Janeiro registra aumento de 74% no desmatamento da Amazônia, mostra monitoramento do Imazon

  No primeiro mês de 2020, a floresta perdeu 188 km² de área verde. O Pará está pelo sétimo mês consecutivo no topo do ranking dos estados que mais desmatam a Amazônia. Por Stefânia Costa O ano de 2020 começa com notícias ruins para a floresta Amazônica. Somente no primeiro mês do ano, o desmatamento cresceu 74% em comparação a janeiro de 2019. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD)

Imazon avalia que medida provisória sobre terras na Amazônia pode aumentar o desmatamento de 11 a 16 mil km até 2027

Análise de pesquisadores do Imazon mostra ainda que a MP 910 pode estimular invasão de terras públicas na região Por Stefânia Costa Ainda no começo deste ano, o Congresso Nacional tem a tarefa de decidir sobre a Medida Provisória 910/2019, que visa mudar, novamente, a Lei de Regularização Fundiária, apenas dois anos após sua última modificação. Pesquisadores do Imazon divulgaram nota técnica mostrando que, na prática, a MP beneficiará casos recentes de grilagem,

Desmatamento na Amazônia cresce em 2019, apontam dados do Imazon

  Amazônia: Nos últimos meses do ano, as áreas de florestas derrubadas cresceram 67% em comparação com o mesmo período de 2018. Por Stefânia Costa Os índices de desmatamento na Amazônia cresceram nos últimos meses de 2019, em comparação com o mesmo período do ano anterior. É o que mostram os dados do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon, instituição brasileira que faz o monitoramento das áreas de floresta. De

Pesquisa revela que desmate de fragmento da Mata Atlântica eleva temperatura local

  Elton Alisson | Agência FAPESP – Estudo feito por pesquisadores das universidades de São Paulo (USP) e Estadual de Campinas (Unicamp) revela que, se um fragmento de Mata Atlântica de aproximadamente um hectare tiver 25% de sua área desmatada, a temperatura local aumenta 1º C. Se todo o pequeno remanescente for desflorestado, portanto, o impacto na temperatura máxima local pode chegar a 4º C. Os dados foram divulgados na revista

Segundo dados do INPE, o desmatamento na Amazônia cresce 85% em 2019

IHU Segundo dados do Inpe, área desmatada chegou a 9.165,6 quilômetros quadrados no ano passado. Esse foi a maior devastação no bioma registrada nos últimos cinco anos. O artigo foi publicado por Deutsche Welle, 14-01-2020. O desmatamento na Amazônia cresceu 85,3% no ano passado em comparação com 2018, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (14/01) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Segundo o Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em

Ou as vacas de Bolsonaro na Amazônia, ou as uvas dos gaúchos no Sul, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  [EcoDebate] O governo Bolsonaro vai enviar projeto para liberar a pecuária, extrativismo mineral e cultivo de soja em territórios indígenas. O pretexto é sempre o desenvolvimento, geração de renda e emprego, essa trilogia mortal que é a permanente bandeira do mundo capitalista, inclusive o mais predador. Estudos comparativos já demonstram com absoluta solidez que a floresta amazônica em pé gera mais riqueza que as monoculturas empobrecedoras da população e da biodiversidade.

Desmatamento na Amazônia cresceu 23% em novembro de 2019, mostra Imazon

  Segundo o Imazon, a degradação florestal, destruição da floresta por queimadas ou retirada seletiva de madeira, saltou de 10 km², em novembro de 2018, para 471 km² no mesmo mês, em 2019. Por Stefânia Costa O Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon detectou, em novembro do ano passado, 354 km² de desmatamento na Amazônia. Esse número representa um aumento de 23%, em comparação com novembro de 2018. Pelo quinto mês

A área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado no ano de 2019 foi de 6.484 km²

INPE O Ministério da Ciência, Tecnologia,Inovações e Comunicações (MCTIC) e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) divulgam os dados de desmatamento no bioma Cerrado para o ano de 2019, que totalizou 6.484 km2, correspondente ao período de agosto de 2018 a julho de 2019. Esse valor é o menor valor anual para a série, desde o seu início em 2000, e representa uma redução de 2,26% em relação ao ano de

Mudanças climáticas e desmatamento podem dizimar o habitat das florestas tropicais de Madagascar até 2070

    The Graduate Center, CUNY* Um novo estudo da Nature Climate Change descobriu que, se não for verificado, os efeitos combinados do desmatamento e da mudança climática induzida pelo homem podem eliminar todo o habitat da floresta tropical oriental de Madagascar até 2070, afetando milhares de plantas, mamíferos, répteis e anfíbios endêmicos da nação insular. No entanto, os autores do estudo também descobriram que as áreas protegidas ajudarão a mitigar essa devastação,

Na Amazônia do Acre, a devastação da pata do boi, pelos ‘cidadãos de bem’, artigo de Roberta Graf

[EcoDebate] Tem sido terrível conviver com as “pós-verdades” inventadas pelos governantes eleitos à base de mentiras (fakenews), hipnose coletiva e desconstrução da ciência “em nome de Deus”. No Acre, antes um espaço de predomínio da racionalidade conservacionista necessária ao bioma Amazônia, agora impera a pós-verdade irracional na maioria dos políticos “em nome de Deus”, que bradam isso o tempo todo, implicitamente de que área rural na Amazônia é para boi

Desmatamento e erosão exacerbam contaminação por mercúrio perto da mineração de ouro no Peru

    Duke University* Cientistas da Universidade Duke desenvolveram um modelo que pode prever a quantidade de mercúrio liberada em um ecossistema local pelo desmatamento e mineração de ouro em pequena escala. A pesquisa, publicada on-line em 11 de dezembro na revista Environmental Science and Technology, pode apontar maneiras de mitigar os piores efeitos do envenenamento por mercúrio em regiões como as que já estão experimentando níveis elevados de mercúrio causados pela mineração de

Desmatamento na Amazônia aumenta 212% em outubro deste ano, aponta Imazon

  Ainda segundo o Instituto, a degradação florestal, destruição da floresta por queimadas ou retirada seletiva de madeira, teve um crescimento de 394% em comparação com o mês de outubro do ano passado Por Stefânia Costa De acordo com o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon, no mês de outubro deste ano, houve um aumento de 212% de desmatamento na Amazônia, em comparação com o ano passado. Em 2018, foram perdidos

35% do desmatamento na Amazônia é grilagem, mostra análise realizada pelo IPAM

  Por Cristina Amorim Uma análise realizada pelo IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) mostrou que 35% do desmatamento ocorrido na Amazônia entre agosto de 2018 e julho de 2019 foi registrado em áreas não-designadas e sem informação. “Isso é grilagem de terras”, afirma o diretor- executivo do IPAM, André Guimarães. “Essas florestas são públicas, ou seja, é patrimônio de todos os brasileiros, que é dilapidado ilegalmente para ficar na mão de

Estimativa de desmatamento por corte raso para a Amazônia Legal em 2019 é de 9.762 km², quase 30% maior que 2018

  O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgou ontem (18/11) a estimativa da taxa de desmatamento para os nove estados da Amazônia Legal Brasileira. O valor estimado é de 9.762 km² para o período de agosto de 2018 a julho de 2019. Esse valor representa um aumento de 29,54% em relação a taxa de desmatamento apurada pelo PRODES 2018 que foi de 7.536 km². Esta taxa é fruto dos dados gerados

Alta no desmatamento da Amazônia em 2019 coroa desmonte ambiental de Bolsonaro e Salles

    Amazônia perdeu quase 10 mil quilômetros quadrados de floresta em 2019, na terceira maior elevação da taxa na história. Por Solange Barreira O desmatamento da Amazônia foi de 9.762 quilômetros quadrados em 2019, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) divulgados pelo governo federal nesta segunda-feira (18/11). É a maior taxa desde 2008 e a terceira maior alta percentual da devastação na história, perdendo apenas para 1995 (95%) e 1998

Amazônia: Substituição da floresta por pasto ou áreas de plantio tem provocado a redução do período de chuvas

    Desmatamento já reduz chuvas e pode afetar safra no sul da Amazônia IHU Estudo aponta que substituição em larga escala da floresta por pasto ou áreas de plantio tem provocado a redução do período de chuvas. Desmatamento indiscriminado pode colocar em risco prática de dupla safra na região. Somado ao efeito das mudanças climáticas e outros fatores de larga escala, o período de chuvas na região, que compreende Rondônia, sul do Amazonas, norte do Mato Grosso e sul do Pará, foi encurtado em 27 dias

Estudo revela aumento nos impactos de carbono devido a perdas de florestas tropicais intactas entre 2000 e 2013

  Wildlife Conservation Society, Global Conservation Program* LEIA O ESTUDO:  https://advances.sciencemag.org/content/5/10/eaax2546 Novos números revelam um aumento impressionante nos impactos de carbono - 626% a mais do que se pensava anteriormente - devido a perdas de floresta tropical intacta entre 2000 e 2013 O valor é equivalente a aproximadamente dois anos de emissões globais de mudanças no uso da terra O aumento dramático nos números vem do fatoramento da contabilidade total de carbono

Índices de ameaça e pressão de desmatamento em áreas protegidas na Amazônia aumentam 39% em um ano, mostra Imazon

  Relatório anual feito pelo Imazon mostra as áreas de proteção da Amazônia que mais sofrem ameaça e pressão de desmatamento. Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre, está entre no topo do ranking Por Stefânia Costa De agosto de 2018 a julho deste ano, o Sistema de Alerta de Desmatamento do Imazon detectou um total de 5.054 km² de desmatamento na Amazônia Legal. Um novo estudo divulgado pelo instituto, que cruza esses dados

Desmatamento e degradação aumentam na Amazônia em setembro deste ano, aponta monitoramento do Imazon

  Desmatamento teve um crescimento de 80% e a degradação aumentou 787% na Amazônia Legal, em comparação a setembro de 2018. Pará lidera o ranking dos estados que mais desmataram Por Stefânia Costa     De acordo com o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, Imazon, em setembro deste ano, a Amazônia perdeu 802 km² de floresta. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), sistema de monitoramento liderado por pesquisadores

Impacto da perda de florestas tropicais intactas é devastador para o clima

    University of Queensland* O estudo internacional revelou entre 2000 e 2013 que a derrubada de florestas tropicais intactas resultou na emissão de um nível muito maior de carbono na atmosfera do que se pensava - resultando em um aumento de 626% no impacto calculado sobre o clima. O cientista de conservação da UQ, Dr. Sean Maxwell, disse que essa diferença equivalia a dois anos de emissões globais de mudanças no uso da

Top