Poluição do ar aumenta casos de emergência por doenças cardíacas e pulmonares

  A poluição do ar é uma grande ameaça à saúde em todo o mundo   Novas pesquisas do CHHS descobriram que a exposição a certos poluentes do ar está ligada ao aumento das consultas do departamento de emergência (DE) para doenças respiratórias e cardiovasculares. Por Jiaxi Zhang*     A Dra. Jenna Krall liderou a pesquisa com colegas da Emory University, do Georgia Institute of Technology e da University of Pittsburgh. Eles descobriram que a exposição

Pesquisa documenta os efeitos rápidos das mudanças climáticas nas plantas e seus ecossistemas

  Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu que as mudanças climáticas estão alterando drasticamente as comunidades de plantas terrestres e seus ecossistemas, em um ritmo tão rápido que ter uma linha de base estável para realizar experimentos está se tornando cada vez mais difícil.     Villanova University* Em um artigo intitulado “Ambient changes exceed treatment effects on plant species abundance in global change experiments”, publicado recentemente na revista Global Change Biology , o autor

Podemos limitar o aquecimento global a 1,5 ° C?

  Os esforços para combater o aquecimento global e as alterações climáticas tendem a concentrar-se nas mudanças do lado da oferta, como a mudança para energias renováveis ou mais limpas. Lund University* Em uma edição especial na revista Energy Efficiency, que segue o Special Report on Global Warming of 1.5 degrees C do IPCC, os pesquisadores argumentam que as abordagens de demanda podem desempenhar um papel crucial, dado o objetivo de aspiração delineado

Aquecimento Global: Estresse térmico reduzirá a produtividade no trabalho

  O estresse térmico afeta a saúde dos trabalhadores e reduz a produtividade do trabalho, alterando o ambiente de trabalho ambiental, levando a perdas econômicas. Institute of Atmospheric Physics, Chinese Academy of Sciences* Quantificar o impacto do estresse térmico na produtividade do trabalho continua sendo um problema para a pesquisa científica e a formulação de políticas. Nos últimos anos, pesquisas baseadas em estudos de ciências sociais foram bem aplicadas para quantificar o impacto do

Estudo revela que a disponibilidade de nitrogênio para as plantas está diminuindo com o aquecimento do clima

  Disponibilidade de nitrogênio - A maioria dos ecossistemas terrestres, como florestas e terras que não foram tratadas com fertilizantes, estão se tornando mais oligotróficos University of Maryland Center for Environmental Science*     Pesquisadores descobriram que as mudanças globais, incluindo o aquecimento das temperaturas e aumento dos níveis de dióxido de carbono na atmosfera, estão causando uma diminuição na disponibilidade de um nutriente fundamental para as plantas terrestres. Isso pode afetar a capacidade das

Quantificar os impactos evolutivos dos humanos na biosfera é mais difícil do que parece

  Nova pesquisa levanta problemas metodológicos na avaliação dos impactos do homem na evolução McGill University*     Os distúrbios humanos no ambiente estão provocando mudanças evolutivas em animais e plantas? Um novo estudo conduzido por pesquisadores da McGill descobriu que, em média, os distúrbios humanos não parecem acelerar o processo de seleção natural. Embora a descoberta possa parecer reconfortante, esse padrão inesperado pode refletir o número limitado de espécies para as quais há dados

Nível global do mar pode subir 15 metros em 2300, diz estudo

  Caracterizar o que é conhecido e o que é incerto é fundamental para o gerenciamento do risco costeiro Por Todd Bates**, Rutgers, The State University of New Jersey     A média global do nível do mar pode subir cerca de 2,5 metros até 2100 e 15 metros até 2300 se as emissões de gases do efeito estufa continuarem altas e a humanidade se mostrar inerte, de acordo com uma revisão das projeções feitas

Emissões de carbono de incêndios florestais na Amazônia são até 4 vezes piores do que se estimava

  As perdas de carbono causadas pelos incêndios florestais de El Niño de 2015 e 2016 poderiam ser até quatro vezes maiores do que se pensava, de acordo com um estudo de 6,5 milhões de hectares de floresta na Amazônia brasileira.     Lancaster University* Nova pesquisa, publicada em uma edição especial da revista Philosophical Transactions da Royal Society B , revelou que as consequências dos incêndios florestais de 2015 e 2016 na Amazônia resultaram

O aquecimento global aumenta o potencial devastador dos incêndios florestais na Europa Mediterrânea

  Cientistas da Universidade de Barcelona conduziram um estudo que mostra que o aquecimento global aumentará a extensão de áreas queimadas por incêndios florestais na Europa Mediterrânea. Universitat de Barcelona* Um estudo internacional publicado na revista Nature Communications , dirigido por pesquisadores da Universidade de Barcelona (UB), mostra que o aquecimento antropogênico aumentará a extensão da área queimada por incêndios na Europa Mediterrânea, e que esse crescimento pode ser reduzido se o O

Área afetada pela elevação do nível do mar no Havaí pode ser o dobro do previsto

  Universidade do Havaí em Manoa * Por incluir modelos de processos físicos dinâmicos, tais como erosão e arrebentação das ondas, uma equipe de pesquisadores da Universidade do Havaí em Manoa e o Departamento de Terra e Recursos Naturais determinaram que as áreas de terra do Havaí vulneráveis a futuras elevações do nível do mar podem ser o dobro do que havia sido anteriormente estimado. O estudo foi publicado em 27 de

As perdas econômicas causadas pela seca na China podem dobrar, com o aquecimento global

  As perdas econômicas causadas pela seca na China podem dobrar, se a temperatura global subir 1,5°C para 2,0°C acima dos níveis pré-industriais, com o aumento da intensidade da seca e da expansão de áreas áridas na China. E o que indica um novo estudo de avaliação econômica realizado por cientistas chineses.     O estudo, baseado em 30 anos de estatísticas de perda de 31 províncias e cidades ,desde 1986, identifica a intensidade,

Manguezais da Amazônia armazenam duas vezes mais carbono por hectare que a floresta tropical da região

  Os cientistas determinaram, pela primeira vez que, os mangues costeiros da Amazônia, crescentemente desmatados para pastos de gado e produção de de camarões, armazenam significativamente mais carbono por hectare do que a famosa floresta tropical da região. Por Chris Branam*     O estudo de longo prazo, publicado recentemente na revista Biology Letters, fornece uma melhor compreensão de como o desmatamento de manguezais contribui para o efeito estufa, uma das principais causas do aquecimento

Top