Microclima e áreas verdes, artigo de Roberto Naime

  Microclima e áreas verdes [EcoDebate] Aconteceram grandes e relevantes alterações no cenário global dos últimos tempos. Dados indicam que pela primeira vez na história, na última década, a população urbana do mundo se tornou maior que a rural. No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), PNAD 2015, mais de 84% da população reside em áreas urbanas. A urbanização descontrolada, sem o adequado planejamento e as condições de

Sem uma visão sistêmica, a urbanização das cidades se alastra como mancha de óleo

  Sem uma visão sistêmica, a urbanização das cidades se alastra como mancha de óleo. Entrevista especial com Angélica Alvim Por: João Vitor Santos | IHU Quando ocorre um vazamento de óleo, a viscosidade do líquido faz com que ele se alastre e vá sufocando tudo que encontra pela frente, seja na água, seja na terra. E, na área contaminada pelo óleo, a vida se estabelece de forma precária. Essa metáfora é ilustrativa

A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica

  A expansão urbana desordenada e o risco de uma escassez hídrica. Entrevista especial com Pedro Roberto Jacobi Por Patricia Fachin, IHU A expansão urbana desordenada ou a ocupação inadequada de áreas da cidade geram “um somatório de problemas”, que se estendem desde a falta de moradia digna até a proliferação de doenças e o agravamento da crise ambiental. Como lembra o professor Pedro Roberto Jacobi, que pesquisa a "governança global da macrometrópole paulista face  às mudanças climáticas" e coordena o

Expansão urbana desordenada aumenta risco de faltar água na macrometrópole paulista

  Estudo divulgado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) mostra que a expansão urbana desordenada da população de baixa renda na chamada macrometrópole paulista se estende para áreas de preservação ambiental, pondo em risco o abastecimento de água na região. Do total de 33 milhões de habitantes da macrometrópole paulista, 3,8 milhões vivem hoje em condições precárias. Essa população está distribuída em 113 dos 174 municípios,

O pensamento ecossistêmico e a cidade, artigo de Roberto Naime

    O pensamento ecossistêmico e a cidade [EcoDebate] OLIVEIRA e MINIOLI (2012) considerando as tendências do crescimento e a crescente urbanidade, a civilização planetária e globalizada convive com importantes impactos e enfrenta todo tipo de destruição dos recursos naturais, culturais e do meio ambiente além de desigualdades socioeconômicas. esgotamento dos recursos naturais se associa com o acúmulo de resíduos e poluição, e estão inter-relacionados com a diminuição da biodiversidade e às mudanças climáticas. Estes

Urbanização acelerada aumenta a pressão para a transferência água das regiões rurais para as urbanas

  Uma equipe internacional de pesquisadores realizou a primeira revisão global sistemática de transferência de água das regiões rurais para as urbanas - a prática de transferir água das áreas rurais para as cidades para atender à demanda de populações urbanas em crescimento. Eles descobriram que 69 cidades com uma população de 383 milhões de pessoas recebem aproximadamente 16 bilhões de metros cúbicos de água realocada por ano - quase o fluxo

A construção de piscinões está longe de ser a solução ideal para o problema das inundações, diz especialista

  Chuvas, enchentes, desabamentos, desabrigados e mortes - Como solucionar a tragédia nossa de cada verão? Por Paulo Capuzzo, Rádio USP. Chuvas, enchentes, desabamentos, desabrigados e mortes. O cenário se repete a cada verão. Não chega a surpreender, portanto, que as enchentes tenham sido a maior causa de mortes da estação: entre dezembro de 2018 e março deste ano, aconteceram 38 mortes no Estado de São Paulo, um aumento de 280% em relação

Parque Augusta poderia ser uma referência paulistana para o lazer ambiental e o combate às enchentes, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  Parque Augusta     [EcoDebate] Conheci pelo G1 (Globo) alguns detalhes do Projeto de Construção do Parque Augusta, esquina da Augusta com a Caio Prado na capital paulista. Assustei-me um pouco com o grande número de “atrações” que o projeto pretende instalar naquele espaço, passando por cachorródromo, academia da 3ª idade, playground, praça, trilhas, arquibancada, bosque, etc.. Penso que essa seja uma preciosa oportunidade de conversarmos sobre quais as carências urbanas, e são

Telhados reflexivos podem reduzir o efeito de ilha de calor urbano e salvar vidas durante as ondas de calor

  Um novo estudo de modelagem da Universidade de Oxford e colaboradores estimou como a mudança da refletividade dos telhados pode ajudar a manter as cidades mais frias durante as ondas de calor e reduzir as taxas de mortalidade classificadas pelo calor. University of Oxford*     As cidades são geralmente alguns graus mais quentes do que o campo, devido ao efeito de ilha de calor urbana. Este efeito é causado, em parte, pela falta

Imperiosa a participação ativa de Arquitetos e Urbanistas para o correto equacionamento da tragédia urbana associada a áreas de risco, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    [EcoDebate] Os graves e recorrentes problemas de ordem geológico-geotécnica-hidrológica que têm vitimado milhares de brasileiros, como processos de enchentes, deslizamentos de taludes e encostas, solapamentos de margens de curso d’água e orlas litorâneas, têm tido sua principal origem na incompatibilidade entre as técnicas de ocupação urbana e as características geológicas e geotécnicas dos terrenos onde são implantadas. No caso dos deslizamentos, ou são ocupados terrenos que por sua alta instabilidade geológica

Queda de árvores urbanas: diagnóstico e soluções, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    Queda de árvores urbanas [EcoDebate] Recorrentemente, a todo final/início de ano repete-se a mesma novela: enchentes e quedas de árvores trazendo incômodos e tragédias para a população urbana. Dois fenômenos pelos quais ao homem, por seus erros, cabe a total responsabilidade. Com especial destaque para o direto envolvimento das administrações municipais. No caso específico das árvores, por proceder ou permitir o plantio de espécies arbóreas inteiramente inadequadas, por suas características, para os

Enchentes urbanas: a criminosa insistência em um modelo fracassado, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

    [EcoDebate] Apesar dos grandes recursos financeiros já investidos em obras e serviços de infraestrutura hidráulica, como ampliação das calhas de seus grandes rios, a dura realidade vem mostrando que um enorme número de médias e grandes cidades brasileiras estão cada vez mais vulneráveis a episódios de enchentes. Há uma explicação elementar para tanto: resistindo a admitir o total fracasso do modelo adotado para o enfrentamento do problema, todas essas cidades

Top