Hidronegócio: privatização da Eletrobras, privatização das águas, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Há tempos o hidronegócio busca mecanismos de privatização das águas brasileiras. Constitucionalmente tidas como um bem da União, nossas águas não podem ser privatizadas. A Constituição Federal no artigo 20, inciso III, estabelece que são bens da União os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seu domínio, ou que banhem mais de um Estado, sirvam de limites com outros países, ou se estendam a território estrangeiro

Pesquisa da EMBRAPA indica que integrar criação de peixes com hortaliças economiza 90% de água e elimina químicos

Foto: Arquivo Embrapa A criação de peixes associada ao cultivo de hortaliças, chamada de aquaponia, pode economizar até 90% de água em relação à agricultura convencional e ainda eliminar completamente a liberação de efluentes no meio ambiente, pois trata-se de um sistema fechado, diferentemente das criações convencionais. Motivados por essas vantagens, pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros (SE) têm desenvolvido sistemas de diferentes portes de aquaponia que podem ser de produção doméstica

Água, o grande desafio, artigo de Amyra El Khalili

Água, o grande desafio Geopolítica da Água: Água para a Guerra – Água para a Paz "Quando lidamos com o meio ambiente não podemos tratar deste direito fundamental como se fosse um produto empresarial, uma mercadoria, quando contratos e regras são determinados a portas fechadas em reuniões entre pares. Pelo contrário, devem acontecer com o coletivo da sociedade" Amyra El Khalili O Fórum Internacional de Gestão Ambiental (FIGA 2010) – Água, o Grande Desafio,

Agua oxigenada y hierro para eliminar fármacos en aguas residuales

  La creciente presencia de fármacos en las aguas residuales supone un riesgo para la salud y el medio ambiente. Ahora investigadores de la Universidad Autónoma de Madrid han diseñado un sistema, basado en la descomposición de peróxido de hidrógeno en presencia de catalizadores de hierro magnéticos, que permite degradar estos contaminantes de forma efectiva, económica y ecológica. Servicio de Información y Noticias Científicas (SINC) El sistema se basa en la descomposición de

Desperdício, falhas de planejamento e ausência de integração ameaçam os recursos hídricos do país

  Dênio Simões/Agência Brasília Em audiência pública da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA), pesquisadores e representantes de organizações não-governamentais apontaram falhas na elaboração, execução e acompanhamento das metas do Plano Nacional de Recursos Hídricos, um dos instrumentos que orienta a gestão e uso das águas no Brasil. A avaliação levou em conta a atual crise no abastecimento e a perspectiva de aumentar a necessidade de água para consumo

O direito à água, artigo de Flávio José Rocha da Silva

  [EcoDebate] Por que falar de direito à água? Porque cada vez mais este direito pode ser ameaçado por novas circunstâncias políticas e econômicas na sociedade brasileira. Este tópico é muito recente como reflexão e discussão no Brasil e no mundo. Basta dizer que ele nem consta da Declaração Universal dos Direitos Humanos2. Avalio que a sua ausência neste documento que nasceu depois das atrocidades da Segunda Guerra Mundial se deve

Fórum Mundial da Água: o gato se veste de lebre, artigo de Flávio José Rocha da Silva

    [EcoDebate] A cidade de Brasília sediará o 8º Fórum Mundial da Água entre os dias 18 e 23 de março de 2018. No site do evento podemos ler que “O Fórum Mundial da Água é o maior evento relacionado à água do mundo e é organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC), uma organização internacional que reúne todos os interessados ??no tema da água.” Há até mesmo uma consulta online

Sistema inteligente de automação residencial para aproveitar a água da chuva economiza 60 mil litros/ano

  Captação de água da chuva economiza 60 mil litros por ano - Pesquisador testa em sua própria casa sistema de automação que permite economia mensal de até R$ 300 Por Júlio Bernardes, do Jornal da USP O professor Eduardo Simões, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, desenvolveu e instalou em sua casa um sistema inteligente de automação residencial para aproveitar a água da chuva.

A propósito da sangria (vertimento) do reservatório da hidrelétrica de Xingó, artigo de João Suassuna

  [EcoDebate] Antes das intervenções no São Francisco, com as construções das barragens de Três Marias (1962) e Sobradinho (1979), visando à regularização volumétrica do rio, a vazão média histórica do Velho Chico situava-se em torno de 2.800 m³/s. Apesar de não existirem barreiras artificiais que impedissem o fluxo natural das águas, a amplitude volumétrica do rio se comportava de forma preocupante, prejudicando, e muito, as pretensões das instituições responsáveis pela

Pacto Global da ONU lança relatório sobre desperdício de água em redes de distribuição do Brasil

ONU Em 2015, 182 bilhões de litros de água foram perdidos em vazamentos, fraudes, roubos ou problemas de medição nos 74 municípios banhados pelas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. O número é de um levantamento divulgado nesta semana (7) pelo Movimento Menos Perdas, Mais Água – iniciativa criada pela Rede Brasil do Pacto Global da ONU. Volume desperdiçado seria suficiente para abastecer 2,7 milhões de pessoas. Em 2015, 182 bilhões

Chapada Diamantina: a caixa d’água da Bahia vai secar! por Cristiane Passos

  CPT Conhecida por ser uma das principais atrações turísticas do Brasil, por conta de suas belezas naturais, o mundo desconhece a importância que a Chapada Diamantina tem no fornecimento de água para o estado da Bahia, e para o equilíbrio da rede hidrográfica brasileira. (Cristiane Passos – CPT Nacional) Refém dos interesses comerciais de grandes produtores rurais, abandonada e maltratada pelo poder público, a Chapada está secando e seus rios estão morrendo. Comunidades

Especialistas apontam riscos gerados pela degradação dos biomas

  Entre os problemas estão falta de água, expulsão de comunidades locais e consequente inchaço de periferias Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados A falta de água nas cidades foi um dos pontos mais mencionados no debate como consequência da destruição dos biomas, principalmente do Cerrado. A representante da Coordenação da Campanha em Defesa do Cerrado, Isolete Wichinieski, lembrou que o Cerrado é considerado o “berço das águas” e que diversas cidades brasileiras sofrem

Top