Relatório do IPCC e o efeito perverso entre produção de alimentos e mudanças climáticas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “De pé ó vítimas da fome; De pé famélicos da terra” Hino da Internacional Socialista     [EcoDebate] O relatório “Climate Change and Land”, do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, publicado dia 08 de agosto de 2019, trata da conexão entre o uso da terra e seus efeitos sobre a mudança climática. Existe um efeito perverso de retroalimentação, pois a produção de alimentos aumenta o aquecimento global, enquanto as mudanças climáticas

Pesquisa indica que o modelo proposto para a agricultura da UE não é viável para o futuro

  Pesquisadores analisam planos de reforma da Comissão Europeia para a Política Agrícola Comum (PAC) Por Sebastian Tilch * **     As atuais propostas de reforma da Comissão Européia sobre a Política Agrícola Comum (PAC) não devem melhorar a proteção ambiental, dizem pesquisadores liderados pelo Centro Alemão de Pesquisa Integrativa em Biodiversidade (iDiv), o Centro Helmholtz de Pesquisa Ambiental (UFZ) e a Universidade de Göttingen na revista Science. Embora a UE se tenha comprometido com

Aumento dos níveis de CO2 pode aumentar o rendimento do trigo, mas pode reduzir a qualidade nutricional

    Os níveis de dióxido de carbono atmosférico (CO 2 ) estão subindo, o que, segundo especialistas, pode produzir mais secas e temperaturas mais altas. Embora essas mudanças climáticas tenham um impacto negativo no crescimento de muitas plantas, a maior disponibilidade de CO 2 pode realmente ser vantajosa porque as plantas usam o gás de efeito estufa para produzir alimentos pela fotossíntese. Agora, pesquisadores relatando no Journal of Agricultural and Food Chemistry

Relatório da ONU pede mudanças na forma como o mundo produz e consome alimentos

    Com a previsão de que a população mundial chegará a quase 10 bilhões em 2050, um novo relatório mostra que o sistema global de alimentos deve passar por mudanças urgentes para garantir que haja comida adequada para todos, sem destruir o planeta. O “Relatório de Recursos Mundiais: Criando um Futuro Alimentar Sustentável” revela que enfrentar esse desafio exigirá o fechamento de três lacunas: uma “lacuna alimentar” de 56% entre o que

A falta de diversidade de culturas e a redução de polinizadores podem ameaçar a segurança alimentar

    Uma nova pesquisa sugere que as tendências globais nas práticas agrícolas estão minando os polinizadores que dependem das culturas e colocando em risco a produtividade e a estabilidade agrícolas, particularmente em alguns países da Ásia e da América do Sul. University of Maryland* College of Computer, Mathematical, and Natural Sciences Uma equipe multinacional de pesquisadores identificou países onde a crescente dependência da agricultura em relação à polinização, juntamente com a falta de diversidade

Para especialistas, investir em agricultura urbana melhoraria a alimentação e reduziria a poluição

  Como é possível produzir alimentos na cidade? Por Denis Pacheco, Radio USP   Foto: USP   Para especialistas, investir em agricultura urbana melhoraria a alimentação e reduziria a poluição, já que com alimentos sendo produzidos mais próximos dos consumidores a logística de transporte e do consumo de combustíveis mudaria drasticamente As primeiras cidades surgiram, entre outros motivos, por causa da produção de alimentos. Foi o excedente dessa produção que deu origem às grandes civilizações antigas. Entretanto,

Impacto da expansão de terras cultiváveis sobre a biodiversidade é muitas vezes maior do que a intensificação do uso

  Impacto da expansão de terras cultiváveis sobre a biodiversidade Um novo estudo compara os efeitos da expansão versus intensificação do uso das terras cultiváveis nos mercados agrícolas globais e na biodiversidade, e descobre que a estratégia de expansão representa uma ameaça particularmente séria à biodiversidade nos trópicos. Ludwig-Maximilians-Universität München* A produção agrícola global deve ser aumentada nos próximos anos, a fim de atender à crescente demanda e à mudança nos padrões de consumo.

Seminário em Brasília discute desafios da preservação dos Sistemas Agrícolas Tradicionais – 08 e 09 de julho 2019

  Os Sistemas Agrícolas Tradicionais (SATs) têm possibilitado, ao longo de milênios, a domesticação de diversas espécies centrais na alimentação mundial, como a mandioca, batata doce, amendoim e abacaxi. No Brasil, os saberes e as práticas associadas à complexidade de um Sistema Agrícola Tradicional são preservados principalmente por comunidades tradicionais e povos indígenas, tendo como desafios o reconhecimento e, em alguns casos, vencer uma situação de vulnerabilidade. Para preservar e valorizar as

Uma visão sobre agricultura familiar, saúde e meio ambiente, Parte 2/2 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] MOREIRA (2013) assevera que existem vários países da América Latina que têm programas de alimentação escolar, mas na maioria deles as ações públicas são pequenas ajudas, temporárias e com baixo conteúdo nutricional. Em poucos países, como Brasil, Panamá e Chile, as refeições são asseguradas durante todo o ano letivo e em caráter nacional. Mas nos dois últimos países mencionados, a alimentação não é para todos. No Chile todos os alunos desfrutam

Estudo da Embrapa indica que o aquecimento global pode intensificar doença no cultivo do feijão em locais mais frios

  Foto: Murillo Lobo Na faixa central, plantas com desenvolvimento comprometido causado pela podridão radicular seca Com o aumento da temperatura do planeta, muitas doenças de plantas podem alterar sua distribuição nas regiões produtoras, aumentando as dificuldades de manejo e os riscos de perdas na produção. Entre os males que afetam as raízes, a podridão radicular seca, causada por fungos do gênero Fusarium, pode se intensificar em lavouras de feijão das regiões Sul

Manejo Integrado de Pragas, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] O manejo integrado de pragas e doenças é um planejamento de controle múltiplo de infestações, que se fundamenta no controle ecológico e nos fatores de mortalidade naturais procurando desenvolver táticas de controle que não interfiram com esses fatores, com o objetivo de diminuir as chances dos insetos ou doenças de se adaptarem a alguma prática defensiva. Quando bem empregada, a técnica do Manejo Integrado de Pragas e Doenças (MIP) limita

Biodiversidade e meio rural, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Tanto a comunidade científica internacional quanto governos e entidades não-governamentais ambientalistas vêm alertando para a perda da diversidade biológica em todo o mundo. A degradação que está afetando o planeta encontra raízes na civilização humana contemporânea, agravada pelo crescimento explosivo da população e pela distribuição desigual da riqueza. A perda da diversidade biológica envolve aspectos sociais, econômicos, culturais e científicos. Em anos recentes, a intervenção humana em habitats que eram estáveis

Top