Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto

  Acordo de Paris é mais sólido que o de Kyoto. Entrevista especial com Pedro Telles “A discussão sobre mudanças climáticas já atingiu um grau de importância geopolítica internacional importante, e vários países, como China, França e Brasil, se manifestaram dizendo que seguirão adiante com o Acordo de Paris. Disseram também que um retrocesso dos EUA em relação ao acordo não será bem-vindo”, diz Pedro Telles à IHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida

Carbono na COP22: um eficiente indexador para combustíveis fósseis, artigo de Amyra El Khalili

Se algum especulador me perguntasse qual a engenharia mais indicada para ganhar dinheiro com as mudanças climáticas, eu lhe responderia: “Compre commodities agropecuárias e venda créditos de carbono nas bolsas, ou faça uma negociação com minério e índice de C02 no mercado acionário. É a operação financeira que chamamos de “trava”. Se não der certo no curto prazo, arrole com swap!” Estou em terras tupiniquins, imaginando a participação dos lobistas e

COP-22 inicia regulamentação do Acordo de Paris

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgou uma avaliação preliminar do governo brasileiro sobre a 22ª Conferência das Partes sobre Mudança do Clima (COP 22), que terminou nessa sexta-feira (18) em Marrakesh, no Marrocos. O documento, ainda preliminar, aponta que a COP-21 pode ser descrita como um “ponto de chegada” que finalizou uma longa negociação sobre o papel dos países na mitigação do aquecimento global ao adotar o Acordo de Paris.

COP 22: compromisso de reduzir aquecimento global não tem volta, dizem organizações

    Os países participantes da 22ª Conferência das Partes sobre Mudança do Clima (COP 22) reafirmaram o compromisso de reduzir o aquecimento global e de construir uma agenda de trabalho para chegar a esse objetivo em dois anos. A avaliação é do secretário executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, e do coordenador da Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, Marcelo Furtado. A conferência, que teve início no dia 7 de novembro

Pra lá de Marrakesh, artigo de Raimundo Nonato Brabo Alves

[EcoDebate] Essa expressão era muito popular na década de 1970 e significava que quem estava “prá lá de Marrakesh” estava meio atabalhoado ou perturbado do juízo. Lembrei a expressão por ler as matérias que tratam da reunião da COP-22, a conferência do clima da ONU, que se iniciou nesta segunda feira 07 de novembro em Marrakesh, no Marrocos. Essa expressão caiu de uso. Hoje o Marrocos é uma rota turística

Mercado de carbono dá licença aos mais ricos para poluir, afirmam ambientalistas

   Um dos temas centrais da 22ª edição da Conferência das Nações Unidas (ONU) sobre Mudanças Climáticas (COP22), que começou ontem (7) em Marrakesh (Marrocos), o mercado de carbono tornou-se pilar dos esforços internacionais para incentivar reduções de gases de CO². Um grupo de acadêmicos, ambientalistas e ativistas sociais vem questionando a supervalorização que lideranças mundiais dão à precificação do carbono como solução para os problemas do aquecimento global. No Brasil, representantes

COP22 quer tirar do papel o Acordo de Paris que limita aumento da temperatura em até 2ºC

   A 22ª edição da Conferência das Nações Unidas (ONU) sobre mudanças climáticas (COP22) que começa hoje (7) em Marrakesh, Marrocos, precisará sair do plano das boas intenções e tirar do papel o Acordo de Paris, se o mundo realmente quiser limitar o aumento da temperatura do planeta em até 2ºC em relação aos níveis pré-industriais. Ambientalistas e entidades do setor ressaltam a importância simbólica e política para o mundo da COP21

Especialista alerta para possibilidade de Brasil não cumprir acordo de clima

  Debatedores sugerem ajuste de metas para redução de gases de efeito estufa     O secretário-executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, alertou na terça-feira (18) no Congresso Nacional para a possibilidade de o Brasil não reduzir significativamente neste ano a emissão de gases estufa. Rittl participou de audiência pública promovida pela Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas sobre a participação brasileira no Acordo do Clima de Paris, documento que visa reduzir as emissões

Aumento de desmatamento na Amazônia é sinal amarelo para a meta climática assumida pelo Brasil

    Para diretor-executivo do IPAM, País assumiu um compromisso internacional na Conferência do Clima, mas os números indicam que estamos indo na direção contrária do que é necessário para cumprir acordo O aumento do desmatamento na Amazônia, divulgado na semana passada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), acende um sinal amarelo na sociedade: a meta climática assumida pelo país, para cortar emissões de gases estufa, está em risco. 'O Brasil assumiu um

ONU anuncia que Acordo de Paris sobre mudanças climáticas entrará em vigor em novembro

  Segundo e último patamar do tratado, que pedia que as partes fossem responsáveis por pelo menos 55% das emissões globais de gases de efeito estufa, foi alcançado na quarta-feira (5). Secretário-geral das Nações Unidas pediu implementação imediata do tratado que busca combater efeitos da mudança do clima, sobretudo para as pessoas mais vulneráveis. Documento entra em vigor dia 4 de novembro, conforme previsto no artigo 21 do acordo.   Foto: WikiCommons / Library

Qual o problema da imprensa com o clima? por Beatriz Diniz e Marcia Pimenta

Qual o problema da imprensa com o clima? Veja na análise da cobertura da ratificação do Acordo de Paris [EcoDebate] É uma tristeza a ratificação do Acordo de Paris pelo Brasil não estar na capa dos principais jornais do país nem ter destaque em suas edições digitais e nos telejornais da TV aberta. A cerimônia na segunda 12/9 até foi noticiada pelos meios de comunicação, só que timidamente. O também chamado acordo

Saiba o que é o Acordo de Paris, ratificado pelo governo nesta segunda-feira

    Principal objetivo é garantir que o aquecimento global não ultrapasse os 2°C até 2100 O governo brasileiro ratificou, na manhã desta segunda-feira (12), o Acordo de Paris. O documento foi previamente aprovado, no ano passado, por 197 países que participaram da Conferência do Clima de Paris (COP 21). O compromisso dos países signatários é manter o aumento da temperatura média global em menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais, e fazer um

Top