Número de queimadas aumenta no Cerrado e na Amazônia

  Número de queimadas aumenta no Cerrado e na Amazônia Cerrado teve mais de 10 mil focos entre janeiro e junho, pior marca para o período desde 2010, com aumento de 13% em comparação a 2021; aumento na Amazônia foi de 17% Nos seis primeiros meses de 2022, o número de queimadas aumentou 13% no Cerrado e 17% na Amazônia, em comparação ao mesmo período no ano passado, de acordo com o Programa

Focos de calor na Amazônia têm alta de 23,9% nos cinco primeiros meses de 2022

  Focos de calor na Amazônia têm alta de 23,9% nos cinco primeiros meses de 2022 Levantamento do IPAM revela ocorrência de 5.172 focos entre janeiro e maio no bioma Amazônia, a maioria registrada em imóveis rurais; terras indígenas foram altamente atingidas pelo desmatamento ligado ao fogo O IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) identificou 5.172 focos de calor no bioma amazônico entre janeiro e maio de 2022. É um aumento de

Bioeconomia da Amazônia deve envolver vozes e ideias amazônidas

  Bioeconomia da Amazônia deve envolver vozes e ideias amazônidas Novo estudo discute conceito no centro do debate global para conservação ambiental e futuro climaticamente equilibrado, alçando na bioeconomia da Amazônia potencial para superar legado colonial de desigualdades ao respeitar culturas e direitos de amazônidas A urgência em consolidar o entendimento de uma bioeconomia da Amazônia que garanta proteção ambiental, justiça social e modelos econômicos sustentáveis e prósperos para a região é destacada

80% dos municípios que mais emitem gases de efeito estufa estão na Amazônia

  80% dos municípios que mais emitem gases de efeito estufa estão na Amazônia A maior parte dessas emissões é resultado do desmatamento — segundo o MapBiomas Alerta, 98% do desmatamento na região tem indícios de ilegalidade Segunda edição do SEEG Municípios revela quanto cada cidade emitiu e em quais setores; os dez maiores emissores no setor agropecuário não estão entre aqueles com maior PIB. Oito dos dez municípios que mais emitem gases de

Desmatamento continua avançando sobre as florestas públicas da Amazônia

  Desmatamento continua avançando sobre as florestas públicas da Amazônia Apesar da desaceleração em maio, no acumulado do ano, houve elevação de quase 13% na área sob alerta de desmatamento na Amazônia Dados do sistema Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) evidenciam uma redução na área sob alerta de desmatamento na Amazônia em maio de 2022. Entretanto, apesar da pontual redução de 35,2% em comparação com o mesmo mês do ano passado,

Desmatadores são cobrados na justiça por R$ 247 mi de dano climático

  Desmatadores são cobrados na justiça por R$ 247 mi de dano climático Observatório do Clima se uniu à Advocacia-Geral da União contra réus processados pelo Ibama por desmatar 14 mil hectares da Amazônia. O Observatório do Clima (OC) protocolou em 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, três manifestações em cortes do Pará e do Amazonas, cobrando R$ 247,3 milhões de grandes desmatadores da Amazônia pelo dano causado ao clima

Painel Científico para a Amazônia divulga declaração sobre a 9ª Cúpula das Américas

  Painel Científico para a Amazônia divulga declaração sobre 9ª Cúpula das Américas Texto afirma que a Amazônia, região mais biodiversa do mundo e componente crucial no ciclo climático global, deve ser uma prioridade crítica para todos os líderes no encontro deste ano. O Painel Científico para a Amazônia (SPA -- sigla em inglês para Science Panel for the Amazon) divulgou no último dia 8 de junho uma declaração referente à 9ª Cúpula

Aumento de desmatamento na Amazônia é a principal ameaça à biodiversidade

  Aumento de desmatamento na Amazônia é a principal ameaça à biodiversidade As principais razões da ameaça à biodiversidade e dos níveis alarmantes de desmatamento são a expansão são agropecuária, a grilagem de terras, extração ilegal de madeira e avanço do garimpo ilegal No dia 22 de maio (domingo), é celebrado o Dia Internacional da Biodiversidade. A data, proclamada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 1992, é uma forma de conscientizar e

20% das águas da Bacia Amazônica já sofrem com altos níveis de impactos

  20% das águas da Bacia Amazônica já sofrem com altos níveis de impactos Os impactos de atividades antrópicas reverberam por toda a bacia amazônica, pois a água é um recurso dinâmico, fluido e que carrega consigo os efeitos de tais atividades A Ambiental Media, com apoio do Instituto Serrapilheira, lançou o Índice de Impacto nas Águas da Amazônia (IIAA), o primeiro diagnóstico baseado em ciência sobre o estado geral de saúde dos

Cooperativas de garimpeiros têm sido utilizadas para exploração mineral na Amazônia

  Cooperativas de garimpeiros têm sido utilizadas para exploração mineral na Amazônia Estudo divulgado pelo Climate Policy Initiative/Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro apresenta evidências de que cooperativas de garimpeiros têm sido utilizadas como forma de viabilizar explorações minerais de natureza industrial ou quase industrial, mas sob regime regulatório mais brando, na Amazônia.   O levantamento revela que três das maiores cooperativas de garimpo de ouro na região, em termos de área de

94% das terras indígenas da Amazônia sofreram pressões externas entre 2016 e 2020

  94% das terras indígenas da Amazônia sofreram pressões externas entre 2016 e 2020 Desmatamento, degradação florestal, garimpos, focos de calor ou a existência e construção de estradas são alguns dos fatores que pressionaram essas regiões A análise, que considerou fatores como degradação florestal, garimpos, focos de calor e existência de estradas, mostra que 26 territórios indígenas (7% da Amazônia) apresentaram taxas de desmatamento maiores que a média regional Dos 115 milhões de hectares

Como os apoiadores de Bolsonaro desprezam dados de satélite

  Como os apoiadores de Bolsonaro desprezam dados de satélite Os dados de satélite têm desempenhado um papel importante nos esforços para monitorar a taxa de desmatamento na Bacia Amazônica por décadas. Mas a forma como esses dados são usados mudou sob o governo do presidente Jair Bolsonaro. Seus defensores estão questionando a validade das descobertas científicas como meio de propagar uma visão de mundo que coloca os lucros em primeiro lugar. Institute for

Análise mostra quem está destruindo as unidades de conservação da Amazônia

    Análise mostra quem está destruindo as unidades de conservação da Amazônia Levantamento inédito lista políticos regionais, empresas e desmatadores. Em 13 anos, foram mais de 9 mil multas que totalizam mais de R$ 3 bilhões Por Ciro Barros, Rafael Oliveira, Agência Pública A rodovia BR-163 corta o Brasil do Sul ao Norte, começando na gaúcha Tenente Portela e indo até Santarém, no Pará, com um trecho complementar chegando a Oriximiná, no mesmo

Desmatamento na Amazônia – Deter/INPE registra o pior fevereiro da série histórica

  Desmatamento na Amazônia - Deter/INPE registra o pior fevereiro da série histórica Dados do sistema Deter, do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), divulgados hoje, reafirmam que o desmatamento na maior floresta tropical do planeta segue fora de controle. Entre os dias 1º e 28 de fevereiro, os alertas apontam para um total de 199 km² desmatados. Isso representa um aumento de 62% em relação ao mesmo mês de 2021. É a maior

Desmatamento reduz a diversidade de peixes em riachos na Amazônia

Espécies mais sensíveis à mudança no hábitat estão aos poucos sendo substituídas por outras mais resistentes, indica estudo da Unesp. Fenômeno acarreta a perda das funções ecológicas desempenhadas pelos animais que desaparecem (peixe da espécie Denticetopsis epa, ou bagrinho; foto: Gabriel L. Brejão) Desmatamento reduz a diversidade de peixes em riachos na Amazônia André Julião | Agência FAPESP A substituição de floresta por pastagens e lavouras está afetando diretamente os peixes da Amazônia.

Floresta amazônica já perde capacidade de recuperação

  Floresta amazônica já perde capacidade de recuperação Para cerca de três quartos da floresta, a capacidade de se recuperar de perturbações vem diminuindo desde o início dos anos 2000 A floresta amazônica provavelmente está perdendo resiliência, sugere a análise de dados de imagens de satélite de alta resolução. Isso se deve ao estresse de uma combinação de extração de madeira e queimadas – a influência da mudança climática causada pelo homem não

Relatório aponta que mineradoras e investidores internacionais são cúmplices da destruição da Amazônia

  Árvore isolada em queimada na Amazônia. Foto tirada em setembro de 2019 em sobrevoo no Sul do Pará. Queimadas, desmatamento, Amazônia. Foto: Araquém Alcântara/WWF-Brasil Relatório aponta que mineradoras e investidores internacionais são cúmplices da destruição da Amazônia Mineradoras Belo Sun e Potássio do Brasil, operadas pelo banco canadense Forbes & Manhattan, são citadas em novo relatório da Apib e Amazon Watch Por Caio de Freitas Paes, Thiago Domenici, Agência Pública A quarta edição do

Avanço da agropecuária no Cerrado e na Amazônia reduz a biodiversidade

  Desmatamento na Amazônia Legal, Estado do Mato Grosso, imagem de 2021. Foto: Kamikia Kisedje/WWF-Brasil Avanço da agropecuária no Cerrado e na Amazônia reduz a biodiversidade Desmatamento e da conversão de matas nativas - A maior parte das espécies perdeu entre 25% e 65% da área original de distribuição, sendo as espécies do Cerrado as mais impactadas O aumento do desmatamento e da conversão de matas nativas, especialmente para a produção de soja e

Fragmentação florestal na Amazônia aumenta os efeitos negativos do aquecimento nas árvores

  Fragmentação florestal na Amazônia aumenta os efeitos negativos do aquecimento nas árvores As árvores altas da Amazônia Central são impactadas por períodos de altas temperaturas máximas e depois perdem suas folhas e galhos. Com o aumento do desmatamento, as florestas remanescentes menores e fragmentadas têm temperaturas mais altas, o que, por sua vez, exacerba os efeitos negativos do aquecimento nas árvores altas. University of Helsinki* Um novo estudo publicado na Nature Communications liderado

Futuro da Amazônia pode depender da restauração de áreas degradadas

  Futuro da Amazônia pode depender da restauração de áreas degradadas Restaurar 10% de áreas degradadas da Amazônia pode gerar receita de R$ 132 bilhões - Aproximadamente 2,6 bilhões de toneladas de CO2 podem ser retirados da atmosfera com a restauração otimizada Por Amazônia 2030 A Amazônia pode salvar a própria Amazônia. Isso é o que aponta o estudo sobre a restauração de áreas prioritárias da floresta, desenvolvido pelos pesquisadores Bernardo Strassburg, Paulo Branco

Top