MT: Em plena pandemia, madeireiros invadem Terra Indígena Urubu Branco

  É urgente a desintrusão e proteção do território, para evitar contaminação e garantir os direitos do povo Apyãwa, aponta o Cimi Regional Mato Grosso Madeira apreendida em operação da Polícia Civil na TI Urubu Branco, em maio de 2020. Foto: povo Tapirapé Enquanto membros do governo federal sinalizam em reunião que querem aproveitar o momento da pandemia para deixar passar “a boiada” da desregulamentação, fragilizando ainda mais os órgãos que deveriam agir

Continuam tirando o verde da nossa terra, artigo de Márcia Brandão Leão

  [EcoDebate] Em 1987, Roberto Duailibi, da agência DPZ criou a campanha "Estão tirando o verde da nossa terra". A imagem da bandeira brasileira perdendo o verde ao som do hino nacional foi a maior ação de comunicação voltada para o meio ambiente já feita no Brasil e acabou se transformando no logotipo da Fundação SOS Mata Atlântica. A Mata Atlântica é um tipo de floresta tropical que se estende pela costa

Entre 2018-2019 desmatamento na Mata Atlântica cresce quase 30%

  A boa notícia é que Alagoas e Rio Grande do Norte conseguiram zerar desflorestamento; outros sete estados estão próximos de zero Após dois períodos consecutivos de queda, aumentou o desmatamento na Mata Atlântica. Foram desflorestados entre 2018-2019 um total de 14.502 hectares – um crescimento de 27,2% comparado com o período anterior (2017-2018), que foi de 11.399 hectares. As informações são do Atlas da Mata Atlântica, iniciativa da Fundação SOS Mata

Área desmatada no Brasil em 2019 equivale a oito cidades de São Paulo

  Relatório inédito do MapBiomas consolida dados de desmatamento em todos os biomas brasileiros e aponta perda de ao menos 1,2 milhão de hectares de vegetação nativa.   Por Solange A. Barreira O primeiro Relatório Anual do Desmatamento no Brasil, lançado ontem (26/05), mostra, de forma inédita, a perda de vegetação nativa detectada em todos os biomas do país em 2019. Pela primeira vez, alertas de desmatamento do território nacional foram analisados e consolidados

Com 10 milhões de hectares perdidos todos os anos, proteção de florestas é fundamental para salvar biodiversidade

  ONU News Novo relatório destaca importância desses ecossistemas para proteger espécies do planeta; mico-leão-de-cara-dourada, no Brasil, é um dos exemplos do risco de extinção; cerca de 420 milhões de hectares foram destruídos desde 1990, mas taxa de desmatamento anual diminuiu. É preciso tomar ação urgente para se proteger a biodiversidade das florestas devido a taxas alarmantes de desmatamento e degradação, segundo a última edição do relatório Estado das Florestas do Mundo. Publicada no Dia

Brasil contraria tendência global e pode ter alta em emissões na pandemia

  Análise do Observatório do Clima indica que carbono emitido por desmatamento pode subir até 50% em relação a 2018, compensando queda em energia Por Solange A. Barreira A recessão global gerada pela Covid-19 deve causar uma redução nas emissões de gases de efeito estufa da ordem de 6% em 2020. Mas um país foge a essa escrita: análise do Observatório do Clima lançada nesta quinta-feira (21) indica que as emissões do Brasil

Abril registra recorde de desmatamento na Amazônia nos últimos dez anos, mostra sistema de monitoramento do Imazon

  O desmatamento na Amazônia atingiu 529 km² em abril deste ano, um aumento de 171% em comparação com abril do ano passado. Por Stefânia Costa O total desmatado em abril é o maior dos últimos dez anos. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon. A área desflorestada em abril é aproximadamente do tamanho da cidade de Porto Alegre. Responsável por 32% da área total desflorestada em abril,

Desmatamento e grilagem ameaçam indígenas isolados na TI Ituna-Itatá em meio a pandemia

  Ituna-Itatá: uma terra indígena da Amazônia tomada por ganância e destruição Na agenda antiambiental do governo federal, terras indígenas viram recompensa a criminosos que invadem a floresta Sobrevoo realizado na Terra Indígena Ituna-Itatá em setembro de 2019, na época de queimadas. © Fábio Nascimento / Greenpeace Enquanto uma parcela da sociedade fica em casa para se proteger da pandemia da Covid-19, muitas outras esforçam-se para resistir à própria sorte. Entre os grupos mais vulneráveis

Desmatamento em alta, grileiros à solta, crises políticas: queimadas na Amazônia podem ser piores que as de 2019

  IHU Ainda é muito cedo para um veredito, mas, até agora, as ameaças à Amazônia seguem inabaladas em plena pandemia de Covid-19. Enquanto o vírus se espalha e produz cenas dramáticas na região, grileiros avançam e o desmatamento não dá sinais de redução. Pelo contrário: disparou no primeiro trimestre de 2020. A reportagem é de Caio de Freitas Paes, publicada por Mongabay, 07-05-2020. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aponta que 796 km2 de floresta foram derrubados nos três primeiros meses do

Desmatamento em terras indígenas aumenta 59% durante a pandemia da Covid-19

  Governo ignora dados do Deter, elabora pacote de ações para regularizar invasões de terras públicas e pode colocar MP da Grilagem em votação no Congresso Por Karen Mota O desmatamento e a Covid-19 avançam sobre a floresta e os povos que vivem nela e dela com velocidade avassaladora e previsões catastróficas. Uma análise dos dados do sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), mostra que nos quatro primeiros meses de

Garimpeiros, grileiros e madeireiros não fazem quarentena e avançam sobre a floresta e povos indígenas

  Garimpeiros, grileiros e madeireiros não fazem quarentena e avançam sobre a floresta e povos indígenas. Entrevista especial com Dom Roque Paloschi Arcebispo de Porto Velho denuncia o desmonte dos serviços de saúde a povos originários, situação que se agrava com o aumento de ações ilegais que espalham morte, destruição e o novo coronavírus Por João Vitor Santos | IHU Enquanto o mundo se recolhe e segue as recomendações dos órgãos de saúde para

Derrubada criminosa da Mata Atlântica traz risco ao abastecimento de água em SP

  Levantamento indica que 1,2 milhão de árvores foram mortas apenas no Município de São Paulo nos últimos seis anos. Sem a cobertura vegetal nas áreas mais afastadas da Zona Sul, Leste e Norte da Cidade, nascentes são aterradas, cursos de água e córregos deixam de existir, o que compromete os mananciais de água que abastecem principalmente as Represas da Guarapiranga e Billings, responsáveis pelo fornecimento de água a grande parte

Desmatamento em terras públicas da Amazônia explode e pode alimentar estação de fogo

    Por Cristina Amorim O desmatamento de 2020, somado ao que foi derrubado em 2019 e não queimou, pode alimentar uma nova estação intensa de fogo na Amazônia, especialmente em terras públicas que estão sob a guarda da União e dos Estados. Só no primeiro trimestre deste ano, 50% do desmatamento registrado pelo sistema Deter, do INPE, aconteceu nessas áreas. O destaque fica por conta das florestas públicas ainda não destinadas, terras devolutas

70% da exploração madeireira no Pará é ilegal, de acordo com estudo do Imazon

    Intensificar fiscalizações em áreas protegidas e aperfeiçoar o processo de licenciamento e monitoramento dos planos de manejo florestal sustentáveis são caminhos para reverter esse cenário Por Stefânia Costa Um novo estudo publicado pelo Imazon atestou que 38 mil hectares de floresta foram explorados no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Desses, apenas 30% possuíam autorização para exploração, enquanto 70% eram irregulares. O Sistema de Monitoramento da Exploração Madeireira (SIMEX)

Destruição florestal na Amazônia segue níveis alarmantes em meio a pandemia

Intensificar ações de fiscalização e investir em pesquisa científica são caminhos necessários para mudar este cenário Por Karen Mota Em ritmo acelerado, o desmatamento na Amazônia segue ameaçando a biodiversidade e colocando em risco a maior floresta tropical do mundo, importante aliada contra o aquecimento global. Após subir 30% em 2019, os dados do DETER (Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real) apontam que a área com alertas de desmatamento

Desmatamento na Amazônia avança em março e registra recorde dos últimos dois anos, aponta Imazon

  De acordo com o sistema de monitoramento do Instituto, a floresta perdeu 254 km² de área verde. Amazonas é o estado responsável pela maior parte do desmatamento. Por Stefânia Costa O desmatamento na Amazônia cresceu 279% em março de 2020, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo o SAD, Sistema de Alerta de Desmatamento do Imazon, 254 km² de floresta foram derrubados no último mês. Esse é o número

Estudo revela viabilidade da expansão da soja em 18,5 milhões de hectares já desmatados no Cerrado

·         Número é mais do que o dobro dos 7,3 milhões de hectares necessários para garantir a demanda crescente por ,pelo menos, dez anos; ·         Instrumentos financeiros podem auxiliar no desenvolvimento de uma nova economia para a soja, atendendo à demanda do mercado por produtos mais sustentáveis Por Maria Paula Angelelli A organização ambiental The Nature Conservancy (TNC) mostra, em estudo, que é possível garantir o aumento de produção de soja no

De 2000 a 2018, Brasil perdeu 7,6% de suas florestas, informa o IBGE; No mesmo período, a área agrícola cresceu 44,8%

    Um levantamento publicado ontem (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que, de 2000 a 2018, o Brasil perdeu 7,6% de sua vegetação florestal. A área, que era de 4,02 milhões de quilômetros quadrados (km²) em 2000, passou a ser de 3,71 milhões de km² o que equivale a 42,4% do território. De 2016 a 2018, a perda foi 0,2%. A vegetação campestre, que inclui áreas de Cerrado,

Pará tem seis das dez áreas de proteção ambiental mais ameaçadas de desmatamento na Amazônia, revela Imazon

  Estudo que analisa índices de ameaça e pressão por desmatamento em Áreas Protegidas (AP) mostra ainda que a Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre, é a mais ameaçada. Por Stefânia Costa Um novo estudo divulgado pelo Imazon mostra quais são as Áreas de Proteção da Amazônia mais ameaçadas e pressionadas por desmatamento. O relatório analisa os dados do sistema de monitoramento do Instituto e cruza as informações com células de desmatamento para

Fragmentos menores de florestas tropicais desaparecem mais rapidamente que blocos florestais maiores

  Em um dos primeiros estudos a explicar explicitamente a fragmentação em florestas tropicais, os pesquisadores relatam que fragmentos menores de florestas antigas e áreas protegidas sofreram perdas maiores que fragmentos maiores, entre 2001 e 2018. Da American Association for the Advancement of Science ("AAAS")* Os resultados sugerem que as florestas tropicais provavelmente continuarão encolhendo se esforços em larga escala para proteger blocos de floresta natural não forem implementados rapidamente. Matthew Hansen et al.

Top