Abril registra recorde de desmatamento na Amazônia nos últimos dez anos, mostra sistema de monitoramento do Imazon

  O desmatamento na Amazônia atingiu 529 km² em abril deste ano, um aumento de 171% em comparação com abril do ano passado. Por Stefânia Costa O total desmatado em abril é o maior dos últimos dez anos. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Imazon. A área desflorestada em abril é aproximadamente do tamanho da cidade de Porto Alegre. Responsável por 32% da área total desflorestada em abril,

Serão as próximas pandemias gestadas na Amazônia? Análise De Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  A pandemia incide no momento decisivo na história da humanidade em que ainda é possível conter o aquecimento global e os demais processos de degradação ambiental em níveis compatíveis com nossa capacidade de adaptação. Na ausência de uma reação política vigorosa da sociedade, a pandemia deve acelerá-los ainda mais. E, por sua vez, esses processos sinérgicos de degradação ambiental fomentarão a maior frequência de pandemias, talvez ainda mais letais. O aquecimento

Desmatamento e grilagem ameaçam indígenas isolados na TI Ituna-Itatá em meio a pandemia

  Ituna-Itatá: uma terra indígena da Amazônia tomada por ganância e destruição Na agenda antiambiental do governo federal, terras indígenas viram recompensa a criminosos que invadem a floresta Sobrevoo realizado na Terra Indígena Ituna-Itatá em setembro de 2019, na época de queimadas. © Fábio Nascimento / Greenpeace Enquanto uma parcela da sociedade fica em casa para se proteger da pandemia da Covid-19, muitas outras esforçam-se para resistir à própria sorte. Entre os grupos mais vulneráveis

Desmatamento em alta, grileiros à solta, crises políticas: queimadas na Amazônia podem ser piores que as de 2019

  IHU Ainda é muito cedo para um veredito, mas, até agora, as ameaças à Amazônia seguem inabaladas em plena pandemia de Covid-19. Enquanto o vírus se espalha e produz cenas dramáticas na região, grileiros avançam e o desmatamento não dá sinais de redução. Pelo contrário: disparou no primeiro trimestre de 2020. A reportagem é de Caio de Freitas Paes, publicada por Mongabay, 07-05-2020. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aponta que 796 km2 de floresta foram derrubados nos três primeiros meses do

Sem a Floresta Amazônica, agronegócio e geração de energia entram em colapso no Brasil

  IHU Ultrapassar o ponto de inflexão que transformaria a Floresta Amazônica em uma savana seria “catastrófico” para os principais setores da economia brasileira, alertam especialistas. Os impactos alcançariam sobretudo o agronegócio e a geração de energia, e poderiam repercutir na segurança alimentar internacional. A abundância natural de água no bioma amazônico beneficia com regularidade a agricultura, o transporte de commodities pelos rios brasileiros e a produção de energia elétrica em inúmeras usinas ao longo dos rios que cortam

Desmatamento em terras públicas da Amazônia explode e pode alimentar estação de fogo

    Por Cristina Amorim O desmatamento de 2020, somado ao que foi derrubado em 2019 e não queimou, pode alimentar uma nova estação intensa de fogo na Amazônia, especialmente em terras públicas que estão sob a guarda da União e dos Estados. Só no primeiro trimestre deste ano, 50% do desmatamento registrado pelo sistema Deter, do INPE, aconteceu nessas áreas. O destaque fica por conta das florestas públicas ainda não destinadas, terras devolutas

70% da exploração madeireira no Pará é ilegal, de acordo com estudo do Imazon

    Intensificar fiscalizações em áreas protegidas e aperfeiçoar o processo de licenciamento e monitoramento dos planos de manejo florestal sustentáveis são caminhos para reverter esse cenário Por Stefânia Costa Um novo estudo publicado pelo Imazon atestou que 38 mil hectares de floresta foram explorados no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Desses, apenas 30% possuíam autorização para exploração, enquanto 70% eram irregulares. O Sistema de Monitoramento da Exploração Madeireira (SIMEX)

Destruição florestal na Amazônia segue níveis alarmantes em meio a pandemia

Intensificar ações de fiscalização e investir em pesquisa científica são caminhos necessários para mudar este cenário Por Karen Mota Em ritmo acelerado, o desmatamento na Amazônia segue ameaçando a biodiversidade e colocando em risco a maior floresta tropical do mundo, importante aliada contra o aquecimento global. Após subir 30% em 2019, os dados do DETER (Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real) apontam que a área com alertas de desmatamento

Desmatamento na Amazônia avança em março e registra recorde dos últimos dois anos, aponta Imazon

  De acordo com o sistema de monitoramento do Instituto, a floresta perdeu 254 km² de área verde. Amazonas é o estado responsável pela maior parte do desmatamento. Por Stefânia Costa O desmatamento na Amazônia cresceu 279% em março de 2020, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo o SAD, Sistema de Alerta de Desmatamento do Imazon, 254 km² de floresta foram derrubados no último mês. Esse é o número

Pará tem seis das dez áreas de proteção ambiental mais ameaçadas de desmatamento na Amazônia, revela Imazon

  Estudo que analisa índices de ameaça e pressão por desmatamento em Áreas Protegidas (AP) mostra ainda que a Reserva Extrativista Chico Mendes, no Acre, é a mais ameaçada. Por Stefânia Costa Um novo estudo divulgado pelo Imazon mostra quais são as Áreas de Proteção da Amazônia mais ameaçadas e pressionadas por desmatamento. O relatório analisa os dados do sistema de monitoramento do Instituto e cruza as informações com células de desmatamento para

‘Querida Amazônia’, Francisco se manifesta, por Rosel Antonio Beraldo e Anor Sganzerla

    [EcoDebate] Passou-se pouco tempo da esperada publicação do Papa Francisco sobre o Sínodo da Amazônia, ocorrido entre os dias 06 a 27 de outubro de 2019. O texto de Querida Amazônia, que, antes de qualquer coisa, é preciso enquadrá-la no tempo e espaço deste Papa que ainda não foi e não está sendo compreendido devidamente, talvez nem os seus colaboradores mais próximos ao que tudo indica assimilaram suas ideias que estão

Amazônia e outros grandes ecossistemas podem entrar em colapso dentro de 50 anos

    Grandes ecossistemas, como a floresta amazônica, entrarão em colapso e desaparecerão de forma alarmante rapidamente, quando um ponto crucial for atingido, de acordo com cálculos baseados em dados do mundo real. Por Bangor University* Escrevendo em Nature Comms ( 10.1038 / s41467-020-15029-x ), pesquisadores da Universidade de Bangor, da Universidade de Southampton e da Escola de Estudos Orientais e Africanos da Universidade de Londres, revelam a velocidade com que desaparecerão ecossistemas de

Top