Água mais quente e exposição química influenciam a expressão gênica entre gerações em um peixe costeiro

  Temperaturas de água mais quentes, combinadas com baixa exposição a produtos químicos que já são prejudiciais à vida aquática, influenciam a expressão de genes na prole de uma abundante espécie de peixe norte-americana - e ameaçam organismos cuja determinação sexual é sensível à temperatura da água. A descoberta foi publicada na revista online PeerJ. Por Chris Branam* Oregon State University Pesquisas anteriores já relatadas mostraram que essas mesmas exposições a compostos desreguladores endócrinos (CDEs)

Os oceanos apelam todos os dias: #plásticosnão, artigo de Sucena Shkrada Resk

    A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais próximo do real descrito em estudo da fundação da navegadora Ellen MacArthur e da consultoria McKinsey, se o modelo de desenvolvimento e comportamento das sociedades no planeta permanecer do jeito que está.

Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) traz esperança e desafios para os ecossistemas marinhos mundiais, artigo de Hudson Pinheiro

  A redução da perda da biodiversidade e a promoção do uso sustentável de recursos naturais é um compromisso global assumido por 140 nações signatárias da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB).     [EcoDebate] O tratado internacional tem relação com o 14º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que visa a adoção de medidas para preservar e usar de forma sustentável oceanos, mares e recursos marinhos até 2020. Contudo, diante da atual crise da biodiversidade,

Lixo jogado nas praias gera impactos ambientais, econômicos e prejuízo aos banhistas

  Lixo jogado nas praias: Além de deixar a água imprópria para o banho, poluição na areia e nos oceanos causa a morte de animais marinhos     As festas de fim de ano e as férias levam às praias um grande número de turistas que nem sempre descartam o lixo em local adequado. Segundo um levantamento do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO-USP), todos os anos, cerca de 190 mil toneladas

Pesca fantasma: Equipamentos de pesca abandonados ou perdidos ameaçam quase 70 mil animais marinhos por dia no Brasil

  No Brasil, a pesca fantasma – caracterizada pela perda ou descarte nos mares de equipamentos de pesca, como redes, linhas e armações – ocorre em 70% da costa brasileira (12 dos 17 estados costeiros). ABr De acordo com o relatório “Maré Fantasma – Situação atual, desafios e soluções para a pesca fantasma no Brasil”, estima-se que até 69 mil animais marinhos sofram os impactos dessa pesca por dia, que incluem prejuízos ao

Plano nacional para combater a poluição plástica no mar lança consulta pública com questionário online

  A poluição plástica é um problema grave no Brasil? Você ou a sua organização tem boas ideias para minimizar o lixo que invade nossos oceanos? O Ministério do Meio Ambiente quer saber essas e outras opiniões do público sobre o tema, para fundamentar a construção do Plano de Ação Nacional para o Combate ao Lixo no Mar. Para isso, lançaram um questionário online para entender o que os diversos setores da

Mudanças Climáticas: Recifes de coral no mundo enfrentam ‘futuro extremamente sombrio’

  Mudanças climáticas - Reunião no Egito pede ações urgentes para travar o problema; situação pode persistir mesmo com níveis de aquecimento global em 1,5º Celsius acima dos níveis pré-industriais, até 90% dos recifes de coral serão perdidos nas próximas décadas. ONU News Reunião no Egito pede ações urgentes para travar o problema; situação pode persistir mesmo com níveis de aquecimento global em 1,5º Celsius acima dos níveis pré-industriais, até 90% dos recifes

Acidificação dos oceanos, hoje e no futuro, por Caitlyn Kennedy

  Cerca de metade de todo o dióxido de carbono produzido por seres humanos desde a Revolução Industrial se dissolveu nos oceanos do mundo. Essa absorção retarda o aquecimento global, mas também reduz o pH do oceano, tornando-o mais ácido. Águas mais ácidas podem corroer os minerais que muitas criaturas marinhas dependem para construir suas conchas e esqueletos protetores.     Quão severamente a vida marinha será afetada depende de quanto e de quanto

O que está acontecendo com nossos mares?

  Em 2011, as temperaturas submersas subiram dois graus Celsius nas águas do oeste australiano - e assim permaneceram, bem acima do normal, por surpreendentes 10 semanas. Essa onda de calor punitiva mudou o ecossistema para sempre. Voltando cinco anos depois , os cientistas descobriram que 100 quilômetros de florestas de algas tinham sido destruídas - substituídas por peixes tropicais, subtropicais, algas e corais. Eles não esperam que as algas retornem. AMEAÇA PROFUNDA Agora está claro:

Especialistas estimam que acidificação dos oceanos deve se intensificar nas próximas décadas

  Acidificação dos oceanos - Assunto deverá ganhar destaque no próximo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, afirma pesquisador da Avaliação Mundial dos Oceanos da ONU que participa de Escola São Paulo de Ciência Avançada   (foto: Marshall Arts Studio / Pixabay)   Por Elton Alisson | Agência FAPESP Considerado um dos fenômenos que mais afetam os oceanos atualmente, a acidificação oceânica só foi mencionada pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) em seu quinto

Estudo mostra que a acidificação dos oceanos está causando grande impacto na vida marinha

  Em uma nova pesquisa, cientistas afirmam que cortes nas emissões globais de CO2 são essenciais para limitar mais danos aos recifes de coral e às florestas de algas. University of Plymouth* As emissões de dióxido de carbono (CO2) estão matando os recifes de coral e as florestas de algas, já que as ondas de calor e a acidificação dos oceanos prejudicam os ecossistemas marinhos, alertaram cientistas. Oos pesquisadores dizem que três séculos de desenvolvimento

A acidificação dos oceanos é um desafio para a ciência, governos e comunidades

    University of Tasmania* Um novo estudo do Instituto de Estudos Marinhos e Antárticos (IMAS), publicado na revista científica Nature Climate Change , destacou os desafios enfrentados por cientistas, governos e comunidades, à medida que níveis crescentes de CO2 são absorvidos pelos oceanos do mundo. Pesquisadores descobriram que nos últimos séculos o pH da superfície do oceano caiu dez vezes mais rápido do que nos últimos 300 milhões de anos e que os

Top