#Saúdeambiental – Até quando políticos não priorizarão solução para esgoto em agenda da gestão pública? artigo de Sucena Shkrada Resk

    Falar sobre a situação do esgotamento sanitário no Brasil é um assunto “espinhoso”, imprescindível, mas que raramente faz parte da pauta de campanhas políticas nacionais, estaduais e municipais e de programas de gestão pública de boa parte de municípios deste Brasil de proporções continentais. A constatação se dá pelos fatos: estamos em 2018 e 45% da população brasileira ou 93,6 milhões de pessoas não têm acesso a tratamento de esgoto

Comitê Rio do Fórum Alternativo Mundial da Água organiza seminário sobre o ataque ao marco regulatório do saneamento

  Evento no dia 2 de dezembro, no centro do Rio, debaterá as mudanças na legislação que colocam em risco o direito à água e ao saneamento no país A Assembleia Popular da Água do Rio de Janeiro e o Fórum Alternativo Mundial da Água - FAMA-Rio realizam no próximo dia 2 de dezembro o Seminário Água é direito, não mercadoria: contra o ataque ao marco regulatório do saneamento. O objetivo é

Edulcorantes artificiais nas águas subterrâneas são indicadores da contaminação por sistemas sépticos

  University of Waterloo* A presença de adoçantes artificiais nas águas subterrâneas rurais mostra evidências de contaminação por águas residuais locais do sistema séptico, disseram pesquisadores da Universidade de Waterloo.     O estudo, publicado no Journal of Environmental Quality , descreve como os pesquisadores testaram poços de águas subterrâneas privadas e rurais na Bacia do rio Nottawasaga, para quatro adoçantes artificiais, como forma de detectar a água subterrânea impactada pelas águas residuais humanas sendo

Apenas 30% dos municípios brasileiros cumprem lei e realizam plano de saneamento básico

  Dez anos após promulgação do Marco Regulatório do Saneamento, dados mostram que quase metade dos brasileiros não tem acesso à coleta de esgoto Por Tácido Rodrigues No Brasil, o acesso aos serviços de saneamento básico ainda é um enorme desafio a ser enfrentado. Dados de 2015 publicados no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) mostram que cerca de 34 milhões de brasileiros não possuem acesso à água potável, mais de

Análise crítica e recomendações para o saneamento básico da Vila Itaitu em Jacobina, BA, por Carlos Victor Rios da Silva Filho

  [EcoDebate] O despejo de esgoto sem tratamento nos rios, lagos e mares está afetando a qualidade das águas brasileiras e têm se tornado um problema ambiental, social e de saúde pública. E não tem sido diferente em Jacobina, tão pouco na Vila de Itaitu, distrito de Jacobina- BA. Nesta Vila, o sistema de abastecimento de água para a população local é rudimentar e se dá por meio das águas das

Algas unicelulares do gênero Chlorella são usadas para despoluir esgoto e produzir adubo

  Por Reinaldo José Lopes | Agência FAPESP     Uma parceria entre pesquisadores brasileiros e holandeses está mostrando que é possível transformar a chamada água negra – fração mais “pesada” do esgoto doméstico, composta basicamente por uma mistura pouco diluída de fezes e urina que vem do vaso sanitário – em uma espécie de fazenda de algas. Ao crescer com a ajuda dos nutrientes desse efluente, as algas unicelulares do gênero Chlorella ajudam a

Atlas Esgotos revela mais de 110 mil km de rios com comprometimento da qualidade da água por carga orgânica

  ANA Apenas 39% da carga orgânica é removida das mais de nove mil toneladas de esgotos gerados diariamente no Brasil, índice muito abaixo dos 60% de remoção mínima fixados pelo Conama. País tem 3.738 municípios sem estação de tratamento de esgotos e precisa investir R$ 149,5 bilhões até 2035 para universalizar serviços e aumentar a segurança hídrica das cidades em termos de qualidade da água. O lançamento de esgotos nos corpos hídricos

No Brasil, 45% da população ainda não têm acesso a serviço adequado de esgoto sanitário

ABr No Brasil, 45% da população ainda não têm acesso a serviço adequado de esgoto. O dado consta no Atlas Esgotos: Despoluição de Bacias Hidrográficas divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA) e pelo Ministério das Cidades. O estudo traz informações sobre os serviços de esgotamento sanitário no país, com foco na proteção dos recursos hídricos, no uso sustentável para diluição de efluentes e na melhor estratégia para universalização desses serviços.     O Plano

O triste legado Olímpico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] A realização da Copa do Mundo, das Olimpíadas e das Paraolimpíadas no Brasil foram vendidas como um sinal de prosperidade e de grandeza de um Brasil, potência emergente, que iria ensinar ao resto do mundo como fazer enormes megaeventos cheios de alegria e desconcentração, próprias de uma sociedade morena, tropical, cordial e em ascensão. Mas a realidade é bem diferente e qualquer pessoa minimamente informada sabe que esses megaeventos são

Denúncia: Governo do Paraná abre precedente para rios sadios virarem esgoto

  Denúncia enviada por 350.org Brasil e América Latina Resolução aprovada pelo Conselho Estadual de Recursos Hídricos rebaixa meta de enquadramento das águas para classe 4, a pior em termos de qualidade, até 2040 O Conselho Estadual de Recursos Hídricos do Paraná (CERH) aprovou nesta quarta-feira (19), em Curitiba, uma resolução que rebaixa a meta atual de classificação dos rios paranaenses de classe 2 para classe 4 até o ano de 2040. Esta

Geração de energia elétrica por biogás é alternativa para resíduos do esgoto

  ABr   O lodo resultante do esgoto em Curitiba está prestes a ser transformado em energia elétrica, para abastecer a própria estação de tratamento de água da capital paranaense. O processo de conversão de matéria orgânica em gases que podem gerar energia é antigo, mas o aproveitamento do lodo em grande quantidade é uma novidade. Restos de alimentos, resíduos da pecuária e da agricultura e até dejetos são matéria orgânica que podem virar

Investimentos dos países em saneamento não estão sendo suficientes, alerta relatório da OMS

  ONU De acordo com relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em nome da ONU Água, os países aumentaram seus orçamentos para água, saneamento e higiene a uma taxa média anual de 4,9% nos últimos três anos. Contudo, 80% deles admitem que o financiamento para o setor ainda é insuficiente para cumprir os objetivos definidos nacionalmente para esses serviços. Os países não estão aumentando os gastos com rapidez suficiente para atender

Top