O Pantanal está queimando – a era do fogo chegou

  O Pantanal está queimando O Pantanal está queimando – a era do fogo chegou Artigo de Rodrigo Silva [EcoDebate] No ano de 2015, o pesquisador norte americano, Stephen Pyne, cunhou um termo para designar uma nova era que se inicia em nosso planeta: o PIROCENO. Basicamente, essa teoria prega que, o mesmo elemento que nos levou a ser uma espécie dominante, será o responsável por destruir boa parte da nossa própria existência –

Pantanal em chamas – Fumaça dos incêndios se desloca para o Sul do país

  Pantanal em Chamas - Fumaça dos incêndios se desloca para o Sul do país Pantanal em Chamas - Em São Paulo há possibilidade de ocorrência de chuva negra A fumaça proveniente dos focos de incêndio observados com intensidade desde o começo do mês na região do Pantanal, em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, está se deslocando para o Sul do país. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as imagens de

Pantanal em chamas: Incêndios já tomam quase metade das terras indígenas

  Pantanal em chamas: Incêndios já tomam quase metade das terras indígenas Fonte: Agência Pública Pantanal em chamas: Dados indicam que parte das queimadas começou em terras privadas; indígenas relatam que “fogo veio de fora” e “destruiu tudo” Por Bianca Muniz, Bruno Fonseca, Raphaela Ribeiro Apenas em setembro, 164 focos de incêndio avançaram sobre terras indígenas (TIs) no Pantanal. Mais de 200 em agosto. Quase metade das áreas indígenas regularizadas na região já enfrenta queimadas

Em 2020, o número de incêndios no Pantanal é 440% maior que a média dos últimos anos

  Em 2020, o número de incêndios no Pantanal é 440% maior que a média dos últimos anos Incêndios no Pantanal - Pedro Luiz Côrtes traz levantamento dos focos e aponta desmonte de fiscalização, além das mudanças climáticas, como principal causa Jornal da USP no Ar, Rádio USP Este ano, além das queimadas na Amazônia, houve um aumento significativo dos focos de incêndio no Pantanal e o governo federal não tem agido de forma

O Pantanal em chamas – Mudanças climáticas e agronegócio brasileiro ameaçam maior área alagada do mundo

  O Pantanal em chamas - Mudanças climáticas e agronegócio brasileiro ameaçam maior área alagada do mundo Por Norbert Suchanek para o Neues Deutschland Este ano, o incêndio está mais forte do que nunca no Pantanal, no oeste do Brasil. O mar de chamas já 'devorou' vários milhares de quilômetros quadrados da maior zona úmida do mundo. A brigada de incêndio e as forças armadas têm lutado até agora contra o incêndio em vão.

Queimadas no Pantanal crescem mais de 200% e batem recorde

  Queimadas no Pantanal crescem mais de 200% e batem recorde Queimadas no Pantanal: Quase metade dos focos registrados pelo Inpe neste ano no bioma foram detectados nos primeiros 20 dias de agosto Por Rita Silva e Sandra Miyashiro À medida que os dias quentes e secos avançam, o Pantanal e a Amazônia são mais pressionados pelo fogo. Nem a presença das Forças Armadas em alguns pontos dos biomas e o decreto presidencial proibindo

Queimadas no Pantanal ameaçam a biodiversidade

    Queimadas no Pantanal ameaçam a biodiversidade Artigo de André M. Pelanda e Rodrigo Berté [EcoDebate] O Pantanal é um bioma presente em território brasileiro nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e ocorre também em algumas áreas do leste da Bolívia e norte do Paraguai, onde é conhecido como “Chaco”. Este bioma é uma das maiores planícies alagáveis do mundo, considerado pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial e Reserva

Adotar o princípio de precaução é determinante para preservar o Pantanal

  Adotar o princípio de precaução é determinante para preservar o Pantanal. Entrevista especial com Pierre Girard IHU Apesar de o cultivo de soja não ter se expandido pelo Pantanal no mesmo ritmo em que esse tipo de cultura se desenvolveu em outros ecossistemas, nos dois biomas que contornam as áreas alagadas do Pantanal, o Cerrado e a Amazônia, crescem os cultivos de soja e o uso de fertilizantes, diz o geólogo Pierre Girard à IHU

Pantanal pode ter temperaturas elevadas em 7º C até 2100, indica estudo

  Por Peter Moon, da Agência FAPESP     O Pantanal, a maior planície alagada do mundo, corre o risco de, em 2100, ver as suas temperaturas médias anuais elevadas em até 7 °C. Tamanho aumento de temperatura implicaria uma redução sensível no regime de chuvas da região, principalmente no inverno. Tais mudanças climáticas teriam impacto sobre a evaporação da região e a própria existência do Pantanal como o conhecemos. Essas projeções foram estimadas a

Projeto da Hidrovia Paraguai-Paraná: ‘uma irracionalidade’. Entrevista com Débora Calheiros

  “70% do potencial de produção de energia da bacia do Alto Paraguai - BAP já está em Operação. Em ecologia sabe-se que, se ultrapassarmos a capacidade de suporte de um ecossistema, ameaçamos os seus processos ecológicos, seu funcionamento e geramos uma degradação muitas vezes irreversível”, adverte a bióloga.  Foto:grupoconscienciaviva.com O Projeto da Hidrovia Paraguai-Paraná – HPP, criado no início dos anos 1990 para implementar uma hidrovia industrial que garantisse a navegação 24

Débora Calheiros: ‘Querem mesmo acabar com o Pantanal!’

    por Débora Calheiros, especial para o Viomundo O Pantanal Mato-Grossense, bioma considerado Patrimônio Nacional pela Constituição Federal e Reserva da Biosfera pela Unesco, está ameaçado pelo barramento da maioria dos seus rios formadores, formadores da grande planície pantaneira. No total são 147 empreendimentos, sendo 44 em operação, os quais já representam 70% do potencial de geração hidrelétrica da bacia do Alto Paraguai. Uma taxa de 70% é uma proporção muito alta. Só sobrará 30%… Barrando 100% dos seus principais

MPF defende realização de audiências públicas antes de implantação de ‘Belo Monte’ do Pantanal

  Ampliação de mineradora em Corumbá terá investimento de R$ 11,5 bilhões. Moradores do entorno denunciam prejuízo para o meio ambiente e descaso com a comunidade.   Moradores das comunidades afetadas: MPF tem o dever de resguardar seus direitos   O Ministério Público Federal (MPF/MS) manifestou-se, e, 10/4, pela realização de mais audiências públicas antes da aprovação do projeto de ampliação da mineradora Vétria, em Corumbá, região do Pantanal Sul-mato-grossensse. A empresa anunciou investimento de

Campo Grande sediará encontro de povos e comunidades tradicionais do Cerrado e Pantanal

    Campo Grande/MS será palco da primeira edição da rede de articulação “Coalizão Cerrado-Pantanal” A ONG Ecoa - Ecologia e Ação e a Rede Cerrado realizarão em parceria a primeira edição do evento “Coalizão Cerrado - Pantanal”, que acontecerá de 08 a 12 de novembro de 2013 na antiga estação ferroviária/espaço da museologia, em Campo Grande/MS. O principal objetivo do evento é mobilizar os povos do Cerrado e do Pantanal, bem como a

MPF apura danos causados por mineração e siderurgia à comunidade pantaneira

  Apenas uma caixa d'água abastece toda a comunidade. Médicos levam água de suas casas para atender a população. Foto:MPF/MS   Falta de água potável afeta moradores, que temem expansão de atividades Além da escassez de água, comunidade enfrenta precárias condições de armazenamento. Foto: MPF/MS O Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso do Sul instaurou procedimento para apurar os impactos da extração de minério de ferro na Comunidade Antônio Maria Coelho, em

O equilíbrio ambiental que vem das áreas úmidas. Entrevista com Wolfgang Junk

    Foto de www.wwf.org.br “Todos tipos de áreas úmidas são de alta importância e o seu manejo sustentável e sua proteção deveriam ter alta prioridade política em todos os países”, afirma o pesquisador. Confira a entrevista. A história da civilização humana está diretamente ligada às áreas úmidas, tendo diferentes impactos conforme as regiões do planeta. “Nas áreas temperadas e frias, as Áreas Úmidas - AUs eram de interesse para caçadores e pescadores, porque elas

Entorno do Parque Nacional do Pantanal deve ter acesso liberado a ribeirinhos para prática de atividades tradicionais

  Parque Nacional do Pantanal. Foto: Conservação para Ensino Médio / USP   Para MPF, ribeirinhos devem ter acesso permitido à área de entorno do Parque Nacional para prática de atividades tradicionais. Recomendação do MPF orienta Ibama e ICMBio a permitir atividades tradicionais na zona de amortecimento do parque O Ministério Público Federal (MPF) em Mato Grosso do Sul encaminhou recomendação ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e ao

PCHs são um risco para o sistema hidrológico e a biodiversidade do Pantanal

    Biodiversidade ameaçada - Poucos lugares no mundo abrigam uma variedade de espécies tão grande e mesclam características de tantos biomas, como o Pantanal. A exuberância da reserva de mais de 140 mil quilômetros quadrados, distribuídos entre os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, é marcada principalmente pelo fato de ela guardar milhares de espécies, muitas delas raras e em extinção. Mas a grande planície alagada, que sobrevive

Comunidade do Pantanal recebe autorização para uso sustentável de área tradicional

    Documento garante aos ribeirinhos abrigo em época de cheia e atividades extrativistas em terra da União Comunidade comemora recebimento de TAUS Coletivo As 19 famílias da Comunidade Ribeirinha da Barra do São Lourenço, no Pantanal de Mato Grosso do Sul, agora podem voltar a usufruir terra tradicionalmente ocupada. Após 20 anos da expulsão da comunidade para a criação de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), os ribeirinhos receberam autorização

Hidrelétricas podem afetar sistema hidrológico do Pantanal

    Projeto para construção de mais 87 pequenas centrais hidrelétricas na bacia do Alto Paraguai pode afetar conectividade da área de planalto com a de planície do bioma pantaneiro e dificultar fluxo migratório de peixes e outras espécies aquáticas, alertam pesquisadores. O projeto de construção de mais 87 Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) na Bacia do Alto Paraguai, em discussão atualmente, pode afetar a conectividade do planalto – onde nasce o Rio Paraguai

Parlamentares ruralistas querem novo zoneamento da cana-de-açúcar, incluindo os biomas Amazônia e Pantanal

    Parlamentares vão apresentar proposta de novo zoneamento da cana-de-açúcar – Nas próximas semanas, parlamentares da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Congresso Nacional vão apresentar proposta para novo zoneamento da cana-de-açúcar no país. As atuais regras restringem a expansão do plantio de cana nos biomas Amazônia e Pantanal e na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai. As normas estão previstas no Projeto de Lei (PL) 6.077 de 2009

Top