Amazônia: Primeiro a motosserra, depois o fogo; o vento vem enfim encerrar a saga

  Tempestades de vento intensificam a degradação de florestas Nova pesquisa do IPAM detalha como as árvores altas que sobreviveram, ainda que combalidas, ao desmatamento e às queimadas padecem por fim às tempestades, que estão a cada dia mais fortes e frequentes. Do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) As tempestades de vento são distúrbios que ocorrem naturalmente na Amazônia, porém podem amplificar os impactos na floresta do desmatamento e o fogo. Um artigo científico

Estudo do Imazon revela falta de transparência fundiária na Amazônia

  Transparência fundiária na Amazônia - A falta de informações facilita a prática de crimes como grilagem e desmatamento ilegal, além de acirrar conflitos locais pela posse da terra. Por Suzana Lakatos e Solange A. Barreira     Baseados nos preceitos da Lei de Acesso a Informações Públicas (LAI), de 2011, pesquisadores do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), sediado em Belém (PA), avaliaram a disponibilidade de dados dos órgãos fundiários de

Baixo Amazonas, um canto em que o Brasil ainda é colonial

  Baixo Amazonas, um canto em que o Brasil ainda é colonial. Entrevista especial com Rogério Almeida Por Patricia Fachin Edição de João Vitor Santos IHU   Quando o Brasil ainda era um ponto visível apenas por embarcações fora de rota ou no destino de degredados, a exploração dessas terras já ocorria de uma forma muito sutil. Na medida em que se descobriu que o Brasil era muito mais do que uma ilha e que por aqui havia muito mais

Desmatamento da Amazônia Legal segue com tendência de aumento, informa o Imazon

  O desmatamento na Amazônia Legal segue com tendência de aumento, segundo dados do Boletim do Desmatamento (SAD) novembro 2018 divulgados pelo Imazon. Por Stefânia Costa* O Estado do Pará contribuiu com 63% dos alertas de desmatamento registrados em novembro de 2018. As áreas que mais sofreram destruição encontram-se principalmente no nordeste do estado, na região da Terra do Meio, e no oeste com alta concentração de alertas na região da Calha Norte

Desmatador foi condenado por extrair ilegalmente 9 mil e 300 m3 de madeira da floresta amazônica, o equivalente a 232 caminhões carregados de toras

  Arte: Secom/PGR A Justiça Federal em Itaituba (PA) condenou Giovany Marcelino Pascoal a pagar mais de R$ 1,6 milhão em indenizações e danos pelo desmatamento de 244,74 hectares de floresta amazônica. Pascoal foi preso em 2014 na Operação Castanheira, uma das maiores operações contra o desmatamento na Amazônia e responde a 25 processos por devastação florestal. Na época, ele foi considerado pelo Ministério Público Federal (MPF) como um dos principais líderes

O desmatamento na Amazônia e sua influência no regime de chuvas do Brasil, artigo de Marco Antonio Ferreira Gomes

    [EcoDebate] No artigo veiculado em 2017 neste site sob o título “A importância dos rios voadores e da floresta amazônica”, foi enfatizado pelo autor deste trabalho o quão é relevante a conservação do bioma amazônico para a manutenção e equilíbrio do regime de chuvas em todo território brasileiro. No entanto, o desmatamento na região amazônica continua sem controle. Informações recentes, por exemplo, dão conta de que em 1 ano foi desmatada

Mapa inédito identifica 2.312 pontos de mineração predatória na Panamazônia

  A partir de dados de seis países amazônicos, rede de organizações identifica 2.312 pontos de mineração predatória na maior floresta tropical do planeta ISA - Instituto Socioambiental O garimpo ilegal se espalha na Amazônia sem respeitar fronteiras. Um mapa inédito da Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferenciada (Raisg), lançado na segunda-feira (10/12) simultaneamente em seis países amazônicos, mostra a distribuição dessa atividade ilegal e seus impactos socioambientais na Amazônia boliviana, brasileira, colombiana,

Amazônia é totalmente estratégica para nossa sobrevivência enquanto espécie

  'Amazônia é totalmente estratégica para nossa sobrevivência enquanto espécie'. Entrevista especial com Marcela Vecchione Por Vitor Necchi e Patricia Fachin, IHU Nos últimos 60 anos, as propostas de desenvolvimento para a Amazônia e os povos tradicionais que habitam a região, como indígenas, quilombolas e amazônidas, visam “integrar a região - e as várias ‘regiões’ dentro da Amazônia - ao país”, diz a pesquisadora Marcela Vecchione à IHU On-Line. No entanto, lamenta, “dificilmente há um debate sobre desenvolvimento de dentro da região

INPE estima 7.900 km2 de desmatamento por corte raso na Amazônia em 2018, aumento de 13,72% em relação a 2017

  A taxa estimada pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (PRODES), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), corresponde a 7.900 km2 de corte raso no período de agosto de 2017 a julho de 2018. A estimativa do PRODES 2018 indica um aumento de 13,72% em relação a 2017, quando foram apurados 6.947 km2. Este valor é 71,6% menor que a taxa registrada em 2004, ano em que

Emissões de gases de efeito estufa do Brasil caem 2,3% em 2017

As emissões brasileiras de gases de efeito estufa caíram 2,3% em 2017 em comparação com o ano anterior Emissões de gases de efeito estufa do Brasil - Redução do desmatamento na Amazônia puxou queda, que foi parcialmente cancelada por aumento da destruição no Cerrado, indicam dados do SEEG, sistema do Observatório do Clima, em sua sexta edição As emissões brasileiras de gases de efeito estufa caíram 2,3% em 2017 em comparação com

Desmatamento na Amazônia Legal reduz em outubro de 2018, mas alerta tendência de aumento no acumulado

  Boletim do desmatamento da Amazônia Legal (outubro 2018) SAD Em outubro de 2018 o SAD detectou 184 km² de desmatamento na Amazônia Legal. Essa área representa uma redução de 28% em relação ao desmatamento mapeado em outubro de 2017. Porém, na somatória dos 3 primeiros meses do calendário do desmatamento de 2019 (agosto a outubro), a área desmatada equivale a 1.1176 km², um aumento de 72% em relação ao mesmo período

Amazônia: Nova regra de reserva legal pode levar ao aumento do desmatamento de até 15 milhões de hectares de floresta

    Amazônia - Até 15 milhões de hectares de floresta correm o risco de perder sua proteção em razão de artigo que permite aos estados amazônicos reduzirem as reservas legais em terras privadas de 80% para 50% se mais de 65% de seus territórios estiverem protegidos por unidades de conservação ou terras indígenas, aponta estudo Por Elton Alisson, Agência FAPESP Até 15 milhões de hectares de floresta tropical na Amazônia correm o risco

Top