Saem os radares, entram os acidentes e as mortes, artigo de Hender Gifoni

    [EcoDebate] Foi publicada no Diário Oficial da União, dia 15 de agosto, a determinação do presidente da República, Jair Bolsonaro, de suspender o uso de radares móveis em rodovias federais. Tal medida vai ao encontro de sua fala no Rio Grande do Sul, enquanto participava da liberação de um trecho duplicado da BR 116. Bolsonaro afirmou que existe uma “máfia de multa, que vai para os bolsos de uns poucos daqui

Consórcios de recursos hídricos, rumo a governança na gestão, parte 2/2 (Final), artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] MATOS (2013) assinala sobre a caracterização dos consórcios pesquisados, que possuem grande disparidade em relação ao tamanho da bacia hidrográfica. Questionados sobre quais seriam os fatores que dificultam a consolidação dos consórcios, os responsáveis do consórcio assinalam que a articulação entre os municípios foi o fator que obteve o maior número de indicações. Em seguida vêm as dificuldades estruturais, como a captação de recursos e apoio técnico, com 19% das indicações,

Bolsonaro ignora o meio ambiente e o que a ciência diz

    “Bolsonaro ignora o meio ambiente e o que a ciência diz”. Entrevista com Thomas Lovejoy IHU Conselheiro de três ex-presidentes americanos e estudioso da Amazônia desde 1965, o biólogo Thomas Lovejoy alerta para efeitos irreparáveis do desmatamento. Em entrevista, ele classifica o trabalho do Inpe de impecável. Conselheiro ambiental dos ex-presidentes americanos Ronald Reagan, Bill Clinton e George W. Bush e ex-conselheiro-chefe do Banco Mundial para biodiversidade, o biólogo Thomas E. Lovejoy estuda a Amazônia desde 1965. Conhecido como o "padrinho da biodiversidade" por popularizar o termo na década

Estudo aponta que principais órgãos ambientais do governo não cumprem na íntegra legislação de transparência de dados

Levantamento do Imaflora utilizou critérios do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União para analisar abertura de dados de seis órgãos socioambientais  Por Israel Lippe São Paulo, 06 de agosto de 2019 - Três anos após a aprovação da Política de Dados Abertos do Poder Executivo Federal, criada para ampliar a transparência do governo, os principais órgãos federais da área socioambiental estão descumprindo a lei. Um dos orgãos, inclusive, sequer divulgou seu

O descalabro da gestão ambiental no Governo Bolsonaro

  O descalabro da gestão ambiental no Governo Bolsonaro. Entrevista especial com Aldem Bourscheit   Por: João Vitor Santos | IHU Ainda bem antes de 1500, quando o Brasil foi “descoberto”, degredados, náufragos e viajantes sempre achavam uma forma de tirar proveito de fauna e flora abundantes. Com o “descobrimento”, a expropriação foi oficialmente deflagrada. Passamos pela Colônia, a chamada República Velha e anos da “nova” República sem que a preservação do meio ambiente fosse de fato uma preocupação estatal. “Nossa história é repleta

Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) avalia que o Brasil desativou 16 mil leitos de internação pediátrica desde 2010

    Desde 2010, houve queda de leitos de internação pediátrica tanto no SUS como em unidades privadas ABr Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) mostrou que nos últimos nove anos o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, aqueles destinados a crianças que precisam permanecer no hospital por mais de 24 horas. Segundo a SBP, dados obtidos no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), mantido pelo Ministério da

Brasil, um cemitério de obras inacabadas, artigo de Janguiê Diniz

    [EcoDebate] Orçamento, custo, prazo de conclusão. Essas são informações que nós vemos nas placas de todas as obras públicas no Brasil. O resultado, porém, não se encontra. A Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) realizou levantamento e constatou que, de 2009 para cá, existem 2.555 grandes obras paradas no país. O que mais preocupa é que o setor mais afetado por essa paralisia é o da

Bolsonaro diz que busca parceria internacional para a exploração do território amazônico brasileiro

  Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil   Em resposta a questionamentos de países europeus sobre a gestão das riquezas naturais da Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro disse no sábado (27), durante cerimônia de formatura de paraquedistas no Rio de Janeiro, que busca parcerias “no primeiro mundo” e, em especial com os Estados Unidos, para a exploração do território amazônico brasileiro. “O senhor presidente da França [Emmanuel Macron], a senhora Merkel [chanceler da Alemanha] queriam que

Cientistas rebatem decisões do governo tomadas sem sustentação factual ou científica

  Em meio a ataques, Coalizão Ciência e Sociedade usa ciência para contrapor visão socioambiental do governo Por Ivanir Ferreira, Jornal da USP m um movimento crescente de união da comunidade científica brasileira, em meio aos ataques recebidos, pesquisadores constituíram o grupo Coalizão Ciência e Sociedade. O objetivo é oferecer informações e subsidiar políticas com embasamento científico, a fim de permitir discussões sobre tomadas de decisões e rebater colocações de gestores do governo

A extinção da política ambiental no Brasil e os riscos para a vida no planeta

  A extinção da política ambiental no Brasil e os riscos para a vida no planeta. Entrevista especial com Cristiana Losekann Por João Vitor Santos, IHU Desde que tomou posse, as ações do governo de Jair Bolsonaro têm deixado claro que o meio ambiente é uma área que deve se submeter às demais. E por aí vem liberação recorde de agrotóxicos, questionamentos sobre dados de desmatamento, o desejo de emprego de recursos do Fundo Amazônia para indenizar agricultores (quando o recurso

Redução da maioridade penal: um populismo que custa caro, artigo de André Szesz

[EcoDebate] De forma recorrente, o tema da maioridade penal ressurge nos debates públicos, seja com o renascimento de proposições de redução da idade mínima para a imputabilidade penal ou acompanhadas de promessas de redução das estatísticas de infrações praticadas por jovens. A mais nova proposição é a do senador Flávio Bolsonaro, que pretende reduzir a maioridade penal para 16 anos como regra geral e para 14 anos em casos de

Bolsonaro, o ecocida; análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  JORNAL DA UNICAMP TEXTO LUIZ MARQUES FOTOS LEONOR CALASANS | IEA-USP EDIÇÃO DE IMAGEM LUIS PAULO SILVA O mote Écrasons l’infâme, com o qual Voltaire assinava suas cartas, exprimia sua indignação contra o obscurantismo e o desprezo pela ciência. No Brasil de hoje, a infâmia chama-se Bolsonaro, agente de anomia social e, acima de tudo, um ecocida que está acelerando exponencialmente a trajetória de nossas sociedades em direção a um colapso socioambiental. É preciso que

Top