De 2000 a 2018, Brasil perdeu 7,6% de suas florestas, informa o IBGE; No mesmo período, a área agrícola cresceu 44,8%

    Um levantamento publicado ontem (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que, de 2000 a 2018, o Brasil perdeu 7,6% de sua vegetação florestal. A área, que era de 4,02 milhões de quilômetros quadrados (km²) em 2000, passou a ser de 3,71 milhões de km² o que equivale a 42,4% do território. De 2016 a 2018, a perda foi 0,2%. A vegetação campestre, que inclui áreas de Cerrado,

Pará tem seis das dez áreas de proteção ambiental mais ameaçadas de desmatamento na Amazônia, revela Imazon

  Estudo que analisa índices de ameaça e pressão por desmatamento em Áreas Protegidas (AP) mostra ainda que a Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre, é a mais ameaçada. Por Stefânia Costa Um novo estudo divulgado pelo Imazon mostra quais são as Áreas de Proteção da Amazônia mais ameaçadas e pressionadas por desmatamento. O relatório analisa os dados do sistema de monitoramento do Instituto e cruza as informações com células de desmatamento para

Fragmentos menores de florestas tropicais desaparecem mais rapidamente que blocos florestais maiores

  Em um dos primeiros estudos a explicar explicitamente a fragmentação em florestas tropicais, os pesquisadores relatam que fragmentos menores de florestas antigas e áreas protegidas sofreram perdas maiores que fragmentos maiores, entre 2001 e 2018. Da American Association for the Advancement of Science ("AAAS")* Os resultados sugerem que as florestas tropicais provavelmente continuarão encolhendo se esforços em larga escala para proteger blocos de floresta natural não forem implementados rapidamente. Matthew Hansen et al.

Janeiro registra aumento de 74% no desmatamento da Amazônia, mostra monitoramento do Imazon

  No primeiro mês de 2020, a floresta perdeu 188 km² de área verde. O Pará está pelo sétimo mês consecutivo no topo do ranking dos estados que mais desmatam a Amazônia. Por Stefânia Costa O ano de 2020 começa com notícias ruins para a floresta Amazônica. Somente no primeiro mês do ano, o desmatamento cresceu 74% em comparação a janeiro de 2019. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD)

Imazon avalia que medida provisória sobre terras na Amazônia pode aumentar o desmatamento de 11 a 16 mil km até 2027

Análise de pesquisadores do Imazon mostra ainda que a MP 910 pode estimular invasão de terras públicas na região Por Stefânia Costa Ainda no começo deste ano, o Congresso Nacional tem a tarefa de decidir sobre a Medida Provisória 910/2019, que visa mudar, novamente, a Lei de Regularização Fundiária, apenas dois anos após sua última modificação. Pesquisadores do Imazon divulgaram nota técnica mostrando que, na prática, a MP beneficiará casos recentes de grilagem,

Desmatamento na Amazônia cresce em 2019, apontam dados do Imazon

  Amazônia: Nos últimos meses do ano, as áreas de florestas derrubadas cresceram 67% em comparação com o mesmo período de 2018. Por Stefânia Costa Os índices de desmatamento na Amazônia cresceram nos últimos meses de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior. É o que mostram os dados do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon, instituição brasileira que faz o monitoramento das áreas de floresta. De

Pesquisa revela que desmate de fragmento da Mata Atlântica eleva temperatura local

  Elton Alisson | Agência FAPESP – Estudo feito por pesquisadores das universidades de São Paulo (USP) e Estadual de Campinas (Unicamp) revela que, se um fragmento de Mata Atlântica de aproximadamente um hectare tiver 25% de sua área desmatada, a temperatura local aumenta 1º C. Se todo o pequeno remanescente for desflorestado, portanto, o impacto na temperatura máxima local pode chegar a 4º C. Os dados foram divulgados na revista

Segundo dados do INPE, o desmatamento na Amazônia cresce 85% em 2019

IHU Segundo dados do Inpe, área desmatada chegou a 9.165,6 quilômetros quadrados no ano passado. Esse foi a maior devastação no bioma registrada nos últimos cinco anos. O artigo foi publicado por Deutsche Welle, 14-01-2020. O desmatamento na Amazônia cresceu 85,3% no ano passado em comparação com 2018, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (14/01) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Segundo o Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em

Ou as vacas de Bolsonaro na Amazônia, ou as uvas dos gaúchos no Sul, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  [EcoDebate] O governo Bolsonaro vai enviar projeto para liberar a pecuária, extrativismo mineral e cultivo de soja em territórios indígenas. O pretexto é sempre o desenvolvimento, geração de renda e emprego, essa trilogia mortal que é a permanente bandeira do mundo capitalista, inclusive o mais predador. Estudos comparativos já demonstram com absoluta solidez que a floresta amazônica em pé gera mais riqueza que as monoculturas empobrecedoras da população e da biodiversidade.

Desmatamento na Amazônia cresceu 23% em novembro de 2019, mostra Imazon

  Segundo o Imazon, a degradação florestal, destruição da floresta por queimadas ou retirada seletiva de madeira, saltou de 10 km², em novembro de 2018, para 471 km² no mesmo mês, em 2019. Por Stefânia Costa O Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon detectou, em novembro do ano passado, 354 km² de desmatamento na Amazônia. Esse número representa um aumento de 23%, em comparação com novembro de 2018. Pelo quinto mês

A área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado no ano de 2019 foi de 6.484 km²

INPE O Ministério da Ciência, Tecnologia,Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgam os dados de desmatamento no bioma Cerrado para o ano de 2019, que totalizou 6.484 km2, correspondente ao período de agosto de 2018 a julho de 2019. Esse valor é o menor valor anual para a série, desde o seu início em 2000, e representa uma redução de 2,26% em relação ao ano de

Mudanças climáticas e desmatamento podem dizimar o habitat das florestas tropicais de Madagascar até 2070

    The Graduate Center, CUNY* Um novo estudo da Nature Climate Change descobriu que, se não for verificado, os efeitos combinados do desmatamento e da mudança climática induzida pelo homem podem eliminar todo o habitat da floresta tropical oriental de Madagascar até 2070, afetando milhares de plantas, mamíferos, répteis e anfíbios endêmicos da nação insular. No entanto, os autores do estudo também descobriram que as áreas protegidas ajudarão a mitigar essa devastação,

Top