Gestão Estratégica dos Recursos Hídricos no contexto do bioma Caatinga, artigo de João Suassuna

    O setentrional nordestino, que há seis anos vem enfrentando situações de seca, está em “estado de emergência”. Muitos dos municípios da região, como Campina Grande, na Paraíba, que tem aproximadamente 355 mil habitantes, e Caruaru, em Pernambuco, com 300 mil habitantes, enfrentam problemas de abastecimento de água para o consumo de suas populações e, se não chover os volumes esperados para o atual período das águas, “não há um plano

Caatinga: beleza e diversidade reveladas, artigo de Ana Cecília da Cruz Silva

Caatinga: beleza e diversidade reveladas Ana Cecília da Cruz Silva Biológa e mestre em Ecologia e Conservação pela Universidade Federal de Sergipe Professora de Ciências e Biologia do Colégio Estadual Armindo Guaraná em Sergipe Resumo A Caatinga tem sido descrita nos livros como um bioma com poucas espécies e de moderado valor biológico. Porém, estudos recentes mostram que existe uma impressionante quantidade de espécies da flora e da fauna, adaptadas as condições adversas do clima,

Caatinga ganha duas novas áreas protegidas, um parque nacional e uma APA no sertão da Bahia

    WWF-Brasil Um parque nacional e uma área de proteção ambiental no sertão da Bahia agregam 854 mil hectares ao Sistema Nacional de Unidades de Conservação. Depois de esperar mais de quinze anos – e ter sua área reduzida a um terço do que se pretendia quando começaram as negociações para sua criação –, finalmente foi publicado nesta sexta-feira (6), no Diário Oficial da União, o decreto da Presidência da República que estabelece

Projeto ‘No Clima da Caatinga’ lança nova edição de livro que incentiva práticas escolares

  Projeto lança livro interativo voltado à propagação de conhecimentos sobre as florestas de Caatinga. Conheça e Conserve a Caatinga é um guia prático que pode ser utilizado por professores de diferentes áreas do conhecimento de maneira transversal e lúdica.     Com o objetivo de inserir a valorização da Caatinga, o único bioma exclusivamente brasileiro, no contexto educacional, acaba de ser lançada a segunda edição do livro do educador Conheça e Conserve a

Ibama embarga 180 hectares na caatinga e emite 35 autos de infração no entorno de hidrelétricas do rio São Francisco

    Operação de combate a irregularidades ambientais no entorno de hidrelétricas licenciadas pelo Ibama ao longo do Rio São Francisco resultou no embargo de 180 hectares de caatinga e na emissão de 35 autos de infração, que totalizam R$ 10 milhões. Um trator e oito metros cúbicos de madeira nativa foram apreendidos. As infrações verificadas causam impactos diretos na quantidade e qualidade da água disponível nos reservatórios da região. A Operação Velho

Aproximadamente 22% das Unidades de Conservação da Caatinga sofreram degradação ambiental em 15 anos

  Aproximadamente 22% das Unidades de Conservação da Caatinga sofreram degradação ambiental em 15 anos. Entrevista especial com Neison Cabral Ferreira Freire IHU O resultado do monitoramento e da análise de 14 Unidades de Conservação localizadas no bioma Caatinga, que correspondem a 1% da ocupação do território, não é muito animador, porque “nos últimos 15 anos houve uma degradação ambiental de graus variados” em todas as unidades estudadas, diz o pesquisador Neison Cabral Ferreira

Atlas das Caatingas mostra problemas em 14 unidades de Conservação federais de proteção integral no bioma

    Ocupação irregular de terras, desmatamento, falta de estrutura e de demarcação foram alguns dos problemas encontrados, em três anos de pesquisa da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), em 14 unidades de Conservação federais de proteção integral, localizadas no bioma Caatinga brasileira. O Atlas das Caatingas reúne em detalhes informações fundiárias e da flora de cada uma das áreas estudadas, e virou também documentário, pré-lançado na terça-feira (9) no Recife. Um dos biomas

Avanço da desertificação da Caatinga gera impactos socioeconômicos na região

  Desertificação da Caatinga gera impactos socioeconômicos. Entrevista especial com Humberto Barbosa IHU O desflorestamento, o uso intensivo de terras para a agricultura e a pecuária e a retirada de lenha para fins energéticos e de mineração estão entre os fatores que originaram o processo de desertificação na Caatinga, especialmente na região da Paraíba, a qual tem aproximadamente 94% de suas terras afetadas por esse processo, diz Humberto Barbosa, coordenador do Laboratório de

Desmatamento da Caatinga tem intensificado a desertificação do semiárido brasileiro. Entrevista com Lêdo Bezerra de Sá

  “O semiárido todo tem um milhão de km², então cerca de 10% a 15% dessa área está numa situação de severidade muito grande”, adverte o pesquisador da Embrapa. Foto: diariodonordeste.com.br  Mais de 50% das áreas do semiárido brasileiro já “estão com processo de desertificação acentuado”, e cerca de 10 a 15% do território enfrenta uma situação de desertificação severa. Para se ter uma ideia, a soma das extensões de terras degradadas no

Caatinga paraibana pode ganhar nova unidade de conservação

  O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) – centro especializado vinculado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) localizado em Cabedelo (PB) - apresentou estudo sobre a Serra do Comissário, situada no sertão paraibano, que indica a região como área prioritária para conservação da caatinga. Segundo os dados do Ministério do Meio Ambiente (MMA), de 2004, existem 57 áreas consideradas prioritárias para a conservação da biodiversidade

Ibama embarga 492 hectares desmatados ilegalmente na caatinga paraibana

    Agentes ambientais da Superintendência do Ibama na Paraíba identificaram e embargaram 44 áreas que estavam sendo desmatadas ilegalmente, num total de 492 hectares, durante a primeira etapa da operação Mandacaru. A fiscalização foi durante o período de 21 de fevereiro a 09 de março último, e tinha por objetivo coibir o desmatamento ilegal e a exploração irregular de vegetação nativa no bioma Caatinga. A ação fiscalizatória foi realizada em mais de

Manejo florestal melhora vida de mil famílias e reduz pressão de desmatamento no semiárido

  Na Serra do Araripe, entre Ceará, Pernambuco e Paraíba, lenha é retirada de forma sustentável.     Por Pauleinir Constâncio, MMA O manejo florestal representa renda adicional que está mudando a vida de mil famílias no semiárido nordestino e reduzindo a pressão do desmatamento sobre os processos de desertificação. Na Serra do Araripe, região entre os estados do Ceará, Pernambuco e Paraíba, em pouco menos de três anos pequenos produtores rurais e assentados do

Top