A luta pela terra cura as pessoas

Foto: No vídeo "A cura da terra", no youtube canal Agência Pública A luta pela terra cura as pessoas, artigo de Gilvander Moreira A luta pela terra, na experiência de acampamento, tem o poder de curar e resgatar a saúde das pessoas, além de resgatar as relações humanas quebradas A luta pela terra cura as pessoas Por Gilvander Moreira1 Para os Sem Terra do Acampamento Dom Luciano Mendes, hoje assentados no Assentamento Dom Luciano Mendes,

Terra, mãe que nos sustenta

  Terra, mãe que nos sustenta, artigo de Gilvander Moreira A cosmovisão dos/as camponeses/as decorre da experiência de quem teve a oportunidade de nascer na terra e crescer trabalhando na terra “Terra, mãe que nos sustenta” Por Gilvander Moreira1 Cleonice Silva Souza, camponesa Sem Terra, hoje, assentada no Assentamento Dom Luciano Mendes, em Salto da Divisa, no Baixo Jequitinhonha, MG, dia 21/9/2014, transbordando alegria, assim se expressou sobre a terra: “Essa terra aqui estava praticamente

Como o Estado brasileiro impede a reforma agrária?

  Como o Estado brasileiro impede a reforma agrária? artigo de Gilvander Moreira A luta pela terra e por reforma agrária é desqualificada como algo falso e anacrônico pela ideologia dominante ao veicular o posicionamento dos detentores dos poderes econômico e político Como o Estado impede a reforma agrária? Por Gilvander Moreira1 Como fruto da luta renhida pela terra, o campesinato organizado conseguiu inscrever na Constituição de 1988 (CF/88) também o artigo 186, que

Latifúndio: arma mortífera de exploração?

  Latifúndio: arma mortífera de exploração? artigo de Gilvander Moreira A terra, embora esteja associada ao modo de produção capitalista, não é capital, pois não é fruto do trabalho humano Latifúndio: arma mortífera de exploração? Por Gilvander Moreira1 A reflexão estimula o sem-terra, o sem-teto, o atingido pela mineração devastadora, o negro, a pessoa vítima da homofobia e todas as pessoas exploradas e/ou discriminadas a descobrir-se como oprimido, superexpropriado pelo capital nas suas relações

Paulo Freire na luta pela terra

  Paulo Freire na luta pela terra, artigo de Gilvander Moreira Freire diz que “ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho: os homens se libertam em comunhão” Paulo Freire na luta pela terra Por Gilvander Moreira1 Secularmente, a terra vem sendo aprisionada pelas forças e estruturas do capital que, em um processo avassalador, avança de forma ilimitada sobre o Campo e a Cidade. Karl Marx, Boaventura Sousa, Istvan Mèszáros e tantos outros teóricos da

Luta pela terra incomoda o capital e o Estado

  Luta pela terra incomoda o capital e o Estado Por Gilvander Moreira1 A luta pela terra, luta por um direito humano fundamental ao acesso à terra, travada pelos Sem Terra é uma luta que interpela o Estado, a classe dominante e o pensamento pedagógico, inclusive, além de outros incômodos que desencadeia. Nesse sentido, Miguel Arroyo, no livro Outros Sujeitos, Outras Pedagogias, analisa: “A tomada de consciência dessas populações mantidas por séculos sem

É necessário compreender a luta pela terra enquanto pedagogia de emancipação humana

  É necessário compreender a luta pela terra enquanto pedagogia de emancipação humana Perguntas sobre a luta pela terra Por Gilvander Moreira1 Em Contexto de Brasil sob política genocida, ecocida e hidrocida, sendo transformado em escombros, com devastação ambiental absurda, com brutais cortes de direitos trabalhistas, previdenciários e sociais, com hipertrofia do braço armado do Estado e atrofia do braço social do Estado, é necessário compreendermos a luta pela terra enquanto pedagogia de emancipação

Injustiça agrária é raiz da injustiça social

  Injustiça agrária é raiz da injustiça social, artigo de Gilvander Moreira A injustiça agrária e uma estrutura fundiária pautada no latifúndio são a raiz maior causadora da injustiça social e da brutal desigualdade social Injustiça agrária é raiz da injustiça social Por Gilvander Moreira1 No início da terceira década do século XXI, o momento dramático que vivenciamos exige de nós uma compreensão acurada do que é e do potencial emancipatório da luta pela

Aquisição de Terras por Investidores Estrangeiros – Riscos à Soberania e Segurança Alimentar

  Aquisição de Terras por Investidores Estrangeiros - Riscos à Soberania e Segurança Alimentar, artigo de José Rodrigues Filho [EcoDebate] Há pouco tempo uma Comissão do Senado do Canadá demonstrou preocupações com a aquisição de terras, considerando que a propriedade familiar rural sempre foi a espinha dorsal do país durante gerações. No final, a Comissão fez recomendações no sentido de uma cooperação nos diferentes níveis de governo para se discutir a aquisição

Nota da CPT: Despejos, assassinatos e reforma agrária paralisada marcam primeiro ano do governo Bolsonaro

  29 assassinatos até dezembro de 2019 em conflitos no campo, segundo dados parciais da Comissão Pastoral da Terra (CPT). Constantes despejos tornaram-se realidade mais uma vez no campo brasileiro, e, mesmo com 66 projetos de assentamento para reforma agrária prontos para serem executados em várias regiões do país, o governo Bolsonaro não assentou nenhuma família nesses locais. Texto por Cristiane Passos* Reportagem do jornal Folha de São Paulo mostrou que esses 66 projetos

O sonho de conquistar terra: ‘Minha ideia está é na roça’, artigo de Gilvander Moreira

O sonho de conquistar terra: “Minha ideia está é na roça”. Por Gilvander Moreira1 [EcoDebate] As famílias do Acampamento Dom Luciano, no município de Salto da divisa, região do Baixo Jequitinhonha, MG, precisamente as 43 – com total de pessoas flutuante - que perseveram na luta há mais de dez anos, têm demonstrado convicção de que estão no rumo certo e não vacilaram em momento algum. Sabiam muito bem que não há

Memórias inspiradoras da luta pela terra, artigo de Gilvander Moreira

Memórias inspiradoras da luta pela terra Por Gilvander Moreira1 Segundo Geralda Magela Fonseca - carinhosamente conhecida como Irmã Geraldinha -, cerca de 85% das famílias que vieram para o Acampamento Dom Luciano Mendes, no município de Salto da Divisa, na região do Baixo Jequitinhonha, MG, eram atingidas/massacradas pela barragem de Itapebi. De fato, grandes obras de infraestrutura que viabilizam o sistema do capital, entre as quais, as grandes barragens, têm gerado conflitos

Camponeses expulsos por latifundiários coronéis, artigo de Gilvander Moreira

  Camponeses expulsos por latifundiários coronéis Por Gilvander Moreira1 Em Salto da Divisa, na região do Baixo Jequitinhonha, MG, o coronelismo vigorou durante várias décadas até que se construíram as condições históricas materiais para questioná-lo. Foi o que fez Aldemir Silva Pinto, da coordenação do Assentamento Dom Luciano, assentado desde 2015 no Assentamento Dom Luciano Mendes, na fazenda Monte Cristo. Diz Aldemir: “Cansado de tanto ser injustiçado, eu, mesmo casado de novo, resolvi

Concentração fundiária e luta pela terra em Salto da Divisa, MG, artigo de Gilvander Moreira

Concentração fundiária e luta pela terra em Salto da Divisa, MG. Por Gilvander Moreira1 Conforme dados do Cadastro do INCRA2, a primeira e única fazenda desapropriada no município de Salto da Divisa na região do Baixo Jequitinhonha, MG, até agora foi a fazenda Monte Cristo, de 1348 hectares, que era de propriedade da Fundação Tinô da Cunha. Desapropria-se uma fazenda de uma Fundação que tem a missão de sustentar o único hospital

Luta pela terra, caminho de emancipação, artigo de Gilvander Moreira

Luta pela terra, caminho de emancipação Por Gilvander Moreira1 Em Campo do Meio, sul de Mina Gerais, Obed Vieira De Jesus, 47 anos, Sem Terra assentada no Assentamento Nova Conquista II no ex-latifúndio da ex-usina Ariadnópolis, na luta pela terra se libertou de um marido machista e, além de conquistar um pedaço de terra, resgatou a saúde de seus filhos e uma vida digna e feliz. Obed narra assim sua luta: “Vim

CPT, em MG, 40 anos de luta por justiça agrária ao lado dos/as camponeses/sas, por frei Gilvander Moreira

CPT, em MG, 40 anos de luta por justiça agrária ao lado dos/as camponeses/sas. Por frei Gilvander Moreira1 No Brasil, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) nasceu em junho de 1975, em plena ditadura militar-civil-empresarial. Em Minas Gerais, a CPT foi criada em 1979. Em 2019, a CPT-MG celebra 40 anos de luta por justiça agrária ao lado dos camponeses e das camponesas. Segundo Ivo Poletto, o primeiro secretário da CPT, "os

‘Nossa paixão pela terra vem do nosso berço’: lições da luta pela terra, artigo de Gilvander Moreira

  Nossa paixão pela terra vem do nosso berço”: lições da luta pela terra Por Gilvander Moreira1 Na luta pela terra, pela moradia ou pelo território, o despejo não põe fim à luta. Ser despejado é sempre algo traumático, mas se for elaborado, divulgado e tirado todas as lições possíveis, até os despejos podem se tornar fontes de emancipação. O Sem Terra Cesário Pereira Da Silva, do acampamento Sidnei Dias, no latifúndio da

Reforma agrária na Amazônia, uma utopia? artigo de João de Deus Barbosa Nascimento Júnior

    Reforma agrária na Amazônia [EcoDebate] A solução do problema da estagnação econômica e social provocada pela derrocada de quaisquer políticas agrícola estabelecida para região nas últimas décadas, que vem resultando na estagnação da produção agropecuária da região amazônica, que é a falta de uma reforma agrária e aquícola que beneficie a sociedade como um todo, com procedimentos escalonados e em sentido único, que devem sempre serem realizados de forma coerente com

‘No campo a gente tem liberdade e adquire saúde’: luta pela terra no sul de MG, artigo de Gilvander Moreira

  “No campo a gente tem liberdade e adquire saúde”: luta pela terra no sul de MG. Por Gilvander Moreira1 Ao lado do Assentamento Primeiro do Sul, do MST2, em Campo do Meio, no sul de Minas Gerais, e na fronteira com a maior fazenda de monocultura do café da América Latina está o megalatifúndio da ex-usina Ariadnópolis, que foi ocupado pelo MST pela primeira vez em 1998, um ano após a

Três assentados são mortos no Assentamento Salvador Allende, região de Tucuruí (PA)

  Conforme informações preliminares, três pessoas, sendo Dilma Ferreira Silva, da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) em Tucuruí, no Pará, seu esposo e outro homem (esse ainda não identificado) foram mortos na residência do casal. Ainda não há informações sobre a motivação do crime. As três pessoas, segundo informações iniciais, foram assassinadas nesta sexta-feira, 22, no Assentamento Salvador Allende, distante cerca de 50 quilômetros do município Tucuruí, no estado

Top