Ibama combate garimpo ilegal de ouro e apreende 19 dragas no rio Madeira (AM)

    Operação de combate ao garimpo clandestino de ouro no rio Madeira resultou na apreensão de 19 dragas, 1,1 kg de ouro, 3 kg de mercúrio metálico, instrumentos de garimpo e embarcações de apoio. Foram aplicados até o momento 11 autos de infração que totalizam R$ 11 milhões. As dragas operavam no entorno de unidades estaduais de conservação localizadas entre Manicoré/AM e Novo Aripuanã/AM. Todas as atividades foram embargadas. Se as atividades

Ibama embarga garimpo em Altamira (PA) e aplica multa de R$ 50 milhões

    O Ibama embargou o garimpo Esperança IV, licenciado pelo município de Altamira, no Pará, e aplicou multa de R$ 50 milhões à Cooperativa dos Garimpeiros e Mineradores do Brasil (COOGAMIBRA). Notificação determina a retirada de todo o maquinário e estruturas presentes no local, com possibilidade de apreensão ou destruição em caso de não cumprimento. O objetivo da Operação Curuá Livre é interromper a poluição, o assoreamento dos cursos d’água e

Operação combate furto de madeira e garimpo ilegal na Floresta Nacional do Jamari (RO)

  Operação de fiscalização ambiental coordenada pela Superintendência do Ibama em Rondônia, com o apoio de Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Polícia Federal, Batalhão de Polícia Militar Ambiental, Comando de Operações Especiais e Força Nacional de Segurança, desarticulou esquema de furto de madeira e exploração ilegal de minério na Floresta Nacional (Flona) do Jamari, a 100 km de Porto Velho (RO). Equipes que participaram da Operação Virtualis, realizada no

Ibama e Funai desativam garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

  O Ibama e a Fundação Nacional do Índio (Funai) realizaram na última semana operação de combate à exploração ilegal de ouro na terra indígena Yanomami, em Roraima, que resultou na destruição de 20 balsas, 11 acampamentos e 6 motobombas. Os fiscais apreenderam um revólver calibre 38 com numeração raspada, uma espingarda de caça, munição e dois frascos de mercúrio. A ação mobilizou 35 servidores, incluindo agentes ambientais do Grupo Especializado

Pesquisador fala sobre estudo que analisou exposição ao mercúrio por indígenas

contaminação por mercúrio

    Informe Ensp* Além de provocar inúmeros danos ambientais, a presença do garimpo na Terra Indígena Yanomami traz graves consequências à saúde daquela população. Estudo inédito conduzido pela Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), com apoio do Instituto Socioambiental (ISA), do Laboratório de Química da PUC e da Hutukara Associação Yanomami (HAY), divulgado no final do mês de março, constatou elevado nível de mercúrio (Hg) nos povos da TI Yanomami. A contaminação

Mercúrio de garimpos ilegais contamina índios Yanomami

contaminação por mercúrio

    A retomada dos garimpos ilegais na Terra Indígena Yanomami, em Boa Vista, Roraima, está ameaçando o meio ambiente e as populações de índios locais. De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz na região, o consumo de peixes contaminados pelo mercúrio utilizado na extração do ouro é a principal causa do envenenamento dos índios. Hoje na aldeia de Aracaçá, por exemplo, 92% das pessoas apresentam índice de mercúrio no

Investigados pela Lava Jato financiavam garimpo ilegal nas terras dos índios Cinta-Larga, em Rondônia, diz PF

    O monitoramento de dois envolvidos na Operação Lava Jato levou a Polícia Federal (PF) a tomar conhecimento de que eles estavam financiando a retomada do Garimpo Lage, mais conhecido como Garimpo de Roosevelt, em uma das maiores jazidas de diamantes do mundo. O garimpo está localizado nas terras dos índios Cinta-Larga, em Rondônia. Segundo a Polícia Federal, para cada R$ 1 milhão financiado por eles, dinheiro que era usado na compra

Abandono ameaça o rio que era um ouro, artigo de Gervásio Lima

opinião

    [EcoDebate] “Tá tudo errado”. Essas foram as palavras de um garimpeiro ao ser interrogado sobre a extração ilegal do ouro, no leito do rio que leva o mesmo nome em Jacobina. Com uma simplicidade peculiar e marcas da labuta nas mãos calejadas, típicas dos que enfrentam as agruras de um trabalho rústico e perigoso, o trabalhador que não quis se identificar, resume o que está acontecendo com a relação entre

PF deflagra operação contra extração ilegal de ouro e pedras em terras indígenas

    Policiais federais de Roraima, Rondônia, São Paulo, do Amazonas e Pará estão nas ruas desde as primeiras horas da manhã de ontem (7), cumprindo 313 mandados judiciais expedidos contra suspeitos de integrar um esquema de extração ilegal de ouro e pedras preciosas em terras indígenas. O principal alvo dos investigados é a reserva indígena Yanomami, de Roraima. De acordo com a Polícia Federal (PF), o esquema contava com a participação de

PF investiga ação de instituições financeiras em extração ilegal de ouro e pedras preciosas em terras indígenas

    Instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central a atuar no mercado de capitais são o alvo final da Operação Warari Koxi, deflagrada ontem (7), pela Polícia Federal (PF), para desmantelar esquema criminoso de extração ilegal de ouro e pedras preciosas em reservas indígenas. O principal alvo da atividade ilícita é a Terra Indígena Yanomami, em Roraima. Segundo a delegada federal Denisse Dias Rosas Ribeiro, responsável pelo inquérito policial, o principal objetivo da

Funai e Ibama desativam garimpos ilegais na Terra Indígena (TI) Kayapó, no Sul do Pará

  Desde a última sexta-feira (26), uma operação de fiscalização conjunta entre a Funai e o Ibama percorre a Terra Indígena (TI) Kayapó, com foco no combate ao garimpo ilegal de ouro.A TI Kaiapó é uma das maiores do país, com 3,3 mi ha, localizada no sul do Pará.No final de julho, representantes dos órgãos notificaram os garimpeiros, que insistiram na prática ilícita, desencadeando a operação.Nos dois primeiros dias, foram desativados

Garimpo de ouro no Pará, artigo de Bruno Peron

    [EcoDebate] O Pará volta a receber atenção devido à sua tradição extrativista. Desta vez, evidencia-se a divisão entre os índios da etnia Kayapó com respeito à dúvida sobre se o território em que eles vivem deve ser explorado para mineração ou preservado para subsistência. Estima-se que entre 4 e 5 mil garimpeiros revirem a terra em busca de ouro numa região denominada Terra Indígena Kayapó, no sudeste do Pará. A ação

Top