Nos sete primeiros meses de 2018, geração de energia eólica já cresceu 17,8%

    Nos sete primeiros meses de 2018, a geração de energia elétrica proveniente de geração eólica cresceu 17,8%, informou na sexta-feira (14) a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Segundo boletim da CCEE, as usinas que utilizam os ventos como insumo para a produção de eletricidade somaram 4.470 megawatts (MW) médios entregues entre janeiro e julho, frente aos 3.793,9 MW médios gerados no mesmo período de 2017. “A representatividade eólica em

Compensar emissões de usinas de carvão com captura de carbono exigiria uma cobertura de 89% dos EUA com florestas

  Embora a demanda por energia não esteja diminuindo, os alarmes gerados pela queima de combustíveis fósseis para obter essa energia estão ficando cada vez mais altos. Michigan Technological University* Soluções para cancelar os efeitos do carbono despejado em nossa atmosfera incluem captura e armazenamento de carbono ou bi-sequestro. Essa abordagem de emissão zero usa meios técnicos e plantas para absorver e armazenar as emissões de carbono. Outra rota é usar energia solar

Turbinas eólicas poderiam cobrir 40% do consumo atual de eletricidade na Alemanha

    A energia eólica é um pilar importante na recuperação da política energética da Alemanha. Universität Freiburg* De acordo com o governo alemão, o recurso deve cobrir 65% das necessidades de eletricidade da Alemanha até 2030, juntamente com a energia solar, hidroelétrica e biomassa. Em um estudo recente, o Dr. Christopher Jung e o Dr. Dirk Schindlerda Universidade de Friburgo mostram que será possível cobrir 40% do consumo de eletricidade atual apenas com

O longo caminho da transição energética, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Devemos deixar o petróleo antes que ele nos deixe” Faith Birol (Economista chefe da IEA)     [EcoDebate] A edição do relatório “Renewables Global Status Report (GSR)”, de 2018, da Renewable Energy Policy Network for the 21st Century (REN21) revela o quanto falta para o mundo percorrer na transição energética. A figura acima, com dados de 2016, mostra que os combustíveis fósseis ainda dominavam a matriz energética mundial e representavam 79,5% do consumo global.

Nos EUA, uso de água para fraturamento hidraulico (fracking) aumentou 770% desde 2011

  A quantidade de água usada por poço para fraturamento hidráulico (fracking) aumentou em até 770% entre 2011 e 2016 em todas as principais regiões produtoras de gás e óleo de xisto dos EUA, segundo um novo estudo da Duke University. Por Tim Lucas* **, in EcoDebate     O volume de águas residuais carregadas de salmoura que fraturou poços de petróleo e gás gerados durante o primeiro ano de produção também aumentou em até

Transações de Bitcoin com uso intensivo de energia representam uma ameaça ambiental crescente

  Um estudo publicado na revista Energy Research & Social Science alerta que o fracasso em reduzir o uso de energia pelo Bitcoin e projetos similares de Blockchain pode impedir que as nações cumpram suas obrigações de mitigação das mudanças climáticas sob o Acordo de Paris. Elsevier*     O estudo, de autoria de Jon Truby, PhD, professor assistente, diretor do Centro de Direito e Desenvolvimento da Faculdade de Direito da Universidade de Qatar, Doha,

Centro histórico de Londres funcionará apenas com energia renovável a partir de outubro deste ano

  Parte mais antiga da cidade receberá o que há de mais moderno ABr A "city londrina" ou "The Square Mile", como é conhecido o centro financeiro e histórico de Londres, funcionará apenas com energia renovável a partir de outubro deste ano. O investimento inclui placas de aquecimento solar nos edifícios e parques eólicos, além da compra de energia renovável já disponível no mercado. A Square Mile é assim conhecida por ter uma milha quadrada, o que representa

Energia Solar: Sol intenso na região do Sahel pode ser fonte de energia para 70% do mundo

  Da ONU News   https://news.un.org/pt/sites/news.un.org.pt/files/audio/2018/07/1807162.mp3   Especialista fala de potencial da área africana para se abastecer e conectar comunidades distantes à rede elétrica; iniciativa apoiada pela ONU tem destaque no Fórum Político de Alto Nível que termina quarta-feira. Um plano das Nações Unidas quer aproveitar o calor fornecido pela energia solar na região africana do Sahel para cobrir cerca de 70% da demanda de eletricidade do mundo. Falando à ONU News, no Níger, a representante especial do

Irlanda aprova Lei do Desinvestimento em Combustíveis Fósseis

    'Romper os laços com a indústria fóssil está se tornando a nova norma' - Enquanto países como Irlanda e Costa Rica anunciam o desinvestimento completo em combustíveis fósseis, Brasil segue aprovando mais subsídios à indústria do petróleo Por Nathália Clark, 350.org Brasil e América Latina Em um feito histórico, o Parlamento da Irlanda acaba de aprovar, na quinta-feira (12), a Lei do Desinvestimento em Combustíveis Fósseis, tornando-se o primeiro país do mundo a retirar

Infográfico: Mitos e verdades sobre os carros elétricos

  Infográfico elaborado pelo site Carro Aluguel. Carro Aluguel   Colaboração de Nayrison da Costa, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 05/07/2018   [CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ] Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394, Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso

A transição acelerada para os veículos elétricos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O número de carros elétricos (híbridos e plug-in) em circulação nas ruas do mundo ultrapassou 3 milhões de unidades em 2017, um aumento de 54% em comparação com 2016, de acordo com a última edição do Panorama Global dos Carros Elétricos (Global EV Outlook 2018) da Agência Internacional de Energia. O gráfico acima mostra que o número de carros elétricos no mundo era de menos de 0,5 milhão em 2013,

Pré-sal, mudanças climáticas e o empobrecimento do Nordeste

    Por 350.org Brasil e América Latina Como a nova lei que deu subsídios bilionários à indústria do petróleo vai agravar a pobreza na região mais vulnerável do Brasil O petróleo das camadas profundas do pré-sal não só não trouxe o boom econômico tão propagandeado pelo governo federal, como está sendo entregue de bandeja para petroleiras multinacionais bilionárias. Para atrair o investimento dessas empresas, o governo aprovou em dezembro passado uma renúncia fiscal

Top