Negócios do vento: nova fronteira de desmatamento do semiárido

  Negócios do vento: nova fronteira de desmatamento do semiárido, artigo de Heitor Scalambrini Costa O que tem chamado atenção nos últimos 10 anos, é o aumento da contribuição ao desmatamento, pelos “negócios do vento” (e se inicia também nesta trágica trajetória, as mega usinas solares fotovoltaicas) O Brasil é o segundo país com a maior cobertura vegetal do mundo (o primeiro é a Rússia), e está entre os cinco países que mais

Mata Atlântica é mais desmatada em anos eleitorais

  Mata Atlântica é mais desmatada em anos eleitorais A floresta removida pelo desmatamento motivado por eleições é antiga, estabelecida e floresta primária, cujos pequenos remanescentes podem ser cruciais para a conservação da biodiversidade dentro desse bioma Estudo publicado na revista Conservation Letters mostra que o desmatamento na Mata Atlântica cresce em anos de eleição. Os autores avaliaram 2253 municípios do bioma por meio dos mapas anuais de cobertura e uso da terra

Área florestal global per capita diminuiu mais de 60%

  Área florestal global per capita diminuiu mais de 60% Nos últimos 60 anos, a área florestal global diminuiu em 81,7 milhões de hectares, uma perda que contribuiu para o declínio de mais de 60% na área florestal global per capita. Essa perda ameaça o futuro da biodiversidade e afeta a vida de 1,6 bilhão de pessoas em todo o mundo, de acordo com um novo estudo publicado pela IOP Publishing, na revista

Desmatamento – DETER confirma o pior 1° semestre da série histórica na Amazônia

  Desmatamento - DETER confirma o pior 1° semestre da série histórica na Amazônia Somente em junho foram 1120 Km2 com alertas de desmatamento na Amazônia. No acumulado de 2022, a área com alertas já é 10,6 % superior a do mesmo período de 2021 Dados do sistema Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados hoje para o mês de junho mostram uma área destruída de 1.120 Km2, um recorde na série

Número de queimadas aumenta no Cerrado e na Amazônia

  Número de queimadas aumenta no Cerrado e na Amazônia Cerrado teve mais de 10 mil focos entre janeiro e junho, pior marca para o período desde 2010, com aumento de 13% em comparação a 2021; aumento na Amazônia foi de 17% Nos seis primeiros meses de 2022, o número de queimadas aumentou 13% no Cerrado e 17% na Amazônia, em comparação ao mesmo período no ano passado, de acordo com o Programa

Desmatamento afeta a saúde e o bem-estar da população em geral

  Desmatamento afeta a saúde e o bem-estar da população em geral O desmatamento, as queimadas, a poluição do ar, a alteração das temperaturas e as novas doenças decorrentes de modificações de ecossistemas têm afetado a saúde e o bem-estar da população em geral. “O que as florestas e o desmatamento têm a ver com nossa saúde” é o tema da nota técnica que o WWF-Brasil, que mostra essa íntima relação. O documento aponta

Desmatamento continua avançando sobre as florestas públicas da Amazônia

  Desmatamento continua avançando sobre as florestas públicas da Amazônia Apesar da desaceleração em maio, no acumulado do ano, houve elevação de quase 13% na área sob alerta de desmatamento na Amazônia Dados do sistema Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) evidenciam uma redução na área sob alerta de desmatamento na Amazônia em maio de 2022. Entretanto, apesar da pontual redução de 35,2% em comparação com o mesmo mês do ano passado,

Desmatadores são cobrados na justiça por R$ 247 mi de dano climático

  Desmatadores são cobrados na justiça por R$ 247 mi de dano climático Observatório do Clima se uniu à Advocacia-Geral da União contra réus processados pelo Ibama por desmatar 14 mil hectares da Amazônia. O Observatório do Clima (OC) protocolou em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, três manifestações em cortes do Pará e do Amazonas, cobrando R$ 247,3 milhões de grandes desmatadores da Amazônia pelo dano causado ao clima

O mundo precisa de seis mil árvores para cada ser humano

  O mundo precisa de seis mil árvores para cada ser humano, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Reverter o desmatamento, plantar árvores e restaurar a vida selvagem é não só um dever ético, mas também uma tábua de salvação para a própria humanidade “A floresta precede os povos. E o deserto os segue” François-René Chateaubriand (1768-1848) O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado todo 05 de junho, foi estabelecido pela Assembleia Geral das Nações

Terras indígenas funcionam como salvaguarda ao desmatamento

  Terras indígenas funcionam como salvaguarda ao desmatamento Fatos sobre o papel das terras indígenas na proteção das florestas 1. As terras indígenas ocupam 13,9% do território brasileiro e contêm 109,7 milhões de hectares de vegetação nativa, que correspondem a 19,5% da vegetação nativa no Brasil em 2020.   2. A perda geral de vegetação nativa no Brasil nos últimos 30 anos foi de 69 milhões de hectares. Dentre as categorias fundiárias, as TIs estão

Um terço das áreas em regeneração da Mata Atlântica são desmatadas novamente

  Um terço das áreas em regeneração da Mata Atlântica são desmatadas novamente Mata Atlântica - um terço das áreas em regeneração do bioma são cortadas novamente, sendo que a maioria desses cortes ocorre apenas entre o quarto e o oitavo ano de crescimento. Cortes ocorrem nos estágios iniciais da regeneração, mostra pesquisa, que associou dados dos últimos 34 anos a características ambientais e socioeconômicas das áreas ocupadas pelo bioma Por Bianca Camatta /

94% das terras indígenas da Amazônia sofreram pressões externas entre 2016 e 2020

  94% das terras indígenas da Amazônia sofreram pressões externas entre 2016 e 2020 Desmatamento, degradação florestal, garimpos, focos de calor ou a existência e construção de estradas são alguns dos fatores que pressionaram essas regiões A análise, que considerou fatores como degradação florestal, garimpos, focos de calor e existência de estradas, mostra que 26 territórios indígenas (7% da Amazônia) apresentaram taxas de desmatamento maiores que a média regional Dos 115 milhões de hectares

Como os apoiadores de Bolsonaro desprezam dados de satélite

  Como os apoiadores de Bolsonaro desprezam dados de satélite Os dados de satélite têm desempenhado um papel importante nos esforços para monitorar a taxa de desmatamento na Bacia Amazônica por décadas. Mas a forma como esses dados são usados mudou sob o governo do presidente Jair Bolsonaro. Seus defensores estão questionando a validade das descobertas científicas como meio de propagar uma visão de mundo que coloca os lucros em primeiro lugar. Institute for

Incêndios florestais causaram um terço da perda global de florestas entre 2001 e 2019

  Incêndios florestais causaram um terço da perda global de florestas entre 2001 e 2019 A área de perda florestal relacionada a incêndios está aumentando globalmente, particularmente nas florestas tropicais primárias da África e da América Latina Frontiers in Remote Sensing* Pesquisadores produziram o primeiro mapa global com resolução de 30 m (30 metros de pixel) da perda florestal induzida pelo fogo. O estudo mostra que um terço da perda global de florestas entre

Análise mostra quem está destruindo as unidades de conservação da Amazônia

    Análise mostra quem está destruindo as unidades de conservação da Amazônia Levantamento inédito lista políticos regionais, empresas e desmatadores. Em 13 anos, foram mais de 9 mil multas que totalizam mais de R$ 3 bilhões Por Ciro Barros, Rafael Oliveira, Agência Pública A rodovia BR-163 corta o Brasil do Sul ao Norte, começando na gaúcha Tenente Portela e indo até Santarém, no Pará, com um trecho complementar chegando a Oriximiná, no mesmo

Desmatamento na Amazônia – Deter/INPE registra o pior fevereiro da série histórica

  Desmatamento na Amazônia - Deter/INPE registra o pior fevereiro da série histórica Dados do sistema Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados hoje, reafirmam que o desmatamento na maior floresta tropical do planeta segue fora de controle. Entre os dias 1º e 28 de fevereiro, os alertas apontam para um total de 199 km² desmatados. Isso representa um aumento de 62% em relação ao mesmo mês de 2021. É a maior

Desmatamento reduz a diversidade de peixes em riachos na Amazônia

Espécies mais sensíveis à mudança no hábitat estão aos poucos sendo substituídas por outras mais resistentes, indica estudo da Unesp. Fenômeno acarreta a perda das funções ecológicas desempenhadas pelos animais que desaparecem (peixe da espécie Denticetopsis epa, ou bagrinho; foto: Gabriel L. Brejão) Desmatamento reduz a diversidade de peixes em riachos na Amazônia André Julião | Agência FAPESP A substituição de floresta por pastagens e lavouras está afetando diretamente os peixes da Amazônia.

Floresta amazônica já perde capacidade de recuperação

  Floresta amazônica já perde capacidade de recuperação Para cerca de três quartos da floresta, a capacidade de se recuperar de perturbações vem diminuindo desde o início dos anos 2000 A floresta amazônica provavelmente está perdendo resiliência, sugere a análise de dados de imagens de satélite de alta resolução. Isso se deve ao estresse de uma combinação de extração de madeira e queimadas – a influência da mudança climática causada pelo homem não

O Brasil cumprirá as exigências ambientais para entrar na OCDE?

  O Brasil cumprirá as exigências ambientais para entrar na OCDE? artigo de Douglas de Castro Enquanto a floresta desaparece, sonhamos com a OCDE No dia 31 de janeiro de 2022, o Brasil recebeu a carta-convite para iniciar o processo de entrada como membro na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A notícia do recebimento deixou o mercado eufórico e os políticos em Brasília sonhando em como capitalizar em ano de eleição. Para

Relatório aponta que mineradoras e investidores internacionais são cúmplices da destruição da Amazônia

  Árvore isolada em queimada na Amazônia. Foto tirada em setembro de 2019 em sobrevoo no Sul do Pará. Queimadas, desmatamento, Amazônia. Foto: Araquém Alcântara/WWF-Brasil Relatório aponta que mineradoras e investidores internacionais são cúmplices da destruição da Amazônia Mineradoras Belo Sun e Potássio do Brasil, operadas pelo banco canadense Forbes & Manhattan, são citadas em novo relatório da Apib e Amazon Watch Por Caio de Freitas Paes, Thiago Domenici, Agência Pública A quarta edição do

Top