Censo Agro 2017: Agricultura familiar orgânica no Rio de Janeiro valoriza alimentação saudável

  IBGE O Censo Agro 2017 já está em seu terceiro mês de coleta. A pesquisa mostrará um retrato dos estabelecimentos agropecuários que, no caso do estado do Rio de Janeiro, são predominantemente produtores de lavouras temporárias, criação de bovinos e horticultura. A pecuária e lavoura de cana são mais fortes no Norte do estado, onde a área colhida de cana-de-açúcar chegou a 48 mil hectares, em 2016, segundo a Pesquisa Agrícola Municipal,

FAO alerta para aumento da degradação dos solos em escala global

  Degradação do solo já obrigou migração de 10 milhões de pessoas no mundo; agricultores devem produzir 49% de alimentos a mais até 2050 para resolver o problema.     Por Manuel Matola, ONU News, em Nova Iorque. A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, alerta para o aumento da degradação dos solos, a nível mundial, devido às práticas inadequadas de manuseamento da terra. Segundo a FAO, aproximadamente 33% dos solos globais

Produção agrícola responde por pelo menos 20% das emissões de gases do efeito estufa

  ONU Em pronunciamento na 23ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP23, o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, alertou que as transformações do clima poderão arrastar milhões de pessoas para um ciclo vicioso de pobreza e má nutrição. Dirigente cobrou adoção de padrões mais sustentáveis na produção agrícola. Em pronunciamento na 23ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, a

A redução da presença de resíduos de agrotóxicos em alimentos só será feita por pressão do consumidor

  A redução da presença de resíduos em alimentos só será feita por pressão do consumidor. Entrevista especial com Amir Bertoni Gebara IHU A pedido do Greenpeace, o Laboratório de Resíduos de Pesticidas do Instituto Biológico de São Paulo analisou a quantidade de resíduos de agrotóxicos presentes em uma série de alimentos à venda em São Paulo e Brasília. Sobre o resultado geral da análise, o pesquisador do Instituto, Amir Bertoni Gebara, é

Pesquisa encontra resíduos de agrotóxicos em 60% dos alimentos consumidos em São Paulo e Brasília

    ABr Testes toxicológicos realizados pelo Laboratório de Resíduos de Pesticidas (LRP) do Instituto Biológico de São Paulo, a pedido da organização não governamental Greenpeace, mostraram que 60% dos alimentos que a população de São Paulo e Brasília come diariamente contém resíduos de agrotóxicos. Em 36% das amostras, havia ainda alguma irregularidade, como presença de agrotóxicos banidos do país e de quantidade acima do limite máximo de resíduos permitido no Brasil. Os alimentos

Crescimento do rebanho e aumento no uso de fertilizantes nitrogenados elevam emissões na Agropecuária

  Crescimento recorde do rebanho e aumento de 23% no uso de fertilizantes nitrogenados elevam emissões na Agropecuária     As emissões de gases de efeito estufa na agropecuária subiram quase 2% entre 2015 e 2016. É o maior crescimento registrado dos últimos cinco anos. Esse é um dos resultados do relatório elaborado pelo Imaflora para o 5º Seminário Nacional sobre Gases de Efeito Estufa, realizado pelo Observatório do Clima. O relatório mostra ainda

Agricultura Urbana: O exemplo da horta comunitária na cidade inglesa de Todmordem, artigo de Roberto Naime

  Foto: Incredible Edible Todmorden   [EcoDebate] Projeto iniciado há décadas em cidade inglesa, incentiva o plantio local para abastecer todas as famílias com grande variedade de alimentos Em Todmordem, há um ótimo exemplo de como é possível ter sucesso na produção local de alimentos. Tudo se baseia em um conceito intitulado “Incredible Edible” (alimentos incríveis), no qual as próprias pessoas da cidade investem na produção em alimentos de vários tipos. A cidade possui apenas

O agronegócio e o declínio dos insetos; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  Jornal da UNICAMP Texto: LUIZ MARQUES Fotos: REPRODUÇÃO | FRED DOLT | GREENPEACE Edição de imagem: LUIS PAULO SILVA Vinte anos atrás, um artigo da Science, intitulado “Human Domination of Earth’s Ecosystems”, assim concluía sua avaliação das consequências dos impactos antropogênicos sobre os ecossistemas [I]: “As consequências globais da atividade humana não são algo a ser enfrentado no futuro. Elas estão conosco agora. Todas essas mudanças estão em curso e em muitos casos, em aceleração.

Agronegócio desenha existência informal de um ’28º estado’ brasileiro, sugere estudo

  Espaço envolvendo estados de três regiões tem dinâmicas, leis e orçamento próprios, além de notável poder econômico e político Por Laura Barrio, do Jornal da USP Pesquisa em andamento investiga o funcionamento de uma extensa área do território brasileiro e propõe a existência informal de um “vigésimo oitavo Estado da federação”. A área, que corresponde às regiões fronteiriças dos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Minas Gerais,

A indução da crise na sustentabilidade agrícola de Cuba, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] BUENO (2015) assevera que um modelo de agricultura que maximiza o uso de produtos ecologicamente corretos, minimiza o uso de agrotóxicos e pesticidas químicos, recicla os compostos orgânicos, promove o uso adequado de biofertilizantes e enfatiza o uso sustentável dos recursos biológicos, parece utopia. Mas não é. Este é o modelo de produção agrícola adotado em Cuba desde meados da década de 1980, quando o país teve que modificar suas

A mandioca é o cheiro de Belém no Círio de Nazaré (PA), por Raimundo Nonato Brabo Alves e Moisés de Souza Modesto Júnior

  Além de cultura, a mandioca é sinônimo de emprego, renda e segurança alimentar aos paraenses.   [EcoDebate] Não há cultura mais tradicional no Brasil e mais ligada à vida do paraense que a mandioca. Principalmente neste momento que antecede o Círio de Nazaré, no segundo domingo de outubro. No município de Acará, maior produtor de mandioca do Brasil, distante 33 quilômetros da capital paraense, mais especificamente no ramal da Samaumeira, a movimentação

Um terço do solo do planeta está severamente degradado, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  "É preciso 500 anos para construir dois centímetros de solo vivo e apenas segundos para destruí-lo" (Stephen Leahy, 2013)     [EcoDebate] Um terço do solo do Planeta está severamente degradado e o solo fértil está sendo perdido a uma taxa de 24 bilhões de toneladas por ano, de acordo com o estudo “Perspectiva Global de la Tierra (GLO)”, apoiado pela Secretaria da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação e

Top