Um olhar mais atento para os caminhos da habitação popular/social, artigo de Sucena Shkrada Resk

    A população cresce ano a ano e o déficit habitacional segue a mesma trajetória no Brasil e é superior a 7,7 milhões de moradias necessárias para suprir essa demanda por imóvel próprio. Os dados são baseados em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Pnad/IBGE) de 2015. Um problema e tanto para ser administrado pela gestão pública. A questão central é como

Temas ‘Refugiados’ e ‘Migrantes’: não existe geopolítica baseada em visões unilaterais, artigo de Sucena Shkrada Resk

    Em um mundo em que a maioria das pessoas e “nações” aspiram pela manutenção da democracia e da paz mundial, as relações diplomáticas internacionais exigem como alicerce o constante diálogo e o princípio de que as decisões sejam o mais consistentes e equilibradas para a manutenção deste objetivo que inclui o bem-estar dos cidadãos, envolto pelos direitos humanos, comércio justo, e o processo colaborativo entre as nações visando a concepção

O que ainda precisamos para respirar ar limpo nas cidades?

Conama atualizou os padrões de qualidade do ar de acordo com recomendações da OMS. Agora é necessário monitorar e ter políticas para reduzir as emissões Por Isis Nóbile Diniz     O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) atualizou os padrões de qualidade do ar (PQAr) segundo recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), primeiramente publicadas em 2005. A nova resolução trouxe avanços tais como o material particulado fino, responsável por agravar diversas doenças,

Xadrez da segurança: É possível vencer o crime organizado, artigo de Marco Antônio Barbosa

    [EcoDebate] Começamos 2019 com mais um Estado sofrendo pela crise da segurança pública. O Ceará está a mais de uma semana sobre fortes ataques de facções, depois que medidas mais severas contra o crime foram anunciadas. Estas organizações mostram a sua força para amedrontar a população e, consequentemente, pressionar os governantes. Realmente, devido a anos de políticas públicas sem a menor efetividade, eles estão em vantagem nesta guerra. Mas é

A intervenção do Estado deve ser no sentido de coibir e não de propagar os discursos de ódio, intolerância e preconceitos com os diferentes

Discursos de ódio - Religiões afro e islamismo, as primeiras vítimas? "O novo governo e em especial o seu presidente precisam aprender a respeitar a pluralidade existente no país, inclusive a religiosa, sem que isso esbarre em preconceitos e estereótipos remanescentes de sociedades onde pessoas que têm os mesmos hábitos e caráter social, e apesar disso discriminam o outro, julgando-se melhor, seja por causa de sua condição social, pelos diferentes hábitos

Raio-x da reestruturação ministerial feito pelo ISA revela asfixia da influência e da autonomia da pasta ambiental

  O que muda (ou resta) no Meio Ambiente com a reforma de Bolsonaro? ISA Uma das frases famosas de Jair Bolsonaro é a de que o objetivo de seu governo seria fazer o Brasil voltar a ser como “40, 50 anos atrás”. Apenas oito dias depois da posse, não é possível saber se a promessa será cumprida. Mas há sinais de que o caminho foi aberto na área ambiental. O ISA passou um pente-fino na

Passivo Ambiental e os Novos Gestores da SEAMA (ES), artigo de Roosevelt Fernandes

    [EcoDebate] Os gestores da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEAMA / IEMA / AGERH) deixaram um passivo significativo para àqueles que agora assumem o órgão. Os questionamentos não assumidos pelos então gestores do órgão normativo de meio ambiente e recursos hídricos foram formalmente propostos pelas entidades da sociedade civil organizada com assento nos Conselhos Estadual de Meio Ambiente (CONSEMA) e no Estadual de Recurso Hídricos (CERH). Os requerimentos protocolizados

Por que o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) é necessário? por Patricia Constante Jaime

  Papel do CONSEA na democratização da administração pública e conformação de uma agenda política sinérgica entre agricultura, alimentação, nutrição, saúde, meio ambiente, sustentabilidade e justiça social. Jornal da USP   A Medida Provisória n. 870, de 01 de janeiro de 2019, publicada pelo novo governo federal de modo a estabelecer a organização administrativa dos órgãos da Presidência da República e seus Ministérios, trouxe más noticias para a política pública de segurança alimentar e

Contratações informais aumentam no país após um ano de Reforma Trabalhista

  Reforma Trabalhista - Governo prometeu 2 milhões de vagas; criou 298,3 mil até agora Por Giulia El Halabi     Aprovada quando o país tinha 13,3 milhões de desempregados e uma taxa de desocupação de 12,8%, a Reforma Trabalhista completou um ano em novembro. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que têm como base informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua apontaram que a informalidade atingiu 37,3 milhões de

Bolsonaro diz que ‘pode sair fora’ do Acordo de Paris; Presidente eleito também critica Pacto Global de Migração

  O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse ontem (12) em pronunciamento pelas redes sociais que pretende propor, via Itamaraty, mudanças ao Acordo de Paris. "Se não mudar, sai fora. Porque temos de ficar? É um acordo possivelmente danoso para a nossa soberania", afirmou. "Muitos estão fora, não assinaram. Por que o Brasil tem de ficar, para ser politicamente correto?", questionou. Segundo ele, o Brasil pode não conseguir cumprir, até 2030, as exigências previstas no Acordo de Paris

A defesa do interesse público, um princípio a ser resgatado, artigo de Clóvis Borges

  "As mudanças necessárias e prementes que nos tornem cidadãos mais solidários não representam nenhuma utopia"     [EcoDebate] Até que ponto cabe considerar legítimo o jogo de influência sobre o poder público que interfere em decisões estratégicas do governo, altera a legislação e interfere em decisões judiciais? Se as práticas que proporcionam favores excessivos aos mais diversos grupos setoriais trazem como consequência um duro ônus ao resto da sociedade, é necessário evidenciar que

Amazônia é totalmente estratégica para nossa sobrevivência enquanto espécie

  'Amazônia é totalmente estratégica para nossa sobrevivência enquanto espécie'. Entrevista especial com Marcela Vecchione Por Vitor Necchi e Patricia Fachin, IHU Nos últimos 60 anos, as propostas de desenvolvimento para a Amazônia e os povos tradicionais que habitam a região, como indígenas, quilombolas e amazônidas, visam “integrar a região - e as várias ‘regiões’ dentro da Amazônia - ao país”, diz a pesquisadora Marcela Vecchione à IHU On-Line. No entanto, lamenta, “dificilmente há um debate sobre desenvolvimento de dentro da região

Top