segundo as novas projeções da ONU, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A dinâmica demográfica da Venezuela não ficou imune à crise econômica e política que acomete o país. Os principais indicadores foram afetados. A população venezuelana, que era de 5,5 milhões de habitantes em 1950 (representando 0,22% da população mundial de 2,5 bilhões), cresceu continuamente nas décadas seguintes e atingiu 30,1 milhões de habitantes em 2015 (representando 0,41% da população mundial de 7,4 bilhões), conforme mostra o gráfico abaixo, com

A revisão 2019 da ONU para as projeções populacionais do Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] A Divisão de População da ONU divulgou, no dia 17 de junho de 2019, as novas projeções populacionais para todos os países, para as regiões e para o total mundial. A população brasileira foi estimada em 211 milhões em 2019 e 212,6 milhões de habitantes em 2020. A novidade é que o Brasil perdeu o posto de 5º maior país do mundo, em termos demográfico, lugar agora ocupado pelo

A revisão 2019 das projeções populacionais da ONU para o século XXI, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A Divisão de População da ONU disponibilizou, no dia 17 de junho de 2019, as novas projeções populacionais para todos os países, para as regiões e para o total mundial. A população mundial para 2019 foi estimada em 7,70 bilhões, devendo chegar a 7,79 bilhões em 2020 e a 8 bilhões de habitantes em 2023. Em decorrência das incertezas sobre o futuro, as projeções são apresentadas em três cenários,

O mundo com mais idosos do que crianças pequenas a partir de 2019, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] O ano de 2019 é um marco no processo de envelhecimento da população global. Pela primeira vez na história, o número de idosos de 65 anos e mais de idade será superior ao número de crianças pequenas de 0 a 4 anos. Vale dizer, o mundo passa a ter mais “avós do que netos”. A mudança nas curvas acontece no corrente ano, mas vai se acentuar ao longo do século

Dois mil anos de crescimento demoeconômico global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    Dois mil anos de crescimento demoeconômico global [EcoDebate] O crescimento da população e da economia nos últimos dois mil anos foi algo impressionante. Do ano 1 da Era Cristã até o ano 2000, a população mundial passou de cerca de 225 milhões de habitantes para 6 bilhões de habitantes e a renda per capita global passou de $ 467 para $ 6.055 (dólares internacionais em poder de paridade de compra –

Top