Ibama embarga 1,2 mil hectares por supressão ilegal da Mata Atlântica e aplica R$ 9,4 milhões em multas no RS

  Foto: Ibama   Operação de combate à supressão ilegal da Mata Atlântica realizada pelo Ibama na região sul do país resultou no embargo de 1.225 hectares e na aplicação de 16 autos de infração que totalizam R$ 9,4 milhões. Cada hectare equivale à área de um campo de futebol. A partir de imagens de satélite, agentes ambientais identificaram as vinte maiores áreas de supressão no nordeste do Rio Grande do Sul. A região

Policial é morto por madeireiros ilegais, em emboscada durante operação do Ibama no Pará

luto

    Um policial militar foi assassinado por criminosos em uma emboscada após a destruição de um acampamento ilegal de madeireiros na Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, em Novo Progresso (PA). Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), uma equipe do órgão que realizava operação de combate ao desmatamento ilegal, com apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará, foi atacada a tiros na

PA: operação investiga grandes empresas exportadoras de madeira por desmatamento ilegal e fraude

    Grandes empresas exportadoras de madeira atuando no Pará são suspeitas de usar créditos florestais para “esquentar” madeira ilegal Foi deflagrada nesta sexta-feira, 4 de dezembro, uma operação do Ministério Público Federal, Polícia Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e Justiça Federal que investiga um esquema de desmatamento ilegal e fraude em sistemas florestais no qual estão envolvidas algumas das maiores empresas exportadoras de madeira do Pará. A operação envolve buscas

Madeira ilegal da Amazônia chega impunemente à Europa

Nova investigação expõe 26 empresas europeias que estão importando produtos de fornecedor ligado ao comércio de madeira ilegal da Amazônia A operação “Madeira Limpa”, deflagrada pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal de Santarém, no final de agosto de 2015, desmantelou uma rede de corrupção e comércio ilegal de madeira atuando em diversos municípios do Pará, e de outros estados. Entre os envolvidos está uma madeireira, chamada Iller, que exportou

PA: Cosipar, Sidepar e Ibérica terão que recompor passivo ambiental de 43 mil ha, no valor de quase R$ 142 milhões

  Persistir na ilegalidade e descumprir obrigações previstas no TAC firmado com o MPF, especialmente a exigência de autossustentabilidade, cujo prazo encerrou no início desse ano, motivaram aplicação de sanções às siderúrgicas. A interrupção ou redução da produção de siderúrgicas que assinaram acordos para regularizar ambientalmente suas atividades no Pará não dispensa as empresas da obrigação de recuperar áreas ilegalmente degradadas ou pagar indenizações pelos danos ambientais causados. A confirmação de que

Ibama para grande desmatamento ilegal com uso de correntão em Mato Grosso

    Fiscais do Ibama, dentro da operação Onda Verde, cessaram desmatamento que chegaria a 1500 hectares. Em área entre os municípios de Nova Maringá e Juara, centro-norte de Mato Grosso, os agentes flagraram desmatamento ilegal com uso de correntão (corrente que tem suas extremidades presas a dois tratores que andam, simultaneamente, derrubando a floresta). Quando os fiscais chegaram, com 617 hectares desmatados, eles pararam o que poderia se transformar em degradação

Índios de Brasil e Peru denunciam quadrilhas de madeireiros ilegais que ameaçam e matam nativos

    Líderes indígenas brasileiros e esposas de ashaninkas peruanos assassinados em setembro denunciaram nesta quarta-feira a presença de quadrilhas de madeireiros ilegais na fronteira, que matam e ameaçam nativos para que abandonem suas terras. Matéria da AFP, no Yahoo Notícias. "São máfias presentes no lado peruano - totalmente desprotegido - que estão matando líderes como os quatro da comunidade ashaninka peruana de Saweto", disse em coletiva de imprensa Francisco Piyako, líder da

Agropecuária é responsável por 90% do desmatamento ilegal no Brasil

  Derrubada irregular dá lugar ao gado e à soja. Grande parte dos produtos é destinada à exportação para Rússia, China, EUA e União Europeia, revela estudo. Entre 2000 e 2012, a agropecuária foi responsável por metade do desmatamento ilegal nos países tropicais. No Brasil, até 90% da derrubada ilegal da floresta neste período ocorreu para dar lugar ao gado e à soja. Os números fazem parte de um estudo

Cadastro Ambiental Rural (CAR) não evita desmatamento ilegal em imóveis cadastrados

    O Cadastro Ambiental Rural foi criado com o intuito de possibilitar, aos órgãos responsáveis pela gestão ambiental, exercer controle sobre a situação da cobertura florestal dos imóveis e assentamentos rurais em todo o país. Sua efetividade, no entanto, depende da capacidade desses órgãos em realizar o monitoramento e a fiscalização, tanto das informações fornecidas pelos proprietários no ato do cadastramento quanto das mudanças no uso do solo nas propriedades. Vários profissionais

Extração ilegal de madeira na Amazônia é marcada por violência, corrupção e impunidade

  Patrícia Oliveira João Capiberibe (C) acompanha depoimento de Claudelice Silva (D): "Estado é omisso", disse ela     “Crime organizado”, “máfia”, “guerra”, ”madeira lavada com sangue”, o cenário de violência por trás do desmatamento na Amazônia desafia o Estado e foi descrito com esses termos pelos participantes do debate promovido pela Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa (CDH), nesta quarta-feira (3), e presidido pelo senador João Capiberibe (PSB-AP). Ativistas ameaçados de morte por denunciarem

MG: Fiscalização ambiental autua empresa que transforma Mata Atlântica em carvão

  Mais de 1.500 árvores foram derrubadas na zona de amortecimento do Parque do Rio Doce   Mata Atlântica na Serra do Mar, Paraná / Crédito: Wikipedia   [Por Marina Bhering, da Amda] A empresa GPM Participação Ltda., com sede em Marliéria, cidade vizinha ao Parque Estadual do Rio Doce, foi autuada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) pela derrubada de 1.597 árvores de Mata Atlântica na localidade denominada Cava

Maranhão: PF e Ibama prendem quadrilha que comercializava madeira ilegal de terras indígenas e unidades de conservação

  Foto de arquivo   Dezenas de pessoas estão sendo presas desde o início da manhã de sexta-feira (6) no estado do Maranhão pela Polícia Federal (PF). Os agentes desvendaram um esquema montado por criminosos que invadiam o sistema de controle florestal mantido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), conhecido como Sisdof, para obter documentos oficiais para créditos, e facilitar o comércio de madeira extraída ilegalmente de

Top