Os retrocessos no Semiárido Brasileiro, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] Vários retrocessos vieram junto com o governo interino desde o primeiro dia. Um ministério do tempo do Brasil Império – só homens de bens e brancos, sem negros, mulheres e indígenas -, o anúncio do corte na saúde, na educação, encolhimento do SUS, desvinculação do salário dos aposentados em relação ao salário mínimo, eliminação do MINC, daí prá frente. Dentre esses retrocessos os que mais impactam o Semiárido são o

Coleta de esgoto não chega a 70% da população do Semiárido

    Das 14 milhões de pessoas que moram nas áreas urbanas dos 1.135 municípios do Semiárido brasileiro, cerca de 10 milhões (71%) não são beneficiadas com coleta de esgoto sanitário, destinando os dejetos gerados em fossas, sumidouros, valas abertas ou diretamente nos rios. A estimativa consta da publicação “Esgotamento Sanitário: Panorama para o Semiárido brasileiro”, lançada pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa). Desse total, apenas 243 cidades (21%) usam a coleta. O

As reportagens sudestinas sobre a seca do Nordeste, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

    [EcoDebate] É duro ter que ler ou assistir as reportagens da mídia sudestina sobre a seca do Nordeste. Só mesmo pelos ossos do ofício. De fato, a seca não muda. Ela só se agrava, ainda mais com as mudanças climáticas. Afinal, esse é o erro mortal de todas as reportagens: aqui não é a Mata Atlântica, a Amazônia ou o Pantanal, mas é o Semiárido. Aqui seca é normal, seja a

Força do El Niño deve agravar a seca que atinge o semiárido, diz Cemaden

  Relatório divulgado nesta quarta-feira (18) aponta para cenário de poucas chuvas no Nordeste entre fevereiro e maio de 2016. Seca atinge 910 municípios e um milhão de propriedades da agricultura familiar. Relatório divulgado nesta quarta-feira (18) pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI) aponta para um cenário de poucas chuvas na região Nordeste entre fevereiro e maio de 2016, o que deve agravar os impactos da seca

Cisternas de enxurrada ajudam a produção agrícola no Semiárido

  Agricultura familiar - Das mais de 120 mil tecnologias sociais de apoio à produção entregues no Semiárido, cerca de 14 mil são cisternas de enxurrada     A chuva que começa a cair já tem mudado o retrato do município de Areial, no sertão paraibano, a 170 quilômetros de João Pessoa. “No último mês, caiu uma garoazinha por três dias. Acredito que, aos poucos, vamos conseguir progredir e plantar cada vez mais”, conta

Desmatamento da Caatinga tem intensificado a desertificação do semiárido brasileiro. Entrevista com Lêdo Bezerra de Sá

  “O semiárido todo tem um milhão de km², então cerca de 10% a 15% dessa área está numa situação de severidade muito grande”, adverte o pesquisador da Embrapa. Foto: diariodonordeste.com.br  Mais de 50% das áreas do semiárido brasileiro já “estão com processo de desertificação acentuado”, e cerca de 10 a 15% do território enfrenta uma situação de desertificação severa. Para se ter uma ideia, a soma das extensões de terras degradadas no

Desertificação é avançada em mais de 20 núcleos do Semiárido, diz especialista

    Em audiência pública no Senado, na quinta-feira (9), especialistas alertaram para os riscos de crescente desertificação na região do Semiárido. De acordo com Iêdo Bezerra de Sá, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), mais de 20 núcleos territoriais da região já apresentam alto grau de degradação. Assinalou que a desertificação não resulta apenas das variações climáticas, mas também do peso da ação humana sobre o ambiente. – Se deixar chegar

Cisternas, de captação de água da chuva, ajudam sertanejos a conviver com a seca

  Os reservatórios de água arredondados, com cobertura em forma de cone, feitos de placas de cimento e pintados de branco já fazem parte do cenário do Semiárido brasileiro. Os equipamentos dão um alento a 22 milhões de pessoas, famílias que vivem no sertão nos estados de Alagoas, da Bahia, do Ceará, de Minas Gerais, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí, do Rio Grande do Norte e de Sergipe. Na comunidade Pereiros,

Entidades do Semiárido brasileiro criticam novo modelo de cisternas feito de plástico

  Pelos caminhos do Semiárido brasileiro, a cor cinza e o material plástico destoam do cenário tipicamente sertanejo. Reservatórios de água feitos de polietileno são instalados nas casas das famílias como uma opção simples e rápida para o armazenamento de água, no lugar das cisternas de placas. O projeto, encampado pelo Ministério da Integração Nacional dentro do programa Água para Todos, tem como objetivo acelerar a instalação de sistemas de captação

Especialista alerta para degradação e desertificação no Semiárido

  “O processo de degradação e de desertificação está em marcha acelerada no Semiárido, então alguma coisa tem que ser feita e agora temos um agravante que é o aquecimento global”. O professor João Ambrósio de Araújo Filho é grande entendedor do Semiárido brasileiro. Possui vasta experiência no assunto manejo agrossilvipastoril da Caatinga. Ao longo de sua trajetória, realizou pesquisas de grande relevância social e ambiental para a região. Recentemente, ele

Reservatórios do Semiárido estão com 30% do volume armazenado, aponta Insa

  Alerta para agravamento da situação está na sexta edição do boletim Monitoramento dos Reservatórios da Região Semiárida, divulgada pelo Instituto Nacional do Semiárido O Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI) publicou a sexta edição do boletim mensal que compartilha informações atualizadas sobre a disponibilidade de água no Semiárido. O monitoramento de 453 reservatórios, cuja capacidade máxima de armazenamento de água soma 40,26 mil hectômetros cúbicos (hm³), mostra que o volume armazenado é

Nova Russas, no Ceará, é a primeira beneficiária do Programa Cisterna nas Escolas

  Nova Russas, no Ceará, é a primeira beneficiária do Programa Cisterna nas Escolas, que irá atender 5 mil centros de ensino em 254 municípios da região até 2016; Armazenamento de água da chuva é fundamental para garantir segurança alimentar e aulas durante período de estiagem A insegurança alimentar causada pela falta de água para consumo nas escolas é uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos estudantes da região do Semiárido brasileiro, que

Técnicas para armazenar água e produzir alimentos ajudam a convivência com o semiárido

    A solução para reduzir os impactos negativos da seca está no próprio Semiárido. É o que demonstram diversas famílias e comunidades cearenses que conseguem fazer bom uso dos recursos que ficam escassos nos meses de estiagem. E muita coisa é feita ali, ao lado das casas. O agricultor João Firmino, 85 anos, desceu a serra de Baturité, no centro-norte do Ceará, na década de 1950 para viver no Sertão Central

Manejo florestal melhora vida de mil famílias e reduz pressão de desmatamento no semiárido

  Na Serra do Araripe, entre Ceará, Pernambuco e Paraíba, lenha é retirada de forma sustentável.     Por Pauleinir Constâncio, MMA O manejo florestal representa renda adicional que está mudando a vida de mil famílias no semiárido nordestino e reduzindo a pressão do desmatamento sobre os processos de desertificação. Na Serra do Araripe, região entre os estados do Ceará, Pernambuco e Paraíba, em pouco menos de três anos pequenos produtores rurais e assentados do

Insa publica dados sobre monitoramento dos reservatórios do semiárido

  Dados do boletim mensal relatam decréscimo no volume de água nos principais reservatórios. Probabilidade de chuvas é 45% menor Os volumes de água armazenados nos reservatórios do Semiárido Brasileiro vem decrescendo mensalmente e 45% de probabilidade das previsões meteorológicas apontam menos chuvas para o primeiro trimestre de 2015 na região O boletim mensal compõe o Sistema de Gestão da Informação e do Conhecimento do Semiárido brasileiro (SigSab), um projeto do Instituto

Instituto Nacional do Semiárido recorre à tradição oral para estudar as propriedades medicinais das plantas na região

    O potencial de espécies de plantas da Caatinga é o foco do Núcleo de Bioprospecção e Conservação da Caatinga (NBioCaat), coordenado pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa). O trabalho da rede é realizado no Parque Nacional do Catimbau, unidade de conservação do semiárido de Pernambuco. A rede reúne profissionais de todo o país, oriundos de diversas instituições e áreas de pesquisa: são químicos, físicos, farmacêuticos, biomédicos, biólogos e engenheiros unidos com

Transposição: uma análise cartesiana, estudo de Manoel Bomfim Ribeiro ( 23/12/1930 e + 03/12/2012)

1) Introdução Este trabalho mostra o quadro real da Transposição, como tudo ocorreu desde o início e as razões subterrâneas que levam à execução desta mega-obra que, em nada, resolverá os problemas hídrico do Semi-Árido brasileiro. Esta região já possui um grande manancial de água construído pela tenacidade do homem do Nordeste. É um grande cubo de 37 quilômetros cúbicos de água armazenados nos milhares de reservatórios espalhados por todos os

Fundação BB oficializa cumprimento da meta de construção de 80 mil cisternas de placas no semiárido brasileiro

  A cisterna de placas é uma tecnologia social que contribui para a universalização da água.   As cisternas permitem o armazenamento d'água para convivência de 300 mil pessoas com o período de seca   Nesta terça-feira, 10, a Fundação Banco do Brasil oficializa o cumprimento da meta de construção de 80 mil cisternas de placas no semiárido brasileiro. Com investimento social de R$ 180 milhões, a entrega é um marco histórico da atuação da

Cisternas garantem água e mudam vidas no Semiárido, diz ASA

  Foto: ABr   Antes de a cisterna ser construída no terreno da casa de Francisca Leitão Matos, da comunidade de Vertente, em Apuiarés (CE), ter acesso à água era difícil. “A gente não tinha água boa e de qualidade para tomar, não tinha como você guardar aquela água que chegava no inverno. Ela acabava e você ficava sem”, relata Francisca, que tinha que andar quilômetros para conseguir água para beber e cozinhar. Francisca

Palma Forrageira: um adensamento providencial, artigo de João Suassuna

  [EcoDebate] As espécies Opuntia fícus indica e Nopalea cochenilifera representam, botanicamente, as variedades, Palma Gigante e a Miúda, respectivamente. Essas xerófilas vêm salvando a pecuária do Semiárido nordestino, quando da ocorrência das secas que assolam a região. No início dos anos 2000, o ex-deputado pernambucano, Ricardo Fiúza, preocupado com a alimentação da pecuária do Estado de Pernambuco, viajou para o México e Estados Unidos, para conhecer, naqueles países, a produção

Top