Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade divulga carta final com foco na preservação

  ABr   Participantes do 2º Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade, que se reuniram nesta quinta (11) e sexta-feira (12) em Brasília, encerraram o encontro com a divulgação da Carta Águas pela Paz. O documento pede o fortalecimento de políticas de preservação dos ecossistemas, com foco na água. “Propomos que as ações humanas, individuais ou coletivas, nas esferas privadas ou públicas, da sociedade civil ou governamental, sejam norteadas pelos seguintes princípios: […] Fortalecer as

Água deve ser entendida como um bem comum, defendem participantes do seminário Águas pela Paz

    Em meio à crise ambiental que o mundo vivencia, representantes de instituições públicas, academia e organizações da sociedade civil reuniram-se para discutir a sustentabilidade na relação com a água do planeta e reivindicar uma nova compreensão da sociedade acerca da água. No Águas pela Paz – II Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade, realizado nesta quinta-feira (11), em Brasília, foi feita a defesa de que a água deve ser reconhecida como

Raquel Dodge defende que a legislação inclua o acesso à água como direito humano

    A presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e procuradora-geral da República, Raquel Dodge, defendeu que as leis devem estabelecer a água como direito humano. "O direito regulamenta muitos aspectos da relação entre a pessoa humana e a água, pois garante o curso natural, protege-a da poluição, regula o preço da água, disciplina condições de consumo e de portabilidade, mas ainda não afirma a água como direito humano, embora

Pesquisador da Fiocruz Pernambuco fala sobre o protesto em Correntina (BA) contra o uso indiscriminado de água para irrigação

  Entrevista: André Monteiro ‘Fundamentalmente, foi a omissão do Estado que levou a isso’   No dia seguinte ao feriado de Finados, em 2 de novembro, vários jornais denunciaram a "invasão" de pessoas nas Fazendas Igarashi e Curitiba, no distrito de Rosário, município de Correntina (BA), mostrando máquinas, instalações e pivôs – equipamentos que tiram a água dos mananciais – quebrados e incendiados. O que não foi evidenciando, no entanto, é que milhares de

O que levou 10 mil pessoas às ruas de Correntina (BA)?

    Texto e vídeo por André Monteiro, da Fiocruz / Recife. Insurgência, é um filme que proporciona um mergulho de 5 minutos na manifestação do dia 11 de novembro de 2017 contra a omissão do poder público diante da exploração de água pelo agronegócio no oeste baiano. Em meio às palavras de ordem e cartazes em defesa do Rio e das águas, uma grito transborda: "não somos terroristas". Uma reação à forma como

Cuidado da água no contexto da globalização – Mercantilização ou Republicanização? por Leonardo Boff

  Por Leonardo Boff*, da comissão da Carta da Terra Nenhuma questão hoje é mais importante do que a da água. Dela depende a sobrevivência de toda a cadeia da vida e, consequentemente, de nosso próprio futuro. Ela pode ser motivo de guerra como de solidariedade social e cooperação entre os povos. Mais ainda, como querem fortes grupos humanistas, ao redor da água poder-se-á e seguramente dever-se-á criar o novo pacto social

Água põe fogo no campo, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Aproximadamente mil pessoas entraram nas fazendas Igarashi e Curitiba em Correntina, Bahia, quebraram os pivôs centrais de irrigação das empresas e derrubaram as instalações elétricas. Bastou para que a mídia falasse em vândalos, invasores, e a senadora Ana Amélia chegou a falar em exército de Lula no Senado, referindo-se ao MST. Quanta estupidez na boca de uma só senadora! O MST não estava lá e nem precisava, porque a reação foi

Injustiça hídrica e clamor por água, artigo de frei Gilvander Moreira

Injustiça hídrica e clamor por água Por frei Gilvander Moreira[1] [EcoDebate] Precedida por doze pré-romarias, em doze cidades do noroeste, norte e centro-oeste de Minas, com a participação de seis mil pessoas, a 20ª Romaria das Águas e da Terra de Minas Gerais teve sua celebração final em Unaí, no noroeste de Minas, na Diocese de Paracatu, dia 23 de julho de 2017, com o tema: “Povos da Cidade e do Sertão

Água, poder e política, artigo de Flávio José Rocha da Silva

Água, poder e política Flávio José Rocha da Silva1 [EcoDebate] Desde muito cedo na história da humanidade, como nós a conhecemos por relatos historiográficos, a posse da água foi importante para manter a hegemonia de alguns agrupamentos humanos, principalmente onde ela não jorrava com abundância. A posse dos mananciais de água doce era também a posse do seu entorno e uma arma poderosa para dominar a terra e o rio (territó-rio) na

Fórum Alternativo Mundial da Água, o Fama, pretende ser um contraponto a evento dominado por empresas transnacionais

  Uma alternativa para o debate da água - Fórum Alternativo Mundial da Água foi lançado em encontro que reuniu 3,5 mil atingidos por barragens no Rio de Janeiro Por Maíra Mathias - EPSJV/Fiocruz "Água e energia com soberania, distribuição da riqueza e controle popular". No embalo do lema cantado por um auditório lotado de pessoas atingidas por barragens foi lançado ontem (05) no Rio de Janeiro o Fórum Alternativo Mundial da Água

Água, o grande desafio, artigo de Amyra El Khalili

Água, o grande desafio Geopolítica da Água: Água para a Guerra – Água para a Paz "Quando lidamos com o meio ambiente não podemos tratar deste direito fundamental como se fosse um produto empresarial, uma mercadoria, quando contratos e regras são determinados a portas fechadas em reuniões entre pares. Pelo contrário, devem acontecer com o coletivo da sociedade" Amyra El Khalili O Fórum Internacional de Gestão Ambiental (FIGA 2010) – Água, o Grande Desafio,

O direito à água, artigo de Flávio José Rocha da Silva

  [EcoDebate] Por que falar de direito à água? Porque cada vez mais este direito pode ser ameaçado por novas circunstâncias políticas e econômicas na sociedade brasileira. Este tópico é muito recente como reflexão e discussão no Brasil e no mundo. Basta dizer que ele nem consta da Declaração Universal dos Direitos Humanos2. Avalio que a sua ausência neste documento que nasceu depois das atrocidades da Segunda Guerra Mundial se deve

Top