Hidronegócio: privatização da Eletrobras, privatização das águas, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Há tempos o hidronegócio busca mecanismos de privatização das águas brasileiras. Constitucionalmente tidas como um bem da União, nossas águas não podem ser privatizadas. A Constituição Federal no artigo 20, inciso III, estabelece que são bens da União os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seu domínio, ou que banhem mais de um Estado, sirvam de limites com outros países, ou se estendam a território estrangeiro

Argumentos mentirosos para privatizar a Eletrobras, artigo de Heitor Scalambrini Costa

    [EcoDebate] A palavra privatizar é definida como: “realizar a aquisição ou incorporação de (empresa do setor público) por empresa privada”, “colocar sob o controle de empresa particular a gestão de (bem público)”. Foi anunciado recentemente pelo atual governo golpista (sem voto, sem credibilidade popular) a aceleração do processo de depredação e entrega do patrimônio público com um amplo programa de privatizações, que pretende transferir áreas de mineração e exploração de petróleo

Fórum Mundial da Água: o gato se veste de lebre, artigo de Flávio José Rocha da Silva

    [EcoDebate] A cidade de Brasília sediará o 8º Fórum Mundial da Água entre os dias 18 e 23 de março de 2018. No site do evento podemos ler que “O Fórum Mundial da Água é o maior evento relacionado à água do mundo e é organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC), uma organização internacional que reúne todos os interessados ??no tema da água.” Há até mesmo uma consulta online

A questão da privatização da água na Encíclica Laudato Sí, artigo de Flávio José Rocha

    [EcoDebate] Muitos de nós raramente paramos para pensar, quando estamos bebendo um copo com água, que este liquido é essencial para nos manter vivos. Humanos podem morrer após três dias sem ingerir líquidos. A água é tão central para manter a vida no planeta que ela vem sendo a causa de guerras por milhares de anos entre sociedades que muito cedo aprenderam que a sua posse resulta em poder. Sede

Dia Mundial da Água: não há o que comemorar, por Flávio José Rocha da Silva

    [EcoDebate] Não há o que comemorar neste 22 de março de 2017 quando celebramos o Dia Mundial da Água. Com a privatização do nosso patrimônio hídrico a pleno vapor no Brasil, só nos resta uma pergunta: por que comemorar? Com a posse de 12% da água doce do planeta, o Brasil é a bola da vez para o mercado da água. Tudo, claro, justificado com eufemismos como modernização do setor hídrico,

A água brasileira corre para as multinacionais, artigo de Flávio José Rocha da Silva

A água brasileira corre para as multinacionais Flávio José Rocha da Silva1 [EcoDebate] A história do Brasil, não é novidade, foi forjada por uma sucessão de saques contra as nossas riquezas naturais. A lista é longa: pau-brasil, açúcar, ouro, diamantes, algodão, café, ferro, borracha, nióbio, sal, mogno, petróleo, etc. Como o que está ruim pode piorar, como diria um pessimista empedernido, eis que agora podemos acrescentar a água a esta lista. Antes

CODEMIG lança consulta pública para privatizar a água minerais, diga não!

    “Vocês estão sentados em cima de uma bela nascente de água e o mundo tem sede”, essa foi uma das frases que Maude Barlow, Presidente do Conselho dos Canadenses e conselheira da ONU disse em sua passagem por Cambuquira (MG) em 2014, para o Fórum das Águas. Na ocasião, Cambuquira recebeu o título de Cidade Azul, comprometendo-se em proteger as águas, como um direito humano e não um bem comercial. A

A Mercantilização da Água no Brasil, artigo de Flávio José Rocha da Silva

A Mercantilização da Água no Brasil Flávio José Rocha da Silva1 [EcoDebate] Recentemente o Presidente Michel Temer anunciou um programa de privatizações que inclui a Companhia Estadual de Águas e Esgotos - CEDAE – do Rio de Janeiro como uma das empresas a serem vendidas para a iniciativa privadas. É o início de um processo que vem sendo anunciado há algum tempo: a mercantilização da água através de sua privatização. Devemos nos

Entidades criticam lei que transfere parques de São Paulo à iniciativa privada

    Representantes de comunidades indígenas, quilombolas, caiçaras, defensores públicos, organizações não governamentais (ONGs) e deputados da oposição na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), como o PSOL e o PT, criticaram ontem (23), em audiência pública, o Projeto de Lei (PL) 249 de 2013, aprovado pela Casa no início de junho, e que agora aguarda sanção do governador do estado, Geraldo Alckmin. O PL autoriza o governo estadual a conceder

Especialistas pedem a rejeição de proposta que privatiza presídios brasileiros

notícia

    Agentes penitenciários, entidades de direitos humanos e juristas pediram ontem (7) a rejeição do projeto de lei do Senado (PLS 513/11) que estabelece normas para contratação de parceria público-privada para construção e administração de estabelecimentos penais. Na avaliação dos críticos da proposta, de autoria do senador Vicentinho Alves (PR-TO), o texto é inconstitucional e, na prática, privatiza o sistema prisional brasileiro. O tema, que é o primeiro item da pauta da Comissão

DF: Estádio Mané Garrincha dá prejuízo e pode ser privatizado

    Foto: GDF O Governo Rollemberg espera o fim da auditoria para definir se irá privatizar o estádio ou não o Estádio Nacional Mané Garrincha. O Estádio é uma das três arenas construídas para a Copa do Mundo de 2014 que apresentam prejuízo desde o final do Mundial. Os outros são a Arena da Amazônia, em Manaus, e a Arena Pantanal, em Cuiabá. De acordo com levantamento feito pela BBC Brasil, eles já geraram, juntos,

A coisa pública, artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] “Eu não te chamo de meu bem porque senão vem o governo e me toma”, dizia o Barão de Itararé. Seu senso de humor é a metáfora perfeita para a confusão entre o que é público e privado, historicamente, no nosso país. E esse assunto se torna mais agudo quando passa a se propagar, na mídia, o mito da inevitável incapacidade para gerir a coisa pública, se exaltando em

Top