Iniciativa utiliza tecnologia de reuso de água para irrigação no Semiárido

 

Quintal Agroecológico de Monte Alegre. Foto: FBB
Quintal Agroecológico de Monte Alegre. Foto: FBB

 

Passados dezesseis meses em que foi vencedor do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social 2015, o projeto Água Viva: Mulheres e o Redesenho da Vida no Semiárido do Rio Grande Norte segue firme no reuso de água nos quintais produtivos, uma alternativa que gera vida e renda para as famílias. Já são 14 sistemas de reuso instalados, com 14 mulheres beneficiadas diretamente e outras 50 de forma indireta, com troca de experiências, comercialização solidária e assessoria técnica.

Desenvolvido em 2013 pelo Centro Feminista 8 de Março (CF8), em parceria com a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) e financiamento da União Europeia, o projeto foi vencedor da categoria Recursos Hídricos do Prêmio. Outras iniciativas promovidas por entidades sem fins lucrativos e que se revelam solução efetiva para desafios da comunidade podem se inscrever na edição 2017 do concurso até 31 de maio (ver informações abaixo).

Implementada no assentamento Monte Alegre, da cidade de Upanema (RN) e em outros municípios da região oeste do estado, a tecnologia social tem ativa participação feminina e consiste no reaproveitamento da água utilizada nas atividades domésticas, como lavagem de louça e roupa, e para irrigação de frutas e hortaliças agroecológicas, após processo de filtragem.

De acordo com a assessora técnica, Ivi Aliana Dantas, após o Prêmio, a tecnologia recebeu visitas de muitas pessoas do Rio Grande do Norte e de outros estados. A iniciativa também ganhou visibilidade internacional, recebendo intercâmbios de países do Mercosul. O prêmio também possibilitou a edição de uma publicação sobre a mobilização das mulheres no desenvolvimento e o passo a passo da construção da tecnologia.

“A premiação da Fundação Banco Brasil possibilitou o debate e práticas em reuso de água, tecnologia que consideramos muito importante para a convivência com o semiárido. Para o CF8 e para as mulheres do assentamento Monte Alegre, o prêmio ampliou a visibilidade das ações e reconhecimento pelo trabalho realizado”, declarou.

Conheça mais sobre a tecnologia: https://youtu.be/jmfflq-dPPM

Prêmio 2017

Com inscrições abertas até o dia 31 de maio, a 9ª edição do Prêmio vai certificar e premiar iniciativas capazes de gerar soluções para os diversos problemas sociais. Podem participar instituições sem fins lucrativos, como fundações, organizações da sociedade civil, instituições de ensino e pesquisa, legalmente constituídas no Brasil, de direito público ou privado, e que tenham sua iniciativa desenvolvida no País.

Além disso, foi criada categoria internacional com os temas “Água e Meio Ambiente, Agroecologia ou Cidades Sustentáveis”, destinada a iniciativas realizadas em um ou mais países da América Latina e do Caribe, que possam ser reaplicadas no Brasil. Serão três finalistas por categoria e as vencedoras serão conhecidas na cerimônia de premiação em novembro. Todas as categorias são relacionadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS, diretrizes e metas da Organização das Nações Unidas para a Agenda 2030.

Este ano, o concurso tem a cooperação da UNESCO no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

As iniciativas inscritas passam também por processo de certificação e caso sejam validadas passam a integrar o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, base de dados que já possui 850 iniciativas.

O BTS tem a finalidade de promover metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras. O conteúdo está disponível em português, inglês, francês e espanhol, além de app para os sistemas operacionais de celular iOS e Android.

Os resultados de cada etapa do Prêmio serão divulgados no site da Fundação Banco do Brasil (www.fbb.org.br) e no BTS (tecnologiasocial.fbb.org.br ).

A leitura do regulamento e o procedimento de inscrição podem ser feitos no site: www.fbb.org.br/premio

Fonte: Fundação Banco do Brasil

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/04/2017

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Iniciativa utiliza tecnologia de reuso de água para irrigação no Semiárido

  1. Parabéns pela iniciativa e pelo prêmio!
    O Nordeste não pode mais ficar na situação em que se encontra.
    Todos sabemos que a água é fundamental para qualquer atividade econômica e, por isso, precisa ser usada e reusada quantas vezes for possível.
    O mesmo deve ser feito com as águas do rio São Francisco. Cada município às margens dos canais de transposição deve instalar seu sistema de reúso da água. Os municípios que não tiverem tecnologia para tal, devem solicitar apoio da Agência Nacional de Águas.

Comentários encerrados.

Top