‘O modelo agroexportador brasileiro é completamente contrário ao Acordo de Paris’, entrevista com Alexandre Costa

  O presidente Michel Temer regulamentou na semana passada o Acordo de Paris, que estabelece metas de redução das emissões de gases causadores do efeito estufa. O gesto, que foi interpretado como uma tentativa de buscar apoio em meio à crise política que ameaça seu governo, veio poucos dias após o anúncio, pelo presidente Donald Trump, da retirada dos Estados Unidos do Acordo, firmado em 2015 durante a Cúpula do Clima

Sem os jogos de cena de Donald Trump, ao menos quatro países deixam de honrar as metas do Acordo de Paris

  As duas formas de sair do Acordo de Paris: a espetaculosa e a sorrateira; análise de Luiz Marques [Jornal da Unicamp] ​​ Quais são as consequências para as mudanças climáticas globais da saída espetaculosa dos EUA do Acordo de Paris? Segundo o Banco Mundial, em 2012, os EUA emitiram 6,3 GtCO2-eq (bilhões de toneladas de gases de efeito estufa, ou GEE, expressos em termos equivalentes ao potencial de aquecimento global do

Trump anuncia saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris

  ABr     O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou ontem (01) a decisão de retirar o país do Acordo de Paris, que define os compromissos globais na luta contra os efeitos das mudanças climáticas. O anúncio foi transmitido ao vivo pela TV e por outros meios de comunicação. Os termos e as condições da retirada deverão ser conhecidos progressivamente. Concretamente, o anúncio do presidente americano vai de encontro à decisão de líderes

Saída dos EUA do Acordo de Paris reflete pensamento de uma elite industrial decadente, diz professor da FGV

    1° de junho: O presidente Donald Trump anunciou a saída dos EUA do Acordo de Paris porque considera o acordo desvantajoso para os norte-americanos pela metas ousadas que o país deveria cumprir. Os EUA são o segundo maior produtor mundial de gás de efeito estufa, que compromete o planeta. “A posição dos EUA não tem fundamento científico e nem representa a opinião da maioria dos cidadãos americanos, mas sim a de

Nota do Observatório do Clima sobre saída dos EUA do Acordo de Paris

    Numa lamentável demonstração de irresponsabilidade, cegueira ideológica e inépcia estratégica, o presidente Donald J. Trump anunciou nesta quinta-feira que os Estados Unidos sairão do acordo do clima de Paris. A decisão é um erro histórico, que terá repercussões gravíssimas para toda a humanidade e para a população e a economia dos EUA. O ato desta quinta-feira praticamente sepulta a chance da humanidade de atingir a meta de estabilizar o aquecimento global

Merkel classifica discussão sobre o acordo contra a mudança climática no G7 como ‘muito insatisfatória’

  Da Agência EFE / ABr     A chanceler alemã, Angela Merkel, qualificou ontem (27) como "muito insatisfatória" a discussão sobre o acordo contra a mudança climática feita ao longo da Cúpula do G7 na cidade italiana de Taormina. "Foi muito difícil e muito insatisfatória a discussão geral sobre o tema do clima", avaliou Merkel em declarações à imprensa ao final do encontro, no qual todos os participantes, exceto os Estados Unidos, reiteraram o

Estados Unidos impedem acordo sobre mudança climática e o Acordo de Paris no G7

    Da Agência EFE / ABr Os líderes do G7 não chegaram a um consenso na sexta-feira (25) sobre a luta contra a mudança climática e o Acordo de Paris porque os Estados Unidos estão revendo sua posição sobre esta matéria e não tomarão uma decisão antes de algumas semanas, disse o primeiro-ministro italiano Paolo Gentiloni. A informação é da agência EFE. "Há uma questão que permanece suspensa sobre o clima porque o

E se os Estados Unidos abandonarem o Acordo de Paris? artigo de Carlos Nobre

  “Facts are stubborn things”. Frase de John Adams (1735-1826), segundo presidente dos Estados Unidos, estampada em cartaz durante protesto contra as posições anticiência de Donald Trump em fevereiro, na cidade de Boston.     Um candidato à presidência de um país nega, durante campanha eleitoral, consenso científico amplamente estabelecido em décadas de pesquisas sérias sobre fatos de grande impacto global. Após ser eleito, mantém posição ambígua e nomeia negacionistas como altos dirigentes de

Aumento do desmatamento e propostas de redução de áreas de UC’s na Amazônia comprometem as metas brasileiras no Acordo de Paris

    A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura expressa sua forte preocupação com o alarmante aumento da taxa de desmatamento, bem como seu desacordo com recentes propostas legislativas que podem reduzir as áreas protegidas em Unidades de Conservação na Amazônia. O aumento da devastação florestal coloca o Brasil na direção contrária de suas metas da Política Nacional de Mudanças Climáticas para 2020 e compromete a meta brasileira referente ao Acordo de

Estudo do MCTIC propões medidas para cumprimento das metas do Acordo de Paris

    Compromisso do Brasil é reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% em 2025 e 43% em 2030 Um novo estudo do Ministério da Ciência da Tecnologia Inovações e Comunicações (MCTIC) propõe medidas para cumprimento das metas do Acordo de Paris. O documento aponta o papel que cada setor econômico pode desempenhar para o cumprimento das metas de redução das emissões de gases de efeito estufa para 2025 e

Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto

  Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto. Entrevista especial com Pedro Telles “A discussão sobre mudanças climáticas já atingiu um grau de importância geopolítica internacional importante, e vários países, como China, França e Brasil, se manifestaram dizendo que seguirão adiante com o Acordo de Paris. Disseram também que um retrocesso dos EUA em relação ao acordo não será bem-vindo”, diz Pedro Telles à IHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida

Carbono na COP22: um eficiente indexador para combustíveis fósseis, artigo de Amyra El Khalili

Se algum especulador me perguntasse qual a engenharia mais indicada para ganhar dinheiro com as mudanças climáticas, eu lhe responderia: “Compre commodities agropecuárias e venda créditos de carbono nas bolsas, ou faça uma negociação com minério e índice de C02 no mercado acionário. É a operação financeira que chamamos de “trava”. Se não der certo no curto prazo, arrole com swap!” Estou em terras tupiniquins, imaginando a participação dos lobistas e

Top