Mortandade de abelhas é indicador biológico da saúde do meio ambiente: tudo pode estar contaminado

  Mortandade de abelhas é indicador biológico: tudo pode estar contaminado. Entrevista especial com Dayson Castilhos Patricia Fachin, IHU A correlação entre o uso de agrotóxicos em lavouras agrícolas e a mortandade de abelhas é apontada em estudo recente, realizado por Dayson Castilhos, autor da tese de doutorado “Desaparecimento e morte de abelhas no Brasil, registrados no aplicativo Bee Alert”. A partir de análises toxicológicas em duas matrizes de abelhas africanizadas em seis estados brasileiros, Castilhos afirma que

Agrotóxicos e a contaminação invisível, artigo de Roberto Naime

    Agrotóxicos e a contaminação invisível [EcoDebate] Uma parte dos agrotóxicos pode se acumular no organismo humano e podem interagir entre si, produzindo efeitos adversos diferentes, às vezes mais graves do que se tivessem sido provocados separadamente por produtos isolados. É como misturar efluentes industriais antes do tratamento. As substâncias reagem entre si e o princípio das propriedades emergentes, que da biologia, é mobilizado às avessas. Uma preocupação especial é em relação a

Estudo indica que combinação de agrotóxicos encurta a vida e modifica comportamento de abelhas

    Peter Moon  |  Agência FAPESP – Um novo estudo realizado por biólogos brasileiros sugere que o efeito dos agrotóxicos sobre as abelhas pode ser maior do que se imagina. Mesmo quando usado em doses consideradas não letais, um inseticida encurtou o tempo de vida dos insetos em até 50%. Além disso, os pesquisadores observaram que uma substância fungicida considerada inofensiva para abelhas alterou o comportamento das operárias, tornando-as letárgicas –

O que o agrotóxico do agronegócio está matando, por Jacques Távora Alfonsin

  "Já foram liberados pela atual administração pública da União 121 agrotóxicos, ou seja, até ali, um por dia. 28 deles classificados como 'extremamente tóxicos'. Outros 30 produtos já se encontram na fila para registro. A notícia arrola um número significativo de empresas multinacionais e brasileiras que se habilitam à permissão de venda para esse tipo de veneno", escreve Jacques Távora Alfonsin, procurador aposentado do estado do Rio Grande do Sul

Agricultores consomem agrotóxico porque fumam ao aplicar, diz ministra da Agricultura em audiência pública

  Tereza Cristina não apresentou estudos para embasar afirmação feita durante audiência pública na Câmara dos Deputados. Chamada para explicar aumento de aprovação de agrotóxicos, Ministra defendeu a política e culpou agricultores pela má aplicação Por Pedro Grigori, Agência Pública/Repórter Brasil   A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, esteve na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (9/4) para esclarecer os critérios utilizados para a liberação do uso de agrotóxicos no Brasil. Em menos de

Produção agrícola baseada no uso indiscriminado de pesticidas afeta os polinizadores naturais

  Uso indiscriminado de pesticidas afeta os polinizadores Morte de meio bilhão de abelhas é consequência de agrotóxicos Por Caroline Aragaki, da Rádio USP.   Abelha – Foto: Marcos Santos/USP   Em três meses, meio bilhão de abelhas foram encontradas mortas no Brasil. É o que aponta o levantamento da Agência Pública e Repórter Brasil. O professor Tiago Maurício Francoy, do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da

Agrotóxicos e orgânicos na saúde, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Tatiane Vargas no site da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) elabora reflexão e entrevista Josino Costa Moreira, então coordenador do Laboratório de Ecotoxicologia do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da ENSP. Nas últimas semanas, uma discussão sobre o cultivo de alimentos de maneira orgânica e da forma tradicional, com uso de agrotóxicos, tem promovido grande polêmica entre os especialistas do tema. Um estudo da Universidade

Agrotóxicos são um realmente necessários? artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] Flavia Londres elabora relevante e consistente reflexão. Embora a agricultura seja praticada pela humanidade há mais de dez mil anos, o uso intensivo de agrotóxicos para o controle de pragas e doenças das lavouras existe há pouco mais de meio século. Se originaram após as grandes guerras mundiais, quando a indústria química fabricante de venenos então usados como armas químicas encontraram na agricultura um novo mercado para os seus produtos.

Agrotóxico e câncer, não; agroecologia, sim, artigo de Gilvander Moreira

Agroecologia aponta para um modelo de produção popular e livre da 'epidemia' de câncer com o uso e a aplicação de agrotóxicos nas lavouras Agrotóxico e câncer, não; agroecologia, sim. Por Gilvander Moreira1 Já está acionada a luz vermelha sobre a relação da ‘epidemia’ de câncer com o uso e a aplicação de agrotóxicos nas lavouras de monoculturas do café, da cana, do eucalipto, do feijão, da soja e outras.     Está comprovado pelo Programa

Pesquisa indica que exposição a agrotóxicos durante a gravidez aumenta o risco de autismo nas crianças

  Agrotóxicos e autismo: relação demonstrada - Maior pesquisa já feita sobre a exposição a venenos agrícolas, durante a gravidez, conclui que ela aumenta risco de desenvolver transtorno. Dados parecem devastadores A reportagem é de Raquel Torres, publicada por Outra Saúde, 21-03-2019.     Durante a gravidez e na primeira infância, a exposição a alguns dos agrotóxicos mais usados no mundo está ligada a um maior risco de as crianças desenvolverem o Transtorno do Espectro

O Brasil deveria se importar com a morte de abelhas

País enfrenta mortandade de colmeias em vários estados. Diminuição das espécies tem impactos na agricultura, meio ambiente e economia. Mas tema ainda é negligenciado. A reportagem é de Clarissa Neher, publicada por Deutsche Welle, 18-03-2019 e reproduzida pela IHU.     A morte de abelhas não é um fenômeno recente: é observada por pesquisadores ao menos desde a década passada. No entanto, nos últimos meses, a mortandade alcançou números alarmantes no Brasil. "A morte de

Pesticidas influenciam o desenvolvimento e a longevidade das abelhas que nidificam no solo

  Pesticidas - Estudo explora efeitos pouco compreendidos da exposição do solo em colônias subterrâneas de abelhas Por Rose Keane* **     Os resultados de um novo estudo sugerem que as abelhas podem estar expostas a pesticidas de mais maneiras do que pensávamos, e isso poderia afetar significativamente o seu desenvolvimento. O estudo, publicado na revista Nature's Scientific Reports, analisa os efeitos não-alvo de pesticidas em abelhas que nidificam no solo, um grupo que realmente

Top