Água mais quente e exposição química influenciam a expressão gênica entre gerações em um peixe costeiro

 

Temperaturas de água mais quentes, combinadas com baixa exposição a produtos químicos que já são prejudiciais à vida aquática, influenciam a expressão de genes na prole de uma abundante espécie de peixe norte-americana – e ameaçam organismos cuja determinação sexual é sensível à temperatura da água.

A descoberta foi publicada na revista online PeerJ.

Por Chris Branam*
Oregon State University

Pesquisas anteriores já relatadas mostraram que essas mesmas exposições a compostos desreguladores endócrinos (CDEs) levam a relações sexuais alteradas, taxas de fertilidade mais baixas e deformidades em peixes marinhos Menidia beryllina.

No estudo do PeerJ, a exposição ao inseticida bifentrina não causou efeitos adversos e mudanças na expressão gênica do peixe até a segunda geração.

“Isso significa que as células que são criadas antes de se tornar espermatozóide ou óvulo são, às vezes, mais suscetíveis aos CDEs”, disse a principal autora do estudo, Bethany DeCourten, aluna de doutorado da Oregon State University. “A extensão total dos efeitos adversos causados por uma combinação de exposição a temperaturas elevadas e produtos químicos comuns pode não ser totalmente realizada por testes de curto prazo ou de geração única em peixes, que é atualmente como as decisões regulatórias são tomadas.”

Além disso, mudanças na expressão de genes envolvidos na produção de hormônios foram mais comuns em peixes parentais e seus descendentes que foram expostos às temperaturas mais altas da água previstas pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática.

“Isso indica que a exposição a produtos químicos comumente encontrados em escoamento ou efluentes que entram nos ecossistemas aquáticos pode ter efeitos mais fortes sob cenários climáticos futuros”, disse Susanne Brander , toxicologista aquática da Universidade Estadual do Oregon e co-autora do estudo.

Os Menidia beryllina são pequenos – os adultos têm cerca de 10 cm de comprimento – e são nativos dos estuários do leste da América do Norte e do Golfo do México e foram introduzidos na Califórnia. Eles se alimentam principalmente de zooplâncton e são uma importante espécie de presa para uma variedade de aves e peixes comercialmente valiosos.

Os compostos estudados pelos pesquisadores foram a bifentrina, comumente usada para controle de mosquitos, e o etinilestradiol (EE2), um estrogênio sintético encontrado em quase todas as formas combinadas de pílulas anticoncepcionais.

Uma grande parte do EE2 não é absorvida pelo corpo e é excretada na urina. As estações de tratamento de águas residuais geralmente não estão equipadas para eliminar tais produtos químicos e acabam em rios e, eventualmente, em estuários. A bifentrina é usada para controlar insetos em casas, pomares e viveiros.

No estudo, três gerações de Menidia beryllina foram expostas a um nanograma por litro de bifentrina e EE2, em água a 22 graus Celsius (71,6 graus Fahrenheit) e 28 graus Celsius (82,4 graus Fahrenheit).

“Os níveis de exposição foram equivalentes a uma queda de produto químico em uma piscina olímpica”, disse Brander.

Peixes parentais adultos foram expostos por 14 dias antes da desova da próxima geração. Suas larvas foram então expostas a partir de fertilização até 21 dias pós-eclosão antes de serem transferidas para tanques de água limpa. Essas larvas foram criadas até a idade adulta, depois geradas em água limpa para testar os efeitos adicionais da exposição dos pais aos filhos.

 

Larva de Menidia beryllina
Larva de Menidia beryllina, três dias após a eclosão do ovo. Foto por Nathan Burns.

 

Referência:

DeCourten BM, Connon RE, Brander SM. 2019. Direct and indirect parental exposure to endocrine disruptors and elevated temperature influences gene expression across generations in a euryhaline model fish. PeerJ 7:e6156 https://doi.org/10.7717/peerj.6156

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 01/02/2019

"Água mais quente e exposição química influenciam a expressão gênica entre gerações em um peixe costeiro," in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 1/02/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/02/01/agua-mais-quente-e-exposicao-quimica-influenciam-a-expressao-genica-entre-geracoes-em-um-peixe-costeiro/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top