Emergência Climática – Refugiados climáticos: uma realidade brasileira, por Sucena Shkrada Resk

  Refugiados climáticos: Estudos reforçam a necessidade de uma atenção maior a fluxos migratórios internos do país, principalmente decorrentes da região Nordeste Compreender os processos migratórios no Brasil tem sido objeto de pesquisadores da área ambiental, especialmente de mudanças climáticas, nos últimos anos. O que antes era praticamente creditado a questões estritamente socioeconômicas, hoje já tem uma análise mais aprofundada. Os deslocamentos humanos ou processos migratórios ambientais têm ganhado uma atenção especial.

Em 13 anos, as áreas suscetíveis à desertificação no Semiárido são agora quase desérticas e ocupam 13% da região

  IHU Em 2006, no Semiárido havia áreas suscetíveis à desertificação. Eram 6 núcleos - Cabrobó (PE), Gilbués (PI), Inhamus (CE), Irauçuba (CE), Jaguaribe (CE) e Seridó (PB e RN) - que foram divulgados no Plano Nacional sobre Mudança do Clima, o PAN da Desertificação. Hoje, esses núcleos agravaram em muito a situação de degradação e se tornaram o epicentro das áreas quase desérticas do Semiárido que passaram a existir em pouco mais de uma década. No total, o Semiárido tem hoje 13% do seu território classificada como quase desértica. É o que apontou

O ainda desconhecido Semiárido brasileiro, artigo de Flávio José Rocha da Silva

  [EcoDebate] Para uma parte da população do Brasil, o Nordeste e o Semiárido são sinônimos. Muitos brasileiros não sabem que não há sequer um quilômetro de terra semiárida no estado nordestino do Maranhão ou que há mais pessoas habitando o Semiárido mineiro do que no seu similar no estado do Piauí. Minas Gerais tem quase três vezes o número de pessoas habitando a sua região semiárida do que o Semiárido

Bancos de sementes e tecnologias de captação de água contribuem para o desenvolvimento sustentável no semiárido

Bancos de sementes e tecnologias de captação de água - Projeto atende 3.731 famílias que vivem em 69 municípios: 3.560 com bancos de sementes e 171 com cisternas e barreiros trincheiras     Os nove estados que compõem o semiárido brasileiro - Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe - terão, até o final deste semestre, a conclusão de 178 bancos de sementes comunitários. A iniciativa

Encontro discute segurança alimentar, produção de base agroecológica e convivência com o semiárido

    O coordenador nacional da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), Naidison Quintella, afirmou ontem (6) que o Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e outras Tecnologias Sociais (Programa Cisternas), financiado pelo governo federal desde 2003, teve seu orçamento reduzido em cerca de R$ 475 milhões nos últimos anos. Segundo ele, a iniciativa, que tinha um aporte de aproximadamente R$ 500 milhões em 2015 e dispõe, atualmente, de um orçamento

Saúde no semiárido: Impactos da seca na saúde humana

  Saúde no semiárido é tema de reportagem da série Clima e Saúde Por Graça Portela (Icict/Fiocruz) Como será morar em cidades que a média do índice pluviométrico mensal varia entre 0,67 mm a 2,48 mm? Como será morar em uma cidade que a chuva é rara, impactando a saúde física e mental da população? Essa é a realidade com a qual convivem, em tempos de seca, cidades como Sebastião Laranjeiras (BA), Janaúba

Iniciativa utiliza tecnologia de reuso de água para irrigação no Semiárido

    Passados dezesseis meses em que foi vencedor do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2015, o projeto Água Viva: Mulheres e o Redesenho da Vida no Semiárido do Rio Grande Norte segue firme no reuso de água nos quintais produtivos, uma alternativa que gera vida e renda para as famílias. Já são 14 sistemas de reuso instalados, com 14 mulheres beneficiadas diretamente e outras 50 de forma indireta,

Avanço da desertificação da Caatinga gera impactos socioeconômicos na região

  Desertificação da Caatinga gera impactos socioeconômicos. Entrevista especial com Humberto Barbosa IHU O desflorestamento, o uso intensivo de terras para a agricultura e a pecuária e a retirada de lenha para fins energéticos e de mineração estão entre os fatores que originaram o processo de desertificação na Caatinga, especialmente na região da Paraíba, a qual tem aproximadamente 94% de suas terras afetadas por esse processo, diz Humberto Barbosa, coordenador do Laboratório de

Previsão climática do MCTIC estima que seca no semiárido nordestino deve se agravar até maio

  Período considerado chuvoso terá precipitações abaixo da média histórica do extremo norte da Bahia até o leste do Piauí, piorando níveis dos reservatórios de água da região. Além de comprometer o abastecimento de água para a população, estiagem prejudica a atividade econômica do semiárido. Previsão também indica cheia em rios da Amazônia.   Com chuvas abaixo da média histórica, a seca no semiárido deve se agravar até maio. A informação é do

Cisternas permitem maior oferta de água potável à região do semiárido

    Obras vão garantir consumo de água, produção de alimentos e criação de pequenos animais Por Portal Brasil A Fundação Banco do Brasil (FBB) realizará investimento social de R$ 17,3 milhões para garantir o acesso à água potável a cerca de 14,3 mil pessoas prejudicadas pelos efeitos da seca no nordeste e no norte de Minas Gerais. A aplicação do recurso, anunciada na quarta-feira (22), possibilitará a implantação de 3.588 cisternas para captação e

Seca no semiárido do Nordeste do país, que já dura seis anos, poderá se agravar até abril

    Por Claudia Izique | Agência FAPESP A seca no semiárido do Nordeste do país, que já dura seis anos, poderá se agravar até abril: há 75% de probabilidade de as chuvas ficarem na média e abaixo da média climatológicas entre os meses de fevereiro e abril, aponta o último relatório do Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal (GTPCS) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTI). As previsões, produzidas com

A questão hídrica atual do Nordeste seco! artigo de João Suassuna

    O setentrional nordestino, que há cinco anos vem enfrentando situações de seca, está em “estado de emergência” e muitos dos municípios da região, como o de Campina Grande, na Paraíba, que tem aproximadamente 355 mil habitantes, e Caruaru, em Pernambuco, com 300 mil habitantes, enfrentam problemas de abastecimento de água para o consumo de suas populações. O maior problema da seca é que não há gestão dos recursos hídricos e, em

Top